Bíblia de Jerusalém por Vários Autores. - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

A Bíblia de Jerusalém

GÊNESIS

I. As origens do mundo e da humanidade

1. A CRIAÇÃO E A QUEDA

1 Primeiro relato da criação — 1No princípio, Deus criou o céu e a terra.2Ora, a terra

estava vazia e vaga, as trevas cobriam o abismo, e um vento de Deus pairava sobre as

águas. 3Deus disse: "Haja luz" e houve luz. 4Deus viu que a luz era boa, e Deus separou

a luz e as trevas. 5Deus chamou à luz "dia" e às trevas "noite". Houve uma tarde e uma

manhã: primeiro dia. 6Deus disse: "Haja um firmamento no meio das águas e que ele

separe as águas das águas", e assim se fez. 7Deus fez o firmamento, que separou as

águas que estão sob o firmamento das águas que estão acima do firmamento, 8e Deus

chamou ao firmamento "céu". Houve uma tarde e uma manhã: segundo dia. 9Deus

disse: "Que as águas que estão sob o céu se reúnam numa só massa e que apareça o

continente" e assim se fez. 10Deus chamou ao continente "terra" e à massa das águas

"mares", e Deus viu que isso era bom. 11Deus disse: "Que a terra verdeje de verdura:

ervas que deem semente e árvores frutíferas que deem sobre a terra, segundo sua

espécie, frutos contendo sua semente" e assim se fez. 12A terra produziu verdura: ervas

que dão semente segundo sua espécie, árvores que dão, segundo sua espécie,frutos

contendo sua semente, e Deus viu que isso era bom. 13Houve uma tarde e uma manhã:

terceiro dia. 14Deus disse: "Que haja luzeiros no firmamento do céu para separar o dia e

a noite; que eles sirvam de sinais, tanto para as festas quanto para os dias e os anos;

15que sejam luzeiros no firmamento do céu para iluminar a terra" e assim se fez. 16Deus

fez os dois luzeiros maiores: o grande luzeiro para governar o dia e o pequeno luzeiro

para governar a noite, e as estrelas. 17Deus os colocou no firmamento do céu para

iluminar a terra, 18para governarem o dia e a noite, para separarem a luz e as trevas, e

Deus viu que isso era bom. 19Houve uma tarde e uma manhã: quarto dia. 20Deus disse:

"Fervilhem as águas um fervilhar de seres vivos e que as aves voem acima da terra, sob

o firmamento do céu" e assim se fez. 21Deus criou as grandes serpentes do mar e todos

os seres vivos que rastejam e que fervilham nas águas segundo sua espécie, e as aves

aladas segundo sua espécie, e Deus viu que isso era bom. 22Deus os abençoou e disse:

"Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a água dos mares, e que as aves se

multipliquem sobre a terra." 23Houve uma tarde e uma manhã: quinto dia. 24Deus disse:

"Que a terra produza seres vivos segundo sua espécie: animais domésticos, répteis e

feras segundo sua espécie" e assim se fez. 25Deus fez as feras segundo sua espécie, os

animais domésticos segundo sua espécie e todos os répteis do solo segundo sua espécie,

e Deus viu que isso era bom. 26Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem, como

nossa semelhança, e que eles dominem sobre os peixes do mar, as aves do céu, os

animais domésticos, todas as feras e todos os répteis que rastejam sobre a terra". 27Deus

criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou, homem e mulher ele os

criou. 28Deus os abençoou e lhes disse: "Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e

submetei-a; dominai sobre os peixes do mar, as aves do céu e todos os animais que

rastejam sobre a terra." 29Deus disse: "Eu vos dou todas as ervas que dão semente, que

estão sobre toda a superfície da terra, e todas as árvores que dão frutos que dão semente:

isso será vosso alimento. 30A todas as feras, a todas as aves do céu, a tudo o que rasteja

sobre a terra e que é animado de vida, eu dou como alimento toda a verdura das plantas"

e assim se fez. 31Deus viu tudo o que tinha feito: e era muito bom. Houve uma tarde e

uma manhã: sexto dia.

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

2 1Assim foram concluídos o céu e a terra, com todo o seu exército. 2Deus concluiu no

sétimo dia a obra que fizera e no sétimo dia descansou, depois de toda a obra que fizera.

3Deus abençoou o sétimo dia e o santificou, pois nele descansou depois de toda a sua

obra de criação. 4aEssa é a história do céu e da terra, quando foram criados.

A experiência da liberdade. O paraíso — 4bNo tempo em que Iahweh Deus fez a terra e

o céu, 5não havia ainda nenhum arbusto dos campos sobre a terra e nenhuma erva dos

campos tinha ainda crescido, porque Iahweh Deus não tinha feito chover sobre a terra e

não havia homem para cultivar o solo. 6Entretanto, um manancial subia da terra e regava

toda a superfície do solo. 7Então Iahweh Deus modelou o homem com a argila do solo,

insuflou em suas narinas um hálito de vida e o homem se tornou um ser vivente.

8Iahweh Deus plantou um jardim em Éden, no oriente, e aí colocou o homem que

modelara. 9Iahweh Deus fez crescer do solo toda espécie de árvores formosas de ver e

boas de comer, e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do

bem e do mal. 10Um rio saía de Éden para regar o jardim e de lá se dividia formando

quatro braços. 11O primeiro chama-se Fison; rodeia toda a terra de Hévila, onde há ouro;

12é puro o ouro dessa terra na qual se encontram o bdélio e a pedra de ônix. 13O segundo

rio chama-se Geon: rodeia toda a terra de Cuch. 14O terceiro rio se chama Tigre: corre

pelo oriente da Assíria. O quarto rio é o Eufrates. 15Iahweh Deus tomou o homem e o

colocou no jardim de Éden pára o cultivar e o guardar. 16E Iahweh Deus deu ao homem

este mandamento: "Podes comer de todas as árvores do jardim. 17Mas da árvore do

conhecimento do bem e do mal não comerás, porque no dia em que dela comeres terás

que morrer. 18Iahweh Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só. Vou fazer uma

auxiliar que lhe corresponda."19Iahweh Deus modelou então, do solo, todas as feras

selvagens e todas as aves do céu e as conduziu ao homem para ver como ele as

chamaria: cada qual devia levar o nome que o homem lhe desse. 20O homem deu nomes

a todos os animais, às aves do céu e a todas as feras selvagens, mas, para o homem, não

encontrou a auxiliar que lhe correspondesse. 21Então Iahweh Deus fez cair um torpor

sobre o homem, e ele dormiu. Tomou uma de suas costelas e fez crescer carne em seu

lugar. 22Depois, da costela que tirara do homem, Iahweh Deus modelou uma mulher e a

trouxe ao homem. 23Então o homem exclamou: "Esta, sim, é osso de meus ossos e carne

de minha carne! Ela será chamada 'mulher', porque foi tirada do homem!" 24Por isso um

homem deixa seu pai e sua mãe, se une à sua mulher, e eles se tornam uma só carne.

