Conhecendo Elvis por Richard Rossini Atanes - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.
Cristianismo

________________________________________

Conhecendo Elvis

Richard Rossini Atanes

_________________________________________

- 1 -

Cristianismo

© Copyright 2012, Richard Rossini Atanes.

1ª edição

1ª impressão

(2012)

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

edição pode ser utilizada ou reproduzida - em qualquer

meio ou forma -, nem apropriada e estocada sem a

expressa autorização de Richard Rossini Atanes.

Atanes, Richard Rossini

Conhecendo Elvis. Richard Rossini Atanes. 2012

- 2 -

Cristianismo

Dedicatória

A todos que ainda acreditam que Elvis é o Rei do

Rock.

Já se passaram muitos anos desde seu falecimento,

mas é principalmente devido aos fãs que o seu

nome se mantém forte na mídia, pois o amor por

Elvis é passado de geração em geração, de pais

para filhos, de amigos a amigos.

Longa vida ao Rei do Rock.

- 3 -

Cristianismo

Sumário

Introdução

Capítulo 1 A infância de Elvis

Capítulo 2 Do anonimato à fama

Capítulo 3 Do exército ao cinema

Capítulo 4 Dando a volta por cima

Capítulo 5 A década do excesso de trabalho

Capítulo 6 Elvis morreu

Capítulo 7 Curiosidades sobre Elvis

Outras obras do Autor

Sobre o autor

- 4 -

Cristianismo

Introdução

Elvis Presley não foi o que chamamos de um homem

normal.

Ele é uma daquelas raras pessoas que tiveram suas vidas

transformadas em lenda.

Porém, o conhecimento público sobre a vida de Elvis está

muito mais baseado no estereótipo que traçaram sobre sua

pessoa do que no conhecimento verdadeiro de sua história.

O que todos acham que sabem sobre Elvis é isso:

Elvis nasceu em uma cidade pequena, gravou um disco de

presente para sua mãe, foi descoberto por uma gravadora e

se tornou o rei do rock.

Após um período de glórias, o excesso de trabalho e as

drogas acabaram culminando com um final de carreira

melancólico, indigno de todo o sucesso que ele havia

alcançado, levando-o a morrer com apenas 42 anos.

Isso é o que os leigos acham que sabem sobre Elvis, algo

que a mídia sensacionalista gosta de publicar a fim de

ganhar mais dinheiro com sua imagem, porém essa é uma

história distorcida da vida de um homem especial.

Não existe personagem mais profundo, carismático e

enigmático na história da música do que Elvis.

A história da música pode ser delimitada como antes e

depois dele.

- 5 -

Cristianismo

Elvis foi o precursor de um novo estilo musical, que

misturava de maneira única a música gospel, o country

branco e o R&B negro. Ele também tinha uma nova

maneira de se apresentar, expressando uma fúria

alucinante enquanto cantava e se requebrava no palco,

deixando os jovens (e seus pais) enlouquecidos.

Devido aos supostos movimentos indecentes que realizava

nos palcos, ganhou o apelido de Elvis ―The Pélvis‖, que o

ajudou a ganhar cada vez mais fama junto à juventude.

Elvis sacudiu o mundo nos anos 50, 60 e 70, e até hoje

ainda é inspiração para diversos artistas, famosos ou não.

Se hoje as mulheres ficam loucas com os movimentos dos

cantores nos palcos, foi porque Elvis foi o primeiro a se

movimentar de maneira sensual.

Se hoje existem mega shows transmitidos via satélite, é

porque Elvis foi o primeiro a fazer isso.

Se hoje alguns artistas fazem grandes turnês em Las

Vegas, é por que Elvis foi o primeiro a fazer com sucesso.

Quem poderia parar Elvis?

Não demorou muito para que suas apresentações fossem

rotuladas de obscenas, sendo acusado por muitos de ser

uma péssima influência para os adolescentes.

O sistema bem que tentou pará-lo, proibindo que suas

músicas fossem tocadas em diversas estações de rádio,

fazendo protestos e quebrando seus discos, e até proibindo

que ele se movimentasse de maneira sensual em algumas

de suas apresentações sob a ameaça de ser preso.

- 6 -

Cristianismo

Mas nem isso refreou o tsunami chamado Elvis.

Vamos neste livro apresentar a vida e a carreira de Elvis a

uma nova geração de jovens, que hoje carece de ídolos que

tenham um forte impacto na sociedade, pois atualmente os

cantores e bandas são descartáveis, surgindo e

desaparecendo em um piscar de olhos sem deixar qualquer

marca no mundo.

Vamos retratar também alguns momentos que marcaram a

vida de Elvis, bem como responder algumas perguntas que

ainda intrigam milhões de pessoas ao redor do mundo.

