A Influência da Língua Árabe no Português Brasileiro: A contribuição dos escravos africanos... por Maria Youssef Abreu, Vanderci de Andrade Aguilera - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

index-1_1.png

index-1_2.png

index-1_3.png

index-1_4.png

index-1_5.png

index-1_6.png

A influência da língua árabe no português brasileiro:

a contribuição dos escravos africanos e da imigração

libanesa

The influence of Arabic on Brazilian Portuguese: the

contribution of African slaves and the Lebanese immigration

Maria Youssef Abreu

Vanderci de Andrade Aguilera

RESUMO: As relações entre o árabe e o português no Brasil concretizaram-se a partir

de dois momentos históricos distintos. O primeiro momento deu-se no decorrer dos

séculos XVIII e XIX, quando o tráfico de escravos viabilizou a entrada de populações

de africanos islamizados na sociedade escravocrata brasileira. O segundo ocorreu, mais

recentemente, com o fluxo imigratório de sírios e libaneses, iniciado no final do século

XIX, estabelecendo uma nova etapa da história de interações entre essas línguas. O

presente artigo contempla os vocábulos árabes derivados do intercâmbio entre as duas

línguas e os campos semânticos em que os mesmos se organizam, como indício das

áreas do saber nas quais se observam as interações entre as duas comunidades

linguísticas em contato. Para fins teórico-metodológicos, ampara-se na Sociolinguística

do contato de línguas, introduzido por Weinreich (1953) e considera-se como obra-

fonte o Vocabulário de Origem Árabe, sistematizado por Vargens (2006). Verificou-se o

registro de vinte e cinco vocábulos introduzidos pelos escravos africanos, pertencentes

ao campo semântico „religião‟, e doze vocábulos representativos ao campo semântico

„culinária‟, viabilizados pela presença de imigrantes sírios e libaneses no país.

PALAVRAS-CHAVE: Línguas em Contato. Árabe. Interferência.

ABSTRACT: The relationship between Arabic and Portuguese in Brazil is seen

beginning with two distinct historical moments. The first phase took place during the

eighteenth and nineteenth centuries, when the slave trade introduced an African

muslim population into the Brazilian slave society. The second occurred more recently,

with the flow of immigrants from Syria and Lebanon, starting in the late nineteenth

century, establishing a new stage in the history of interactions between two languages.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade

Estadual de Londrina - UEL, bolsista da CAPES, vinculada à linha de pesquisa Linguagem e

Significação - Análise e Descrição Linguísticas. E-mail: mariaayoussef@hotmail.com

Professora do Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas e Coordenadora do Programa

de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Londrina - UEL.

E-mail: vanderci@uel.br

Entretextos, Londrina, v.10, n.2, p.5-29, jul./dez.2010

5

A influência da língua árabe no português brasileiro: a contribuição dos escravos africanos e da imigração libanesa The present article presents the Arabic words exchanged between the two languages

as well as semantic fields in which they organize themselves, as evidence of areas in

which they observe the interactions between the contact of these two linguistic

communities. Theoretical and methodological purposes, find refuge in the

Sociolinguistics of language contact, introduced by Weinreich (1953) and became itself

as a work source Vocabulary of Arabic origin, systematized by Vargens (2006). There

are twenty-five words introduced by African slaves in the semantic field 'religion,' and

twelve words in the semantic field 'cooking,' made possible by the presence of Syrian

and Lebanese immigrants in this country.

KEY-WORD: Languages in Contact. Arabic. Interference.

Introdução

As línguas geram e expressam os laços que integram os falantes na

sociedade e, de muitas maneiras, auxiliam a contar a história deles e de si

mesmas. Os estudos em Filologia Românica ou Portuguesa contemplam,

sobretudo, o contato entre o árabe e o português na Idade Média ibérica,

período no qual ocorreu a interferência de um vasto número de vocábulos do

árabe, distribuído em diversos campos semânticos, nas línguas ibéricas e ou

delas provenientes. De maneira geral, os estudos filológicos ressaltam três vias

de entrada a fim de explicar a interferência dos arabismos na língua

portuguesa, a saber: a presença árabe muçulmana na Península Ibérica, a

expansão portuguesa e a entrada mediante as línguas européias. Entretanto,

omitem a via de entrada de arabismos em terras brasileiras, em decorrência do

contato entre o árabe e o português, concretizado a partir da presença de

africanos islamizados na sociedade escravagista nos séculos XVIII e XIX e do

intenso fluxo imigratório de sírios e libaneses nas primeiras décadas do século

XX.

Na tentativa de preencher tal lacuna, Vargens (2006) propõe uma

revisão do corpus de arabismos do português de todas as épocas, amparado

em uma busca bem documentada dos arabismos mais antigos em português e

contempla a via de entrada brasileira, acrescentando a contribuição do

vocabulário herdado dos escravos e dos imigrantes sírios e libaneses. Em seu

Entretextos, Londrina, v.10, n.2, p.5-29, jul./dez.2010

6

Maria Youssef Abreu & Vanderci de Andrade Aguilera

glossário, o autor registra setecentos e sessenta e nove unidades léxicas que,

como empréstimos originais, variantes, derivados, ou expressões, são

arabismos em português. Trata-se de um registro considerável, tanto

quantitativa quanto qualitativamente, na especificidade das línguas românicas

da Península Ibérica. Entretanto, no que concerne particularmente ao

enriquecimento lexical proporcionado por imigrantes libaneses, até o presente

momento não se tem conhecimento de investigações científicas sobre o tema

(ARAGÃO, 2008, p. 10).

Nessa perspectiva, o presente artigo expõe dados parciais de análise de

pesquisa, em nível de doutoramento, cujo propósito central consiste no estudo

das interferências léxicas do árabe no português falado por imigrantes libaneses

em contato sociolinguístico constante em solo brasileiro, estabelecidos na

cidade de Londrina. O corpus constitui-se de dados orais do discurso de

dezesseis imigrantes libaneses, bilíngues árabe-português, com idade superior a

18 anos, comerciantes de profissão e com permanência no país entre 20 a 45

anos. Apresentam-se divididos em dois grupos religiosos, cristãos e

muçulmanos, de sexo masculino e feminino, distribuídos em dois níveis de

escolaridade, fundamental e médio, com dois informantes em cada nível.

Para fins teórico-metodológicos, este estudo ampara-se na

Sociolinguística do contato de línguas, introduzido por Weinreich (1953) e

considera como obra-fonte o Vocabulário de Origem Árabe: subsídios para os

estudos de filologia, sistematizado por Vargens (2006). Especificamente, o

estudo contempla os vocábulos árabes derivados de dois momentos do contato

entre o par de línguas em terras brasileiras, antes referidos, e os campos

semânticos em que eles se organizam, como indícios das áreas do saber nas

quais se observam as interações entre as duas comunidades linguísticas em

contato.

A fim de desenvolver este estudo de modo a dar conta de nossos

propósitos, subdividimo-lo em três partes: a primeira expõe um breve relato da

interferência árabe na Península Ibérica, sugerindo um levantamento dos

principais trabalhos realizados sobre o tema em pauta; a segunda discute a

Entretextos, Londrina, v.10, n.2, p.5-29, jul./dez.2010

7

A influência da língua árabe no português brasileiro: a contribuição dos escravos africanos e da imigração libanesa influência dos africanos escolarizados que habitaram a sociedade escravocrata

na Bahia; e a terceira apresenta aspectos socio-históricos da imigração libanesa

no Brasil, seguida de um pequeno vocabulário de arabismos resultante dessa

imigração.

A interferência árabe na Península Ibérica: o contato linguístico e