VIP Membership

Carne Viva por Paulo Vitor Grossi - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.
Se a epifania não é só um molde guardado, então o que lerão

tem sua alegoria.

carne viva

SEGUNDA EDIÇÃO PRIVADA

(SEM TER SIDO REVISADA...

E NEM VAI SER, FOI NAS COXAS)

texto integral

carne viva

( texto integral)

canta a notícia, Sapo Nhenhenhén: imoralimoralimoralimoralimoralimoralimoral! ! é. . é

um livro sim!. . vai numa talagada, vai, vai, vai

NOTA (ANTES DE TUDO ISSO COMEÇAR)

Pode-se dizer que este poderia também se chamar “perniciosidade manca

do pária Unhéco”, “a arte de não fazer nada. .”, “índio disfarçado”, de

Unhéco.

Tchau, tabu! Factual, clímax, carne viva

PREFÁCIO

Eu tava muito excitado quando imaginei ousar no carne viva e, digamos,

é. . que também havia lido há um tempo um monte de sacanagens duns

autores que cês logo saberão quais ao passarem os olhos nestas paragens.

LOGO DEPOIS, PREFÁCIO

Peço desculpas, antes de tudo isso começar realmente, por coisas que

nem mesmo eu compreendo ao escrever, levem na esportiva – não me

fidelizei(o) a nenhum estilo, flertando sim direto com qualquer porra de

merda, devem perceber logo que cometo falhas estúpidas, por causa

duma má educação; mas aqui cês não lerão crônicas, sonetos, velharias. .

Tudo o que foi feito já foi feito, acredito não ter acrescentado nada, ainda

que acredite tá desenvolvendo um algo próprio. Tenham paciência e não

relevem palavras, frases ou histórias inteiras estranhas aos seus olhos e

culturas; passo o lado ruim e engraçado do Humano, tudo junto

embolado, prazer por prazer. Sou criança, gaiato, um viajante, prazer,

sexo, eu, o Falo; todos devemos ser; Liberdade. Ao final de contas, “de

que adianta viver só pra morrer? Eu quero é diversão, loucura,

libertinagem, fudelança, essas coisas”.

A culpa num me castra, num me é nada de medo; repressão é pura

hipocrisia, isso já é sabido, entretanto ainda não adotado, e nada é

inconfessável; o curioso excitado, a volúpia tensa; gostos diversos na

prática grupal e o amor mundano. É o trabalho da minha vida que está

aqui, nada de procriação e final feliz, eu não sei como uma pessoa pode

desmerecer ou chamar de inútil esse tipo de arte. .

E dedico, especialmente, este livro e suas histórias à Maria Joana,

prostituta e amiga de bar. E agradeço, depois de muito dar risada, a

Rodrigo Abud, pela ajuda, inconsciente, com o vocabulário e

expressões muito aqui empregados.

Obrigado

e até.

Unhéco

ah, já ia me esquecendo: este livreto não está inserido na Nova

Ortografia Oficial dos Países de Língua Portuguesa devido à época em

que foi feito e à vanguarda/rebeldia/incapacidade extraordinária do

autor. . sô um jumento, no sentido BURRO da palavra, sabe, heheh. e até

que é interessante, vô tomá isso como uma característica. eu vô te

emprestar um exemplar do "Eu e outras poesias" de 19&28 e uma xerox

rara do “Catatau”, mas vê se devolve, pô!

Índice Indecente:

PARTE I: ruído branco, A INTERRUPÇÃO (2007)......................................................................xxx PARTE II: NÃO CONSIGO PARAR DE ESCREVER (ÚLTIMO LIVRO DE 2006, QUANDO

TENTEI PARAR COM ESSA PALHAÇADA... SÓ TERMINEI ESTE CAPÍTULO NO INÍCIO DE

2009, POUCO ANTES DE PUBLICAR O “CARNE VIVA”).........................................................xxx

PARTE III: JULIA SEM SUBTÍTULOS (2004-

2007)..................................................................................xxx

“Eu devo muito deste livro a H.H., M.S. & C.B., respectivamente”

“Depois p/ P., P.G. & V.”

(Histórinha Escotérica Chilena (+)

Pau d’Alho era um rei muito feliz porque tinha duas cabeças. Dava

tempo pra pensar duas vezes mais em seu povo. O povo sabia das

qualidades raras do rei Pau d’Alho e adorava-o. Ele era rei da Alhanda.

