Bíblia de Jerusalém por Vários Autores. - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

aliança entre mim e vós. 12Quando completarem oito dias, todos os vossos machos serão

circuncidados, de geração em geração. Tanto o nascido em casa quanto o comprado por

dinheiro a algum estrangeiro que não é de tua raça, 13deverá ser circuncidado o nascido

em casa e o que for comprado por dinheiro. Minha aliança estará marcada na vossa

carne como uma aliança perpétua. 14O incircunciso, o macho cuja carne do prepúcio não

tiver sido cortada, esta vida será eliminada de sua parentela: ele violou minha aliança."

15Deus disse a Abraão: "A tua mulher Sarai, não mais a chamarás de Sarai, mas seu

nome é Sara. 16Eu a abençoarei, e dela te darei um filho; eu a abençoarei, ela se tornará

nações, e dela sairão reis de povos." 17Abraão caiu com o rosto por terra e se pôs a rir,

pois dizia a si mesmo: "Acaso nascerá um filho a um homem de cem anos, e Sara que

tem noventa anos dará ainda à luz?" 18Abraão disse a Deus: "Oh! Que Ismael viva

diante de ti!" 19Mas Deus respondeu: "Não, mas tua mulher Sara te dará um filho: tu o

chamarás Isaac; estabelecerei minha aliança com ele, como uma aliança perpétua, para

ser seu Deus e o de sua raça depois dele. 20Em favor de Ismael também, eu te ouvi: eu o

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

abençôo, o tornarei fecundo, o farei crescer extremamente; gerará doze príncipes e dele

farei uma grande nação. 21Mas minha aliança eu a estabelecerei com Isaac, que Sara

dará à luz no próximo ano, nesta estação." 22Quando terminou de falar, Deus retirou-se

de junto de Abraão. 23Então Abraão tomou seu filho Ismael, todos os que nasceram em

sua casa, todos os que comprara com seu dinheiro, todos os machos dentre os de sua

casa e circuncidou a carne de seu prepúcio, nesse mesmo dia, como Deus lhe dissera.

24Abraão tinha noventa e nove anos de idade quando foi circuncidada a carne de seu

prepúcio, 25e Ismael, seu filho, tinha treze anos de idade quando foi circuncidada a carne

de seu prepúcio. 26Nesse mesmo dia foram circuncidados Abraão e seu filho Ismael, 27e

todos os homens de sua casa, filhos da casa ou comprados por dinheiro a um

estrangeiro, foram circuncidados com ele.

18 A aparição de Mambré — 1Iahweh lhe apareceu no Carvalho de Mambré, quando

ele estava sentado na entrada da tenda, no maior calor do dia. 2Tendo levantado os

olhos, eis que viu três homens de pé, perto dele; logo que os viu, correu da entrada da

tenda ao seu encontro e se prostrou por terra. 3E disse: "Meu senhor, eu te peço, se

encontrei graça a teus olhos, não passes junto de teu servo sem te deteres. 4Traga-se um

pouco de água e vos lavareis os pés, e vos estendereis sob a árvore. 5Trarei um pedaço

de pão, e vos reconfortareis o coração antes de irdes mais longe; foi para isso que

passastes junto de vosso servo!" Eles responderam: "Faze, pois, como disseste".

6Abraão apressou-se para a tenda, junto a Sara, e disse: "Toma depressa três medidas de

farinha, de flor de farinha, amassa-as e faze pães cozidos." 7Depois correu Abraão ao

rebanho e tomou um vitelo tenro e bom; deu-o ao servo que se apressou em prepará-lo.

8Tomou também coalhada, leite e o vitelo que preparara e colocou tudo diante deles;

permaneceu de pé, junto deles, sob a árvore, e eles comeram. 9Eles lhe perguntaram:

"Onde está Sara, tua mulher?" Ele respondeu: "Está na tenda." 10O hóspede disse:

"Voltarei a ti no próximo ano; então tua mulher Sara terá um filho". Sara escutava, na

entrada da tenda, atrás dele. 11Ora Abraão e Sara eram velhos, de idade avançada, e Sara

deixara de ter o que têm as mulheres. 12Riu-se, pois, Sara no seu íntimo, dizendo:

"Agora que estou velha e velho também está o meu senhor, terei ainda prazer?" 13Mas

Iahweh disse a Abraão: "Por que se ri Sara, dizendo: 'Será verdade que vou dar à luz,

agora que sou velha?' 14Acaso existe algo de tão maravilhoso para Iahweh? Na mesma

estação, no próximo ano, voltarei a ti, e Sara terá um filho." 15Sara desmentiu: "Eu não

ri". disse ela, porque tinha medo; mas ele replicou: "Sim, tu riste."

A intercessão de Abraão — 16Tendo-se levantado, os homens partiram de lá e

chegaram a Sodoma. Abraão caminhava com eles, para os encaminhar. 17Iahweh disse

consigo: "Ocultarei a Abraão o que vou fazer, 18já que Abraão se tornará uma nação

grande e poderosa e por ele serão benditas todas as nações da terra? 19Pois eu o escolhi

para que ele ordene a seus filhos e à sua casa depois dele que guardem o caminho de

Iahweh, realizando a justiça e o direito; deste modo Iahweh realizará para Abraão o que

lhe prometeu." 20Disse então Iahweh: "O grito contra Sodoma e Gomorra é muito

grande! Seu pecado é muito grave! 21Vou descer e ver se eles fizeram ou não tudo o que

indica o grito que, contra eles, subiu até mim; então ficarei sabendo." 22Os homens

partiram de lá e foram a Sodoma. Iahweh se mantinha ainda junto de Abraão. 23Este

aproximou-se e disse: "Destruirás o justo com o pecador? 24Talvez haja cinqüenta justos

na cidade. Destruirás e não perdoarás à cidade pelos cinqüenta justos que estão em seu

seio?25Longe de ti fazeres tal coisa: fazer morrer o justo com o pecador, de modo que o

justo seja tratado como o pecador! Longe de ti! Não fará justiça o juiz de toda a

terra?"26Iahweh respondeu: "Se eu encontrar em Sodoma cinqüenta justos na cidade,

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

perdoarei toda a cidade por causa deles." 27Disse mais Abraão: "Eu me atrevo a falar ao

meu Senhor, eu que sou poeira e cinza. 28Mas talvez faltem cinco aos cinqüenta justos:

por causa de cinco destruirás toda a cidade?" Ele respondeu: "Não, se eu encontrar

quarenta e cinco justos." 29Abraão retomou ainda a palavra e disse: "Talvez só existam

quarenta." E ele respondeu: "Eu não o farei por causa dos quarenta." 30Disse Abraão:

"Que meu senhor não se irrite e que eu possa falar: talvez ali se encontrem trinta." E ele

respondeu: "Eu não o farei se ali encontrar trinta." 31Ele disse: "Eu me atrevo a falar a

meu Senhor: talvez se encontrem vinte." E ele respondeu: "Não destruirei por causa dos

vinte." 32Ele disse: "Que meu Senhor não se irrite e falarei uma última vez: talvez se

encontrem dez." E ele respondeu: "Não destruirei, por causa dos dez." 33Iahweh, tendo

acabado de falar com Abraão, foi-se e Abraão voltou para o seu lugar.