O que matou Elvis?

Elvis está vivo?

Elvis era loiro?

Elvis realmente tocou com os Beatles ?

Elvis era um viciado em drogas?

Tentaram roubar o corpo de Elvis após sua morte?

O que era a Máfia de Memphis?

O ocorreu no camarim de Elvis, antes de seu último show

em Las Vegas?

Leiam com carinho este livro, e se deliciem na

maravilhosa vida do Rei do Rock.

- 7 -

Cristianismo

Capítulo 1

A infância de Elvis

Elvis Aaron Presley, filho de Gladys Love Smith e de

Vernon Elvis Presley nasceu em uma humilde casa na

cidade de East Tupelo (East Tupelo seria agregada mais

tarde à cidade de Tupelo, formando assim uma única

cidade), estado do Mississipi, no dia 8 de Janeiro de 1935

às 04h35h.

Elvis foi o sobrevivente de um difícil parto de gêmeos,

aonde seu irmão idêntico Jesse Garon foi natimorto.

Depois deste parto traumático, Gladys não pôde mais

engravidar, vindo Elvis a ser o único filho do casal Gladys

e Vernon.

Desde cedo sua mãe o fez acreditar que quando um de dois

gêmeos morre, o que sobrevive herda toda a força do

outro.

Ele sempre acreditou que poderia se comunicar com seu

irmão Jesse, tendo inclusive o costume de ir até o pequeno

túmulo onde Jesse estava enterrado, ficando ali sentado por

horas ―conversando‖ com ele.

Elvis levou este hábito até a sua vida adulta. Amigos

pessoais, incluindo sua ex-esposa Priscilla, relatam que ele

por inúmeras vezes deixava-os no meio de uma conversa

para ir conversar com seu irmão em algum lugar

- 8 -

Cristianismo

reservado, principalmente no jardim da meditação, em

Graceland.

A família de Elvis era muito pobre, tendo somente uma

cama em sua casa. Devido a isso, ele dormiu na mesma

cama que os pais em grande parte de sua infância.

Outro fator que contribuiu para isso foi a constatação de

que Elvis tinha graves crises de sonambulismo, sendo que

em uma dessas crises ele quase caiu de uma janela

enquanto andava dormindo pela casa.

Devido a essas crises, Elvis mesmo adulto ainda tinha

medo de dormir sozinho, fazendo com que ao menos um

dos membros de sua equipe ficasse em seu quarto, caso ele

dormisse desacompanhado.

Um momento difícil de sua infância foi um período de

ausência de seu pai, que foi preso por falsificar um cheque

de pequeno valor.

Vernon foi indiciado por falsificação com mais dois

amigos, Luther Gable e Travis Smith, sendo sentenciado a

três anos de prisão na penitenciaria do Estado de

Mississipi. Como ele teve um bom comportamento,

cumpriu somente 08 meses desta sentença .

Com a ausência do pai, Elvis passou a ficar muito tempo

com sua mãe, fato este que fez com que Gladys passasse a

ter um total domínio sobre ele.

O vínculo entre os dois a essa altura era algo muito forte,

fazendo com que Elvis e Gladys fossem muito apegados.

- 9 -

Cristianismo

Uma curiosidade a respeito do relacionamento dos dois é

que Elvis passou a chamar sua mãe sempre pelo seu

apelido de Satnin.

Elvis tinha um amor incondicional por sua mãe, sendo que

a sua morte precoce em 1958 o afetaria pelo resto da vida.

Sua família passava por diversos problemas financeiros,

principalmente devido a falta de vagas de emprego na

região, fato este que fez com que a família trocasse de casa

constantemente.

Em 1945, Elvis foi inscrito no concurso de novos talentos

da Feira anual e show de laticínios de Mississippi-

Alabama como representante da sua escola (alguns dizem

que foi um diretor que o inscreveu, outros dizem que foi

uma professora da quinta série, Oleta Grimes). Elvis

cantou Old Shep sem o apoio de nenhum instrumento,

obtendo o segundo lugar no concurso, ganhando como

prêmio cinco dólares e ingressos para todas as diversões da

feira.

Um dos sonhos de Elvis era ganhar uma bicicleta no seu

aniversário em Janeiro de 1946, mas seus pais infelizmente

não tinham dinheiro para comprá-la. Sua mãe então o

convenceu a ganhar um violão ao invés da bicicleta, sendo

que este violão passou a ser sua companhia constante,

inclusive na escola.

O violão custou 12,95 dólares e foi comprado na Tupelo

Hardware Company. A partir daquele momento Elvis e o

violão tornaram-se inseparáveis.