Mas um dia o mago da corte disse ao rei: a bruxa Ciá quer cortar as duas

cabeças de Vossa Alteza. Todo o povo rezou rezou mas não adiantou. E o

rei Pau d’Alho morreu com duas cabeças e tudo. Moral da história

segundo um cara quente: “A perfeição é a morte”.

(+) Tio Lalau: os tios que vinham aqui em casa conversavam muito

sobre esse lugar chileno.

Lori Lamby

O CADERNO ROSA DE LORI LAMBY, por HILDA HILST)

“Tudo o que contraria a natureza tá fora de moda / Uma linda mulher só

se deve ocupar em foder e nunca gerar / [. .] a caridade é a pior das

hipocrisias, acostuma o pobre a um socorro que lhe mata a energia; não

trabalha mais, à espera da esmola, e quando esta lhe falta, torna-se ladrão

ou assassino / Aproveite o melhor tempo da vida, são tão curtos os anos

felizes da juventude! Quem não os perde, colhe as mais deliciosas

recordações, que bastam para preencher e divertir a velhice! Quem perde

a mocidade nunca se consolará; remorso, e pesares inúteis consumir-

lhes-ão a velhice, juntar-se-ão aos achaques e o funesto aproximar de

féretro será precedido de lágrimas. Tenha a loucura de imortalidade,

cultivada / É desprezando a opinião do homens que cê permanecerá na

lembrança deles / [. .] é absolutamente impossível responder pela virtude

duma mulher. Mesmo a que foi puríssima durante dez anos, pode mudar

num só instante / O mal é a descoberta e não a coisa em si / [. .] sem

deixar de foder com quem bem nos parecer, pois não nascemos para

outro fim; é a lei da natureza / A mulher que ama é uma infeliz / [. .] a

extinção total da raça humana seria um serviço prestado à natureza / Já

vi donzelas mais jovens que cê agüentarem picas maiores ainda. Com

coragem e paciência todos os obstáculos são vencidos. É loucura

imaginar que se deve tirar o cabaço com membros pequenos; pelo

contrário: penso que uma virgem deve entregar-se a uma pica possante e

grossa, assim a membrana do hímen é rasgada de uma só vez, e a

sensação de prazer virá mais depressa. É verdade que, uma vez

conhecendo as grandes, ela não se contentará com as pequenas, mas se

uma mulher é bela, rica e jovem, sempre achará uma, do tamanho que

lhe apetecer. Quando forem pequenas, deve sempre metê-las no cú /

Vamos nos divertir: que seria a vida sem a luxúria? Venha, tolinho / A

serpente vai lançar seu veneno / A masturbação é agradável porque a

mão que nela coopera pode se tornar mais apertada do que todos os

orifícios naturais / Veja, meu amor, veja tudo quanto consigo fazer ao

mesmo tempo: escândalo, sedução, mau exemplo, incesto, adultério e

sodomia! Ó, Lúcifer, único deus que adoro, inspira-me algo mais, oferece

a meu coração novos vícios e verá como neles mergulharei encantada! /

Inundam-me, amigos, inundem essa puta! Lancem-me as ondas dessa

espumante porra até o fundo de minha alma abrasada, que só existe para

receber porra e mais porra / [. .] um homem se transforma num monstro

digno de perder a vida somente porque prefere em seu prazer o orifício

de um cú ao de uma buceta? / E a final? Por que a natureza o teria feito

sensível a este prazer? / Estes últimos laços foram os frutos do medo que

tiveram os pais de se verem abandonados na velhice, e os cuidados

interesseiros que nos dispensam durante nossa infância só nos

proporcionam para merecer depois as nossas atenções, na velhice / O que

é o amor? Só podemos considerá-lo como o efeito que causam as