25Ora, os dois estavam nus, o homem e sua mulher, e não se envergonhavam.

3 A queda — 1A serpente era o mais astuto de todos os animais dos campos, que

Iahweh Deus tinha feito. Ela disse à mulher: "Então Deus disse: Vós não podeis comer

de todas as árvores do jardim?" 2A mulher respondeu à serpente: "Nós podemos comer

do fruto das árvores do jardim. 3Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim,

Deus disse: Dele não comereis, nele não tocareis, sob pena de morte." 4A serpente disse

então à mulher: "Não, não morrereis! 5Mas Deus sabe que, no dia em que dele

comerdes, vossos olhos se abrirão e vós sereis como deuses, versados no bem e no mal."

6A mulher viu que a árvore era boa ao apetite e formosa à vista, e que essa árvore era

desejável para adquirir discernimento. Tomou-lhe do fruto e comeu. Deu-o também a

seu marido, que com ela estava e ele comeu. 7Então abriram-se os olhos dos dois e

perceberam que estavam nus; entrelaçaram folhas de figueira e se cingiram. 8Eles

ouviram o passo de Iahweh Deus que passeava no jardim à brisa do dia e o homem e

sua mulher se esconderam da presença de Iahweh Deus, entre as árvores do jardim.

9Iahweh Deus chamou o homem: "Onde estás?", disse ele. 10"Ouvi teu passo no jardim,"

respondeu o homem; "tive medo porque estou nu, e me escondi." 11Ele retomou: "E

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

quem te fez saber que estavas nu? Comeste, então, da árvore que te proibi de comer!"

12O homem respondeu: "A mulher que puseste junto de mim me deu da árvore, e eu

comi!" 13Iahweh Deus disse à mulher: "Que fizeste?" E a mulher respondeu: "A

serpente me seduziu e eu comi." 14Então Iahweh Deus disse à serpente: "Porque fizeste

isso és maldita entre todos os animais domésticos e todas as feras selvagens.

Caminharás sobre teu ventre e comerás poeira todos os dias de tua vida. 15Porei

hostilidade entre ti e a mulher, entre tua linhagem e a linhagem dela. Ela te esmagará a

cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar." 16À mulher ele disse: "Multiplicarei as dores de tuas

gravidezes, na dor darás à luz filhos. Teu desejo te impelirá ao teu marido e ele te

dominará." 17Ao homem, ele disse: "Porque escutaste a voz de tua mulher e comeste da

árvore que eu te proibira, comer, maldito é o solo por causa de ti! Com sofrimentos dele

te nutrirás todos os dias de tua vida. 18Ele produzirá para ti espinhos e cardos, e comerás

a erva dos campos. 19Com o suor de teu rosto comerás teu pão até que retornes ao solo,

pois dele foste tirado. Pois tu és pó e ao pó tornarás." 20O homem chamou sua mulher

"Eva", por ser a mãe de todos os viventes.21Iahweh Deus fez para o homem e sua

mulher túnicas de pele, e os vestiu. 22Depois disse Iahweh Deus: "Se o homem já é

como um de nós, versado no bem e no mal," que agora ele não estenda a mão e colha

também da árvore da vida, e coma e viva para sempre!"23E Iahweh Deus o expulsou do

jardim de Éden para cultivar o solo de onde fora tirado. 24Ele baniu o homem e colocou,

diante do jardim de Éden, os querubins e a chama da espada fulgurante para guardar o

caminho da árvore da vida. 18Ele produzirá para ti espinhos e cardos, e comerás a erva

dos campos. 19Com o suor de teu rosto comerás teu pão até que retornes ao solo, pois

dele foste tirado. Pois tu és pó e ao pó tornarás." 20O homem chamou sua mulher "Eva",

por ser a mãe de todos os viventes.21Iahweh Deus fez para o homem e sua mulher

túnicas de pele, e os vestiu. 22Depois disse Iahweh Deus: "Se o homem já é como um de

nós, versado no bem e no mal," que agora ele não estenda a mão e colha também da

árvore da vida, e coma e viva para sempre!"23E Iahweh Deus o expulsou do jardim de

Éden para cultivar o solo de onde fora tirado. 24Ele baniu o homem e colocou, diante do

jardim de Éden, os querubins e a chama da espada fulgurante para guardar o caminho da

árvore da vida.

4 Caim e Abel — 1O homem conheceu Eva, sua mulher; ela concebeu e deu à luz Caim,

e disse: "Adquiri um homem com a ajuda de Iahweh." 2Depois ela deu também à luz

Abel, irmão de Caim. Abel tornou- se pastor de ovelhas e Caim cultivava o solo.

3Passado o tempo, Caim apresentou produtos do solo em oferenda a Iahweh; 4Abel, por

sua vez, também ofereceu as primícias e a gordura de seu rebanho. Ora, Iahweh

agradou-se de Abel e de sua oferenda. 5Mas não se agradou de Caim e de sua oferenda,

e Caim ficou muito irritado e com o rosto abatido. 6Iahweh disse a Caim: "Por que estás

irritado e por que teu rosto está abatido? 7Se estivesses bem disposto, não levantarias a

cabeça? Mas se não estás bem disposto não jaz o pecado à porta, como animal acuado

que te espreita; podes acaso dominá-lo?" 8Entretanto Caim disse a seu irmão Abel:

"Saiamos." E, como estavam no campo, Caim se lançou sobre seu irmão Abel e o

matou. 9Iahweh disse a Caim: "Onde está teu irmão Abel?" Ele respondeu: "Não sei.

Acaso sou guarda de meu irmão?" 10Iahweh disse: "Que fizeste! Ouço o sangue de teu

irmão, do solo, clamar para mim! 11Agora, és maldito e expulso do solo fértil que abriu

a boca para receber de tua mão o sangue de teu irmão. 12Ainda que cultives o solo, ele

não te dará mais seu produto: serás um fugitivo errante sobre a terra." 13Então Caim

disse a Iahweh: "Minha culpa é muito pesada para suportá-la. 14Vê! Hoje tu me banes

do solo fértil, terei de ocultar-me longe de tua face e serei um errante fugitivo sobre a

terra: mas o primeiro que me encontrar me matará!" 15Iahweh lhe respondeu: "Quem

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

matar Caim será vingado sete vezes." E Iahweh colocou um sinal sobre Caim, a fim de

que não fosse morto por quem o encontrasse. 16Caim se retirou da presença de Iahweh e

foi morar na terra de Nod, a leste de Éden.

