Análise da absorção dental do alendronato de sódio através da cromatografia líquida de alta... por Alexandre Gomes Bezerra - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

ALEXANDRE GOMES BEZERRA

ANÁLISE DA ADSORÇÃO DENTAL DO ALENDRONATO DE SÓDIO

ATRAVÉS DA CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA

VISANDO A UTILIZAÇÃO TÓPICA ANTES DO REIMPLANTE TARDIO

São Paulo

2008

Alexandre Gomes Bezerra

Análise da adsorção dental do alendronato de sódio através da

cromatografia líquida de alta eficiência visando a utilização tópica

antes do reimplante tardio

Tese

apresentada

à

Faculdade

de

Odontologia da Universidade de São

Paulo, para obter o título de Doutor pelo

Programa de Pós-Graduação em Ciências

Odontológicas.

Área de Concentração: Endodontia

Orientador: Prof. Dr. Celso Luiz Caldeira

São Paulo

2008

Catalogação-na-Publicação

Serviço de Documentação Odontológica

Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo

Bezerra, Alexandre Gomes

Análise da adsorção dental do alendronato de sódio através da

cromatografia líquida de alta eficiência visando a utilização tópica

antes do reimplante tardio/ Alexandre Gomes Bezerra; orientador

Celso Luiz Caldeira. -- São Paulo, 2008.

109p. : fig., tab., graf. ; 30 cm.

Tese (Doutorado - Programa de Pós-Graduação em Odontologia.

Área de Concentração: Endodontia) -- Faculdade de Odontologia da

Universidade de São Paulo.

1. Reabsorção dental – Alendronato de sódio 2. Cromatografia

líquida de alta eficiência – Endodontia 3. Reimplante dentário

CDD 617.6342

BLACK D24

AUTORIZO A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTE TRABALHO, POR

QUALQUER MEIO CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO, PARA FINS DE ESTUDO E PESQUISA,

DESDE QUE CITADA A FONTE E COMUNICADA AO AUTOR A REFERÊNCIA DA CITAÇÃO.

São Paulo, ____/____/____

Assinatura:

E-mail: abezerra@usp.br

FOLHA DE APROVAÇÃO

Bezerra AG. Análise da adsorção dental do alendronato de sódio através da

cromatografia líquida de alta eficiência visando a utilização tópica antes do

reimplante tardio [Tese de Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da

USP; 2008.

São Paulo,____/____/2008

Banca Examinadora

1) Prof(a). Dr(a). ____________________________________________________

Titulação: __________________________________________________________

Julgamento: __________________ Assinatura: ___________________________

2) Prof(a). Dr(a). ____________________________________________________

Titulação: __________________________________________________________

Julgamento: __________________ Assinatura: ___________________________

3) Prof(a). Dr(a). ____________________________________________________

Titulação: __________________________________________________________

Julgamento: __________________ Assinatura: ___________________________

4) Prof(a). Dr(a). ____________________________________________________

Titulação: __________________________________________________________

Julgamento: __________________ Assinatura: ___________________________

5) Prof(a). Dr(a). ____________________________________________________

Titulação: __________________________________________________________

Julgamento: __________________ Assinatura: ___________________________

DEDICATÓRIA

À Deus que permite que nossas vidas sejam maravilhosas e cheia de

conquistas.

À minha querida esposa Marina que sempre me deu toda força que precisei

em todos os momentos de nossa caminhada. Por nem um minuto deixei de te amar

desde que estamos juntos. Te amo para sempre.

Aos Luiz Henrique e João Guilherme, filhos queridos que me ensinaram a

entender realmente o que é amar.

Aos meus queridos pais Carlos e Solange, só quando temos nossos filhos é

que realmente conseguimos imaginar a dimensão do que é ser pai. Essa conquista

só foi possível pelo esforço de vocês.

Aos meus estimados irmãos Zi, Dedé, Nando, Ariki e Estevão. Conviver com

vocês e dividir nossas conquistas é uma das grandes alegrias da minha vida.

Aos queridos sogros Marlei e Laurindo que sempre me trataram como um filho

e me deram suporte e tranqüilidade quando o trabalho exigiu mais tempo do que

dispunha.