qualidades de um belo objeto sobre nós; estes efeitos nos transportam,

nos inflamam. Se possuímos esse objeto, ei-nos contentos; se nos é

impossível consegui-lo nos desesperamos. Mas qual é a base deste

sentimento? O desejo. Quais são as conseqüências deste sentimento? A

loucura. Firmemo-nos pois no motivo e livremo-nos do efeitos. O

motivo é possuir o objeto? Pois bem, procuremos consegui-lo, mas com

sabedoria. Se o obtemos, gozamos dele. Consolemo-nos, caso contrário,

mil outro objetos semelhantes, e muitas vezes melhores, nos consolarão

da perda. Todos os homens, todas as mulheres se assemelham, e não

existe amor que resista aos efeitos de uma sã reflexão. Oh como é falta

esta embriaguez que, absorvendo os resultados das sensações, mete-nos

num tal estado que nós não enxergamos mais, que não existimos mais

senão para este objeto loucamente adorado! É isto, viver? / Fodam,

multipliquem-se e troquem constantemente de parceiro / Conservemos

nossos amigos enquanto nos servem, esquecemo-los desde que não

possamos tirar proveito deles. É só pensando no próprio bem que

devemos amar aos outros; amá-los por eles mesmos não passa de

estupidez / Há doze anos que me casei, e já fui possuída por mais de doze

mil homens. . e na sociedade passo por santa. Outra qualquer que tenha

amantes tá perdida no segundo ano” (A FILOSOFIA NA ALCOVA) /

“[. .] mas chorava, recurso comum das mulheres fracas (. .)” (A PUDICA

OU O ENCONTRO IMPREVISTO) / “(.. ) o salzinho do adultério

valoriza não raro o prazer” (COMO DE SI MESMO OU A

CONSILIAÇÃO INESPERADA) / “(. .) mergulhará melhor neste oceano

de prazeres, onde o homem acha com tantas doçuras o consolo de

existir.. ” “Da descoberta à vingança vai rápido um espírito ciumento” (A

CASTELÃ DE LONGEVILLE OU A MULHER VINGADA) (Todos por

Marquês de Sade)

CHARLES BUKOWSKI (FABULÁRIO GERAL

DO DELÍRIO COTIDIANO)

“OS RICOS COMPREENDEM; SÓ NÃO TOMAM NENHUMA

PROVIDÊNCIA”

“ENTRE MILHÕES E MILHÕES DE MULHERES, DE VEZ EM

QUANDO SE VÊ UMA QUE ENCHE AS MEDIDAS DA GENTE. HÁ

QUALQUER COISA NO FORMATO DO CORPO, NO JEITO DO

CONJUNTO, UMA DETERMINADA ROUPA QUE ESTÃO USANDO

NAQUELE MOMENTO, UMA COISA, ENFIM, QUE IMPEDE O

SUJEITO DE SE CONTROLAR”

“LITERATURA É QUE NEM MULHER: QUANDO NÃO PRESTA,

NEM VALE A PENA PERDER TEMPO”

“MAS COMO É BURRA, PENSEI. QUANTOS HOMENS SERÁ QUE JÁ

NÃO MATOU?”

“2 GAROTÕES DE VINTE E DOIS ANOS, ARMADOS DE PISTOLA E

PORRETE, TRANSFORMADOS EM ÁRBITROS SUMÁRIOS DE 20

SÉCULOS DE CRISTIANISMO IDIOTA, HOMOSSEXUAL E SÁDICO”

“O QUE PARA UM HOMEM É BUCETA, PRA OUTRO É

MASTURBAÇÃO”

CHARLES BUKOWSKI (CRÔNICA DE UM

AMOR LOUCO)

“QUANDO GOZEI NÃO FOI IGUAL À TREPADA COM JEANIE – UM

ORGASMO LONGO E TRÊMULO – FOI SÓ UM PLOFT, PLOFT E

MAIS NADA. SAÍ DE CIMA DELA E, ANTES QUE PUDESSE CHEGAR

DE NOVO NA MINHA POUTRONA, RECOMEÇOU A RONCAR.

ASSOMBROSO – FODIA COM A MESMA NATURALIDADE COM

QUE RESPIRAVA – COMO SE NÃO FOSSE NADA. NENHUMA

MULHER FODE DO MESMO JEITO QUE OUTRA, E É ISSO QUE

MANTÉM O INTERESSE DO HOMEM, CONTRIBUINDO PARA ELE

CAIR NA ARMADILHA”

“O QUE SIGNIFICAVA O CASAMENTO? APENAS UMA FODA

SANTIFICADA E TODA FODA SANTIFICADA, SEMPRE, EM

ÚLTIMA ANÁLISE, ACABA, INFALIVELMENTE, FICANDO CHATA,

SE TRANSFORMANDO EM OBRIGAÇÃO. MAS É ISSO MESMO QUE

O MUNDO QUER: ALGUM POBRE FILHO DA PUTA,

ENCURRALADO E INFELIZ, COM UMA OBRIGAÇÃO A CUMPRIR.

