Concretização de discursos e práticas histórico-sociais, em situações de frequência de bebês a... por Katia de Souza Amorim - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO

CONCRETIZAÇÃO DE DISCURSOS E PRÁTICAS

HISTÓRICO-SOCIAIS, EM SITUAÇÕES DE

FREQÜÊNCIA DE BEBÊS EM CRECHE

Katia de Souza Amorim

Tese apresentada à

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto,

da Universidade de São Paulo,

para concorrer ao título de Doutor,

pelo curso de Pós-Graduação em Saúde Mental

Ribeirão Preto

2002

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO

CONCRETIZAÇÃO DE DISCURSOS E PRÁTICAS

HISTÓRICO-SOCIAIS, EM SITUAÇÕES DE

FREQÜÊNCIA DE BEBÊS EM CRECHE

Katia de Souza Amorim

Tese apresentada à Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto,

da Universidade de São Paulo,

para concorrer ao título de Doutor, pelo curso de

Pós-Graduação em Saúde Mental.

Orientador: Profa. Dra. Maria Clotilde Rossetti-Ferreira

Ribeirão Preto

2002

Ficha catalográfica

Amorim, Katia de Souza

Concretização de discursos e práticas histórico-sociais, em

situações de freqüência de bebês em creche / Katia de Souza

Amorim. – Ribeirão Preto, 2002.

Tese (Doutorado) – Faculdade de Medicina de Ribeirão

Preto – Universidade de São Paulo, 2002.

Orientador: Profa. Dra. Maria Clotilde Rossetti-Ferreira

Ao Carlos, pelo seu carinho e apoio aos nossos filhos e a mim enquanto

mulher, mãe e pesquisadora, além de seu dedicado, sensível e ético exercício da medicina.

À Júlia e Olavo, pela incrível parceria, a qual tem me revelado as múltiplas, intrigantes, controversas e lindas faces da maternidade e da criação de filhos.

Ao meu pai e à minha mãe, pelo seu amor e pela disponibilização de outros

sentidos quanto à maternidade e paternidade, à educação de filhos, à saúde e à doença.

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS

O presente trabalho é decorrência da dissertação de mestrado, tendo emergido

como questão de pesquisa a partir de intrigantes questões apontadas, especialmente, por Ana Luiza Smolka.

Ele se constituiu enquanto um projeto de pesquisa, com o (usual) total apoio e incentivo de Maria Clotilde Rossetti-Ferreira.

O desenvolvimento da tese se deu através do estabelecimento de parcerias.

Por um lado, contou com a orientação de Maria Clotilde Rossetti-Ferreira, sempre extremamente disponível e incentivadora, que de maneira contínua buscava me remeter ao objeto de investigação dentro da perspectiva da Rede de Significações, de modo a manter coerência teórico-metodológica e poder contribuir com a noção de matriz sócio-histórica dentro de estudos da Psicologia do Desenvolvimento. Estudando na intereface de múltiplas disciplinas, a tendência à dispersão e à perda do rumo mostra-se grande e a luz no fim do túnel revela-se de extrema valia.

Por outro lado, o doutorado sandwich contou com a orientação de Jaan Valsiner (Clark University, EUA), que me deu um grande acolhimento em Worcester,

disponibilizando as melhores condições para o desenvolvimento do estudo. De maneira dedicada e instigativa, promoveu uma organização da leitura, a partir das necessidades advindas do objeto de estudo e da análise dos dados, remetendo-me ao que já havia sido elaborado na área. Simultaneamente, incentivou-me no sentido da criação do novo e na busca de caminhos próprios na pesquisa.

Essa situação de se ter uma meta a alcançar, com suporte teórico do que já passou e com liberdade para a criação do novo mostrou-se extremamente rica dentro do processo de fazer da pesquisa. Não acho que tenha chegado ao fim do túnel tendo criado algo novo, mas tenho claro que as condições de produção propiciadas pelos dois, para o desenvolvimento da minha pesquisa revelou-se fascinante.

