Crônica do Viver Baiano Seiscentista - Os Homens Bons - A Nossa Sé da Bahia por Gregório de Matos - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.
LITERATURA BRASILEIRA

Textos literários em meio eletrônico

Gregório de Matos

Texto-fonte: Obra Poética, de Gregório de Matos, 3ª edição,

Editora Record, Rio de Janeiro, 1992.

Crônica do Viver Baiano Seiscentista

Índice

A NOSSA SÉ DA BAHIA

AOS CAPITULARES DO SEU TEMPO.

PONDERA ESTANDO HOMIZIADO NO CARMO QUAM GLORIOSA HE A PAZ DA

RELIGIÃO.

AO ILUSTRISSIMO SENHOR D. Fr. MANUEL DA RESURREYÇÃO.

A MORTE DO MESMO SENHOR SUCCEDIDA DE HUMA FEBRE MALIGNA EM BELLEM

ANDANDO EM VISITA.

EPITAFIO À SEPULTURA DO MESMO EXmo. SENHOR ARCEBISPO.

A CHEGADA DO ILLUSTRISSIMO SENHOR D. JOÃO FRANCO DE OLIVEYRA TENDO

SIDO JA BISPO EM ANGOLLA.

A FROTA EM QUE VEYO O PALLIOLO DESTE GRANDE PRELADO.

AO MESMO ILLUSTRISSIMO SENHOR CHEGANDO DE VISITA A VILLA DE S.

FRANCISCO, ONDE Ò ESPERAVAM MUYTOS CLERIGOS PARA TOMAREM ORDENS.

A MAGNIFICENCIA COM QUE OS MORADORES DAQUELLA VlLLA RECEBERAM O

DITO SENHOR COM VARIOS ARTIFICIOS DE FOGO POR MAR, E TERRA

CONCORRENDO PARA A DESPEZA O VIGARIO.

OBRIGADOS OS ORDENANDOS A CANTAR O CANTO CHAM DESAFINARAM

PERTURBADOS A VISTA DO PRELADO, E OS OBRIGOU, A QUE ESTUDASSEM OS

SETTE SIGNOS. CELEBRA O POETA ESTE CASO, E LOUVA A PREDICA, QUE FEZ

SUA ILLUSTRISSIMA.

A MORTE VIOLENTA QUE LUIZ FERREYRA DE NORONHA CAPITÃO DA GUARDA DO GOVERNADOR ANTONIO LUIZ DEO À JOZÉ DE MELLO SOBRINHO DESTE

PRELADO.

AO RETIRO QUE FES ESTE ILLUSTRISSIMO PRELADO SENTIDISSIMO, E MAGUADO

PELA TYRANNA, E VIOLENTA MORTE QUE O CAPITÃO DA GUARDA LUIZ FERREYRA DE NORONHA DEO A SEU SOBRINHO.

AOS MISSIONARIOS, À QUEM O ARCEBISPO D. FR. JOÃO DA MADRE DE DEUS

RECOMENDAVA MUYTO AS VIAS SACRAS, QUE ENCHENDO A CIDADE DE CRUZES

CHAMAVÃO DO PULPITO AS PESSOAS POR SEUS NOMES, REPREHENDENDO, À

QUEM FALTAVA.

A CERTO PROVINCIAL DE CERTA REGIÃO QUE PREGOU O MANDATO EM TERMOS

TA, RIDICULOS QUE MAIS SERVIO DE MOTIVO DE RIZO, DO QUE DE COMPAIXÃO.

AO CURA DA SÉ QUE ERA NAQUELLE TEMPO, INTRODUZIDA ALI POR DINHEYRO, E

COM PRESUNÇÕES DE NAMORADO SATYRIZA O POETA COMO CREATURA DO

PRELADO.

AO ILLUSTRISSIMO D. FR. JOÃO DA MADRE DE DEOS MUDANDO-SE PARA O SEU

NOVO PALACIO, QUE COMPROU.

O DEÃO ANDRE GOMES CAVEYRA SE INTRODUZIO DE TAL MODO COM ÊSTE

PRELADO EM DESABONO DO POETA, QUE ESTIMULADO O DITO FÊZ O SEGUINTE.

COMO ACREDITOU ESTE PRELADO MAIS OS MEXERICOS DE CAVEYRA, DO QUE

AS LIZONJAS DO POETA, LHE FEZ ESTA SÁTIRA

LOUVA O POETA O SERMÃO, QUE PREGOU CERTO MESTRE NA FESTA, QUE A

JUSTIÇA FAZ, AO SPIRITO SANTO NO CONVENTO DO CARMO NO ANO 1686.