ORA, QUE MERDA”

PETRÔNIO (SATÍRICON)

“Oh! Bebi como um tácio, de modo que não sei mais o que pronuncio” /

“Quem confia no acaso do mar, amontoa lucro imenso;

Quem segue as armas e a guerra, pode cingir-se de ouro;

O adulador barato deleita-se ébrio em leito púrpura;

O devasso ganha dinheiro com o adultério.

Só a eloqüência treme esfarrapada no inverno,

E, desvalida, invoca as artes desprezadas” / “– De onde te vem essa

mania? Estamos juntos há apenas duas horas e, em vez de falar-me como

todo mundo, tem dito apenas versos. Não me admira que o povo te corra

a pedradas. Vou fazer também uma provisão de calhaus e, toda vez que

tiveres um acesso desses, eu te quebrarei a cabeça” / “Há mulheres a

quem o odor dos farrapos incendia. Nada excita tanto sua paixão quanto

a visão de um escravo ou de um criado de vestes levantadas” / “Mais

mole que a haste de um repolho,

e também rápido,

De forma que o que eu poderia, atingir,

não mais podia,

Porque ele se escondia em mil pregas,

temendo passar pelo gélido frio de inverno” / “Os animais deixam-se

seduzir pela atração do alimento, e os homens pela atração da esperança”

paul gauguin (antes e depois) “infelizmente, o diabo às vezes se mete

onde não é chamado [. .]” “poderia dispensar a escrita, mas também por

que não escreveria? sem outra finalidade senão a de me divertir” “as

vampiras não gostam que as larguemos” “o pássaro, a cada noivado, perde

um monte de peninhas que voltam a crescer sem que percebamos”

no primário a professora me botava medo:

"agora todos vamos fazer um poeminha bem bonito"

MEUDDEUSDOCÉU!COMOSEFAZESSETROÇO???

a tragédia é necesseçaria

saquinho do menininho balançando e ele dando risada

VOCÊ ENTENDE ISSO, MEU AMOR?

NUM ME LEVA À SÉRIO, FOFA, HEHEH, POR FAVOR

PARTE I. ruído branco,

A INTERRUPÇÃO

(chiado incoerente, mas nada de paz, nada de rosas, além de relaxante ao

sono, e por conter sons de todas as freqüências, ou algo como branco aos

olhos humanos, fora do ar, eu amo minha solícita, sem camisinha, nu

pêlo, biograficamente)

. .REFUGOS

Qual é a minha voz? O que eu fiz? Eu sou uma criança num Templo

Infinito. Bom dia! A primeira bimbada do deus menino. Bom dia, eu sou

a criança,

Na hora de se fuder

Larguei em casa minha segurança

Eu sou Traduttore, traditore

+

+

“E o rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo quanto lhe agradou, e o que

lhe pediu, além do que ela mesma trouxera ao rei. Assim voltou e foi

para sua terra, ela e os seus servos”

(II Crôn 9.12)

TEM COISAS QUE FORAM FEITAS PRA SEREM RESTRITAS. .

e muitas outras que nunca conseguirei chegar perto de expressar com

minhas palavras tortas & pororoca. .

(11 até 15.01.07)

1

isto não é o melhor,

e nem é pra tanto

o que tá sendo feito

é pra iniciar

gambiarra

algo que sei não ter fim

(nada de vagões de trem ou viagens a um Canadá longínquo da minha

realidade)

e muitas coisas outras

nunca chegarei perto de expressar

praí inseto

com estas palavras tortas. . sabe,

o afobado come cru

a farofa do amor

o cemitério do amor

o estrume conjugal

a trigonometria

que se transmutou em namoro:

esfolada pelo relacionamento

eu, vândalo alucinado

jovens & bobos

algo que sei não ter fim

algo que sei não ter fim

algo que sei não ter fim

(apenas pra novamente perambular)

(é muito sol no quengo, parceiro)

2

quem me fez,

como sei o que é?

não é sol, mar,

menos "abre a janela". .

aqui dentro é um

poema tatú difícil.

alguma "ela" teria dito:

eu entendo,

mas volta pra cá hoje porque receberei uns amigos.

eu, Quem, digo:

já esqueceu?

um cômodo de casa

é como "eu fiz sozinho"

quanto escarro doce reunido!

café, almoço, café, janta, lanche,

Fiz cocô quando tava resfriado. .

Como criar algo a partir do vazio?