A descendência de Caim — 17Caim conheceu sua mulher, que concebeu e deu à luz

Henoc. Tornou-se um construtor de cidade e deu à cidade o nome de seu filho, Henoc.

18A Henoc nasceu Irad, e Irad gerou Maviael, e Maviael gerou Matusael, e Matusael

gerou Lamec. 19Lamec tomou para si duas mulheres: o nome da primeira era Ada e o

nome da segunda, Sela. 20Ada deu à luz Jabel: ele foi o pai dos que vivem sob tenda e

têm rebanhos. 21O nome de seu irmão era Jubal: ele foi o pai de todos os que tocam lira

e charamela. 22Sela, por sua vez, deu à luz Tubalcaim: ele foi o pai de todos os

laminadores em cobre e ferro; a irmã de Tubalcaim era Noema. 23Lamec disse às suas

mulheres: "Ada e Sela, ouvi minha voz, mulheres de Lamec, escutai minha palavra: Eu

matei um homem por uma ferida, uma criança por uma contusão. 24É que Caim é

vingado sete vezes, mas Lamec, setenta e sete vezes!"

Set e seus descendentes — 25Adão conheceu sua mulher. Ela deu à luz um filho e lhe

pôs o nome de Set "porque," disse ela, "ele me concedeu" outra descendência no lugar

de Abel, que Caim matou." 26Também a Set nasceu um filho, e ele lhe deu o nome de

Enós, que foi o primeiro a invocar o nome de Iahweh.

5 Os Patriarcas anteriores ao dilúvio — 1Eis o livro da descendência de Adão: No dia

em que Deus criou Adão, ele o fez à semelhança de Deus. 2Homem e mulher ele os

criou, abençoou-os e lhes deu o nome de "Homem", no dia em que foram criados.

3Quando Adão completou cento e trinta anos, gerou um filho à sua semelhança, como

sua imagem, e lhe deu o nome de Set. 4O tempo que viveu Adão depois do nascimento

de Set foi de oitocentos anos, e gerou filhos e filhas. 5Toda a duração da vida de Adão

foi de novecentos e trinta anos, depois morreu. 6Quando Set completou cento e cinco

anos, gerou Enós. 7Depois do nascimento de Enós, Set viveu oitocentos e sete anos, e

gerou filhos e filhas. 8Toda a duração da vida de Set foi de novecentos e doze anos,

depois morreu. 9Quando Enós completou noventa anos, gerou Cainã. 10Depois do

nascimento de Cainã, Enós viveu oitocentos e quinze anos, e gerou filhos e filhas.

11Toda a duração da vida de Enós foi de novecentos e cinco anos, depois morreu.

12Quando Cainã completou setenta anos, gerou Malaleel. 13Depois do nascimento de

Malaleel, Cainã viveu oitocentos e quarenta anos, e gerou filhos e filhas. 14Toda a

duração da vida de Cainã foi de novecentos e dez anos, depois morreu. 15Quando

Malaleel completou sessenta e cinco anos, gerou Jared. 16Depois do nascimento de

Jared, Malaleel viveu oitocentos e trinta anos, e gerou filhos e filhas. 17Toda a duração

da vida de Malaleel foi de oitocentos e noventa e cinco anos, depois morreu. 18Quando

Jared completou cento e sessenta e dois anos, gerou Henoc. 19Depois do nascimento de

Henoc, Jared viveu oitocentos anos e gerou filhos e filhas. 20Toda a duração da vida de

Jared foi de novecentos e sessenta e dois anos, depois morreu. 21Quando Henoc

completou sessenta e cinco anos, gerou Matusalém. 22Henoc andou com Deus. Depois

do nascimento de Matusalém, Henoc viveu trezentos anos, e gerou filhos e filhas.

23Toda a duração da vida de Henoc foi de trezentos e sessenta e cinco anos. 24Henoc

andou com Deus, depois desapareceu, pois Deus o arrebatou. 25Quando Matusalém

completou cento e oitenta e sete anos, gerou Lamec. 26Depois do nascimento de Lamec,

Matusalém viveu setecentos e oitenta e dois anos, e gerou filhos e filhas. 27Toda a

duração da vida de Matusalém foi de novecentos e sessenta e nove anos, depois morreu.

28Quando Lamec completou cento e oitenta e dois anos, gerou um filho. 29Deu-lhe o

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

nome de Noé, porque, disse ele, "este nos trará, em nossas tarefas e no trabalho de

nossas mãos, uma consolação tirada do solo que Iahweh amaldiçoou." 30Depois do

nascimento de Noé, Lamec viveu quinhentos e noventa e cinco anos, e gerou filhos e

filhas. 31Toda a duração da vida de Lamec foi de setecentos e setenta e sete anos, depois

morreu. 32Quando Noé completou quinhentos anos, gerou Sem, Cam e Jafé.

6 Filhos de Deus e filhas dos homens — 1 Quando os homens começaram a ser

numerosos sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, 2os filhos de Deus viram que as

filhas dos homens eram belas e tomaram como mulheres todas as que lhes agradaram.

3Iahweh disse: "Meu espírito não se responsabilizará indefinidamente pelo homem, pois

ele é carne; não viverá mais que cento e vinte anos."4Ora, naquele tempo (e também

depois), quando os filhos de Deus se uniam às filhas dos homens e estas lhes davam

filhos, os Nefilim habitavam sobre a terra; estes homens famosos foram os heróis dos

tempos antigos.

2. O DILÚVIO

A corrupção da humanidade — 5Iahweh viu que a maldade do homem era grande

sobre a terra, e que era continuamente mau todo desígnio de seu coração. 6Iahweh

arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra, e afligiu-se o seu coração. 7E disse

Iahweh: "Farei desaparecer da superfície do solo os homens que criei — e com os

homens os animais, os répteis e as aves do céu —, porque me arrependo de os ter feito."

8Mas Noé encontrou graça aos olhos de Iahweh. 9Eis a história de Noé: Noé era um

homem justo, íntegro entre seus contemporâneos, e andava com Deus. 10Noé gerou três

filhos: Sem, Cam e Jafé. 11A terra se perverteu diante de Deus e encheu-se de violência.

12Deus viu a terra: estava pervertida, porque toda carne tinha uma conduta perversa

sobre a terra.