- 10 -

Cristianismo

Elvis não era um estudante dedicado, sendo considerado

apenas um aluno mediano. Alguns historiadores relatam

que Elvis não se dedicava aos estudos devido ao grande

tempo que gastava indo ao cinema, lojas de discos e leitura

de hqs. Ele concluiu o ensino profissionalizante,

formando-se como eletricista e mecânico de autos.

Conforme ia crescendo, Elvis começou a adotar um visual

diferente dos rapazes de sua época, e começou a chamar a

atenção de todos com isso. Ele comprava suas roupas

(paletós cor-de-rosa, ternos amarelos, sapatos brancos) nos

irmãos Lansky, na Beale Street, usava o cabelo comprido e

puxado para trás, e começou a deixar as costeletas

crescerem, de modo que viriam a se tornar uma de suas

marcas registradas.

Suas influências musicais foram bem ecléticas nesta época:

Elvis era muito ligado à música country; à música gospel

ouvida na igreja; ao ―pop‘ da época e ao R&B que ele

ouvia na histórica "Beale Street" em Memphis.

Tudo isso o ajudou a se diferenciar dos demais cantores da

época, destacando-o rapidamente no cenário musical.

- 11 -

Cristianismo

Capítulo 2

Do anonimato à fama

Sempre que passava pela Union Street, Elvis olhava com

interesse para o número 706, pois ali estava a Memphis

Recording Service, que era uma pequena e lucrativa filial

da Sun Records, criada e dirigida por Sam Cornelius

Philips.

Sam estava ciente que os garotos brancos de Memphis

estavam ouvindo R&B, e suspeitava que isso também

estivesse acontecendo em outras partes do país. Ele era um

visionário, e sabia que se conseguisse produzir algo

diferente, com certeza ganharia muito dinheiro, tanto que

nesta época ele confidenciava a seguinte frase para os

amigos mais próximos: "Se pudesse encontrar um homem

branco que tivesse o som negro e o sentido negro, eu

poderia fazer bilhões de dólares".

Seu sonho estava prestes a se concretizar.

Naquele verão, numa tarde de sábado, Elvis estava

decidido a gastar seus quatro dólares gravando um disco,

como forma de presentear sua mãe pela passagem de seu

aniversário.

Marion Keisker, secretária de Sam Philips, se desdobrava

para atender os clientes interessados em fazer suas

gravações, já que Sam não estava no momento.

- 12 -

Cristianismo

Quando chegou a vez de Elvis ser atendido, ela ergueu os

olhos e ficou impressionada ao ver aquele rapaz segurando

um violão surrado. Elvis era alto, magro, tinha feições

agradáveis, cabelos compridos e costeletas, olhos azuis, e

estava vestindo roupas extravagantes para a época.

O diálogo que se seguiu foi interessante, e despertou a

atenção de Marion:

—Você é cantor?

—Sou sim senhora.

—Que tipo de cantor?

—Eu canto qualquer tipo de música senhora.

—Quem você imita?

—Eu não imito ninguém.

—Hillbilly?

—Sim, canto Hillbilly

—Quem você imita no Hillbilly?

— Não imito ninguém.

Elvis então gravou That‘s When Your Heartaches Begin e

My Happiness.

Quando Sam Philips algum tempo depois ouviu a

gravação, percebeu que Elvis tinha talento, porém sabia

que ele precisaria de mais experiência musical. Pediu para

a secretária guardar seu nome e endereço, para ver se o

usaria em futuros projetos.

- 13 -

Cristianismo

Marion então arquivou em um pedaço de papel o telefone

de recados e os seguintes dizeres: ―Elvis Presley, bom

cantor de baladas‖.

Com o passar do tempo, e por sugestão de Marion Keisker,

Sam Phillips chama Elvis novamente ao estúdio para tentar

gravar a canção Without You, porém Elvis não consegue

cantá-la de uma forma que lhe agradasse completamente.

Como forma de incentivar o garoto, Sam pede que ele

relaxe e que toque uma variedade de canções populares.

Elvis se sai tão bem nas canções, que Sam Phillips chama

os músicos locais Scotty Moore e Bill Black para o

acompanharem, pois ele tinha certeza de que algo novo

estaria para surgir.

Por mais que tentassem, eles não conseguiam produzir

nada que mostrasse ser algo inovador ou que tivesse a cara

de sucesso, até que, em 5 de julho (consagrado como

marco zero do Rock), Elvis e os rapazes em um momento

de descontração e de forma improvisada, começam a tocar

uma versão acelerada de That‘s All Right, provocando em

Sam Phillips um grande entusiasmo. Esta canção,

juntamente com Blue Moon Of Kentucky, torna-se o

primeiro de cinco singles que Elvis viria a lançar pela

gravadora Sun Records.