CELEBRA O POETA (ESTANDO HOMIZIADO NO CARMO), A BURLA, QUE FIZERAM

OS RELIGIOSOS COM UMA PATENTE FALSA DE PRIOR A FREI MIGUEL NOVELLOS, APELIDADO O LATINO POR IVERTIMENTO EM HUM DIA DE MUYTA CHUVA.

AO VIGARIO DA VILLA DE S. FRANCISCO POR HUMA PENDENCIA, QUE TEVE COM

HUM OURIVES A RESPEYTO DE HUMA MULATA, QUE SE DIZIA CORRER POR SUA CONTA.

A OUTRO VIGARIO DE CERTA FREGUEZIA, CONTRA QUEM SE AMOTINÁVAM OS

FREGUEZES POR SER MUYTO AMBICIOSO.

AO VIGARIO ANTONIO MARQUES DE PERADA ENCOMENDADO NA IGREJA DA Va

DE S. FRANCISCO AMBICIOSO, E DESCONHECIDO.

AO PADRE DAMASO DA SYLVA PARENTE DO POETA, E SEU OPPOSTO, HOMEM

DESBOCCADO, E PRESUNÇOSO COM GRANDES IMPLUSOS DE SER SER VIGARIO, SENDO POR ALGUM TEMPO EM NOSSA

SENHORA DO LORETO.

RETRATO DO MESMO CLERIGO.

AO MESMO CLERIGO APPELLIDANDO DE ASNO AO POETA

AO MESMO COM PRESUNÇÕES DE SABIO, E INGENHOSO.

A OUTRO CLERIGO AMIGO DO FRIZÃO, QUE SE DEZIA ESTAR AMANCEBADO DE

PORTAS ADENTRO COM DUAS MULHERES COM HUMA NEGRA, E OUTRA MULATA.

AO PADRE MANUEL ALVARES CAPELLÃO DA MARAPÉ REMOQUEANDO AO POETA

HUMA PEDRADA QUE LHE DERAM DE NOYTE ESTANDO SE PROVENDO: E

PERGUNTANDOLHE PORQUE SE NÃO SATYRIZAVA DELLA! ESCANDALIZADO, E

PICADO, PORQUE O POETA HAVIA SATYRIZADO OS CLERIGOS, QUE VINHÃO DE

PORTUGAL.

ENTRA AGORA O POETA A SATIRIZAR O DITO PADRE.

AO PADRE MANUEL DOMINGUES LOUREYRO QUE REHUSANDO IR POR

CAPELLÃO PARA ANGOLLA POR ORDEM DE SUA ILUSTRISSIMA, FOY AO DEPOIS

PREZO, E MALTRATADO, PORQUE RESISTIO AS ORDENS DO MESMO PRELADO.

AO VIGARIO DA MADRE DE DEOS MANUEL RODRIGUES SE QUEYXA O POETA DE

TREZ CLERIGOS QUE LHE FORAM A CASA PELA FESTA DO NATAL, ONDE TAMBEM

ELLE ESTAVA E COM GALANTARIA O PERSUADE, A QUE SACUDA OS HOSPEDES

FORA DE CASA PELO GASTO, QUE FAZIAM.

AOS MESMOS PADRES HOSPEDES ENTRE OS QUAIS VINHA O Pe PERICO, QUE

ERA PEQUENINO.

AO MESMO VIGARIO GALANTEA O POETA FAZENDO CHISTES DE HUM MIMO, QUE

LHE MANDÁRA BRITES HUMA GRACIOSA COMADRE SUA, ENTRE O QUAL VINHA

PARA O POETA HUM CAJÚ.

AO CELEBRE FR. JOANNICO COMPREHENDIDO EM LISBOA EM CRIMES DE

SODOMITA.

A FR. PASCOAL QUE SENDO ABBADE DE N. S. DAS BROTAS HOSPEDOU ALI COM

GRANDEZA A D. ANGELA, E SEUS PAYS, QUE FORAM DE ROMARIA À AQUELLE

SANTUARIO.

A FR. THOMAZ D'APRESENTAÇÃO PREGANDO EM TERMOS LACONICOS A

PRIMEYRA DOMINGA DA QUARESMA.

HUM AMIGO DESTE RELIGIOSO PEDIO AO POETA SUAS APROVAÇÕES SOBRE A

MESMA PREDICA, A PEDITORIO DO MESMO PREGADOR NESTE.