19 A destruição de Sodoma — 1Ao anoitecer, quando os dois Anjos chegaram a

Sodoma, Ló estava sentado à porta da cidade. Logo que os viu, Ló se levantou ao seu

encontro e prostrou-se com a face por terra. E disse: "Eu vos peço, meus senhores!

Descei à casa de vosso servo para aí passardes a noite e lavar-vos os pés; de manhã

retomareis vosso caminho." Mas eles responderam: "Não, nós passaremos a noite na

praça." Tanto os instou que foram para sua casa e entraram. Preparou-lhes uma refeição,

fez cozer pães ázimos, e eles comeram. Eles não tinham ainda deitado quando a casa foi

cercada pelos homens da cidade, os homens de Sodoma, desde os jovens até os velhos,

todo o povo sem exceção. 5Chamaram Ló e lhe disseram: "Onde estão os homens que

vieram para tua casa esta noite? Traze-os para que deles abusemos." Ló saiu à porta e,

fechando-a atrás de si, 7disse-lhes: "Suplico-vos, meus irmãos, não façais o mal! 8Ouvi:

tenho duas filhas que ainda são virgens; eu vo-las trarei: fazei-lhes o que bem vos

parecer, mas a estes homens nada façais, porque entraram sob a sombra de meu teto."

9Mas eles responderam: "Retira-te daí! Um que veio como estrangeiro agora quer ser

juiz! Pois bem, nós te faremos mais mal que a eles!" Arremessaram-se contra ele, Ló, e

chegaram para arrombar a porta. 10Os homens, porém, estendendo o braço, fizeram Ló

entrar para junto deles, na casa, e fecharam a porta. 11Quanto aos homens que estavam

na entrada da casa, eles os feriram de cegueira, do menor até o maior, de modo que não

conseguiam encontrar a entrada. 12Os homens disseram a Ló: "Ainda tens alguém aqui?

Teus filhos,tuas filhas, todos os teus que estão na cidade, faze-os sair deste lugar.

13Porque vamos destruir este lugar, pois é grande o grito que se ergueu contra eles

diante de Iahweh, e Iahweh nos enviou para exterminá-los." 14Ló foi falar com seus

futuros genros, que estavam para casar com suas filhas: "Levantai-vos," disse ele,

"deixai este lugar, porque Iahweh vai destruir a cidade." Mas seus futuros genros

acharam que ele gracejava. 15Raiando a aurora, os Anjos insistiram com Ló, dizendo:

"Levanta-te! Toma tua mulher e tuas duas filhas que aqui se encontram, para que não

pereças no castigo da cidade." 16E como ele hesitasse, os homens o tomaram pela mão,

bem como sua mulher e suas duas filhas, pela piedade que Iahweh tinha dele. Eles o

fizeram sair e o deixaram fora da cidade. 17Enquanto o levavam para fora, ele disse:

"Salva-te, pela tua vida! Não olhes para trás de ti nem te detenhas em nenhum lugar da

Planície; foge para a montanha, para não pereceres!" 18Ló lhe respondeu: "Não, meu

Senhor, eu te peço! 19Teu servo encontrou graça a teus olhos e mostraste uma grande

misericórdia a meu respeito, salvando-me a vida. Mas eu não posso me salvar na

montanha, sem que me atinja a desgraça e eu venha a morrer. 20Lá está aquela cidade,

bastante próxima, para a qual posso fugir; ela é pouca coisa. Permite que eu fuja para lá

(porventura ela não é pouca coisa?), e nela viverei!" 21Ele lhe respondeu: "Faço-te ainda

esta graça: não destruirei a cidade de que falas. 22Depressa, refugia-te lá, porque nada

posso fazer enquanto não tiveres chegado lá." É por isso que se deu a essa cidade o

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

nome de Segor. 23Quando o sol se erguia sobre a terra e Ló entrou em Segor, 24Iahweh

fez chover, sobre Sodoma e Gomorra, enxofre e fogo vindos de Iahweh, 25e destruiu

essas cidades e toda a Planície, com todos os habitantes da cidade e a vegetação do solo.

26Ora, a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal. 27Levantando

de madrugada, Abraão foi ao lugar onde estivera na presença de Iahweh 28e olhou para

Sodoma, para Gomorra e para toda a Planície, e eis que viu a fumaça subir da terra,

como a fumaça de uma fornalha! 29Assim, quando Deus destruiu as cidades da Planície,

ele se lembrou de Abraão e retirou Ló do meio da catástrofe, na destruição das cidades

em que Ló habitava.

Origem dos moabitas e dos amonitas — 30Ló subiu de Segor e se estabeleceu na

montanha com suas duas filhas, porque não ousava continuar em Segor. Ele se instalou

numa caverna, ele e suas duas filhas. 31A mais velha disse à mais nova: "Nosso pai é

idoso e não há homem na terra que venha unir-se a nós, segundo o costume de todo o

mundo. 32Vem, façamos nosso pai beber vinho e deitemo-nos com ele; assim

suscitaremos uma descendência de nosso pai." 33Elas fizeram seu pai beber vinho,

naquela noite, e a mais velha veio deitar-se junto de seu pai, que não percebeu nem

quando ela se deitou, nem quando se levantou. 34No dia seguinte, a mais velha disse à

mais nova: "Na noite passada eu dormi com meu pai; façamo-lo beber vinho também

nesta noite e vai deitar-te com ele; assim suscitaremos uma descendência de nosso pai."

35Elas fizeram seu pai beber vinho também naquela noite, e a menor deitou-se junto

dele, que não percebeu nem quando ela se deitou, nem quando se levantou. 36As duas

filhas de Ló ficaram grávidas de seu pai. 37A mais velha deu à luz um filho e o chamou

Moab; é o pai dos moabitas de hoje. 38A mais nova deu também à luz um filho e o

chamou Ben-Ami; é o pai dos Benê-Amon de hoje.

