Avaliação do tratamento da dor crônica em ombros de hemiplégicos com bloqueio transforaminal de... por João Eduardo Daud Amadera - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

Resumo

Amadera, JED. Avaliação do tratamento da dor crônica em ombros de hemiplégicos com

bloqueio transforaminal de C6: um estudo duplo cego randomizado sham-

; 2013.

Objetivo: A taxa de falha terapêutica para dor crônica em ombros de hemiplégicos (DOH) pós

acidente vascular encefálico (AVE) é significante. Diversas abordagens terapêuticas têm sido

propostas, porém os resultados dos estudos que as têm investigado demostram resultados

controversos. Objetivo: Elaborar um protocolo para avaliar a eficácia da injeção de

dexametasona via transforaminal (TF) na DOH. Métodos: Ensaio clínico randomizado,

controlado por placebo, com cegamento de pacientes e avaliadores de desfecho. Ambiente

clínico: Departamento de Ortopedia e Neurocirurgia de um hospital terciário. Participantes:

Pacientes (N = 38) com DOH refratária ao tratamento conservador e escore de dor em repouso

superior a quatro centímetros na escala visual analógica de dor (EVA) de 0 a 10 centímetros.

Intervenção: TF no nível C5-C6. Comparador: Intervenção sham. Medida de desfecho principal:

Variação na EVA três meses após a intervenção. Seguimento: As avaliações foram realizadas

imediatamente antes, uma semana após e três meses depois das intervenções. Resultados: TF

com dexametasona reduziu significantemente a intensidade da dor quando comparado com o

grupo sham (p <0,001). Adicionalmente, a Medida de Independência Funcional, a algometria do

músculo trapézio, a algometria dos dermátomos de C4 e C5 e a algometria dos ligamentos

interespinhosos de C6-7 e C7-T1 melhoraram ao término do tratamento no grupo TF (p<0,05).

Não foram relatados efeitos colaterais significantes. Conclusões: TF com dexametasona

demonstrou ser eficaz no alívio da dor no ombro em pacientes pós-AVE quando comparado

com placebo. Ensaios clínicos maiores são necessários para confirmar esses achados.

Descritores: Acidente vascular cerebral; Dor; Dor de ombro/patologia; Dor de ombro/terapia;

Dor de ombro/fisiopatologia; Dexametasona; Dor crônica/patologia; Dor crônica/fisiopatologia;

Dor crônica/etiologia; Sensibilização do sistema nervoso central; Hemiplegia/fisiopatologia;

Limiar da dor/fisiologia; Ensaio clínico controlado aleatório; Placebos.