Espera, por favor.

3

acorda pra mais uma manhã.

viralata tapado leva cano

o orgulho feminino não agüenta rejeição.

mostra um corpo nu pela bizarrice.

o cérebro pulsa depois do sono do gato.

festa longa & ecológica.

o saldo é um cansaço.

Somos copiões. .

acorda pra mais uma manhã!!!

somos bandas sazonais, amigos sazonais, namorados ocupados demais. .

um tributo ao Caralho e à deusa Xana!!!

4 (30.01.07)

ai, ai, ai,

doces dêjá vis errados em itálico,

cês são esta semana,

o lugar pra ir não mais.

incríveis gravações em pedra

fotocas da ex

(sem meu incremento semiótico

prisão de ventre pra disfarçar)

mensagens subliminares pras novas

hummmm

porra no papel higiênico não é resfriado – como o cachorro sarnento que

deixa seu rastro de mijo por onde passou. .

de volta ao cinema Alone e caminhadas em 0

eu sou um novo solteiro

quero a maturidade, enfim. mas é cedo, amorzinho?

i am freedom man!

+

+

RECLUSO NO ESTÚDIO DE ENSAIOS/ NÃO MAIS ENCOSTADO NO

MEU AMOR À VAREJO

(1) Até quando vai durar?/ Faltou colaboração! ! (19.01.07)

Vai sair assim, assado,

sem revisar

mas é porque não

tive bom ensino

e sobrou preguiça

e-book di grátis!!!

aí eu digo:

é bonito feio,

repetindo eu mesmo,

ela vai me largar

ideais de vida-de-telas, eu

idealista biografista

ela mercadológica

foi mal, eu sou lerdo

num existe cirrose,

eu vou morrer pra

viver, dentro desta frase batida,

arrastada

buceta, livros, eu!

frio na barriga

cada um prum lado

publicação!!!

num acredito em concursos literários

Eu somos nojento de ver-nos!!!

(2) Quando eu vou conseguir gozar na tua cara e comer teu cú?

Quem me fez,

como sei o que é?

por exemplo,

os """tupinambás"""???

não é sol, (não é) mar,

menos “abre a janela”. .

aqui dentro hospício é um

poema difícil empatafoda.

Alguma “ela” teria dito: eu entendo, mas

volta pra cá, minha balaperdidazinha!

eu, quem, digo:

já esqueceu???

um cômodo de casa

é como

“eu fiz sozinho”

café, almoço, café, janta, lanche

que se dane, eu sou fumante

e daí? Me pára, fofinha

Vamos transar friamente, ou cê vai ficar parada aí sem saber que

obedece? Eu devia ter te espancado,

rodando bolsinha

(3) Leu-se Niétixqui

acorda pra mais

uma manhã, Humilde

o orgulho feminino não agüenta rejeição,

rima com proteção, vacilão & gonorréia

e o que elas querem

mostrar “corpo tu” pela bizarrice

é o que elas querem

– até a hora de enfeiarem,

depois de tanto peidar pelo amor.

o cérebro pulsa – pedi pra ela escrever o nome do autor

depois do cochilo do gato e da mulé chata

uma festa longa de gente feia grosseirona

EU TÔ FICANDO MALUCO, HEIM. TÔ DE SACO CHEIO! DESSA

ENCHEÇÃO DE SACO.

o saldo é um marasmo, sebo tardio no pau

Acorda pra mais uma manhã!!!

Amanhã nos veremos sorrateiramente

pra mais uma desculpa esfarrapada?

gemini

(4) Remelas (21.01.07 até 01.02.07)

Pra quê eu quero?

Disse que eu tou

Digo que tenho o tempo todo

Porém, era pra distrair:

Ela traiu ontem,

Eu traí meses atrás

Beata??? Santinho?

Um passeio pelo bairro

Acalmai-vos, ó pregadores! É a gandaia do futuro conhecido. .

Mas, por agora?

Distância pelo espaço ralo, aulas

Esclarecimento

Grande alívio próstatico

pois houve falha humana nesse troço!

Mais remelas em nós dois, querida???

+++

e depois dum período 2, só sobrou a cisma

aí a separação de salivas foi fácil, aos novos amigos

que baixo você é, Paulo!

pólos diferentes dizem:

divirta-se!

+

+

PUBLIQUE SEU LIVRO NUM ESTÚDIO DE GRAVAÇÃO (OU “EU RIO

COMIGO

MESMO!”)