20 Abraão em Gerara — 1Abraão partiu dali para a terra do Negueb e habitou entre

Cades e Sur. Ele foi morar em Gerara. 2Abraão disse de sua mulher Sara: "É minha

irmã," e Abimelec, rei de Gerara, mandou buscar Sara. 3Mas Deus visitou Abimelec em

sonho durante a noite, e lhe disse: "Vais morrer por causa da mulher que tomaste, pois

ela é uma mulher casada." 4Abimelec, que ainda não tinha se aproximado dela, disse:

"Meu Senhor, vais matar alguém inocente? 5Acaso não foi ele que me disse: 'É minha

irmã,' e ela, ela mesma, não disse: 'É meu irmão'? Foi com boa consciência e mãos

puras que fiz isso!" 6Deus lhe respondeu no sonho: "Também eu sei que fizeste isso em

boa consciência, e fui eu quem te impediu de pecar contra mim, não permitindo que a

tocasses. 7Agora, devolve a mulher desse homem: ele é profeta e intercederá por ti, para

que vivas. Mas se não a devolveres, saibas que certamente morrerás, com todos os

teus." 8Abimelec levantou-se cedo e chamou todos os seus servos. Narrou-lhes tudo isso

e os homens tiveram grande temor. 9Em seguida Abimelec chamou Abraão e lhe disse:

"Que nos fizeste? Que ofensa cometi contra ti para que atraias tão grande culpa sobre

mim e sobre meu reino? Tu me fizeste como não se deve fazer." 10E Abimelec disse a

Abraão: "Quem te pediu para agir assim?" 11Abraão respondeu: "Eu disse para comigo:

Certamente não haverá nenhum temor de Deus neste lugar, e me matarão por causa de

minha mulher. 12Além disso, ela é realmente minha irmã, filha de meu pai, mas não

filha de minha mãe, e tornou-se minha mulher. 13Então, quando Deus me fez andar

errante longe de minha família, eu disse a ela: Eis o favor que me farás: em todo lugar

em que estivermos, dirás a meu respeito que eu sou teu irmão." 14Abimelec tomou

ovelhas e bois, servos e servas e os deu a Abraão, e lhe devolveu sua mulher Sara.

15Disse ainda Abimelec: "Eis que a minha terra está aberta diante de ti. Estabelece-te

onde bem quiseres." 16A Sara, ele disse: "Eis aqui mil siclos de prata que dou a teu

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

irmão. Isto será para ti um como véu lançado sobre os olhos de todos os que estão

contigo, e estás justificada de tudo isso." 17Abraão intercedeu junto de Deus e Deus

curou Abimelec, sua mulher e seus servos, a fim de que pudessem ter filhos. 18Pois

Iahweh tornara estéril o seio de todas as mulheres na casa de Abimelec, por causa de

Sara, a mulher de Abraão.

21 Nascimento de Isaac — 1Iahweh visitou Sara, como dissera, e fez por ela como

prometera. 2Sara concebeu e deu à luz um filho a Abraão já velho, no tempo que Deus

tinha marcado. 3Ao filho que lhe nasceu, gerado por Sara, Abraão deu o nome de Isaac.

4Abraão circuncidou seu filho Isaac, quando ele completou oito dias, como Deus lhe

ordenara. 5 Abraão tinha cem anos quando lhe nasceu seu filho Isaac. 6E disse Sara:

"Deus me deu motivo de riso, todos os que o souberem rirão comigo." 7Ela disse

também: "Quem teria dito a Abraão que Sara amamentaria filhos! Pois lhe dei um filho

na sua velhice."

Expulsão de Agar e Ismael — 8A criança cresceu e foi desmamada, e Abraão deu uma

grande festa no dia em que Isaac foi desmamado. 9Ora, Sara percebeu que o filho

nascido a Abraão da egípcia Agar, brincava" com seu filho Isaac, 10e disse a Abraão:

"Expulsa esta serva e seu filho, para que o filho desta serva não seja herdeiro com meu

filho Isaac." 11Esta palavra, acerca de seu filho, desagradou muito a Abraão, 12mas Deus

lhe disse: "Não te lastimes por causa da criança e de tua serva: tudo o que Sara te pedir,

concede-o, porque é por Isaac que uma descendência perpetuará o teu nome, 13mas do

filho da serva eu farei também uma grande nação, pois ele é de tua raça." 14Abraão

levantou-se cedo, tomou pão e um odre de água que deu a Agar; colocou-lhe a criança

sobre os ombros e depois a mandou embora. Ela saiu andando errante no deserto de

Bersabéia. 15Quando acabou a água do odre, ela colocou a criança debaixo de um

arbusto 16e foi sentar-se defronte, à distância de um tiro de arco. Dizia consigo mesma:

"Não quero ver morrer a criança!" Sentou-se defronte e se pôs a gritar e chorar. 17Deus

ouviu os gritos da criança e o Anjo de Deus, do céu, chamou Agar, dizendo: "Que tens,

Agar? Não temas, pois Deus ouviu os gritos da criança, do lugar onde ele está. 18Ergue-

te! Levanta a criança, segura-a firmemente, porque eu farei dela uma grande nação."

19Deus abriu os olhos de Agar e ela enxergou um poço. Foi encher o odre e deu de beber

ao menino. 20Deus esteve com ele; ele cresceu e residiu no deserto, e tornou-se um

flecheiro. 21Ele morou no deserto de Farã e sua mãe lhe escolheu uma mulher da terra

do Egito.

Abraão e Abimelec em Bersabéia — 22Naquele tempo, Abimelec veio, com Ficol, o

chefe de seu exército, dizer a Abraão: "Deus está contigo em tudo o que fazes. 23Agora

pois, jura-me aqui, por Deus, que não me enganarás, nem a minha linhagem e parentela,

e que terás para comigo é para com esta terra em que vieste como hóspede a mesma

amizade que tive por ti." 24Abraão respondeu: "Sim, eu o juro!" 25Abraão repreendeu a

Abimelec a respeito do poço que os servos de Abimelec tinham usurpado. 26E Abimelec

respondeu: "Eu não sei quem pôde fazer isso: tu jamais me informaste a respeito, e

somente hoje ouço falar disso." 27Abraão tomou ovelhas e bois e os deu a Abimelec, e

ambos concluíram uma aliança. 28Abraão pôs à parte sete ovelhas do rebanho, 29e

Abimelec lhe perguntou: "A que servem essas sete ovelhas que puseste à parte?" 30Ele

respondeu: "É para que aceites de minha mão essas sete ovelhas, a fim de que sejam um

testemunho de que eu cavei este poço." 31Por isso se chamou este lugar Bersabéia,

porque ali ambos fizeram juramento. 32Depois que concluíram aliança em Bersabéia,

Abimelec levantou-se, com Ficol, o chefe de seu exército, e retornaram à terra dos

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

filisteus. 33Abraão plantou uma tamargueira em Bersabéia, e aí invocou o nome de

Iahweh, Deus de Eternidade. 34Abraão residiu por muito tempo na terra dos filisteus.

