A Revolução Industrial por Luís Lourenço - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

index-1_1.jpg

index-1_2.png

index-1_3.png

Agrupamento de Escola da Sertã

Disciplina: Área de integração

Turma: 11º D

Trabalho realizado por: João Lourenço Nº 9

Luís Lourenço Nº 15

1

index-2_1.png

index-2_2.png

Agrupamento de Escola da Sertã

 Introdução ……………………………………………………...…..3

 O que foi a Revolução Industrial? ...........................4

 Como se iniciou a Revolução Industrial? ………………5

 Curiosidades sobre a Revolução Industrial …………..7

 Principais inventores e as suas invenções ……….……8

 Tipos de Transportes Utilizados ……………………….….12

 Primeira etapa da Revolução Industrial …………..…..13

 Segunda etapa da Revolução Industrial ……………….15

 Terceira etapa da Revolução Industrial ……….….……16

 Esquema sobre a Revolução Industrial ………….…….18

 Conclusão …………………………………………………….……..19

2

index-3_1.png

index-3_2.png

Agrupamento de Escola da Sertã

Com este trabalho esperamos ficar a conhecer melhor a história da

revolução industrial, os seus impulsionadores, as suas partes positivas e

negativas e as ideias e estratégias para a criação da Revolução Industrial.

3

index-4_1.jpg

index-4_2.png

index-4_3.png

index-4_4.png

index-4_5.png

Agrupamento de Escola da Sertã

A Revolução industrial foi um conjunto de mudanças que aconteceram na

Europa nos séculos XVIII e XIX. A principal particularidade dessa revolução

foi a substituição do trabalho artesanal pelo assalariado e com o uso das

máquinas.

4

index-5_1.png

index-5_2.png

index-5_3.png

Agrupamento de Escola da Sertã

A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade

Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros,

menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar

a produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento

populacional, que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias.

Até o final do século XVIII a maioria da população europeia vivia no campo

e produzia o que consumia. De maneira artesanal o produtor dominava

todo o processo produtivo.

Apesar de a produção ser predominantemente artesanal, países como a

França e a Inglaterra, possuíam manufacturas. As manufacturas eram

grandes oficinas onde diversos artesãos realizavam as tarefas

manualmente, entretanto subordinados ao proprietário da manufactura.

A Inglaterra foi precursora na Revolução Industrial devido a diversos

factores, entre eles: possuir uma rica burguesia, o fato do país possuir a

mais importante zona de livre comércio da Europa, o êxodo rural e a

localização privilegiada junto ao mar o que facilitava a exploração dos

mercados ultramarinos.

5

index-6_1.jpg

index-6_2.png

index-6_3.png

index-6_4.png

Agrupamento de Escola da Sertã

Como muitos empresários ambicionavam lucrar mais, o operário era

explorado sendo forçado a trabalhar até 15 horas por dia em troca de um

salário baixo. Além disso, mulheres e crianças também eram obrigadas a

trabalhar para sustentarem suas famílias.

Diante disso, alguns trabalhadores se revoltaram com as péssimas

condições de trabalho oferecidas, e começaram a sabotar as máquinas.

Outros movimentos também surgiram nessa época com o objectivo de

defender o trabalhador. O trabalhador em razão deste processo perdeu o

conhecimento de todo a técnica de fabricação passando a executar

apenas uma etapa.

6

index-7_1.jpg

index-7_2.png

index-7_3.png

index-7_4.png

index-7_5.png

index-7_6.png

index-7_7.png

index-7_8.png

Agrupamento de Escola da Sertã

 A revolução Industrial teve início na Inglaterra devido á acumulação

de capital e as grandes capacidades de matérias-primas como o

carvão e ferro.

 Uma das principais invenções fundamental para a Revolução

Industrial foi a Máquina a vapor.

 Os operários (trabalhadores das fábricas) na época da Revolução

Industrial não tinham direitos trabalhistas, trabalhavam muito e

ganhavam pouco e o ambiente de trabalho apresentava péssimas

condições.

 Um dos principais movimentos trabalhistas contra as péssimas

condições de trabalho na Revolução Industrial ficou conhecido

como Ludismo que invadiam fábricas e partiam as máquinas numa

forma de protesto e revolta com relação às péssimas condições de

trabalho enfrentadas pelos operários.

7

index-8_1.jpg

index-8_2.jpg

index-8_3.png

index-8_4.png

index-8_5.png

index-8_6.png

Agrupamento de Escola da Sertã

1698 - Thomas Newcomen instala um motor a vapor para esgotar água em uma mina de carvão.

1708 - Jethro Tull (agricultor) inventa a primeira máquina de

semear puxada a cavalo, permitindo a mecanização da agricultura.

8

index-9_1.jpg

index-9_2.jpg

Agrupamento de Escola da Sertã

1800 - Alessandro Volta inventa a bateria eléctrica.

1844 - Samuel Morse inaugurou a primeira linha de telégrafo nos Estados Unidos.

9

index-10_1.jpg

index-10_2.jpg

Agrupamento de Escola da Sertã

1876 - Alexander Graham Bell inventou o telefone nos Estados Unidos.

1877 - Thomas Alva Edison inventou o fonógrafo nos Estados Unidos.

10

index-11_1.jpg

Agrupamento de Escola da Sertã

1885 - Gottlieb Daimler inventou um motor a explosão.

11

index-12_1.jpg

index-12_2.jpg

index-12_3.png

index-12_4.png

index-12_5.png

Agrupamento de Escola da Sertã

Os dois transportes que foram fundamentais para a Revolução Industrial

foram os navios a vapor e as locomotivas a vapor.