Idealistas não

sobrevivem,

levam foras das

namoradas.

Silêncio dos pais

transbordando de estafas.

segura a peteca aí, bossa

Um novo período

pros micróbios existirem

lava a perseguida, mô, hoje tem!

pega aqui no pau-brasil, vai nenê

lambe. agora deda esse buzico

nossa, ui, que calor, gente

aiuiêpa, tive um orgasmo.

nossa, fofa, e eu uma ereçãozinha!

Um novo período

Um novo período

JÁ NÃO Tô É ENTENDENDO PORRA NENHUMA DESSA JOÇA!. .

espera aê, ainda não acabou a frase melódica daquela guitarra. . ahhhh. .

huuu.

mas a mulher de seios quase-maternos se foi,

deixou um filho-máximo, desgarrado,

bezerro aprendiz acostumado a rotinas,

moleque, pirralho, pivete abusadin pra dedéu, né?

não agüentou o tempo fora. .

eu te amo, cê é ninguém mais

eu retruco pra minha consciência:

Eu rio comigo mesmo!

DIA 31

Manda ver

Planeja aí

homicídio!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Grava, 1, 2, no click. . téc, téc

Chama o futuro de metrônomo

os pagodeiros Merreca & Mixaria

atrapalhando chei di sentimentu soltam:

"aiai, é uma santa

é, bichinha, tá viranu os olhinhu, é?"

e nos fodem a conecção

Economiza na passagem pra casa da ex-mulé

Sobrará pra cerva & picar

Muito estimulante

Cafeinado dá mal-estar

Descompacta a música

Olhos vermelhos de fraqueza

Eu deito em formato estrela no chão do estúdio final, numa sala vácuo.

Vou ao banheiro

Lavar o rosto e

Ah, Cagar. .

Ando

Vou ao cinema

Sozinho,

Conhecer uma próxima humana

+++

O homem de lata tá enferrujado, fã de condimentos, contudo volta a

chutar latas de cerveja mofada pelas ruas, em noites sem lua, chuvas de

verão, à pé, fumando, pensando. . Um renegado, em plena sexta morta de

cinzas

MULHER É FODA..

+

+

+

já foi, JÁMORREU, guarda na pasta de escritos, esquece, vai fazer outra

coisa. . não deu! Homem, você foi largado! É a peçonha da realidade! Teu

nome agora é JÁMORREU

+++

se já escreveram tudo,

escrevo sobre mim, em

abiose

no trabalho sem remuneração,

fui traído em casa

+++

Sabe o que ele teria dito sobre arte?

Diga.

“Eu simplesmente quero parar de pensar e virar uma pedra sem

problema!”

Ah, ele sim era um ingênuo.

Cantando uma canção de sono, não é mesmo!?..

+++

E por fim possuído

o demônio iluminou

a cabeça de baixo:

Fui à tantas agências de empréstimo

bancos e caloteei c/ de crédito

que nunca mais volto pra minha

Terra à vista!!!

É Brasil

onde tou penitenciário!!

ERREI TANTO NESSAS HISTÓRINHAS, AIMEUDEUS

+++

CABO DE VASSOURA NO CÚ, PARDAL!

obaaa!

cisca, galinha!!!!

pula, viadinho!!!!

bambi latiu!

é a alquimía do 2000&segue. .

jorro nas tetinhas da honra

+++

APÊNDICE REMISSIVO AO NADA DE ANDA EM NADA QUE NÃO

VAI DAR EM NADA OU TALVEZ NÃO SEM VÍRGULAS COMO

TANTOS AÍ FIZERAM E EU AINDA NÃO, OPS, VÍRGULA, MAS SÓ

SÓ DE SACANAGEM FAÇO TAMBÉM:

UMA MENSAGEM PRO ALÉM, ENTRE VÍRGULAS SEPARADAS

PELA IDADE (07.02.06)

oi

tá ocupada nesta próxima sexta? vou estar no Centro, à pedido dos livros,

na Biblioteca do Nacional – depois da hora do almoço –, desmistificando

um tal Rimbaud. trarei suas coisas na mochila, traga as minhas e faremos

um piquinique farofeiros de formigas tontas – tá de dieta outra vez?

ando meio desligado, ocioso e queria conversar algo contigo, coisa boba,

pra apartar os ânimos. desemprego é foda. não vou te ligar porque fico

acuado, como um hamster novo daqui. falemos por e-mail. saudades de

um amigo distante, ex-namorado que ainda não teve aulas decentes na

faculdade e espera que seu cd de rock alternativo seja "foda" pros padrões

alheios.

obs.: estou treinando incríveis novas técnicas de desintoxicação, mas

tenho um cado de lembranças. . estimo muito cê, apesar de ainda querer

ser mais moderno/sofisticado/elegante/maduro aos 21. (Unhéco, eu,

espero notícias. até)

A CANÇÃO DO SILÊNCIO

Te amo tanto que temos que nos separar

E a idade, ah, a idade. . malandra

What’s new?