Na semana seguinte, Sam Phillips entrega uma cópia do

disco ao popular locutor de rádio Dewey Philips, afim de

que o mesmo o lançasse em seu programa Red Hot and

Blue. No início Dewey hesitou em tocar o disco, pois seu

programa tocava somente música de artistas negros, porém

- 14 -

Cristianismo

confiando em seus instintos e na palavra de Sam, acabou

cedendo e inserindo Elvis na programação.

Para surpresa dele, o telefone da emissora não parou mais

de tocar, pois todos haviam gostado das músicas, e isso fez

com que ele se interessasse em entrevistar Elvis ao vivo

naquela mesma noite.

Gladys teve de ir buscar Elvis no cinema para que ele

participasse da entrevista, pois ele não havia ouvido o

programa por estar muito nervoso, preferindo relaxar

vendo um filme.

Por ser muito tímido, Elvis estava assustado com o fato de

ser entrevistado, porém o locutor brincou com ele, dizendo

que bastava não dizer nenhum palavrão que daria tudo

certo.

Eles ficaram conversando durante um bom tempo até que

Dewey Philips o agradeceu pela visita.

Elvis, meio sem jeito e sem entender o que havia ocorrido,

perguntou se não haveria mais a entrevista, recebendo de

Dewey a surpreendente resposta de que tudo o que eles

haviam conversado já tinha ido ao ar.

Na segunda-feira seguinte Elvis voltou ao trabalho

normalmente, enquanto Sam mandava prensar 5 mil cópias

do novo disco. O primeiro disco comercial de Elvis,

"That's all right" / "Blue moon of Kentucky", chegou às

lojas no dia 19 de Julho.

Seu primeiro empresário nesta época foi Bob Neal, um

discotecário da estação country WMPS de Memphis, que o

- 15 -

Cristianismo

ajudou a quebrar algumas barreiras existentes com as

rádios, pois as rádios de R&B achavam que Elvis tinha

uma tendência a levar sua música para o country, enquanto

as rádios de country achavam que Elvis tinha a tendência

de levar suas músicas para o lado do blues.

Em 1955 esses problemas foram resolvidos, pois Elvis se

tornou mais conhecido pelo público e pelas rádios, graças

às suas atuações constantes em grandes cidades e no

famoso show de rádio Louisiana Hayride.

No mesmo ano Elvis conhece aquele que viria a ser seu

empresário por toda a vida, o ―Coronel‖ Tom Parker

(Andreas Cornelius van Kuijk, oriundo da Holanda e

nascido em 1909), que ficou impressionado com a reação

das fãs durante uma apresentação de Elvis em

Jacksonville, Flórida.

Elvis, em determinado momento de sua apresentação,

convidou de brincadeira todas as garotas do público para

irem a seu camarim quando o show terminasse, e ao final

do mesmo elas o perseguiram até seu carro e literalmente

arrancaram suas roupas, fato este que surpreendeu tanto o

coronel Parker como a imprensa que estava presente.

Quando o contrato entre Elvis e Bob Neal expirou, o

Coronel Parker numa jogada de mestre se torna o

empresário de Elvis.

Parker negocia a venda do contrato da Sun Records para a

RCA em 20 de novembro de 1955, que inclui os seus cinco

- 16 -

Cristianismo

singles da Sun e todo o material gravado que estaria para

ser lançado. O preço foi 35.000 dólares (algo sem

precedentes na época), com um bônus de 5.000 dólares

para Elvis.

Dois dias depois do seu 21º aniversário, Elvis faz a sua

primeira sessão de gravação para a RCA no estúdio de

Nashville. Entre as canções selecionadas para essa sessão,

encontra-se o futuro sucesso Heartbreak Hotel e I Was The

One.

Uma segunda sessão de gravações ocorre em Nova York,

com Elvis gravando uma nova versão de ― Blue Suede

Shoes e Tutti-Frutti‖, de Carl Perkins e Little Richards.

Em 28 de janeiro de 1956 Elvis apresenta-se no programa

Stage Show, de Tommy and Jimmy Dorsey, sendo essa a

sua primeira apresentação na televisão.

Elvis estava muito nervoso nesta apresentação, se

sacudindo e remexendo pouco. Ele cantou ―Shake, Rattle,

and Roll" e "Heartbreak Hotel", saindo rapidamente de

cena.

Suas apresentações televisivas quebraram todos os

recordes de audiência, além de gerar muita polêmica por

suas performances sensuais e explosivas.

Em março de 1956 a RCA lança o primeiro álbum de

Elvis. São escolhidas sete faixas das gravações de

Nashville e Nova York, dando origem ao explosivo álbum

chamado―Elvis Presley‖, que vende mais de 360.000

cópias até o final de Abril, chegando ao primeiro lugar da

parada de álbuns pop da Billboard, onde permanece

- 17 -

Cristianismo

durante 10 semanas. É o primeiro álbum de Elvis a vender

um milhão de cópias, conquistando assim o seu primeiro

disco de ouro por um álbum.