22 O sacrifício de Abraão — 1Depois desses acontecimentos, sucedeu que Deus pôs

Abraão à prova e lhe disse: "Abraão! Abraão!" Ele respondeu: "Eis-me aqui!" 2Deus

disse: "Toma teu filho, teu único, que amas, Isaac, e vai à terra de Moriá, e lá o

oferecerás em holocausto sobre uma montanha que eu te indicarei." 3Abraão se levantou

cedo, selou seu jumento e tomou consigo dois de seus servos e seu filho Isaac. Ele

rachou a lenha do holocausto e se pôs a caminho para o lugar que Deus havia indicado.

4No terceiro dia, Abraão, levantando os olhos, viu de longe o lugar. 5Abraão disse a seus

servos: "Permanecei aqui com o jumento. Eu e o menino iremos até lá, adoraremos e

voltaremos a vós." 6Abraão tomou a lenha do holocausto e a colocou sobre seu filho

Isaac, tendo ele mesmo tomado nas mãos o fogo e o cutelo, e foram-se os dois juntos.

7Isaac dirigiu-se a seu pai Abraão e disse: "Meu pai!" Ele respondeu: "Sim, meu filho!"

— "Eis o fogo e a lenha," retomou ele, "mas onde está o cordeiro para o holocausto?"

8Abraão respondeu: "É Deus quem proverá o cordeiro para o holocausto, meu filho", e

foram-se os dois juntos. 9Quando chegaram ao lugar que Deus lhe indicara, Abraão

construiu o altar, dispôs a lenha, depois amarrou seu filho e o colocou sobre o altar, em

cima da lenha. 10Abraão estendeu a mão e apanhou o cutelo para imolar seu filho. 11Mas

o anjo de Iahweh o chamou do céu e disse: "Abraão! Abraão!" Ele respondeu: "Eis-me

aqui!" 12O Anjo disse: "Não estendas a mão contra o menino! Não lhe faças nenhum

mal! Agora sei que temes a Deus: tu não me recusaste teu filho, teu único." 13Abraão

ergueu os olhos e viu um cordeiro, preso pelos chifres num arbusto; Abraão foi pegar o

cordeiro e o ofereceu em holocausto no lugar de seu filho. 14A este lugar Abraão deu o

nome de "Iahweh proverá", de sorte que se diz hoje: "Sobre a montanha, Iahweh

proverá." 15O Anjo de Iahweh chamou uma segunda vez a Abraão, do céu, 16dizendo:

"Juro por mim mesmo, palavra de Iahweh: porque me fizeste isso, porque não me

recusaste teu filho, teu único, 17eu te cumularei de bênçãos, eu te darei uma posteridade

tão numerosa quanto as estrelas do céu e quanto a areia que está na praia do mar, e tua

posteridade conquistará a porta de seus inimigos. 18Por tua posteridade serão

abençoadas todas as nações da terra, porque tu me obedeceste." 19Abraão voltou aos

seus servos e juntos puseram-se a caminho para Bersabéia. Abraão residiu em

Bersabéia.

A descendência de Nacor — 20Depois desses acontecimentos anunciou-se a Abraão que

Melca também dera filhos a seu irmão Nacor: 21seu primogênito Hus, Buz, seu irmão,

Camuel, pai de Aram, 22Cased, Azau, Feldas, Jedlad, Batuel 23(e Batuel gerou Rebeca).

São os oito filhos que Melca deu a Nacor, o irmão de Abraão. 24Ele tinha uma

concubina, chamada Roma, que também teve filhos: Tabé-Gaam, Taás e Maaca.

23 O túmulo dos Patriarcas — 1A duração da vida de Sara foi de cento e vinte e sete

anos, 2e ela morreu em Cariat Arbe (que é Hebron), na terra de Canaã. Abraão veio

cumprir o luto por Sara e chorá-la. 3Depois Abraão levantou-se diante de seu morto e

falou assim aos filhos de Het: 4"No meio de vós sou um estrangeiro e um residente.

Concedei-me uma posse funerária, entre vós, para que leve meu morto e o enterre." 5Os

filhos de Het deram esta resposta a Abraão: 6"Meu senhor, ouve-nos! Tu és um príncipe

de Deus entre nós; enterra teu morto na melhor de nossas sepulturas; ninguém te

recusará sua sepultura a fim de que possas enterrar teu morto." 7Abraão levantou-se e se

inclinou diante dos homens da terra, os filhos de Het, 8e assim lhes falou: "Se consentis

que eu leve meu morto e o enterre, ouvi-me e intercedei por mim junto a Efron, filho de

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

Seor, 9a fim de que ele me ceda a gruta de Macpela, que lhe pertence e que está na

extremidade de seu campo. Que ele ma dê por seu pleno valor, na vossa presença, como

posse funerária." 10Ora, Efron estava sentado entre os filhos de Het, e Efron, o heteu,

respondeu a Abraão, ouvindo-o os filhos de Het e todos os que entravam pela porta de

sua cidade: 11"Não, meu senhor, ouve-me! Eu te dou o campo e te dou também a gruta

que nele está, faço-te este dom na presença dos filhos de meu povo. Enterra teu morto."

12Abraão se inclinou diante dos homens da terra 13e assim falou a Efron, diante dos

homens da terra: "Se concordas, ouve-me, eu te peço! Darei o preço do campo, aceita-o

de mim, e lá enterrarei meu morto." 14Efron respondeu a Abraão: 15"Meu senhor, ouve-

me; uma terra de quatrocentos siclos de prata, o que é isso entre mim e ti? Enterra teu

morto." 16Abraão deu seu consentimento a Efron. Abraão pesou para Efron o dinheiro

de que falara, diante dos filhos de Het: quatrocentos siclos de prata corrente entre os

mercadores. 17Assim o campo de Efron, que está em Macpela, defronte de Mambré, o

campo e a gruta que ali está, e todas as árvores que estão no campo, em seu limite,

18passaram a ser propriedade de Abraão, diante dos filhos de Het, de todos os que

entravam pela porta de sua cidade. 19Em seguida Abraão enterrou Sara na gruta do

campo de Macpela, defronte de Mambré (que é Hebron), na terra de Canaã. 20Foi assim

que o campo e a gruta que ali está foram adquiridos por Abraão dos filhos de Het, como

posse funerária.