Preparativos do dilúvio — 13Deus disse a Noé: "Chegou o fim de toda carne, eu o

decidi, pois a terra está cheia de violência por causa dos homens, e eu os farei

desaparecer da terra. 14Faze uma arca de madeira resinosa; tu a farás de caniços e a

calafetarás com betume por dentro e por fora. 15Eis como a farás: para o comprimento

da arca, trezentos côvados; para sua largura, cinquenta côvados; para sua altura, trinta

côvados. 16Farás um teto para a arca e o rematarás um côvado mais alto; farás a entrada

da arca pelo lado, e farás um primeiro, um segundo e um terceiro andares. 17"Quanto a

mim, vou enviar o dilúvio, as águas, sobre a terra, para exterminar de debaixo do céu

toda carne que tiver sopro de vida: tudo o que há na terra deve perecer. 18Mas

estabelecerei minha aliança contigo e entrarás na arca, tu e teus filhos, tua mulher e as

mulheres de teus filhos contigo. 19De tudo o que vive, de tudo o que é carne, farás entrar

na arca dois de cada espécie, um macho e uma fêmea, para os conservares em vida

contigo. 20De cada espécie de aves, de cada espécie de animais, de cada espécie de todos

os répteis do solo, virá contigo um casal, para os conservares em vida. 21Quanto a ti,

reúne todo tipo de alimento e armazena-o; isto servirá de alimento para ti e para eles."

22Noé assim fez; tudo o que Deus lhe ordenara, ele o fez.

7 1Iahweh disse a Noé: "Entra na arca, tu e toda a tua família, porque és o único justo

que vejo diante de mim no meio desta geração. 2De todos os animais puros, tomarás sete

pares, o macho e sua fêmea; dos animais que não são puros, tomarás um casal, o macho

e sua fêmea 3(e também das aves do céu, sete pares, o macho e sua fêmea), para

perpetuarem a raça sobre toda a terra. 4Porque, daqui a sete dias, farei chover sobre a

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

terra durante quarenta dias e quarenta noites, e farei desaparecer da superfície do solo

todos os seres que eu fiz." 5Noé fez tudo o que Iahweh lhe ordenara. 6Noé tinha

seiscentos anos quando veio o dilúvio, as águas sobre a terra. 7Noé — com seus filhos,

sua mulher e as mulheres de seus filhos — entrou na arca para escapar das águas do

dilúvio. 8(Dos animais puros e dos animais que não são puros, das aves e de tudo o que

rasteja sobre o solo, 9um casal entrou na arca de Noé, um macho e uma fêmea, como

Deus ordenara a Noé.)" 10Passados sete dias chegaram as águas do dilúvio sobre a terra.

11No ano seiscentos da vida de Noé, no segundo mês, no décimo sétimo dia do segundo

mês, nesse dia jorraram todas as fontes do grande abismo e abriram-se as comportas do

céu. 12A chuva caiu sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites. 13Nesse

mesmo dia, Noé e seus filhos, Sem, Cam e Jafé, com a mulher de Noé, e as três

mulheres de seus filhos, entraram na arca, 14e com eles as feras de toda espécie, os

animais domésticos de toda espécie, os répteis de toda espécie que rastejam sobre a

terra, os pássaros de toda espécie, todas as aves, tudo o que tem asas. 15Com Noé, entrou

na arca um casal de tudo o que é carne, que tem sopro de vida, 16e os que entraram eram

um macho e uma fêmea de tudo o que é carne, conforme Deus lhe ordenara. E Iahweh

fechou a porta por fora.

A inundação — 17Durante quarenta dias houve o dilúvio sobre a terra; cresceram as

águas e ergueram a arca, que ficou elevada acima da terra. 18As águas subiram e

cresceram muito sobre a terra e a arca flutuava sobre as águas. 19As águas subiram cada

vez mais sobre a terra e as mais altas montanhas que estão sob todo o céu foram

cobertas.20As águas subiram quinze côvados mais alto, cobrindo as montanhas.

21Pereceu então toda carne que se move sobre a terra: aves, animais domésticos, feras,

tudo o que fervilha sobre a terra, e todos os homens. 22Morreu tudo o que tinha um

sopro de vida nas narinas. Isto é, tudo o que estava em terra firme. 23Assim

desapareceram todos os seres que estavam na superfície do solo, desde o homem até os

animais, os répteis e as aves do céu: eles foram extintos da terra; ficou somente Noé e os

que estavam com ele na arca. 24A enchente sobre a terra durou cento e cinquenta dias.

8 Vazão das águas — 1Deus lembrou-se então de Noé e de todas as feras e de todos os

animais domésticos que estavam com ele na arca; Deus fez passar um vento sobre a

terra e as águas baixaram. 2Fecharam-se as fontes do abismo e as comportas do céu: —

deteve-se a chuva do céu 3e as águas pouco a pouco se retiraram da terra; — as águas

baixaram ao cabo de cento e cinquenta dias 4e, no sétimo mês, no décimo sétimo dia do

mês, a arca encalhou sobre os montes de Ararat. 5As águas continuaram escoando até o

décimo mês e, no primeiro do décimo mês, apareceram os picos das montanhas. 6No

fim de quarenta dias, Noé abriu a janela que fizera na arca 7e soltou o corvo, que foi e

voltou, esperando que as águas secassem sobre a terra. 8Soltou então a pomba que

estava com ele para ver se tinham diminuído as águas na superfície do solo. 9A pomba,

não encontrando um lugar onde pousar as patas, voltou para ele na arca, porque havia

água sobre toda a superfície da terra; ele estendeu a mão, pegou-a e a fez entrar para

junto dele na arca. 10Ele esperou ainda outros sete dias e soltou de novo a pomba fora da

arca. 11A pomba voltou para ele ao entardecer, e eis que ela trazia, no bico, um ramo

novo de oliveira! Assim Noé ficou sabendo que as águas tinham escoado da superfície

da terra. 12Ele esperou ainda outros sete dias e soltou a pomba, que não mais voltou para

ele. 13Foi no ano seiscentos e um da vida de Noé, no primeiro mês, no primeiro do mês

que as águas secaram sobre a terra. Noé retirou a cobertura da arca; olhou, e eis que a

superfície do solo estava seca! 14No segundo mês, no vigésimo sétimo dia do mês, a

terra estava seca.