O MESMO AMIGO PEDIO AO POETA EM OUTRA OCCASIÃO LHE GLOZASSE ESTE

MOTTE, CUJA MATERIA FOY HAVER TRIUNFADO O DITO FR. THOMAZ DE CERTA OPPOSIÇÃO CAPITULAR.

AO SOBREDITO RELIGIOSO DESDENHANDO CRITICO DE HAVER GONÇALLO

RAVASCO, E ALBUQUERQUE NA PRESENÇA DE SUA FREYRA VOMITADO HUMAS

NAUSEAS, QUE LOGO COBRIO COM O CHAPEO.

A CERTO FRADE NA VILLA DE SAM FRANCISCO, A QUEM HUA MOÇA FINGINDOSE

AGRADECIDA À SEUS REPETIDOS GALANTEYOS, LHE MANDOU EM SIMULAÇÕES

DE DOCE HUMA PANELLA DE MERDA.

O CERTO FRADE QUE GALANTEANDO HUAS SENHORAS NO CONVENTO DE

ODIVELAS, LHES ENTREGOU HABITO, E MENORES PARA UM FINGIDO ENTREMEZ, E CONHECENDO O CHASCO, EM ALTA NOYTE DEO EM CANTAR O MISERERE,

BORRANDO, E OURINANDO TODO O PARLATORIO, PELO QUE A ABADEÇA LHE

DEO OS SEUS HÁBITOS, E HUA LANTERNA PARA SE RETIRAR À LISBOA.

A CERTO FRADE, QUE QUERENDO EMBARCAR-SE PARA FORA DA CIDADE,

FURTOU HUM CABRITO, O QUAL SENDO CONHECIDO DA MAY PELO BERRO O FOY

BUSCAR DENTRO DO BARCO, E COMO NÃO TEVE EFFEYTO O DITO

ROUBO,TRATOU LOGO DE FURTAR OUTRO, E O LEVOU ASSADO.

A CERTO FRADE QUE PREGANDO MUITOS DESPROPOSITOS NA MADRE DE DEOS

FOI APEDREJADO PELOS RAPAZES, E SE FINGIO DESMAYADO POR ESCAPAR:

MAS DEPOIS FURTANDO AO POETA UM BORDÃO, E AO ARPISTA DA FESTA UM

CHAPEO SE RETIROU: POREM SABENDO-SE DO FURTO LHE FOY AO CAMINHO

TIRAR DAS MÃOS HUM MULATO DE DOMINGOS BORGES.

INDO CERTO FRADE A CASA DE HUMA MERETRIZ LHE PEDIO ESTA QUINZE MlL

REIS DANTEMÃO PARA TIRAR HUMAS ARGOLLAS, QUE TINHA EMPENHADAS.

SATYRIZA OUTRO CASO DE HUMA NEGRA QUE FOY ACHADA COM OUTRO FRADE, E FOY BEM MOIDA COM UM BORDÃO POR SEU AMAZIO, POR CUJA CAUSA SE

SAGROU, E SE FINGIO MANCA DE HUM PÉ.

A CERTO FRADE QUE TRATAVA COM HUMA DEPRAVADA MULATA POR NOME

VICENCIA QUE MORAVA JUNTO AO CONVENTO, E ATUALMENTE Á ESTAVA

VIGIANDO DESTE CAMPANARIO.

AO LOUCO DESVANECIMENTO, COM QUE ESTE FRADE TIRANDO ESMOLLAS

CANTAVA REGAÇANDO O HABITO POR MOSTRAR AS PERNAS, COM PRESUNÇÕES

DE GENTILHOMEM, BOM MEMBRO, E BOA VOZ.

AO MESMO FRADE TORNA A SATYRIZAR O POETA, SEM OUTRA MATERIA NOVA, SENÃO PRESUMINDO, QUE QUEM O DEMO TOMA HUMA VEZ SEMPRE LHE FICA

HUM GEYTO.

A CERTO FRADE QUE INDO PREGAR A HUM CONVENTO DE FREYRAS, E ESTANDO

COM HUMA NA GRADE, LHE DEO TAL DOR DE BARRIGA, QUE SE CAGOU POR SI.

4 - A NOSSA SÉ DA BAHIA

com ser um mapa de festas

é um presépio de bestas.

e se nisto maldigo ou me engano,

eu me submeto à Santa Madre Igreja.

Se virdes um Dom Abade

sobre o púlpito cioso,

não Ihe chameis Religioso

chamai-lhe embora de Frade

Jesu, nome de Jesu!