12

index-13_1.png

index-13_2.png

index-13_3.png

Agrupamento de Escola da Sertã

 Teve início na Inglaterra em meados do século XVIII.

Espalhou-se durante a segunda metade do século para outros

países da Europa.

 O pioneirismo inglês pode ser explicado pela existência no

país de minas de carvão mineral (fonte de energia) e minério

de ferro (matéria-prima).

 O capitalismo industrial teve grande impulso.

 Foi possível graças ao acumulo de capital.

 Invenção e uso de novos sistemas de transporte como, por

exemplo, ferroviário (locomotivas a vapor) e navios a vapor.

Estas invenções eram para suprir a necessidade de transporte

de mercadorias em larga escala.

 Foi uma fase de transição do sistema de produção artesanal

para o industrial.

 Houve a invenção de diversas máquinas movidas a vapor.

 Os trabalhadores das fábricas recebiam salários baixos,

enfrentam péssimas condições de trabalho e não tinham

direitos trabalhistas.

 Houve o uso de mão-de-obra infantil e feminina com salários

abaixo dos homens.

13

index-14_1.jpg

Agrupamento de Escola da Sertã

 Busca de matérias- prima e mercados consumidores na África

e Ásia, através do neocolonialismo.

14

index-15_1.jpg

index-15_2.png

index-15_3.png

index-15_4.png

Agrupamento de Escola da Sertã

 Teve início nos Estados Unidos no final do século XIX e

começo do século XX.

 Criação e uso de novas tecnologias como, por exemplo,

veículos automotores e aviões (carros, autocarros)

 Houve também um significativo aperfeiçoamento nas

tecnologias usadas nas máquinas industriais que se tornaram

mais eficientes.

 Sistemas de produção mais eficientes, resultando em maior

produtividade com redução de custos como, por exemplo, o

fordismo.

 Uso do petróleo e energia eléctrica como fontes de energia

principais.

 Avanços na área de telecomunicações como, por exemplo,

telefone e rádio.

15

index-16_1.png

index-16_2.png

index-16_3.png

Agrupamento de Escola da Sertã

 Liderada também pelos Estados Unidos, teve início com o

final da Segunda Guerra Mundial (meados do século XX). É a

fase que vivemos até a actualidade.

 Introdução do uso de novas fontes de energia como, por

exemplo, a nuclear.

 Desenvolvimento e início do uso da informática,

principalmente por parte de empresas e governos.

Posteriormente para todas as pessoas.

 Melhorias nas condições de trabalho com ampliação dos

direitos trabalhistas.

 Fortalecimento do sistema capitalista.

 Crescimento económico do Japão e da Alemanha que passam

a figurar como potências económicas na segunda metade do

século XX.

 Desenvolvimento da Genética e da Biotecnologia, oferecendo

novos recursos para a área médica e fortalecendo a indústria

de medicamentos.

16

index-17_1.jpg

Agrupamento de Escola da Sertã

 Desenvolvimento da Globalização, principalmente após o fim

da Guerra Fria, que trouxe um novo cenário nas relações

económicas e formas de produção.

 No final do século XX e começo do XXI, temos o

desenvolvimento da Internet que avançou o mundo do

comércio e das finanças.

 Inicio, a partir da década de 1970, das preocupações com o

Meio Ambiente (aquecimento global, efeito estufa,

desmatamentos, extinção de espécies animais).

 Aumento da importância, no cenário económico global, dos

países emergentes (China, Rússia, Brasil e Índia).

17

index-18_1.jpg

index-18_2.png

index-18_3.png

index-18_4.png

index-18_5.png

index-18_6.png

Agrupamento de Escola da Sertã

18

index-19_1.png

index-19_2.png

Agrupamento de Escola da Sertã

Com este trabalho ficamos a conhecer melhor a Revolução Industrial

assim como a sua importância na sociedade e economia para o Mundo

nos dias de hoje. Também ficamos a conhecer os seus impulsionadores

que naquela altura fizeram invenções muito importantes.

19

Você pode estar interessado...

  • Punk
    Punk História por L.M.
    Punk
    Punk

    Downloads:
    25

    Publicado:
    Aug 2019

    Esta é a história definitiva e nunca antes contada sobre os anos 70 e a Blank Generation. Narrando o nascimento do qe hoje se chama punk, desde a Factory de A...

    Formatos: PDF, Epub, Kindle, TXT

  • 1929
    1929 História por I.S.
    1929
    1929

    Downloads:
    60

    Publicado:
    Jul 2019

    Em 1929, Ivan Sant’Anna descreve em detalhes os dias, semanas e meses que precederam a quebra da Bolsa de Nova York, o grande colapso do mercado financeiro no...

    Formatos: PDF, Epub, Kindle, TXT

  • Fenomenologia das Aparições
    Fenomenologia das Aparições História por Valter da Rosa Borges
    Fenomenologia das Aparições
    Fenomenologia das Aparições

    Downloads:
    18

    Publicado:
    Jun 2019

    As aparições, também denominadas popularmente de fantasmas, e as casas mal-assombradas constituem uma das mais antigas experiências do ser humano desde tempos...

    Formatos: PDF, Epub, Kindle, TXT

  • Os Deuses
    Os Deuses Clássicos Mundiais por Anatole France
    Os Deuses
    Os Deuses

    Downloads:
    46

    Publicado:
    Jun 2019

    A tomada da Bastilha, em 14 de julho de 1789. Guache de Claude Cholat, do acervo do Museé Carnavalet, Paris   Anatole France publicou Os deuses têm sede em...

    Formatos: PDF, Epub, Kindle, TXT