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

A saída da arca — 15Então assim falou Deus a Noé: 16"Sai da arca, tu e tua mulher, teus

filhos e as mulheres de teus filhos contigo. 17Todos os animais que estão contigo, tudo o

que é carne, aves, animais e tudo o que rasteja sobre a terra, faze-os sair contigo: que

pululem sobre a terra, sejam fecundos e multipliquem-se sobre a terra." 18Noé saiu com

seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos; 19e todas as feras, todos os animais,

todas as aves, todos os répteis que rastejam sobre a terra saíram da arca, uma espécie

após a outra. 20Noé construiu um altar a Iahweh e, tomando de animais puros e de todas

as aves puras, ofereceu holocaustos sobre o altar. 21Iahweh respirou o agradável odor e

disse consigo: "Eu não amaldiçoarei nunca mais a terra por causa do homem, porque os

desígnios do coração do homem são maus desde a sua infância; nunca mais destruirei

todos os viventes, como fiz. 22Enquanto durar a terra, semeadura e colheita, frio e calor,

verão e inverno, dia e noite não hão de faltar."

9 A nova ordem do mundo — 1Deus abençoou Noé e seus filhos, e lhes disse: "Sede

fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra. 2Sede o medo e o pavor de todos os animais da

terra e de todas as aves do céu, como de tudo o que se move na terra e de todos os

peixes do mar: eles são entregues nas vossas mãos.3Tudo o que se move e possui a vida

vos servirá de alimento, tudo isso eu vos dou, como vos dei a verdura das plantas. 4Mas

não comereis a carne com sua alma, isto é, o sangue. 5Pedirei contas porém, do sangue

de cada um de vós. Pedirei contas a todos os animais e ao homem, aos homens entre si,

eu pedirei contas da alma do homem. 6Quem derrama o sangue do homem pelo homem

terá seu sangue derramado. Pois à imagem de Deus o homem foi feito. 7Quanto a vós,

sede fecundos, multiplicai-vos, povoai a terra e dominai-a." 8Deus falou assim a Noé e a

seus filhos: 9"Eis que estabeleço minha aliança convosco e com os vossos descendentes

depois de vós, 10e com todos os seres animados que estão convosco: aves, animais,

todas as feras, tudo o que saiu da arca convosco, todos os animais da terra. 11Estabeleço

minha aliança convosco: tudo o que existe não será mais destruído pelas águas do

dilúvio; não haverá mais dilúvio para devastar a terra." 12Disse Deus: "Eis o sinal da

aliança que instituo entre mim e vós e todos os seres vivos que estão convosco, para

todas as gerações futuras: 13porei meu arco na nuvem e ele se tornará um sinal da

aliança entre mim e a terra. 14Quando eu reunir as nuvens sobre a terra e o arco aparecer

na nuvem, 15eu me lembrarei da aliança que há entre mim e vós e todos os seres vivos:

toda carne e as águas não mais se tornarão um dilúvio para destruir toda carne.

16Quando o arco estiver na nuvem, eu o verei e me lembrarei da aliança eterna que há

entre Deus e os seres vivos com toda carne que existe sobre a terra." 17Deus disse a Noé:

"Este é o sinal da aliança que estabeleço entre mim e toda carne que existe sobre a

terra."

3. DO DILÚVIO A ABRAÃO

Noé e seus filhos —18Os filhos de Noé, que saíram da arca, foram Sem, Cam e Jafé;

Cam é o pai de Canaã. 19Esses três foram os filhos de Noé e a partir deles se fez o

povoamento de toda a terra. 20Noé, o cultivador, começou a plantar a vinha. 21Bebendo

vinho, embriagou-se e ficou nu dentro de sua tenda. 22Cam, pai de Canaã, viu a nudez

de seu pai e advertiu, fora, a seus dois irmãos. 23Mas Sem e Jafé tomaram o manto,

puseram-no sobre os seus próprios ombros e, andando de costas, cobriram a nudez de

seu pai; seus rostos estavam voltados para trás e eles não viram a nudez de seu pai.

24Quando Noé acordou de sua embriaguez, soube o que lhe fizera seu filho mais jovem.

25E disse: "Maldito seja Canaã! Que ele seja, para seus irmãos, o último dos escravos!"

26E disse também: "Bendito seja Iahweh, o Deus de Sem, e que Canaã seja seu escravo!

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

27Que Deus dilate Jafé, que ele habite nas tendas de Sem, e que Canaã seja seu

escravo!" 28Depois do dilúvio, Noé viveu trezentos e cinqüenta anos. 29Toda a duração

da vida de Noé foi de novecentos e cinqüenta anos, depois morreu.

10 povoamento da terra — 1Eis a descendência dos filhos de Noé, Sem, Cam e Jafé,

aos quais nasceram filhos depois do dilúvio: 2Filhos de Jafé: Gomer, Magog, Madai,

Javã, Tubal, Mosoc, Tiras. 3Filhos de Gomer: Asquenez, Rifat, Togorma. 4Filhos de

Javã: Elisa, Társis, os Cetim, os Dodanim. 5A partir deles fez-se a dispersão nas ilhas

das nações. Esses foram os filhos de Jafé, segundo suas terras e cada qual segundo sua

língua, segundo seus clãs e segundo suas nações. 6Filhos de Cam: Cuch, Mesraim, Fut,

Canaã. 7Filhos de Cuch: Saba, Hévila, Sabata, Regma, Sabataca. Filhos de Regma:

Sabá, Dadã. 8Cuch gerou Nemrod, que foi o primeiro potentado sobre a terra. 9Foi um

valente caçador diante de Iahweh, e é por isso que se diz: "Como Nemrod, valente

caçador diante de Iahweh." 10Os sustentáculos de seu reino foram Babel, Arac e Acad,

cidades que estão todas na terra de Senaar. 11Dessa terra saiu Assur, que construiu

Nínive, Reobot-Ir, Cale, 12e Resen entre Nínive e Cale (é a grande cidade).13Mesraim

gerou os de Lud, de Anam, de Laab, de Naftu, 14de Patros, de Caslu e de Cáftor, de

onde saíram os filisteus. 15Canaã gerou Sídon, seu primogênito, depois Het, 16e o

jebuseu, o amorreu, o gergeseu, 17o heveu, o araceu, o sineu, 18o arádio, o samareu, o

emateu; em seguida dispersaram-se os clãs cananeus. 19A fronteira dos cananeus ia de

Sidônia em direção de Gerara, até Gaza, depois em direção de Sodoma, Gomorra,

Adama e Seboim, até Lesa. 20Esses foram os filhos de Cam, segundo seus clãs e suas

línguas, segundo suas terras e suas nações. 21Uma descendência nasceu também a Sem,

o pai de todos os filhos de Héber e irmão mais velho de Jafé. 22Filhos de Sem: Elam,

Assur, Arfaxad, Lud, Aram. 23Filhos de Aram: Hus, Hul, Geter e Mes. 24Arfaxad gerou

Salé e Salé gerou Héber. 25A Héber nasceram dois filhos: o primeiro chamava-se Faleg,

porque em seus dias a terra foi dividida, e seu irmão chamava-se Jectã. 26Jectã gerou

Elmodad, Salef, Asarmot, Jaré, 27Aduram, Uzal, Decla, 28Ebal, Abimael, Sabá, 29Ofir,

Hévila, Jobab; todos esses são filhos de Jectã. 30Eles habitavam a partir de Mesa, em

direção de Sefar, a montanha do Oriente. 31Esses foram os filhos de Sem, segundo seus

clãs e suas línguas, segundo suas terras e suas nações. 32Esses foram os clãs dos

descendentes de Noé, segundo suas linhagens e segundo suas nações. Foi a partir deles

que os povos se dispersaram sobre a terra depois do dilúvio.