Elvis aparece 2 vezes no The Milton Berle Show, sendo a

primeira apresentação realizada no USS Hancock, que

estava ancorado na base naval de San Diego, e a segunda

em estúdio, em 5 de junho de 1956, onde Elvis arrasa com

uma atuação feita de forma agressiva e sensual de Hound

Dog, cujo ápice aconteceu no final da canção, onde Elvis

explorou todo o seu potencial, abaixando lentamente o

coro final da música para um blues bem orquestrado e

provocativo , empurrando sua pélvis na batida da música

de uma maneira sensual e sugestiva, deixando o público

completamente louco.

No dia seguinte, a imprensa o apelidou de "Elvis the

Pélvis", e a associação de pais e alunos e diversos grupos

religiosos fizeram diversos protestos pelo país, associando

Elvis e o rock 'n' roll a delinqüência juvenil.

Um fato marcante na época são as famosas censuras em

torno de suas apresentações na TV, fato comprovado por

aquelas transmissões aonde ele seria filmado da cintura

para cima: em 1956 no programa "The Steve Allen Show"

e outra em 1957 no programa "The Ed Sullivan Show".

Em 1 de julho de 1956 Elvis aparece de maneira

comportada no The Steve Allen Show, pela NBC,

cantando "Hound Dog" para um cachorrinho encima de

um banco alto de madeira (o cão era um bassê), pois Allen

- 18 -

Cristianismo

detestava rock 'n' roll, e usou a estratégia de utilizar o

humor para atacar a dança sensual de Elvis, proibindo-o de

se movimentar muito pelo palco e até mesmo de usar suas

roupas coloridas. Elvis teve de se apresentar de smoking.

Isso deixou os fãs de Elvis furiosos, de maneira que na

manhã seguinte eles fizeram uma manifestação com

cartazes e piquete na frente dos estúdios da NBC-TV, onde

se lia "We want the gyratin' Elvis" (Queremos o Elvis

rebolativo).

O famoso apresentador de televisão Ed Sullivan havia dito

que nunca apresentaria Elvis Presley no seu programa,

porém acaba mudando de idéia quando vê os elevados

níveis de audiência que ele atraia para os programas de

TV. É logo feito um contrato para três apresentações por

50.000 dólares, sendo que essa foi a maior quantia paga a

um artista para aparecer em um programa de variedades.

Em 9 de setembro de 1956 Elvis faz a primeira das três

apresentações no Ed Sullivan Show, o programa televisivo

mais importante da época. Ele bate todos os recordes de

audiência. Em 28 de outubro Elvis faz a sua segunda das

três apresentações, atraindo mais fãs a cada novo show.

No mesmo mês Elvis realiza um espetáculo no estádio

"Cotton Bowl", em Dallas, para um público estimado de

27 mil pessoas, algo incomum para um artista solo naquela

época.

O primeiro filme de Elvis, Love Me Tender, estréia no

Paramount Theatre, na cidade de Nova Iorque, em 16 de

novembro de 1956, seguindo para todo o país nos dias

- 19 -

Cristianismo

seguintes. É um êxito estrondoso e as críticas não são

muito más no que diz respeito a sua atuação. Diz a lenda

que Elvis decorou o roteiro todo, incluindo a fala de todos

os outros personagens do filme.

Elvis faz a sua terceira e última apresentação no Ed

Sullivan‘s Show em 6 de janeiro de 1957. É nesta

apresentação que vemos Elvis apenas da cintura para cima,

devido à dura censura imposta sobre ele.

Ed Sullivan, que tinha grande influência sobre o público e

era uma das pessoas mais poderosas da televisão na época,

de maneira surpreendente ajudou a dissipar a má imagem

que estavam fazendo de Elvis, quando, no final da

apresentação, ele surge no palco para agradecer sua

participação nos 3 shows, e para dizer ao público presente

no estúdio e aos milhões de telespectadores americanos

que ―este é um rapaz decente e simpático‖, e que tinha sido

uma maravilha trabalhar com ele no seu programa.

Depois desta apresentação Elvis ganhou o mundo.

O The New York Times publica em 3 de fevereiro de 1957

uma história intitulada ―Discos de Presley são uma

loucura na União Soviética‖. O artigo falava de gravações

piratas que eram feitas em radiografias inutilizadas e que

eram vendidas em Leningrado no mercado negro por 50

rublos, já que os discos de Elvis não se encontravam

disponíveis de forma legal na União Soviética.

Em Março de 1957, Elvis realiza um de seus grandes

sonhos: comprou a mansão Graceland, em Memphis,

aonde viveria até o final de sua vida.