A Casamento de Isaac — 1Abraão era então um velho avançado em dias, e Iahweh em

tudo havia abençoado a Abraão. 2Abraão disse ao servo mais velho de sua casa, que

governava todos os seus bens: "Põe tua mão debaixo de minha coxa. 3Eu te faço jurar

por Iahweh, o Deus do céu e o Deus da terra, que não tomarás para meu filho uma

mulher entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito. 4Mas irás à minha

terra, à minha parentela, e escolherás uma mulher para meu filho Isaac."5Perguntou-lhe

o servo: "Talvez a mulher não queira me seguir aqui nesta terra; será preciso que eu

conduza teu filho para a terra de onde saíste?" 6 Abraão lhe respondeu: "Em nenhum

caso leva meu filho para lá. 7Iahweh, o Deus do céu e o Deus da terra, que me tomou de

minha terra paterna e da terra de minha parentela, que me disse e que jurou que daria

esta terra à minha descendência, Iahweh enviará seu anjo diante de ti, para que tomes lá

uma mulher para meu filho. 8Se a mulher não quiser te seguir, ficarás desobrigado do

juramento que te imponho. Em todo caso, não conduzas meu filho para lá." 9O servo

pôs a mão sob a coxa de seu senhor Abraão e jurou assim proceder. 10O servo tomou

dez camelos de seu senhor e, levando consigo de tudo o que seu senhor tinha de bom,

pôs-se a caminho para Aram Naaraim, para a cidade de Nacor. 11Ele fez ajoelhar os

camelos fora da cidade, perto do poço, à tarde, na hora em que as mulheres saem para

tirar água. 12E disse: "Iahweh, Deus de meu senhor Abraão, sê-me hoje propício e

mostra tua benevolência para com meu senhor Abraão! 13Eis que estou junto à fonte e as

filhas dos homens da cidade saem para tirar água. 14A jovem a quem eu disser: 'Inclina o

teu cântaro para que eu beba' e que responder: 'Bebe, e também a teus camelos darei de

beber,' esta será a que designaste para teu servo Isaac, e assim saberei que mostraste

benevolência para com meu senhor." 15Não havia ele acabado de falar, eis que saiu

Rebeca, filha de Batuel, filho de Melca, a mulher de Nacor, irmão de Abraão, trazendo

seu cântaro sobre o ombro. 16A jovem era muito bela; era virgem, nenhum homem dela

se aproximara. Ela desceu à fonte, encheu seu cântaro e subiu. 17O servo correu para

diante dela e disse: "Por favor, deixa-me beber um pouco da água de teu cântaro." 18Ela

respondeu: "Bebe, meu senhor", e abaixou depressa seu cântaro sobre o braço e o fez

beber. 19Quando acabou de lhe dar de beber, ela disse: "Vou dar de beber também a teus

camelos, até que fiquem saciados." 20Apressou-se em esvaziar seu cântaro no

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

bebedouro, correu ao poço para tirar água e tirou-a para todos os camelos. 21O homem a

observava em silêncio, perguntando-se se Iahweh tinha ou não levado a bom termo sua

missão. 22Quando os camelos acabaram de beber, o homem tomou um anel de ouro

pesando meio siclo, que pôs em sua narinas, e, em seus braços, dois braceletes pesando

dez siclos de ouro, 23e disse: "De quem és filha? Peço-te que mo digas. Haverá lugar na

casa de teu pai para que passemos a noite?" 24Ela respondeu: "Eu sou filha de Batuel, o

filho que Melca gerou a Nacor," 25e prosseguiu: "Em nossa casa há palha e forragem em

quantidade, e lugar para pernoitar." 26Então o homem se prostrou e adorou a Iahweh, 27e

disse: "Bendito seja Iahweh, Deus de meu senhor Abraão, que não retirou sua

benevolência e sua bondade a meu senhor. Iahweh guiou meus passos à casa do irmão

de meu senhor!" 28A jovem correu para anunciar aos da casa de sua mãe o que

acontecera. 29Ora, Rebeca tinha um irmão que se chamava Labão, e Labão correu para o

homem, na fonte. 30Pois quando viu o anel e os braceletes que trazia sua irmã, e quando

ouviu sua irmã Rebeca dizer: "Eis como este homem me falou", ele foi ao encontro do

homem e o achou ainda de pé junto aos camelos, na fonte. 31Ele lhe disse: "Vem,

bendito de Iahweh! Por que permaneces de fora, quando já preparei a casa e lugar para

os camelos?" 32O homem veio à casa e Labão descarregou os camelos, deu palha e

forragem aos camelos e, a ele e aos homens que o acompanhavam, água para lavarem os

pés. 33Quando lhe ofereceram comida, ele disse: "Não comerei antes de ter dito o que

tenho a dizer." E Labão respondeu: "Fala." 34Ele disse: "Eu sou servo de Abraão.

35Iahweh cumulou meu senhor de bênçãos e ele tornou-se muito rico: deu-lhe ovelhas e

bois, prata e ouro, servos, servas, camelos e jumentos. 36Sara, a mulher de meu senhor,

quando ele já era velho, gerou-lhe um filho, ao qual ele transmitiu todos os seus bens.

37Meu senhor me fez prestar este juramento: 'Não tomarás para meu filho uma mulher

entre as filhas dos cananeus, em cuja terra habito. 38Infeliz de ti se não fores à minha

casa paterna, à minha família, escolher uma mulher para meu filho!' 39Eu disse a meu

senhor: 'Talvez essa mulher não queira me seguir,' 40e ele me respondeu: 'Iahweh, na

presença de quem eu ando, enviará seu Anjo contigo, ele te dará êxito, e tomarás para

meu filho uma mulher de minha família, de minha casa paterna. 41Então ficarás

desobrigado da minha maldição: irás à minha família e, se eles te recusarem, estarás

livre de minha maldição.' 42Hoje cheguei à fonte e disse: 'Iahweh, Deus de meu senhor

Abraão, mostra, eu te peço, se estás disposto a levar a bom termo o caminho que

percorri: 43eis-me aqui junto à fonte; a jovem que sair para tirar água, a quem eu disser:

Por favor, dá-me de beber um pouco da água de teu cântaro, 44e que me responder:

Bebe, e tirarei água também para teus camelos, será a mulher que Iahweh destinou ao

filho de meu senhor.' 45Eu não acabara de falar comigo mesmo e eis que saiu Rebeca

com seu cântaro sobre o ombro. Ela desceu à fonte e tirou água. Eu lhe disse: 'Dá-me de

beber, por favor!' 46Ela logo abaixou seu cântaro e disse: 'Bebe; darei de beber também

a teus camelos.' Eu bebi e ela deu de beber também a meus camelos. 47Eu lhe perguntei:

'De quem és filha?,' e ela respondeu: 'Eu sou a filha de Batuel, o filho que Melca deu a

Nacor.' Então eu coloquei este anel em suas narinas e estes braceletes em seus braços,

48prosternei-me, adorei a Iahweh, bendisse a Iahweh, Deus de meu senhor Abraão, que

me conduziu por um caminho de bondade, a fim de tomar para seu filho a filha do irmão

de meu senhor.49Agora, se estais dispostos a mostrar benevolência e bondade a meu

senhor, declarai-mo; se não, declarai-mo, para que eu vá para a direita ou para a

esquerda." 50Labão e Batuel tomaram a palavra e disseram: "Isto procede de Iahweh,

não te podemos dizer nem sim e nem não. 51Eis Rebeca na tua presença; toma-a e parte,

que ela seja a mulher do filho de teu senhor, como disse Iahweh." 52Quando o servo de

Abraão ouviu essas palavras, prostrou-se por terra diante de Iahweh. 53Tirou jóias de

prata e de ouro, e vestidos, e os deu a Rebeca; fez também ricos presentes a seu irmão e

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

sua mãe. 54Comeram e beberam, ele e os homens que o acompanhavam, e passaram a

noite. De manhã, quando se levantaram, ele disse: "Deixai-me ir para o meu senhor."