11 torre de Babel — 1Todo o mundo se servia de uma mesma língua e das mesmas

palavras. 2Como os homens emigrassem para o oriente, encontraram um vale na terra de

Senaar e aí se estabeleceram. 3Disseram um ao outro: "Vinde! Façamos tijolos e

cozamo-los ao fogo!" O tijolo lhes serviu de pedra e o betume de argamassa. 4Disseram:

"Vinde! Construamos uma cidade e uma torre cujo ápice penetre nos céus! Façamo-nos

um nome e não sejamos dispersos sobre toda a terra!" 5Ora, Iahweh desceu para ver a

cidade e a torre que os homens tinham construído. 6E Iahweh disse: "Eis que todos

constituem um só povo e falam uma só língua. Isso é o começo de suas iniciativas!

Agora, nenhum desígnio será irrealizável para eles. 7Vinde! Desçamos! Confundamos a

sua linguagem para que não mais se entendam uns aos outros." 8Iahweh os dispersou

dali por toda a face da terra, e eles cessaram de construir a cidade. 9Deu-se-lhe por isso

o nome de Babel, pois foi lá que Iahweh confundiu a linguagem de todos os habitantes

da terra e foi lá que ele os dispersou sobre toda a face da terra.

Os Patriarcas depois do dilúvio 10 Eis a descendência de Sem: Quando Sem

completou cem anos, gerou Arfaxad, dois anos depois do dilúvio. 11Depois do

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

nascimento de Arfaxad, Sem viveu quinhentos anos, e gerou filhos e filhas. 12Quando

Arfaxad completou trinta e cinco anos, gerou Salé. 13Depois do nascimento de Salé,

Arfaxad viveu quatrocentos e três anos, e gerou filhos e filhas. 14Quando Salé

completou trinta anos, gerou Héber. 15Depois do nascimento de Héber, Salé viveu

quatrocentos e três anos, e gerou filhos e filhas. 16Quando Héber completou trinta e

quatro anos, gerou Faleg. 17Depois do nascimento de Faleg, Héber viveu quatrocentos e

trinta anos, e gerou filhos e filhas. 18Quando Faleg completou trinta anos, gerou Reu.

19Depois do nascimento de Reu, Faleg viveu duzentos e nove anos, e gerou filhos e

filhas. 20Quando Reu completou trinta e dois anos, gerou Sarug. 21Depois do nascimento

de Sarug, Reu viveu duzentos e sete anos e gerou filhos e filhas. 22Quando Sarug

completou trinta anos, gerou Nacor. 23Depois do nascimento de Nacor, Sarug viveu

duzentos anos, e gerou filhos e filhas. 24Quando Nacor completou vinte e nove anos,

gerou Taré. 25Depois do nascimento de Taré, Nacor viveu cento e dezenove anos, e

gerou filhos e filhas. 26Quando Taré completou setenta anos, gerou Abrão, Nacor e Arã.

A descendência de Taré — 27Eis a descendência de Taré: Taré gerou Abrão, Nacor e

Arã. Afã gerou Ló. 28Arã morreu na presença de seu pai Taré, em sua terra natal, Ur dos

caldeus. 29Abrão e Nacor se casaram: a mulher de Abrão chamava-se Sarai; a mulher de

Nacor chamava-se Melca, filha de Arã, que era o pai de Melca e de Jesca. 30Ora, Sarai

era estéril, não tinha filhos. 31Taré tomou seu filho Abrão, seu neto Ló, filho de Arã, e

sua nora Sarai, mulher de Abrão. Ele os fez sair de Ur dos caldeus para ir à terra de

Canaã, mas, chegados a Harã, ali se estabeleceram. 32A duração da vida de Taré foi de

duzentos e cinco anos, depois ele morreu em Harã.

II. História de Abraão

12 Vocação de Abraão — 1Iahweh disse a Abrão: "Sai da tua terra, da tua parentela e

da casa de teu pai, para a terra que te mostrarei. 2Eu farei de ti um grande povo, eu te

abençoarei, engrandecerei teu nome; sê uma bênção! 3Abençoarei os que te

abençoarem, amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. Por ti serão benditos todos os clãs

da terra." 4Abrão partiu, como lhe disse Iahweh, e Ló partiu com ele. Abrão tinha

setenta e cinco anos quando deixou Harã. 5Abrão tomou sua mulher Sarai, seu sobrinho

Ló, todos os bens que tinham reunido e o pessoal que tinham adquirido em Harã;

partiram para a terra de Canaã, e lá chegaram. 6Abrão atravessou a terra até o lugar

santo de Siquém, no Carvalho de Moré. Nesse tempo os cananeus habitavam nesta terra.

7Iahweh apareceu a Abrão e disse: "É à tua posteridade que eu darei esta terra." Abrão

construiu ali um altar a Iahweh, que lhe aparecera. 8Dali passou à montanha, a oriente

de Betel, e armou sua tenda, tendo Betel a oeste e Hai a leste. Construiu ali um altar a

Iahweh e invocou seu nome. 9Depois, de acampamento em acampamento, foi para o

Negueb.

Abraão no Egito — 10Houve uma fome na terra e Abrão desceu ao Egito, para aí ficar,

pois a fome assolava a terra. 11Quando estava chegando ao Egito, disse à sua mulher

Sarai: "Vê, eu sei que és uma mulher muito bela. 12Quando os egípcios te virem, dirão:

'É sua mulher,' e me matarão, deixando-te com vida. 13Dize, eu te peço, que és minha

irmã, para que me tratem bem por causa de ti e, por tua causa, me conservem a vida."