- 20 -

Cristianismo

Ele atua fora dos Estados Unidos pela primeira vez em

abril de 1957, quando se apresenta no Canadá, fazendo

dois espetáculos em Toronto e dois espetáculos em

Ottawa. No dia 31 de agosto de 1957 Elvis atua em

Vancouver, sendo essa a terceira cidade canadense onde

atua e marca a última vez que atuaria ao vivo fora dos

Estados Unidos.

Em março de 1958 Elvis dá dois concertos em Memphis,

que viriam a ser as suas últimas atuações ao vivo até o seu

regresso do Exército, em 1960.

- 21 -

Cristianismo

Capítulo 3

Do exército ao cinema

Elvis Presley é aceito no Exército dos Estados Unidos no

Quadro de Recrutamento de Memphis e lhe é atribuído o

número de série 53310761 em 24 de março de 1958.

Ao ser convocado, foi cogitado que Elvis servisse o país

no regimento dos Serviços Especiais, porém ele serviu o

exército como um soldado comum, devido o Coronel

Parker e a RCA estarem convencidos de que a opinião

pública o respeitaria mais se ele fosse um simples soldado

raso, tendo assim uma grande oportunidade de aumentar

sua faixa de público.

O Soldado Presley chega a Fort Hood, no Texas, para os

treinos básicos e ali fica durante seis meses.

Os seus pais em breve mudam-se para uma casa alugada

temporariamente perto da base.

Neste período, King Creole, o quarto filme de Elvis,

estréia nacionalmente em julho de 1958 e as críticas são as

melhores que ele iria receber como ator. A sua

impressionante lista de atores e elenco de apoio inclui

Carolyn Jones, Walter Matthau, Dean Jagger e Vic

Morrow.

Elvis estava ficando preocupado com sua mãe, pois sua

saúde começou a se deteriorar quando ele foi convocado, e

- 22 -

Cristianismo

isto o deixava em profunda depressão. Ele descobriu que

Gladys andava bebendo para se consolar pela sua ausência,

e receava que isso pudesse se tornar um problema grave,

pois tinha medo que essas atitudes a levassem para a

sepultura.

Ele tinha um vínculo muito forte com sua mãe, de maneira

que, em uma determinada ocasião, seu carro pegou fogo na

estrada e ele mal conseguiu escapar com vida. Embora

estivesse a quilômetros de distância, Gladys sentou na

cama abruptamente gritando seu nome, o que demonstrava

como era forte o vínculo intuitivo entre os dois.

Em Agosto de 1958 Gladys Presley fica doente e regressa

a Memphis para ser hospitalizada com uma hepatite aguda.

É concedida uma licença de emergência a Elvis, que chega

a Memphis na tarde de 12 de agosto. Ele a visita nessa

noite e nos dias seguintes.

Na madrugada do dia 14 de agosto, Gladys, aos 46 anos,

acaba falecendo de insuficiência cardíaca, depois de

padecer por um longo período devido à hepatite aguda.

Ela é sepultada no Cemitério Forest Hill, a poucas milhas

de distância de Graceland. O grupo gospel favorito de

Gladys, o Blackwood Brothers, se apresentou na cerimônia

fúnebre, e Elvis era visto chorando entre soluços ao lado

de seu túmulo, dizendo sem parar: "Oh, Deus, tudo que eu

tinha se foi".

Elvis nunca mais foi o mesmo depois da morte da mãe,

perdendo um pouco da sua alegria de viver.

- 23 -

Cristianismo

Os fãs de Elvis, a fim de confortá-lo, enviaram a ele mais

de 100 mil cartões e cartas de condolências, 500

telegramas e 200 arranjos de flores para expressar seus

sentimentos pela perda de sua mãe.

Elvis voltou para o Fort Hood e em 19 de setembro de

1958 ele embarca no comboio das tropas para Nova

Iorque, sendo que, chegando ao Brooklyn, ele dá uma

comovente coletiva de imprensa detalhando todo o seu

sentimento aos repórteres:

"Todos perdem suas mães, mas eu era apenas uma criança

e Mamãe estava sempre comigo por toda a minha vida. E

não foi somente como perder uma mãe, foi como perder

uma amiga, uma companheira, alguém com quem

conversar. Eu podia acordá-la a qualquer hora da noite se

eu estivesse preocupado ou aborrecido com alguma coisa...

ela levantava e tentava me ajudar."

Durante a viagem no U.S.S. General Randall, Elvis é

acompanhado por um músico chamado Charlie Hodge,

que ele havia conhecido no trem da tropa, no Brooklyn.

Charlie foi um amigo presente durante todo o restante da

vida de Elvis.