Aos meus queridos avós Laerte, Cida e Alzira que sempre torcem e ficam

felizes com nossas conquistas. Vocês também são responsáveis por estas

conquistas.

AGRADECIMENTOS

Ao Prof. Dr. Celso, meu orientador, pela amizade e tranqüilidade com que

conduziu esta orientação, confiando em minha capacidade.

Ao Prof. Dr. Giulio Gavini pela amizade e sinceridade com que sempre me

tratou. Agradeço também as oportunidades e confiança que deposita em mim,

espero que possa sempre corresponde-lá.

Aos professores João Humberto Antoniazzi e Antonio Carlos Bombana,

estimados mestres que sempre colaboraram com meu desenvolvimento científico.

Aos demais professores da disciplina de endodontia da FOUSP: Carlos

Eduardo Aun, Abílio Albuquerque M. de Moura, Marcelo dos Santos, Manuel E. de

Lima Machado, José Luiz Lage Marques e Igor Prokopowitsch.

A Prof. Silvia Regina C. J. Santos por me acolher em seu laboratório, mesmo

com tantas atribuições, tornando possível a execução deste trabalho.

A Karin pela imensa colaboração no desenvolvimento da metodologia e da

parte experimental deste trabalho.

Ao Edgar e Adriana pelo inestimável auxílio na execução da parte

experimental e também pela amizade.

Aos amigos professores de nossa equipe: Shima, Érico, Dirce, Jacob, Calil,

Akisue, Carmo e Maurílio pelo convívio e experiências compartilhadas.

Aos colegas de Doutorado: Denise, Sueli, Isabel e especialmente a Adriana e

Carmo pelo convívio, amizade e conhecimento compartilhado.

A Lisete pelo valioso auxílio nas revisões do idioma inglês.

A bibliotecária Glauci pela cuidadosa revisão do trabalho.

Aos funcionários do Departamento de Dentística: Ana, Luizinho, Aldo,

Arnaldo, Sonia, Davi e Leandro.

Bezerra AG. Análise da adsorção dental do alendronato de sódio através da

cromatografia líquida de alta eficiência visando a utilização tópica antes do

reimplante tardio [Tese de Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da

USP; 2008.

RESUMO

Os casos de reimplante tardio são considerados de prognóstico duvidoso pois a

ocorrência de anquilose e reabsorções são fatos comuns para esta condição. Neste

sentido, é proposta a utilização de drogas para imersão do dente antes do

reimplante visando um favorecimento no prognóstico. Recentemente, o alendronato

de sódio tem sido experimentalmente indicado com esta finalidade; porém, a

capacidade de adsorção deste medicamento pelo dente é desconhecida. Neste

estudo foi avaliada a adsorção de alendronato de sódio pelo dente utilizando-se a

Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. Para isto, realizou-se a imersão do dente

em frascos contendo soluções deste medicamento nas concentrações de 3,2 µg/ml

(10-5M) e 32,0 µg/ml (10-4M). Após períodos experimentais de 10, 15 e 30 minutos

foram retiradas amostras das soluções para análise da concentração que foi

comparada com a do controle que continha apenas a solução, sem presença do

dente. Os resultados obtidos mostram que o dente adsorve alendronato de sódio

quando imerso em solução e que para a concentração de 3,2 µg/ml são necessários

15 minutos para que a saturação ocorra, já para a concentração de 32,0 µg/ml uma

elevada média de adsorção foi observada após 10 minutos de imersão.

Palavras-chave: Traumatismo dental; Avulsão; Reimplante tardio; Reabsorções;

Alendronato de sódio

Bezerra AG. Sodium alendronate dental adsortion analysis through high performance

liquid cromatography, considering the topical use before delayed replantation [Tese

de Doutorado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2008.