AGRADECIMENTOS

Ao grupo do CINDEDI que, sob a coordenação da Profa. Dra. Maria Clotilde

Rossetti-Ferreira, desenvolveu o projeto “Processos de Adaptação de Bebês à Creche” : a) Maria Clotilde Rossetti-Ferreira, Telma Vitória e Maria B. Oliveira pela realização das entrevistas com as mães e educadoras do estudo; b) Caroline Eltink e Cláudia Yazlle pelo trabalho ligado às transcrições das entrevistas; c) Adriano Puntel, Caroline Eltink, Cláudia Yaslle e Heloisa Oliveira Salgado pela organização das entrevistas no programa de computador (ADAPTA); d) Walter e Pierre pelas gravações em vídeo da situação.

Aos familiares, que consentiram com a sua participação e a de seus filhos

enquanto sujeitos da pesquisa, em um momento tão delicado de suas vidas. Às

educadoras, que aceitaram participar do projeto não só como pesquisadoras auxiliares, mas também enquanto sujeitos do estudo.

À Ana Mello, diretora da Creche “Carochinha”, que faz da instituição não só um equipamento de educação infantil, como um instrumento de reflexão da educação.

Aos interlocutores no grupo, cuja contínua discussão levou a avanços na

pesquisa e no fazer do pesquisador: Adriana Mara dos Anjos, Ana Paula S. Silva, Caroline Eltink, Cláudia Yazlle, Cleido Vasconcelos, Fernando Silveira, Joseane Bomfim, Mara Ignez C. Carvalho, Niina Rutanen, Regina Mingorance, Tatiana

Noronha, Ticiana M. Sá Roriz e demais membros do CINDEDI.

À Ronie C. Andrade e D. Alda P. Roma, pela importante ajuda nos bastidores.

À Ana A. Carvalho, Juan Yazlle Rocha, Mara I. Campos de Carvalho, Mary Jane

Spink e Moysés Kuhlmann Jr., pela leitura crítica do trabalho, com preciosas

contribuições para o fechamento desta tese.

À Marc Bigras, da Universidade de Sherbrooke (Canadá), pela sua grande ajuda

na concretização do doutorado sandwich.

Ao Curso de Pós-Graduação em Saúde Mental, da FMRP – USP, primeiro pela

disponibilidade que tiveram de me “receber de volta em casa”, segundo pelo muito que aprendi sobre pesquisa, dentro do programa.

À FAPESP e CAPES, pelos financiamentos do doutorado e doutorado sandwich.

Ao CNPq, pelo financiamento do Projeto Integrado.

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

pg. 1

I. CONDIÇÕES DE PRODUÇÃO DO PROJETO

pg. 1

II. A PERSPECTIVA DA REDE DE SIGNIFICAÇÕES

pg. 2

III. LACUNAS E CONTRADIÇÕES NA ELABORAÇÃO

DA MATRIZ

SÓCIO-HISTÓRICA

pg. 6

III. a. Desenvolvimento em contexto: Estudo dos processos desenvolvimentais

que levam em consideração a relação pessoa-ambiente

pg. 7

III. b. Cultura e desenvolvimento

pg. 9

III. c. Elementos sócio-econômicos, históricos, políticos e culturais

em estudos sobre desenvolvimento humano

pg. 11

III. d. A “teoria de campo” de Kurt Lewin

pg. 12

III. e. A “Ecologia do Desenvolvimento Humano”, de Urie Bronfenbrenner

pg. 17

III. f. A abordagem histórico-cultural de Vygotsky

pg. 21

III. g. Cultura e matriz

sócio-histórica

pg. 26

III. h. Formulação teórica da matriz

sócio-histórica

pg. 26

III. i. Perspectiva semiótica utilizada na compreensão da matriz sócio-histórica pg. 28