Golpes, golpes, do destino. . chei di ginga

Bolsas de recordações na minha mochila. .

Eu sou Hamlet, Romeu

Eu sou cê.

“LOVE KILLS”

De estilos provém as farsas/frases (daqui entre nós)

Nada de encanto, esquecimento de anotações

Irritando como Gambit & Vampira um ao outro

Estudantes dos desejos do corpo e mente

Eu sou um jovem que dobra a barra das calças

neutro de sortilégios, poema difícil, ainda que sincero

Eu sou Paulo Pentelho, Escritor renomado mundialmente conhecido

+++

E DIÇ Ã

O

REVISTA!!!

Encostado e bêbado,

Ainda assim

nada abusado,

sem o “Olhar do Tigre”,

fisicamente debilitado

100 merréisxxx+

+unidade monetária dos 171 cariocas

e aos 40 anos, solteira, cê, querida, será uma jovenzinha perdida em

memórias de vestes de 18. aí vai foder com o pudou. 27 filhotes

ah, vamos selar isso, hoje. . mas nada como quando eu jorrava sem

querer querendo. .

antes de falar da remela do meu olho, tira a do teu, Maria Madalena

num usa nem esmalte:

que pouco sexy!

eu quero a mulher fatal,

jogo de pernas

abre pernas

ao chegar em meu lar, vejo uma cidade fantasma, golpes do destino,

esclarecimentos sadios de jovens em expansão – que merda távamos

fazendo um ao outro?

Bizarra Nova Situação!

Bizarra, minha concubina, este seria o título final, mas chamarei de

ruído branco, por causa

daxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx +++

cê é pólo positivo, eu negativo, imãscorpos

e eu digo coisas más pra logo desdizer com eu te amo incrustado na pele

de cobra

OLHA, EU ERA BOBO, ENTRETANTO AGORA NÃO MAIS. .

"As mulheres, as mulheres!

afinal, que são as mulheres? São

perfeitas aves de

rapina"

“Seja quem seja que esteja gozando das tuas coisas, não seja possessivo,

deixe-as ir”

(O Livro Tibetano dos Mortos)

PARTE II. NÃO CONSIGO PARAR DE ESCREVER+

+ Este “capítulo” é uma mijada de porta aberta – de acordo com a vontade de cada um.

quer adições, addiction, adesão

que não se encaixam??? Ou dessas que vieram depois??? (parafernálias

que apareceram por força da fraqueza de parar)

Não consigo parar de escrever!

MERDA!

MERDA! MERDA!

putz...

Não consigo parar de escrever! !

Hunf... O que houve comigo?

perda de controle

1. O que houve comigo??? (assuntos bafios, sexuais)

ESSA PIADA É VELHA, GAROTO!

– tá bêbu? tá bêbu? tá bêbu? tá bêbu?

Ah, num me vem com essa, pô, chega de mistérinhos, desses

troços de ego e tal; cara, poesia num é nada de mais, só

imaginação solta. Cadê o sagrado disso??? Vai se fuder, é só um

monte de viado. . Que merda. . Cê sabe que é, tem que saber.. do

contrário seria idiota pra cacete!

– Ei, não me recrimina assim, fiz sem saber o que fazia. Foi tudo

tão involuntário. . Hunf. . A GRANDE DIFERENÇA DAGENTE

É QUE EU NÃO TENHO MEDO DE VIVER, CARA. É ISSO. EU

SOU O ESCORPIÃO ÍNDIO!!!! ME RESPEITA!!!! HUNF. .

Gostou de ter gastado tempo da tua preciosinha vidinha em

bostas que nunca serão reconhecidas, ou mesmo aceitas, panaca?

E quem sabe? Quem tu pensa que é, seu merda?

Já fiz o mesmo.