55Então o irmão e a mãe de Rebeca disseram: "Que a jovem fique ainda dez dias

conosco, em seguida ela partirá." 56Mas ele lhes respondeu: "Não me detenhais, pois foi

Iahweh quem me deu êxito; deixai-me partir, a fim de que eu vá para o meu senhor."

57Eles disseram: "Chamemos a jovem e peçamos-lhe seu parecer." 58Eles chamaram

Rebeca e lhe disseram: "Queres partir com este homem?" E ela respondeu: "Quero."

59Então eles deixaram partir sua irmã Rebeca, com sua ama, o servo de Abraão e seus

homens. 60Eles abençoaram Rebeca e lhe disseram: "Tu és nossa irmã: sê tu milhares de

miríades! Que tua posteridade conquiste a porta de seus inimigos!" 61Rebeca e suas

servas se levantaram, montaram sobre os camelos e seguiram o homem. O servo tomou

Rebeca e partiu. 62Isaac voltara do poço de Laai-Roí, e habitava na terra do Negueb.

63Ora, Isaac saiu para passear no campo, ao pôr-do-sol, e, erguendo os olhos, viu que

chegavam camelos. 64E Rebeca, erguendo os olhos, viu Isaac. Ela apeou do camelo 65e

disse ao servo: "Quem é aquele homem, no campo, que vem ao nosso encontro?" O

servo respondeu: "É meu senhor." Então ela tomou seu véu e se cobriu. 66O servo

contou a Isaac todas as coisas que havia feito. 67E Isaac introduziu Rebeca em sua tenda:

ele a tomou e ela se tornou sua mulher e ele a amou. E Isaac se consolou da morte de

sua mãe.

25 A descendência de Cetura — 1Abraão tomou ainda uma mulher, que se chamava

Cetura. 2Ela lhe gerou Zamrã, Jecsã, Madã, Madiã, Jesboc e Sué — 3Jecsã gerou Sabá e

Dadã, e os filhos de Dadã foram os assurim, os latusim e os loomim. — 4Filhos de

Madiã: Efa, Ofer, Henoc, Abida, Eldaá. Todos esses são filhos de Cetura. 5Abraão deu

todos os seus bens a Isaac. 6Quanto aos filhos de suas concubinas, Abraão lhes deu

presentes e os enviou, ainda em vida, para longe de seu filho Isaac, para o leste, para a

terra do Oriente.

Morte de Abraão — 7Eis a duração da vida de Abraão: cento e setenta e cinco anos.

8Depois Abraão expirou; morreu numa velhice feliz, idoso, e foi reunido à sua parentela.

9Isaac e Ismael, seus filhos, enterraram-no na gruta de Macpela, no campo de Efron,

filho de Seor, o heteu, que está defronte de Mambré. 10É o campo que Abraão comprara

dos filhos de Het; nele foram enterrados Abraão e sua mulher Sara. 11Depois da morte

de Abraão, Deus abençoou seu filho Isaac, e Isaac habitou junto ao poço de Laai-Roí.

A descendência de Ismael — 12Eis a descendência de Ismael, o filho de Abraão, que lhe

gerou Agar, a serva egípcia de Sara. 13Eis os nomes dos filhos de Ismael, segundo seus

nomes e sua linhagem: o primogênito de Ismael, Nabaiot, depois Cedar, Adbeel,

Mabsam, 14Masma, Duma, Massa, 15Hadad, Tema, Jetur, Nafis e Cedma. 16Esses são os

filhos de Ismael e esses são os seus nomes por aduares e acampamentos: doze chefes de

clãs. 17Eis a duração da vida de Ismael: cento e trinta e sete anos. Depois ele expirou;

morreu e foi reunido à sua parentela. 18Ele habitou desde Hévila até Sur, que está a leste

do Egito, na direção da Assíria. Ele se estabeleceu defronte de todos os seus irmãos.

III. História de Isaac e de Jacó

Nascimento de Esaú e Jacó — 19Eis a história de Isaac, filho de Abraão. Abraão gerou

Isaac. 20Isaac tinha quarenta anos quando se casou com Rebeca, filha de Batuel, o

arameu de Padã-Aram, e irmã de Labão, o arameu.21Isaac implorou a Iahweh por sua

mulher, porque ela era estéril: Iahweh o ouviu e sua mulher Rebeca ficou grávida.

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

22Ora, as crianças lutavam dentro dela e ela disse: "Se é assim, para que viver?" Foi

então consultar a Iahweh, 23e Iahweh lhe disse: "Há duas nações em teu seio, dois povos

saídos de ti, se separarão, um povo dominará um povo, o mais velho servirá ao mais

novo." 24Quando chegou o tempo de dar à luz, eis que ela trazia gêmeos. 25Saiu o

primeiro: era ruivo e peludo como um manto de pêlos; foi chamado de Esaú. 26Em

seguida saiu seu irmão, e sua mão segurava o calcanhar de Esaú; foi chamado de Jacó.

Isaac tinha sessenta anos quando eles nasceram. 27Os meninos cresceram: Esaú tornou-

se um hábil caçador, correndo a estepe; Jacó era um homem tranqüilo, morando sob

tendas. 28Isaac preferia Esaú, porque apreciava a caça, mas Rebeca preferia Jacó.

Esaú cede seu direito de primogenitura — 29Certa vez, Jacó preparou um cozido e

Esaú voltou do campo, esgotado. 30Esaú disse a Jacó: "Deixa-me comer dessa coisa

ruiva, pois estou esgotado." — É por isso que ele foi chamado de Edom. — 31Jacó disse:

"Vende-me primeiro teu direito de primogenitura." 32Esaú respondeu: "Eis que eu vou

morrer, de que me servirá o direito de primogenitura?" 33Jacó retomou: "Jura-me

primeiro." Ele lhe jurou e vendeu seu direito de primogenitura a Jacó. 34Então Jacó lhe

deu pão e o cozido de lentilhas; ele comeu e bebeu, levantou-se e partiu. Assim

desprezou Esaú o direito de primogenitura.

26 Isaac em Gerara — 1Houve uma fome na terra — além da primeira fome que teve

lugar no tempo de Abraão — e Isaac foi a Gerara, junto a Abimelec, rei dos filisteus.

2Iahweh lhe apareceu e disse: "Não desças ao Egito; fica na terra que eu te disser.