Ao chegar à Alemanha, Elvis descobre que sua fama

também atravessou o oceano, já que os fãs europeus são

tão apaixonados quanto os americanos.

O Coronel Parker continua a manter a carreira de Elvis

viva com promoções e lançamento de discos com sucessos.

- 24 -

Cristianismo

Em Novembro de 1959, Elvis conhece Priscilla Beaulieu

filha do Capitão Joseph Beaulieu, que havia sido

transferido para a base de Weisbaden na Alemanha. Os

dois se conheceram através de Currie Grant, um amigo em

comum de ambos. Priscilla na época tinha 14 anos e meio

e Elvis quase 25 anos.

Foi amor à primeira vista. Elvis viu-se completamente

apaixonado por uma menina cuja maturidade estava lhe

surpreendendo. A jovem Priscilla Beaulieu, de quatorze

anos, tinha sido recém-eleita "Rainha da Escola Junior Del

Valley" por seus colegas de classe em Austin, possuindo

uma beleza estonteante. Ela era morena, tinha uma boca

sensual e ardentes olhos azuis .

Para Elvis, ela possuía tudo que sempre idealizou em uma

mulher. Priscilla soube cativar e trazer um pouco de

alegria de volta a Elvis, que ainda se encontrava

inconformado com a partida de sua mãe.

Com Priscilla, Elvis manteve um intenso relacionamento

até Março de 1960, quando então deu baixa no Exército

americano, retornando aos EUA. O relacionamento dos

dois não terminou ali, pois continuaram a se comunicar

através de telefonemas, cartas e por duas visitas que

Priscilla fez aos EUA.

O coronel Parker pensava alto, e vislumbrava um público

mais amplo para Elvis, composto por adultos e fãs de

músicas populares e country. Por isso, meses antes de sair

a dispensa do exército, ele negociou uma apresentação de

Elvis em um especial televisivo chamado Welcome Home,

no programa de variedades de Frank Sinatra, na ABC-TV,

- 25 -

Cristianismo

pela qual Elvis receberia 125.000 dólares, uma soma que

estabeleceria um novo recorde até a data para uma

apresentação num programa de variedades.

Elvis e Frank nunca haviam tido contato algum nem tão

pouco algum ponto em comum, e era de conhecimento

público que Sinatra também nunca havia sido um

incentivador ou fã de Elvis. Mesmo assim, ele aceitou o

convite de Frank Sinatra, realizando uma de suas melhores

performances na TV.

O programa bateu todos os recordes de audiência do ano,

inserindo Elvis em uma nova faixa de público.

Em 1960, Elvis novamente surpreende e lança um álbum

gospel - contrariando o seu empresário e os proprietários

da gravadora - que não viam com bons olhos um trabalho

nesse gênero musical. Entretanto, seguindo seu instinto e

de certa forma querendo homenagear sua mãe, ele

participa de toda a parte de produção e no final do ano o

álbum é lançado tornando-se um grande sucesso de

público e crítica.

No período de 1960 até 1965, os seus filmes são um

grande sucesso de público no mundo inteiro. Alguns

críticos mais generosos, ainda que implacáveis acerca da

qualidade duvidosa dos mesmos, clamavam por melhores

oportunidades e personagens para Elvis.

Os maiores e melhores destaques nesse período foram,

Flaming Star (1960), Wild In The Country (1961), Follow

That Dream (1962), Kid Galahad (1962), Fun in Acapulco

(1963), Viva Las Vegas (1964), Roustabout (1964).

- 26 -

Cristianismo

Em 1962, com a ajuda de seu pai, Elvis convence o

Capitão Beaulieu a deixar Priscilla viver em Memphis, sob

a custódia de Vernon e Dee, que prometeram cuidar de

Priscilla e fazer com que a mesma concluísse os estudos.

Embora tenha concluído os estudos como prometido,

Priscilla jamais ficou sob a guarda de Vernon e Dee, como

seu pai havia combinado com seu pai.

Desde o início, Priscilla foi morar em Graceland com Elvis

e precisou se adaptar aos seus hábitos noturnos, já que ele

preferia dormir durante o dia e ficar acordado ao longo da

noite por se sentir melhor assim.

Durante as filmagens de "Viva Las Vegas", em 1963, os

protagonistas Elvis e Ann-Margret tiveram um explosivo

caso de amor, que certamente contribuiu para os ótimos

resultados do filme, que foi considerado um de seus

melhores momentos no cinema, sendo muito elogiado até

os dias atuais.

Isso acabou gerando muita especulação na mídia, inclusive

pelo fato de Ann supostamente dizer aos jornalistas que se

casaria com Elvis muito em breve.

Muito se especulou se essa seria ou não uma notícia

plantada pelo coronel para esfriar a relação dos dois,

porém Elvis acabou recuando e terminando o ardente

romance.