Ah, claro. . tinha que ser. “Eu quero um nome!!!”QUE

PATÉTICO.

– Todos os malditos jovens são precipitados. . Isso é foda, gato-e-

sapato, presas, não muda, nunca mudará.

Nisso eu até concordo.

Mas quis tentar por cê mesmo. .

É.

Tá bem. Mas agora já sabe, né?

Acho que sim, pô.

“Acha?”

Ahãm.

Seria muito já ter certeza, heim. .

É, vou tentar.

Certo.

Pelo menos eu te conheci e cê me alertou.

Verdade.

Caraca, tinha saído uma fortuna em postagem mesmo. .

Os correios agradecem, cê encheu o cú deles de dinheiro!

As editoras ficam com os montes. . muito papel pra incineração!

Pra limpar a bunda, talvez. .

E eu esperançoso. . que mula. .

Num treco que nunca vai dar em nada. Não tem mais aquele

lançe de gostar de Literatura. Tudo agora é na base do vende

bem? – E “filho feio não tem pai!”.

Sei. .

E as cartas de recusa?

É pra rir ou chorar?

Será que Buk passou por isso?

Não sei, mas me inspirei nele. Parece que adorava uma remessa

também. De onde esse povo tira grana? Cacete. . como é que

pode!?

Bom. . acho que no caso dele ocorreu uma coisa diferente: acho

que era muito.

Já sei, já sei. . e eu não sou.

Eu não disse isso, garoto.

Quer que eu jogue aqui uma frase r. . . ?

Acho só que cê precisa amadurecer.

Meu pau amadurecer! Quando eu cair da árvore eu te chamo,

sabichão.

Tá bom. Mas vai me prometer algo. .

Te chamar de editora e implorar novamente?

Hahahah. .

Esquece. . Sabe que vai passar um filme dele lá em Niterói? Quer

ir comigo? Só não garanto que vá gostar do filme, muito menos

do escritor.. ele foi o cara escroto mais foda que existiu. . e era

bebão e vagaba. . meu ídolo!

Apesar de realmente não ser muito fã, posso até te acompanhar.

Filmes sobre escritores nunca são dispensáveis.

Tomara que goste. Vou tá amarradão! Adoro biografias. Até vou

matar aula na faculdade, heheh.

Manda brasa!. . tudo pela Literatura? Já estamos nos entendendo,

cara.

Esquece, ganhei uma boneca inflável, apelidei ela de

BARBARELLA; vou é desfrutar, deixar minha menininha

beeeem úmida. .

"Ah, vamos girar juntos pela cidade, não importa o que faças ou quem

sejas, eu te

abraço, vamos!

Alimentar o resto da vida com uma hora de loucura, mandar à merda

todos os deveres, chutar os padres quando passarmos por eles nas ruas,

amar os

pederastas pelo simples prazer de traí-los depois,

Amar livremente mulheres, adolescentes, desobedecer integralmente

uma ordem

por cumprir, numa orgia insaciável e insaciada de todos os propósitos-

Sombra"

ROBERTO “MAIOR POETA QUE O BR JÁ PARIU” PIVA ("Ode a

Fernando Pessoa", 1962)

JESUS VIROU O DIABO

Caralho!

Pregadores não!

Essas porras fracassado não têm o que fazer em casa não? Não

têm família, selviço? Porra!, que saco. .

E não param de falar, cantar, berrar, pregar, citar, ah meu

caralho. .

E se ouvirem nosso papo, virão pro nosso lado e falarão mais alto.

Ah, que se dane. . eles nunca se cansam mermo.

Os cara tão até arrumadinhos desta vez. Tem uns que parecem

saído direto do boteco.

Pode crer.

E eles é que têm a razão. A gente é tudo pecador.

Toda essa escrotice me revolta, cara.

Será que não dá pra ver a cara de quero dormir, merda, tô

cansado! na cara di nóix?

Eles não tão nem aí.

A “palavra” é que é importante.

É.

Sabe duma coisa?

Quê?

Vamo ter que descer na próxima estação mermo, né?

É.

Então vamo sacanear esses crentes cuzões, vamo botá lenha na

fogueira!

Bóra, pô.

Antes de sair, vamo dá um berrão assim: (xicxicxicxic).

Entendeu?

Belezinha.

No meio do aleluia coletivo dos cantores cativos e do pregador, que

levantava as mãos pro céu, gozava, mugia e se dizia pastor..