3Habita nesta terra, eu estarei contigo e te abençoarei. Porque é a ti e à tua raça que eu

darei todas estas terras e manterei o juramento que fiz a teu pai Abraão. 4Eu farei a tua

posteridade numerosa como as estrelas do céu, eu lhe darei todas estas terras, e por tua

posteridade serão abençoadas todas as nações da terra, 5porque Abraão me obedeceu,

guardou meus preceitos, meus mandamentos, minhas regras e minhas leis." 6Isaac, pois,

ficou em Gerara. 7Os homens do lugar interrogaram-no sobre sua mulher e ele

respondeu: "É minha irmã." Ele teve medo de dizer: "Minha mulher," pensando: "Os

homens do lugar me matarão por causa de Rebeca, pois ela é bonita". 8Ele estava lá há

muito tempo quando Abimelec, rei dos filisteus, olhando uma vez pela janela, viu que

Isaac acariciava Rebeca, sua mulher. 9Abimelec chamou Isaac e disse: "É evidente que é

tua mulher! Como pudeste dizer: 'É minha irmã'?" Isaac lhe respondeu: "Pensei comigo:

corro o risco de morrer por causa dela." 10Retomou Abimelec: "Que nos fizeste? Por

pouco alguém do povo dormia com tua mulher e tu nos atrairias uma falta!" 11Então

Abimelec deu esta ordem a todo o povo: "Quem tocar neste homem e na sua mulher,

morrerá." 12Isaac semeou naquela terra e, naquele ano, colheu o cêntuplo. Iahweh o

abençoou 13e o homem se enriqueceu, enriqueceu-se cada vez mais, até tornar-se

extremamente rico. 14Ele tinha rebanhos de bois e ovelhas e numerosos servos. Por

causa disso os filisteus ficaram invejosos.

Os poços entre Gerara e Bersabéia — 15Todos os poços que os servos de seu pai

haviam cavado, — do tempo de seu pai Abraão, — os filisteus os haviam entulhado e

coberto de terra. 16Abimelec disse a Isaac: "Vai-te daqui, pois te tornaste muito mais

poderoso do que nós." 17Isaac partiu, pois, de lá e acampou no vale de Gerara, onde se

estabeleceu. 18Isaac cavou de novo os poços que tinham cavado os servos de seu pai

Abraão e que os filisteus tinham entulhado depois da morte de Abraão, e lhes deu os

mesmos nomes que seu pai lhes dera. 19Os servos de Isaac cavaram no vale e

encontraram lá um poço de águas vivas. 20Mas os pastores de Gerara entraram em

disputa com os pastores de Isaac, dizendo: "A água é nossa!" Isaac chamou a este poço

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

de Esec, pois querelaram por causa dele. 21Cavaram outro poço e houve ainda uma

disputa a seu respeito; ele o chamou de Sitna. 22Então partiu de lá e cavou outro poço; e

como por esse não disputaram, chamou-o de Reobot e disse: "Agora Iahweh nos deu o

campo livre para que prosperemos na terra." 23De lá ele subiu a Bersabéia. 24Iahweh lhe

apareceu naquela noite e disse: "Eu sou o Deus de teu pai Abraão. Nada temas, pois

estou contigo. Eu te abençoarei, multiplicarei tua posteridade em consideração a meu

servo Abraão." 25Ali ele construiu um altar e invocou o nome de Iahweh. Ali ele armou

sua tenda. Os servos de Isaac cavaram um poço.

Aliança com Abimelec — 26Veio vê-lo Abimelec de Gerara, com Ocozat, seu

conselheiro, e Ficol, o chefe de seu exército. 27Isaac lhes disse: "Por que vindes a mim,

já que me odiais e me expulsastes do vosso meio?" 28Eles responderam: "Vimos com

clareza que Iahweh estava contigo e dissemos: Que haja um juramento entre nós e ti e

concluamos uma aliança contigo: 29jura que não nos farás nenhum mal, como também

nós não te molestamos e te deixamos partir em paz. Agora, és um abençoado de

Iahweh." 30Ele lhes preparou uma festa, e comeram e beberam. 31Levantando-se de

madrugada, fizeram um juramento mútuo. Depois Isaac os despediu e eles o deixaram

em paz. 32Ora, foi naquele dia que os servos de Isaac lhe trouxeram notícias do poço que

cavaram, dizendo: "Encontramos água!" 33Chamou ao poço Seba, donde o nome da

cidade Bersabéia, até hoje.

As mulheres hetéias de Esaú — 34Quando Esaú completou quarenta anos, tomou como

mulheres Judite, filha de Beeri, o heteu, e Basemat, filha de Elon, o heteu. 35Elas se

tornaram uma amargura para Isaac e Rebeca.

27 Jacó intercepta a bênção de Isaac — 1Isaac tornou-se velho e seus olhos se

enfraqueceram a ponto de não mais enxergar. Ele chamou seu filho mais velho, Esaú:

"Meu filho!", disse-lhe, e este respondeu: "Sim!" 2Ele retomou: "Vês, estou velho e não

conheço o dia de minha morte. 3Agora, toma tuas armas, tua aljava e teu arco, sai ao

campo e apanha-me uma caça. 4Faze-me um bom prato, como eu gosto e traze-mo, a

fim de que eu coma e minha alma te abençoe antes que eu morra." — 5Ora, Rebeca

ouvia enquanto Isaac falava com seu filho Esaú. — Esaú foi, pois, ao campo apanhar

uma caça para seu pai. 6Rebeca disse a seu filho Jacó: "Ouvi teu pai dizer a teu irmão

Esaú: 7'Traze-me uma caça e faze-me um bom prato, eu comerei e te abençoarei diante

de Iahweh antes de morrer.' 8Agora, ouve-me e faze como te ordeno. 9Vai ao rebanho e

traze-me de lá dois belos cabritos, e prepararei para teu pai um bom prato, como ele

gosta. 10Tu o apresentarás a teu pai e ele comerá, a fim de que te abençoe antes de

morrer." 11Jacó disse à sua mãe Rebeca: "Vê: meu irmão Esaú é peludo, e eu tenho a

pele muito lisa. 12Talvez meu pai me apalpe: verá que zombei dele e atrairei sobre mim

a maldição em lugar da bênção." 13Mas sua mãe lhe respondeu: "Caia sobre mim tua

maldição, meu filho! Obedece-me, vai e traze-me os cabritos." 14Ele foi buscá-los e os

trouxe para a sua mãe que preparou um bom prato, a gosto de seu pai. 15Rebeca tomou

as mais belas roupas de Esaú, seu filho mais velho, que tinha em casa, e com elas

revestiu Jacó, seu filho mais novo. 16Com a pele dos cabritos ela lhe cobriu os braços e a

parte lisa do pescoço. 17Depois colocou o prato e o pão que preparara nas mãos de seu

filho Jacó. 18Jacó foi a seu pai e disse: "Meu pai!" Este respondeu: "Sim! Quem és tu,

meu filho?" 19Jacó disse a seu pai: "Sou Esaú, teu primogênito; fiz o que me ordenaste.

