A filosofia de Emmanuel Lévinas como fundamento para a teoria e a prática do cuidado humanizado do.. por Débora Vieira de Almeida - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub para obter uma versão completa.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

ESCOLA DE ENFERMAGEM

DÉBORA VIEIRA DE ALMEIDA

A FILOSOFIA DE EMMANUEL LÉVINAS

COMO FUNDAMENTO PARA A TEORIA E A PRÁTICA

DO CUIDADO HUMANIZADO DO ENFERMEIRO

SÃO PAULO

2010

1

DÉBORA VIEIRA DE ALMEIDA

A FILOSOFIA DE EMMANUEL LÉVINAS

COMO FUNDAMENTO PARA A TEORIA E A PRÁTICA

DO CUIDADO HUMANIZADO DO ENFERMEIRO

Tese apresentada à Escola de

Enfermagem da Universidade de

São Paulo para obtenção do título

de doutor em Enfermagem.

Área de concentração:

Enfermagem na Saúde do Adulto

Orientadora:

Profa. Dra. Eliane Corrêa Chaves

SÃO PAULO

2010

2

AUTORIZO A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL

DESTE TRABALHO, POR QUALQUER MEIO

CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO, PARA FINS DE

ESTUDO E PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE.

Assinatura: __________________________ Data ___/___/___

Catalogação na Publicação (CIP)

Biblioteca “Wanda de Aguiar Horta”

Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo

Almeida, Débora Vieira de.

A filosofia de Emanuel Lévinas como fundamento para a

teoria e a prática do cuidado humanizado do enfermeiro / Débora

Vieira de Almeida. – São Paulo, 2010.

195 p.

Tese (Doutorado) - Escola de Enfermagem da Universidade de

São Paulo.

Orientadora: Profª Drª Eliane Corrêa Chaves.

1. Relações enfermeiro-paciente (ética) 2. Cuidados de

enfermagem (ética) 3. Alteridade. I.Título.

3

Nome: Débora Vieira de Almeida

Título: A filosofia de Emmanuel Lévinas como fundamento para a teoria e a

prática do cuidado humanizado

Tese

apresentada

à

Escola

de

Enfermagem da Universidade de São

Paulo para obtenção do título de

Doutor em Enfermagem.

Aprovado em: ___/___/___

Banca Examinadora

Prof. Dr. ___________________________ Instituição: _______________

Julgamento: ________________________ Assinatura: _______________

Prof. Dr. ___________________________ Instituição: _______________

Julgamento: ________________________ Assinatura: _______________

Prof. Dr. ___________________________ Instituição: _______________

Julgamento: ________________________ Assinatura: _______________

Prof. Dr. ___________________________ Instituição: _______________

Julgamento: ________________________ Assinatura: _______________

Prof. Dr. ___________________________ Instituição: _______________

Julgamento: ________________________ Assinatura: _______________

4

Aos meus pais, queridos amores da minha vida,

que sempre me incentivarem

a conquistar os meus sonhos.

À minha irmã, porque a amo.

5

AGRADECIMENTOS

À Profª. Drª. Eliane Corrêa Chaves, pela valiosa orientação e apoio

nestes anos de grandes aprendizados. Agradeço, especialmente, pela

confiança, pelo incentivo e pela amizade, fundamentais para o meu

crescimento científico, profissional e, fundamentalmente, humano. Profa.

Eliane, agora posso dizer com convicção que as palavras são poucas para

expressar a admiração e o respeito que tenho por você. Meu eterno, sincero

e carinhoso agradecimento.

Ao Prof. Dr. José Henrique Silveira de Brito por me mostrar que a

filosofia levinasiana não se resume à compreensão de pensamentos

presentes em artigos e livros, mas, acima de tudo, é uma prática. Serei

sempre grata por todo conhecimento compartilhado, pelo apoio e

acolhimento incansáveis, especialmente, durante os doze meses que estive

em Braga. Prof. José Henrique, com você aprendi, fundamentalmente, que a

vida deve ser vivida com perseverança e paciência.

À Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

pela bolsa de doutorado com estágio no exterior, fundamental para a

realização deste estudo.

Ao Prof. Pergentino Stefano Pivatto e ao Prof. Dr. Edson Carvalho

Guedes, pelas valiosas sugestões no Exame de Qualificação.

Aos meus queridos amigos e colegas da pós-graduação da EEUSP,

que compartilharam satisfações e preocupações.

6

Aos funcionários da secretaria de pós-graduação e da biblioteca da

Escola de Enfermagem da USP pelo apoio e solicitude.

Aos funcionários da Universidade Católica Portuguesa (Braga) pelo

acolhimento. Especialmente à Dona Conceição, que com o seu jeito alegre e

respeitoso, contagiava todos ao seu redor.

Aos amigos de Braga, especialmente, Ana Margarida, Ana Reis,

Paulo, Higino, as Irmãs do Santíssimo Sagrado, a Irmã Lila e aos jesuítas,

pelo carinho. Serei eternamente grata a vocês.

As famílias Almeida e Vieira por todo o incentivo, apoio e por

compreenderem a importância de tudo isto para mim.

Ao Luiz, meu profundo agradecimento pelo carinho paterno a mim

dedicado.

A todos que sempre demonstraram apoio e que direta ou

indiretamente contribuíram para a realização deste trabalho.

7

Almeida DV. A filosofia de Emmanuel Lévinas como fundamento para a

teoria e a prática do cuidado humanizado do enfermeiro [tese]. São Paulo:

Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2010.