ABSTRACT

Delayed tooth replantation is considered a poor prognosis because of ankylosis and

root resorption occurrence. The use of drugs for topical treatment before replantation

is recommended expecting better prognosis. Recently, the sodium alendronate has

been experimentally indicated for this purpose; but tooth adsorption capability of this

drug is unknown. The aim of this study was to evaluate the tooth adsorption of

sodium alendronate utilizing the High Performance Liquid Chromatography. Six

maxillary central incisors were immersed in solutions of alendronate in concentrations

of 10-5 and 10-4M; after experimental times of 10, 15 e 30 minutes samples of

solutions were obtained for concentration analysis. The concentrations obtained were

compared with control concentrations (solutions without tooth immersion). The results

showed the occurrence of adsorption when teeth were immersed in sodium

alendronate solutions. At the concentration of 10-5M it is necessary to keep the tooth

immersed for at least 15 minutes, while at the concentration of 10-4M after 10 minutes

a high adsorption value is observed.

Keywords: Dental trauma; Avulsion; Delayed replantation; Resorptions; Sodium

alendronate

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 4.1 - Grupos experimentais ............................................................................61

Figura 4.2 - Obtenção de amostra.............................................................................62

Figura 4.3 - Reação de derivatização do alendronato (a) com FMOC (b), originando

produto cromóforo (c).............................................................................66

Figura 4.4 - Cromatógrafo líquido SHIMADZU® .......................................................69

Figura 4.5 - Injetor Automático SIL10A VP................................................................69

Figura 4.6 - Coluna analítica Symmetry C-18 .........................................................70

Figura 4.7 - Registrador-integrador Chromatopac CR-6A ........................................70

Figura 4.8 - Cromatograma Alendronato de sódio ....................................................71

Figura 5.1 - Curva de calibração ...............................................................................73

Figura 5.2 - Cromatograma de amostra do G1 (dente 2 tempo 1) ............................74

Fluxograma 4.1 – Quantificação de alendronato através de CLAE-F........................68

Gráfico 5.1 – Média das concentrações de alendronato de sódio em função do

tempo no grupo 1 ...................................................................................75

Gráfico 5.2 – Média das concentrações de alendronato de sódio em função do

tempo no grupo 2 ...................................................................................76

Quadro 6.1 – Pesquisas sobre o tratamento da superfície radicular com alendronato

de sódio antes do reimplante tardio .......................................................89

LISTA DE TABELAS

Tabela 5.1 - Dados da curva de calibração ..............................................................73

Tabela 5.2 - Média das concentrações de alendronato de sódio em função do tempo

no grupo 1 ............................................................................................75

Tabela 5.3 - Média das concentrações de alendronato de sódio em função do tempo

no grupo 2 ............................................................................................76

Tabela 5.4 - Porcentagem adsorvida em relação ao controle no grupo 1 ................77

Tabela 5.5 - Porcentagem adsorvida em relação ao controle no grupo 2 ................77

LISTA DE ABREVIATURA E SIGLAS

G1

grupo 1

G2

grupo 2

CLAE

cromatografia líquida de alta eficiência

FMOC

9–fluorenilmetil cloroformato

LTDA

limitada

HPLC

high performance liquid cromatography

LISTA DE SÍMBOLOS

ml

mililitro

µL

microlitro

mg

miligrama

mg/ml

miligrama por mililitro

µg

micrograma

µg/ml

micrograma por mililitro

M

molar

h

hora

min

minutos

seg

segundo

nm

namometro

pH

potencial hidrogeniônico

%

por cento

oC

Graus Celsius

rpm

rotações por minuto

®

Marca registrada

SUMÁRIO

p.

1 INTRODUÇÃO .......................................................................... .........14

2 REVISÃO DA LITERATURA.............................................................. 17

2.1 Avulsão...............................................................................................................21

2.2 Reabsorções ......................................................................................................33

2.2.1 Mecanismos das Reabsorções.........................................................................33

2.3 Tratamento da superfície radicular ..................................................................38

2.3.1 Remoção do ligamento necrótico .....................................................................38

2.3.2 Fluoreto de sódio ..............................................................................................39

2.3.3 Fluoreto estanhoso ...........................................................................................40

2.3.4 Ácido cítrico ......................................................................................................42

2.3.5 Dexametasona..................................................................................................43

2.3.6 Minociclina ........................................................................................................44

2.3.7 Derivado da matriz de esmalte (EMDOGAIN®)................................................45

2.3.8 Alendronato de sódio........................................................................................48

2.4 Bifosfonatos.......................................................................................................50