Levanta-te, por favor, assenta-te e come de minha caça, a fim de que tua alma me

abençoe." 20Isaac disse a Jacó: "Como a encontraste depressa, meu filho!" E ele

respondeu: "É que Iahweh teu Deus me foi propício." 21Isaac disse a Jacó: "Aproxima-

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

te, pois, para que te apalpe, meu filho, para saber se és ou não o meu filho Esaú." 22Jacó

aproximou-se de seu pai Isaac, que o apalpou e disse: "A voz é a de Jacó, mas os braços

são os de Esaú!" 23Ele não o reconheceu porque seus braços estavam peludos como os

de Esaú, seu irmão, e ele o abençoou. 24Disse: "Tu és meu filho Esaú?" E o outro

respondeu: "Sim." 25Isaac retomou: "Serve-me e que eu coma da caça de meu filho, a

fim de que minha alma te abençoe." Ele o serviu e Isaac comeu, apresentou-lhe vinho e

ele bebeu. 26Seu pai Isaac lhe disse: "Aproxima-te e beija-me, meu filho!" 27Ele se

aproximou e beijou o pai, que respirou o odor de suas roupas. Ele o abençoou assim:

"Sim, o odor de meu filho é como o odor de um campo fértil que Iahweh abençoou.

28Que Deus te dê o orvalho do céu e as gorduras da terra, trigo e vinho em abundância!

29Que os povos te sirvam, que nações se prostrem diante de ti! Sê um senhor para teus

irmãos, que se prostrem diante de ti os filhos de tua mãe! Maldito seja quem te

amaldiçoar! Bendito seja quem te abençoar!" 30Isaac tinha acabado de abençoar a Jacó e

Jacó acabava de sair de junto de seu pai Isaac, quando seu irmão Esaú voltou da caça.

31Também ele preparou um bom prato e o trouxe a seu pai. Ele lhe disse: "Que meu pai

se levante e coma da caça de seu filho, a fim de que tua alma me abençoe!" 32Seu pai

Isaac lhe perguntou: "Quem és tu?" — "Sou teu filho primogênito, Esaú," respondeu

ele. 33Então Isaac estremeceu com grande emoção e disse: "Quem é, pois, aquele que

apanhou a caça e ma trouxe? Confiando, eu comi antes que tu viesses e o abençoei, e ele

ficará abençoado!" 34Quando Esaú ouviu as palavras de seu pai, gritou com muita força

e amargor e disse ao pai: "Abençoa-me também, meu pai!" 35Mas este respondeu: "Teu

irmão veio com astúcia e tomou tua bênção." 36Esaú retomou: "Com razão se chama

Jacó: é a segunda vez que me enganou. Ele tomou meu direito de primogenitura e eis

que agora tomou minha bênção!" Mas, acrescentou, "não reservaste nenhuma bênção

para mim?" 37Isaac, tomando a palavra, respondeu a Esaú: "Eu o estabeleci teu senhor,

dei-lhe todos os seus irmãos como servos e o provi de trigo e de vinho. Que poderia eu

fazer por ti, meu filho?" 38Esaú disse a seu pai: "É, pois, tua única bênção, meu pai?

Abençoa-me também, meu pai!" Isaac ficou silencioso e Esaú se pôs a chorar. 39Então

seu pai Isaac tomou a palavra e disse: "Longe das gorduras da terra será tua morada,

longe do orvalho que cai do céu. 40Tu viverás de tua espada, servirás a teu irmão. Mas,

quando te libertares, sacudirás seu jugo de tua cerviz." 41Esaú passou a odiar a Jacó por

causa da bênção que seu pai lhe dera, e disse consigo mesmo: "Estão próximos os dias

de luto de meu pai. Então matarei meu irmão Jacó." 42Quando foram relatadas a Rebeca

as palavras de Esaú, seu filho mais velho, ela chamou Jacó, seu filho mais novo, e lhe

disse: "Teu irmão Esaú quer vingar-se de ti, matando-te. 43Agora, meu filho, ouve-me:

parte, foge para junto de meu irmão Labão, em Harã. 44Habitarás com ele algum tempo,

até que se passe o furor de teu irmão, 45até que a cólera de teu irmão se desvie de ti e

esqueça o que lhe fizeste; então te mandarei buscar. Por que vos perderia os dois num só

dia?"

Isaac envia Jacó a Labão — 46Rebeca disse a Isaac: "Estou aborrecida com a vida por

causa das filhas de Het. Se Jacó se casar com uma das filhas de Het, como estas, uma

das jovens da terra, que me importa a vida?" 28 1Isaac chamou Jacó, abençoou-o e lhe

deu esta ordem: "Não tomes uma mulher entre as filhas de Canaã. 2Levanta-te, vai a

Padã-Aram, à casa de Batuel, o pai de tua mãe, e escolhe uma mulher de lá, entre as

filhas de Labão, o irmão de tua mãe. 3Que El Shaddai te abençoe, que ele te faça

frutificar e multiplicar, a fim de que te tornes uma assembléia de povos. 4Que ele te

conceda, bem como à tua descendência, a bênção de Abraão, a fim de que possuas a

terra em que vives e que Deus deu a Abraão." 5Isaac despediu a Jacó e este partiu para

www.tifsa.com.br

A Bíblia de Jerusalém

Padã-Aram, para a casa de Labão, filho de Batuel, o arameu, e irmão de Rebeca, a mãe

de Jacó e Esaú.

Outro casamento de Esaú — 6Esaú viu que Isaac tinha abençoado a Jacó e o tinha

enviado a Padã-Aram para lá tomar mulher, e abençoando-o, lhe dera esta ordem: "Não

tomes uma mulher entre as filhas de Canaã." 7E Jacó obedecera a seu pai e sua mãe e

partira para Padã-Aram. 8Esaú soube que as filhas de Canaã eram malvistas por seu pai

Isaac; 9foi à casa de Ismael e tomou como mulher — além das que possuía — Maelet,

filha de Ismael, filho de Abraão, e irmã de Nabaiot.

O sonho de Jacó— 10Jacó deixou Bersabéia e partiu para Harã. 11Coincidiu de ele

chegar a certo lugar e nele passar a noite, pois o sol havia-se posto. Tomou uma das

pedras do lugar, colocou-a sob a cabeça e dormiu nesse lugar. 12Teve um sonho: Eis que

uma escada se erguia sobre a terra e o seu topo atingia o céu, e anjos de Deus subiam e

desciam por ela! 13Eis que Iahweh estava de pé diante dele e lhe disse: "Eu sou Iahweh,