RESUMO

O termo humanização tem sido freqüente na prática assistencial, na

formação dos profissionais da saúde e nas políticas públicas. Entretanto, não

percebemos o apoio do conceito do termo humanização (quando ele existe)

em uma teoria ou filosofia, o que dificulta a discussão da temática da

humanização em nível científico. Partimos, neste trabalho, do seguinte

conceito de humanização: “encontro de subjetividades no e pelo ato de

cuidar”. Considerando que há uma necessidade urgente em tratar a

humanização cientificamente, os objetivos desta pesquisa foram: eleger um

referencial filosófico que possa sustentar a teoria e a prática do cuidado

humanizado; refletir sobre o conceito de humanização proposto neste estudo

à luz do referencial teórico escolhido; definir categorias filosóficas que

subjazem as relações de cuidado de enfermagem; construir uma articulação

entre o recorte filosófico escolhido e os saberes da enfermagem. O

referencial escolhido foi a filosofia de Emmanuel Lévinas. Esta escolha

baseou-se na finalidade da enfermagem, na complexidade que envolve o

saber e o fazer desta profissão e, também, na necessidade de incluir um

referencial apropriado sobre humanização na formação do profissional

enfermeiro. O método utilizado para a leitura das obras foi a hermenêutica.

Após a leitura destas obras elegemos as categorias que subjazem as relações

de cuidado entre um eu enfermeiro e um outro, discorremos sobre elas e,

por fim, articulamos estes conteúdos filosóficos com os saberes da

enfermagem. Em seguida, consolidamos a fundamentação da humanização

ancorando-a em uma realidade factual do profissional enfermeiro. As

leituras nos mostraram que a relação que o eu estabelece com o mundo é

fundamental para que se perceba como um ser separado que pode buscar

aquilo que lhe falta. Entretanto, ao se deparar com outrem, este apresenta-se

como rosto que traz o rastro do infinito, o qual impede a sua objetivação.

Dessa forma, o outro apresenta-se em posição de altura relativamente ao eu

enfermeiro, o que produz uma assimetria na relação eu-outro e desperta um

desejo no eu. Este desejo não parte de uma necessidade do desejante, mas é

despertado pelo desejado. A relação entre estes seres transcendentes se dá

através da linguagem, a qual permite que o eu e o outro permaneçam

separados e em relação. Nesta relação evidencia-se a separação do tempo do

eu enfermeiro com o tempo do outro. E, como no mundo o eu está diante de

vários outros, é necessário que ele responda a cada um deles com justiça. É

8

nesta resposta que o eu torna-se uma subjetividade que é responsabilidade

até a substituição. Esta responsabilidade infinita do eu, põe em questão a sua

liberdade. Dessa forma, a relação humanizada com base na filosofia de

Lévinas pressupõe uma assimétrica na qual a responsabilidade do eu é

sempre voltada para o outro, a sua liberdade é livre apenas para ser para o

outro. Portanto, o conceito de cuidado humanizado aqui proposto deve

conter esta assimetria. Assim, substituímos o conceito inicialmente

formulado por “relação eu-outro no e pelo ato de cuidar”.

PALAVRAS-CHAVE: Ética; Relações Enfermeiro-Paciente; Humanização

da Assistência; Cuidados de Enfermagem; Assistência Centrada no

Paciente.

APOIO: CAPES

9

Almeida DV. The philosophy of Emmanuel Lévinas as a fundament for the

theory and practice of the nurse humanization care [thesis]. São Paulo (SP):

Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2010.

ABSTRACT

The term humanization has been frequent in the assistance practice, in the

graduation of the health professionals and public politics. However we

don´t perceive the support of the humanization concept (when it exists) in a

theory or philosophy what makes even more difficult the discussion of the

humanization themes in a scientific level. In this research, we part from the

humanization concept: “a meeting of the subjectivities in and by the act of

the care”. Considering that is a urgent necessity in threatening humanization

scientifically, the goals of this research were: elect one philosophic

reference that can support the theory and practice of the humanizated care; a

reflection about the humanization concept proposed in this study as a light

of the referential theory choose; define philosophic categories that can

support the relations of the nurse care; construct a articulation between a

philosophic cutting out that has been choose and the nurse knows. The

referential choose was an Emmanuel Lévinas philosophy. This choice was

based in the nursing finality and the complexity that involves the knows and

makes of this profession and the necessity to include a referential

appropriated in humanization used in the graduation of the nurse

professional. The method used in the reading of these works was the

hermeneutics. After the reading of these researches we elected the

categories to support the relations of the care between a I-nurse and a I-

other we discuss about them and in the end we articulated about these

philosophical contents with the knows of the nursing. After that we

consolidated the fundament of the humanization anchoring in a factual

reality of the nurse professional. The readings showed us that the relation

that the I establish with the world is very important to show how a not

complete human can search what it is losing. However when meets with

another human this presents as a face that brings the trail of the infinity that

impossibility the objective of all. This way the other shows in an I-nurse

high position that produce a asymmetry in the relation I-other and awakens

a desire in the I. This desire don´t go from a necessity of the desiring but is

awakened by the desired person. The relation between this humans

transcendence happens using the language that permits that the I and the

other can stay related separated. In this relation it is evident the separation

between the time of the I-nurse and the other. And because in the world the

I is distant from the others it is necessary that it responds to each one with

10

justice. It is in this response that the I turns into a subjectivity that is

responsible until the substitution. This infinity responsibility of the I put in

question it owns liberty. In this way the humanizated relation based in the

Levinasś philosophy presupposes one asymmetrical in which the

responsibility of the I is always related to the other and its liberty is free

only if is for the other. So the concept of the humanizated care proposed in

this research should contain this asymmetrical way. So we substitute the

initial formulated concept for “relation I-other in and by the care act”.

KEYWORDS:

Ethics; Nurse-Patient

Relations;

Humanization

of

Assistance; Nursing Care; Patient-Centered Care.

SUPPORT: CAPES

11

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

12