A partir de 1965, seus filmes perderam muito em termos

de qualidade de roteiro, se tornando um período de grande

tédio e incertezas para Elvis.

- 27 -

Cristianismo

No dia 27 de agosto de 1965, Elvis e os Beatles tiveram

um encontro histórico na casa de Elvis em Los Angeles, a

pedido dos Beatles e promovido pelo Coronel Parker.

John Lennon até o final de sua vida havia dito que aquele

encontro havia sido inesquecível, pois ele tinha conseguido

concretizar mais um sonho em sua vida, que era o de tocar

com aquele que havia sido uma inspiração na sua

adolescência.

Apesar da fase de pouca qualidade de seus filmes, o ano de

1967 será lembrado pelo lançamento do disco que seria

considerado um "divisor de águas" na carreira de Elvis, o

gospel ―How Great Thou Art‖, decorrente de radical

mudança em sua produção musical. O álbum surpreendeu

o mundo e gradativamente, transformou-se em um grande

sucesso de crítica e público, sendo posteriormente,

agraciado com um honroso Grammy, o Oscar da música.

Em 1º de Maio de 1967, Elvis Presley aos 32 anos

finalmente casa-se com Priscilla Ann Beaulieu, de 21 anos.

O matrimônio foi realizado na cidade de Las Vegas no

Alladin Hotel e todos os preparativos foram feitos de

forma bastante sigilosa e sob a batuta do Coronel Parker.

A cerimônia foi bem simples e rápida, cujo objetivo era

não causar alaridos no mundo. Abaixo segue o que

Priscilla escreveu em seu livro, Elvis and me, sobre o dia

do casamento:

―A cerimônia de casamento foi a primeiro de maio de

1967. O Coronel Parker cuidou de tudo. Seu plano era que

Elvis e eu seguíssemos de carro de Los Angeles para nossa

- 28 -

Cristianismo

casa alugada em Palm Springs no dia anterior ao

casamento, a fim de que quaisquer repórteres inquisitivos

que suspeitassem do evento pensassem que a cerimônia

ocorreria lá.

Na verdade, planejávamos levantar antes do amanhecer no

dia do casamento e voar de Palm Springs para Las Vegas,

onde passaríamos pelo cartório às sete da manhã, a fim de

pegar a licença para o casamento. De lá seguiríamos

imediatamente para o Aladdin Hotel. Ali trocaríamos de

roupa, faríamos uma pequena cerimônia na suíte do

proprietário do hotel e depois — era o que esperávamos —

deixaríamos a cidade antes que a notícia se espalhasse.

O tempo era essencial. Sabíamos que a notícia se

espalharia pelo mundo assim que solicitássemos a licença

para o casamento. Foi justamente o que aconteceu. Poucas

horas depois de obtermos a licença, o escritório de Rona

Barrett começou a telefonar para indagar se os rumores

sobre o casamento eram verdadeiros‖.

Em 1º de Fevereiro de 1968, exatamente nove meses após

o casamento, nasce à única filha de Elvis e Priscilla, Lisa

Marie. Firmou-se desde o início um forte vínculo entre pai

e filha que permaneceria intacto até a morte de Elvis,

vínculo este somente comparável ao que Elvis um dia teve

com sua própria mãe.

Os anos 60 trouxeram consigo uma grande mudança

cultural da música americana, porém, como Elvis se

concentrou na sua carreira cinematográfica durante este

- 29 -

Cristianismo

período, foi ficando cada vez mais afastado da cultura e do

mundo pop da atualidade.

Elvis nesta época havia feito dezenas de filmes com

qualidade sofrível, e a maior parte dos álbuns que tinha

colocado no mercado havia sido de trilhas sonoras. Nos

anos 50 e início dos anos 60, os filmes e os respectivos

discos tinham sido bem sucedidos, mas para o final dos

anos 60, os mesmos estavam longe de obterem algum

sucesso.

Ele sempre teve a esperança de ser um ator sério, mas as

oportunidades para mostrar o seu verdadeiro talento

tinham sido muito poucas, pois Hollywood sempre teve

outras idéias para ele (lucro fácil, rápido e descartável).

Elvis tinha atingido um nível de frustração muito alto com

o estado atual da sua carreira, e estava precisando ser

desafiado a mostrar sua criatividade e verdadeira expressão

artística.

Ele estava mais do que pronto para uma mudança.

Já haviam se passado mais de sete anos desde que Elvis

havia se apresentado perante um público, e ele estava

sentindo saudades disso, de sua proximidade com seus fãs,

da energia e da excitação de uma atuação ao vivo.

Ele precisava ser desafiado.

Elvis estava voltando.

- 30 -

Cristianismo

Capítulo 4