14De fato, quando Abrão chegou ao Egito, os egípcios viram que a mulher era muito

bela. 15Viram-na os oficiais de Faraó e gabaram-na junto dele; e a mulher foi levada

para o palácio de Faraó. 16Este, por causa dela, tratou bem a Abrão: ele veio a ter

ovelhas, bois, jumentos, escravos, servas, jumentas e camelos. 17Mas Iahweh feriu Faraó

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

com grandes pragas, e também sua casa, por causa de Sarai, a mulher de Abrão. 18Faraó

chamou Abrão e disse: "Que me fizeste? Por que não me declaraste que ela era tua

mulher? 19Por que disseste: 'Ela é minha irmã!', de modo que eu a tomasse como

mulher? Agora eis a tua mulher: toma-a e vai-te!" 20Faraó o confiou a homens que os

conduziram à fronteira, ele, sua mulher e tudo o que possuía.

13 Separação de Abraão e de Ló — 1Do Egito, Abrão, com sua mulher e tudo que

possuía, e Ló com ele, subiu ao Negueb. 2Abrão era muito rico em rebanhos, em prata e

em ouro. 3Seus acampamentos conduziram-no do Negueb até Betel, no lugar onde

primeiro armara sua tenda, entre Betel e Hai, 4no lugar em que outrora construíra o altar,

e lá Abrão invocou o nome de Iahweh. 5Ló, que acompanhava Abrão, tinha igualmente

ovelhas, bois e tendas. 6A terra não era suficiente para sua instalação comum: tinham

posses imensas para poderem habitar juntos. 7Houve uma disputa entre os pastores dos

rebanhos de Abrão e os dos rebanhos de Ló (nesse tempo os cananeus e os ferezeus

habitavam essa terra). 8Abrão disse a Ló: "Que não haja discórdia entre mim e ti, entre

meus pastores e os teus, pois somos irmãos! 9Toda a terra não está diante de ti? Peço-te

que te apartes de mim. Se tomares a esquerda, irei para a direita; se tomares a direita,

irei para a esquerda." 10Ló ergueu os olhos e viu toda a Planície do Jordão, que era toda

irrigada — antes que Iahweh destruísse Sodoma e Gomorra — como o jardim de

Iahweh, como a terra do Egito, até Segor. 11Ló escolheu para si toda a Planície do

Jordão e emigrou para o oriente. Assim eles se separaram um do outro. 12Abrão

estabeleceu-se na terra de Canaã e Ló estabeleceu-se nas cidades da Planície; ele armou

suas tendas até Sodoma. 13Ora, os habitantes de Sodoma eram grandes criminosos e

pecavam contra Iahweh. 14Iahweh disse a Abrão, depois que Ló se separou dele: "Ergue

os olhos e olha, do lugar em que estás, para o norte e para o sul, para o oriente e para o

ocidente. 15Toda a terra que vês, eu ta darei, a ti e à tua posteridade para sempre.

16Tornarei a tua posteridade como poeira da terra: quem puder contar os grãos de poeira

da terra poderá contar teus descendentes! 17Levanta-te! Percorre essa terra no seu

comprimento e na sua largura, porque eu ta darei." 18Com suas tendas, Abrão foi

estabelecer-se no Carvalho de Mambré, que está em Hebron, e lá construiu um altar a

Iahweh.

14 A campanha dos quatro grandes reis — 1No tempo de Amrafel, rei de Senaar, de

Arioc, rei de Elasar, de Codorlaomor, rei de Elam, e de Tadal, rei dos goim, 2estes

fizeram guerra contra Bara, rei de Sodoma, Bersa, rei de Gomorra, Senaab, rei de

Adama, Semeber, rei de Seboim e o rei de Bela (este é Segor). 3Estes últimos se

juntaram no vale de Sidim (que é o mar do Sal). 4Por doze anos ficaram sujeitos a

Codorlaomor, mas no décimo terceiro anose revoltaram. 5No décimo quarto ano vieram

Codorlaomor e os reis que estavam com ele. Derrotaram os rafaim em Astarot-Carnaim,

os zuzim em Ham, os emim na planície de Cariataim, 6os horitas nas montanhas de Seir

até El-Farã, na margem do deserto. 7Eles voltaram e vieram à Fonte do Julgamento (que

é Cades); derrotaram todo o território dos amalecitas e dos amorreus, que habitavam

Asasontamar. 8Então o rei de Sodoma, o rei de Gomorra, o rei de Adama, o rei de

Seboim e o rei de Bela (este é Segor) fizeram uma expedição e se colocaram em ordem

de batalha contra eles no vale de Sidim, 9contra Codorlaomor, rei de Elam, Tadal, rei

dos goim, Amrafel, rei de Senaar, e Arioc, rei de Elasar: quatro reis contra cinco! 10Ora,

o vale de Sidim estava cheio de poços de betume; na sua fuga o rei de Sodoma e o rei de

Gomorra caíram neles, e o resto se refugiou na montanha. 11Os vencedores tomaram

todos os bens de Sodoma e de Gomorra, e todos os seus alimentos, e se foram. 12Eles

tomaram também Ló (o sobrinho de Abrão) e seus bens, e se foram; ele morava em

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

Sodoma. 13Um sobrevivente veio informar Abrão, o hebreu, que habitava no Carvalho

do amorreu Mambré, irmão de Escol e de Aner; eles eram os aliados de Abrão.

14Quando Abrão soube que seu parente fora levado prisioneiro, fez sair seus aliados,

seus familiares, em número de trezentos e dezoito, e deu perseguição até Dã. 15Ele os

atacou de noite, em ordem dispersa, ele e seus homens, derrotou-os e perseguiu-os até

Hoba, ao norte de Damasco. 16Recuperou todos os bens, e também seu parente Ló e

seus bens, assim como as mulheres e a tropa.

Melquisedec — 17Quando Abrão voltou, depois de ter derrotado Codorlaomor e os reis

que estavam com ele, o rei de Sodoma foi ao seu encontro no vale de Save (que é o vale

do Rei). 18Melquisedec, rei de Salém, trouxe pão e vinho; ele era sacerdote do Deus

Altíssimo. 19Ele pronunciou esta bênção: "Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo que

criou o céu e a terra, 20e bendito seja o Deus Altíssimo que entregou teus inimigos entre

tuas mãos." E Abrão lhe deu o dízimo de tudo. 21O rei de Sodoma disse a Abrão: "Dá-

me as pessoas e toma os bens para ti." 22Mas Abrão respondeu ao rei de Sodoma:

"Levanto a mão diante do Deus Altíssimo que criou o céu e a terra: 23nem um fio, nem

uma correia de sandália, nada tomarei do que te pertence, para que não digas: 'Eu

enriqueci Abrão'. 24Nada para mim. Somente o que meus servos comeram, e a parte dos

homens que vieram comigo, Aner, Escol e Mambré; eles tomarão sua parte."

