Cantigas; Covilheira velha, se vos fezesse por Afonso Eanes de Coton - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.
Covilheira velha, se vos fezesse

Afonso Eanes de Coton

Cancioneiro da Biblioteca Nacional 1587, Cancioneiro da Vaticana 1119

Covilheira velha, se vos fezesse

grand'escarnho, dereito i faria,

ca me buscades vós mal cada día;

e direi-vos en que vo-l'entendí:

ca nunca velha fududancua vi

que me non buscasse mal, se podesse.

E non ést'ũa velha nen son dúas,

mais son vel cent'as que m'andan buscando

mal quanto poden e m'andan miscrando;

e por esto rogu'eu de coraçón

a Deus que nunca meta se mal non

antre min e velhas fududancúas.

E pero lança de morte me feira,

covilheira velha, se vós fazedes

nen un torto se me gran mal queredes;

ca Deus me tolha o corp'e quant'hei,

se eu velha fududancúa sei

hoje no mundo a que gran mal non queira.

E se me gran mal queredes, covilheira

velha, digu'eu que fazedes razón,

ca vos quer'eu gran mal de coraçón,

covilheira velha; e sabed'or'al:

des que fui nado, quig'eu sempre mal

a velha fududancua peideira.

Você pode estar interessado...