3 PROPOSIÇÃO ................................................................................... 57

4 MATERIAL E MÉTODOS ................................................................... 58

4.1 Material ...............................................................................................................58

4.2 Métodos ..............................................................................................................59

4.2.1 Preparo dos dentes ..........................................................................................60

4.2.2 Preparo das soluções de alendronato de sódio................................................60

4.2.3 Obtenção das amostras....................................................................................61

4.2.4 Análise das amostras .......................................................................................63

4.2.4.1 padrões e reagentes......................................................................................64

4.2.4.2 preparação de padrões e controles de qualidade..........................................65

4.2.4.3 instrumentação e condições cromatográficas................................................67

5 RESULTADOS ................................................................................... 73

6 DISCUSSÃO ...................................................................................... 78

7 CONCLUSÕES .................................................................................. 96

REFERÊNCIAS ..................................................................................... 97

ANEXOS ............................................................................................. 108

14

1 INTRODUÇÃO

A incidência do traumatismo dental é alta na população em geral,

principalmente em crianças e adultos jovens. Isso ocorre, pelo fato deste grupo estar

mais sujeito a quedas, batidas e acidentes, causados por diversos fatores como a

prática de esportes e até mesmo simples brincadeiras.

Na grande maioria desses traumatismos os dentes mais afetados são os

incisivos centrais superiores. Os danos podem atingir não só os tecidos duros e a

polpa dental, mas também os tecidos de sustentação, isoladamente ou de maneira

associada.

Frente às diversas modalidades de injúria aos tecidos dentais, a mais comum

é a fratura coronária, que geralmente apresenta um prognóstico favorável. Já a

avulsão e a luxação intrusiva podem ser consideradas como as modalidades que

apresentam as conseqüências mais severas.

Neste sentido, destaque especial deve ser dado aos casos de avulsão pela

incidência relativamente alta e necessidade de condutas imediatas que podem

favorecer o prognóstico. A demora na manobra de reimplante faz com que as fibras

e células do ligamento periodontal, primordiais para o sucesso do reimplante sejam

perdidas, favorecendo a ocorrência de anquilose e das reabsorções. Desta maneira,

os casos denominados de reimplante tardio podem ser considerados como os casos

que mais desafiam o tratamento do dente traumatizado.

A anquilose e as reabsorções externas, principalmente as do tipo inflamatória

e substitutiva, são consideradas as conseqüências de maior gravidade após os

traumatismos dentários.

15

A reabsorção inflamatória é estimulada e mantida por restos necróticos

provenientes do ligamento periodontal ou polpa e contaminação presente nos

túbulos dentinários, portanto seu controle está diretamente relacionado com

manobras de limpeza e desinfecção do canal radicular. Medicações como o

hidróxido de cálcio e as associações corticosteróide-antibiótico têm mostrado

importante valor no controle dessas reabsorções.

A reabsorção substitutiva é originada por extensos danos ao ligamento

periodontal, caracterizada por uma gradativa substituição do tecido dental por tecido

ósseo, que culmina com a perda dentária, podendo ocorrer em curto espaço de

tempo.

Para os casos de reimplante tardio, diversos tratamentos tópicos foram

propostos para a superfície radicular antes da manobra de reimplante. Esses

tratamentos visam sempre o favorecimento do processo de reparo do ligamento

periodontal, almejando menor incidência de anquilose e principalmente de

reabsorções inflamatórias e substitutivas.

Neste sentido, pode-se citar as seguintes substâncias: fluoreto de sódio,

tetraciclina, fluoreto estanhoso, ácido cítrico, ácido hipoclórico, formalina, álcool,

indometacina, dexametasona e mais recentemente o Emdogain® e o alendronato de

sódio.

Almejar o prolongamento da permanência do dente em função é fundamental

uma vez que, a pouca idade dos pacientes não permite que a solução estética e

funcional definitiva adequada seja tomada antes que o crescimento do indivíduo

esteja completo.

Nesse caso, é fundamental que tratamentos eficazes para a superfície

radicular antes do reimplante sejam propostos. Atualmente a imersão do dente em

16

solução de fluoreto é a única alternativa comprovadamente aceita, entretanto, seus

efeitos a longo prazo não são satisfatórios.