15 As promessas e a aliança divinas — 1Depois desses acontecimentos, a palavra de

Iahweh foi dirigida a Abrão, numa visão: "Não temas, Abrão! Eu sou o teu escudo, tua

recompensa será muito grande." 2Abrão respondeu: "Meu Senhor Iahweh, que me

darás? Continuo sem filho..."3Abrão disse: "Eis que não me deste descendência e um

dos servos de minha casa será meu herdeiro." 4Então foi-lhe dirigida esta palavra de

Iahweh: "Não será esse o teu herdeiro, mas alguém saído de teu sangue." 5Ele o

conduziu para fora e disse: "Ergue os olhos para o céu e conta as estrelas, se as podes

contar", e acrescentou: "Assim será a tua posteridade." 6Abrão creu em Iahweh, e lhe foi

tido em conta de justiça. 7Ele lhe disse: "Eu sou Iahweh que te fez sair de Ur dos

caldeus, para te dar esta terra como herança." 8 Abrão respondeu: "Meu Senhor Iahweh,

como saberei que hei de possuí-la?" 9Ele lhe disse: "Procura-me uma novilha de três

anos, uma cabra de três anos, um cordeiro de três anos, uma rola e um pombinho." 10Ele

lhe trouxe todos esses animais, partiu-os pelo meio e colocou cada metade em face da

outra; entretanto, não partiu as aves. 11As aves de rapina desceram sobre os cadáveres,

mas Abrão as expulsou. 12Quando o sol ia se pôr, um torpor caiu sobre Abrão e eis que

foi tomado de grande pavor. 13Iahweh disse a Abrão: "Sabe, com certeza, que teus

descendentes serão estrangeiros numa terra que não será a deles. Lá eles serão escravos,

serão oprimidos durante quatrocentos anos. 14Mas eu julgarei a nação à qual serão

sujeitos, e em seguida sairão com grandes bens. 15Quanto a ti, em paz, irás para os teus

pais, serás sepultado numa velhice feliz. 16É na quarta geração que eles voltarão para cá,

porque até lá a iniqüidade dos amorreus não terá atingido o seu cúmulo." 17Quando o sol

se pôs e estenderam-se as trevas, eis que uma fogueira fumegante e uma tocha de fogo

passaram entre os animais divididos. 18Naquele dia Iahweh estabeleceu uma aliança

com Abrão nestes termos: "À tua posteridade darei esta terra, do Rio do Egito até o

Grande Rio, o rio Eufrates, 19os quenitas, os cenezeus, os cadmoneus, 20os heteus, os

ferezeus, os rafaim, os amorreus, os cananeus, os gergeseus e os jebuseus."

16 Nascimento de Ismael — 1A mulher de Abrão, Sarai, não lhe dera filho. Mas tinha

uma serva egípcia, chamada Agar, 2e Sarai disse a Abrão: "Vê, eu te peço: Iahweh não

permitiu que eu desse à luz. Toma, pois, a minha serva. Talvez, por ela, eu venha a ter

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

filhos." E Abrão ouviu a voz de Sarai. 3Assim, depois de dez anos que Abrão residia na

terra de Canaã, sua mulher Sarai tomou Agar, a egípcia, sua serva, e deu-a como mulher

a seu marido, Abrão. 4Este possuiu Agar, que ficou grávida. Quando ela se viu grávida,

começou a olhar sua senhora com desprezo. 5Então Sarai disse a Abrão: "Tu és

responsável pela injúria que me está sendo feita! Coloquei minha serva entre teus braços

e, desde que ela se viu grávida, começou a olhar-me com desprezo. Que Iahweh julgue

entre mim e ti!" 6Abrão disse a Sarai: "Pois bem, tua serva está em tuas mãos; faze-lhe

como melhor te parecer." Sarai a maltratou de tal modo que ela fugiu de sua presença.

7O anjo de Iahweh a encontrou perto de uma certa fonte no deserto, a fonte que está no

caminho de Sur. 8E ele disse: "Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde vais?" Ela

respondeu: "Fujo da presença de minha senhora Sarai." 9O Anjo de Iahweh lhe disse:

"Volta para a tua senhora e sê-lhe submissa." 10O Anjo de Iahweh lhe disse: "Eu

multiplicarei grandemente a tua descendência, de tal modo que não se poderá contá-la."

11O Anjo de Iahweh lhe disse: "Estás grávida e darás à luz um filho, e tu lhe darás o

nome de Ismael, pois Iahweh ouviu tua aflição. 12Ele será um potro de homem, sua mão

contra todos, a mão de todos contra ele; ele se estabelecerá diante de todos os seus

irmãos." 13A Iahweh, que lhe falou, Agar deu este nome: "Tu és El-Roí", pois, disse ela,

"Vejo eu ainda aqui, depois daquele que me vê?"14Foi por isso que se chamou a este

poço de poço de Laai-Roí; ele se encontra entre Cades e Barad. 15Agar deu à luz um

filho a Abrão, e Abrão deu ao filho que lhe dera Agar o nome de Ismael. 16Abrão tinha

oitenta e seis anos quando Agar o fez pai de Ismael.

17 A aliança e a circuncisão — 1Quando Abrão completou noventa e nove anos,

Iahweh lhe apareceu e lhe disse: "Eu sou El Shaddai, anda na minha presença e sê

perfeito. 2Eu instituo minha aliança entre mim e ti, e te multiplicarei extremamente." 3E

Abrão caiu com a face por terra. Deus lhe falou assim: 4"Quanto a mim, eis a minha

aliança contigo: serás pai de uma multidão de nações. 5E não mais te chamarás Abrão,

mas teu nome será Abraão, pois eu te faço pai de uma multidão de nações. 6Eu te

tornarei extremamente fecundo, de ti farei nações, e reis sairão de ti. 7Estabelecerei

minha aliança entre mim e ti, e tua raça depois de ti, de geração em geração, uma

aliança perpétua, para ser o teu Deus e o de tua raça depois de ti. 8A ti, e à tua raça

depois de ti, darei a terra em que habitas, toda a terra de Canaã, em possessão perpétua,

e serei o vosso Deus. 9Deus disse a Abraão: "Quanto a ti, observarás a minha aliança, tu

e tua raça depois de ti, de geração em geração. 10E eis a minha aliança, que será

observada entre mim e vós, isto é, tua raça depois de ti: todos os vossos machos sejam

circuncidados. 11Fareis circuncidar a carne de vosso prepúcio, e este será o sinal da