Recentemente, a imersão do dente em solução de alendronato de sódio antes

do reimplante tem sido estudada como uma alternativa para diminuir a incidência

das reabsorções. O alendronato de sódio é um medicamento pertencente ao grupo

dos bifosfonatos, utilizado na área médica para tratamento de doenças do

metabolismo ósseo, como a osteoporose.

Entretanto, existem poucos estudos que avaliam este medicamento e

observa-se uma falta de consenso quanto a concentração a ser utilizada e o tempo

de imersão na medicação antes do reimplante; não se sabe também se ocorre

adsorção da droga quando em contato com o dente. Desta maneira é preciso

avançar no conhecimento, principalmente com relação a capacidade de adsorção do

medicamento pelo dente, para que posteriormente concentrações e tempos de

imersão ideais possam ser estabelecidos, o que pode favorecer, a longo prazo, o

controle das reabsorções.

17

2 REVISÃO DA LITERATURA

Diversos acidentes, tais como: quedas, batidas, acidentes ciclísticos,

automobilísticos e práticas desportivas podem levar a diferentes tipos de

traumatismo dental. Por estarem mais relacionados com essas atividades, crianças e

adolescentes são as faixas da população mais afetadas pelo traumatismo dental.

Neste sentido, Andreasen (1970) avaliou material referente a 1.298 pacientes,

apresentando 3.026 dentes traumatizados que foram atendidos no Departamento

Dental do Hospital Universitário de Copenhagen, entre os anos de 1955 e 1967. O

autor observou que a incidência do trauma dental foi maior no sexo masculino

(70%), que 24% dos pacientes sofreram reincidência do trauma dental e que as

faixas etárias mais atingidas foram entre 0 e 5 anos (323 pacientes) e entre 6 e 10

anos (306 pacientes). Observou ainda, que o dente mais freqüentemente envolvido

no trauma dental é o incisivo central superior (57,5%).

Moura, Prokopowitsch e Dawidowicz (1994) avaliaram 492 casos de

traumatismo dental tratados no período entre 1988 e 1992 na disciplina de

Endodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo, frente aos

diversos aspectos de etiologia, predisposição e ocorrência das lesões traumáticas.

Observaram então, que a ocorrência foi maior no sexo masculino (66%), sendo a

faixa etária mais atingida a de 7 a 10 anos (37,8%). Os dentes que apresentaram

maior predisposição foram os incisivos centrais superiores (59%).

Resultados semelhantes foram observados por Rocha e Cardoso (2001), que

realizaram um estudo para determinar fatores relacionados a ocorrência de

traumatismo dental em dentes permanentes, de crianças atendidas na Universidade

18

Federal de Santa Catarina. Durante um período de 18 meses, 36 crianças com idade

entre 7 e 12 anos tiveram 72 dentes traumatizados. Os autores relatam que: a

ocorrência do trauma foi maior no sexo masculino (61,3%); 63,9% das crianças

apresentaram mais de um dente traumatizado, estando a reincidência de trauma

presente em 19,4% dos casos. As fraturas de esmalte e dentina corresponderam a

51,4% do total de dentes traumatizados, sendo as quedas a causa mais comum

(83,3%).

Em outro estudo da prevalência e causas do traumatismo dental, Nicolau et

al. (2001) examinaram 652 adolescentes com 13 anos de idade que freqüentam

escolas particulares e públicas da região urbana de Cianorte, no Brasil. Segundo os

autores, a prevalência de injúrias traumáticas em incisivos permanentes foi de

20,4%. As causas mais comuns de traumatismo dental foram as quedas (24,1%),

seguidas por colisões com pessoas ou objetos inanimados (15%), acidentes de

trânsito (10,5%), uso indevido dos dentes (6%), esportes (2,3%) e violência (1,5%).

As causas desconhecidas corresponderam a 40,6%.

Recentemente, Bezerra et al. (2006) ao avaliarem material referente a 1359

dentes traumatizados em 614 pacientes atendidos no Centro de Traumatismo Dental

da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (CADE-trauma),

observaram que a incidência é maior no sexo masculino (68,73%) e que os incisivos

centrais superiores são os dentes mais acometidos (65,56%). Observaram ainda que