Estimulação na creche: efeitos sobre o desenvolvimento e comportamento da criança por Patricia de Souza Almeida - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub para obter uma versão completa.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO

Estimulação na Creche:

efeitos sobre o desenvolvimento

e comportamento da criança

PATRÍCIA DE SOUZA ALMEIDA

Ribeirão Preto

2009

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO

PATRÍCIA DE SOUZA ALMEIDA

Estimulação na Creche:

efeitos sobre o desenvolvimento

e comportamento da criança

Tese apresentada à Faculdade de Medicina de

Ribeirão Preto da USP para obtenção do Título de

Doutor no Curso de Pós-graduação em Neurologia,

Subárea de Neurociências

ORIENTADORA: PROFa. Dra. CAROLINA A. R. FUNAYAMA

Ribeirão Preto

2009

Almeida, Patrícia de Souza

Estimulação na Creche: efeitos sobre o desenvolvimento e

comportamento da criança. - Ribeirão Preto, 2009.

161 p.: 30 cm

Tese apresentada à Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -

Universidade de São Paulo

Área de Concentração: Neurologia

Orientadora: Profa. Dra. Carolina Araújo Rodrigues Funayama

1. Estimulação; 2. Creche; 3. Desenvolvimento Infantil;

4. Escalas Bayley; 5. Fatores de risco

Aos meus pais, Cida e Hélio, por tudo o que sou e ainda serei.

Às irmãs, de sangue e de coração, Paula e Elaine,

pelo apoio em todos os momentos.

À minha princesinha, Amanda, por ensinar-me

muito sobre desenvolvimento.

À vocês dedico meu trabalho.

À Professora Carolina

Meu muito obrigado

Por depositar confiança na minha capacidade,

possibilitando a execução deste trabalho.

Pela sua habilidade em fazer com que eu alcançasse o meu melhor.

Obrigada, principalmente, pela sua disponibilidade para

ouvir-me e aconselhar-me com sabedoria e carinho.

Agradeço

À Deus

Pela proteção e companhia, concedendo-me força e coragem para seguir o meu caminho, enfrentando os obstáculos necessários para o meu crescimento.

À Andréa

Querida amiga e companheira, que tanto colaborou neste trabalho.

À Professora Maria Angélica

Querida professora e amiga, que é parte importante da minha estória, e que tanto colaborou neste trabalho.

Ao Departamento de Neurologia, Psiquiatria e Psicologia Médica

Pelo apoio na realização deste trabalho.

Aos Componentes da Banca Examinadora

Pelas importantes contribuições feitas para a apresentação final do trabalho.

Às crianças e suas mães

Pela participação no trabalho, sem a qual não seria possível sua realização.

Às creches e seus funcionários

Sempre disponíveis e cooperativos durante a coleta dos dados.

Não é uma tarefa fácil elaborar uma lista de agradecimentos, justificando o quanto cada um foi, e é especial dentro deste contexto.

Sendo assim, gostaria de deixar registrado os meus agradecimentos a todos que, de alguma forma, foram colaboradores neste estudo.

Lista de Tabelas

Tabela 1

Caracterização da amostra em função da idade e da freqüência

em creche (atual e pregressa) ......................................................... 68

Tabela 2

Caracterização da amostra em função do estado civil, tempo

de união (meses), idade e escolaridade dos pais............................. 69

Tabela 3

Caracterização da amostra em função das condições de moradia 70

Tabela 4

Caracterização da amostra em função da renda familiar e

responsável pela mesma ................................................................. 71

Tabela 5

Caracterização da amostra em função dos eletrodomésticos

disponíveis na residência ................................................................ 71

Tabela 6

História reprodutiva das mães das crianças avaliadas .................... 73

Tabela 7

Caracterização (em freqüência simples e porcentagem) da amostra

em função do histórico pré-natal das mães das crianças avaliadas .... 74

Tabela 8

Caracterização da amostra em função das condições de

nascimento das crianças avaliadas ................................................. 75

Tabela 9

Caracterização da amostra em função da alimentação e das

condições de saúde das crianças avaliadas .................................... 76

Tabela 10

Caracterização da amostra em função de indicadores do

desenvolvimento neuropsicomotor das crianças avaliadas ............ 77

Tabela 11

Caracterização da amostra em função de variáveis associadas

ao relacionamento familiar das crianças avaliadas ........................ 78

Tabela 12

Valores médios, desvio-padrão, medianas e de mínimos e

máximos de IDM dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado

(NE) na avaliação (Fase I) e reavaliação (Fase II) ......................... 79

Tabela 13

Distribuição (freqüência simples e porcentagem) das crianças

dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), em função

do desempenho na Escala de Desenvolvimento Mental (IDM)

de Bayley (1993)............................................................................. 80

Tabela 14

Diferenças médias entre os valores de IDM (Fase II – Fase I)

dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE) .................... 81

Tabela 15

Descrição de Ganhos e Reduções médios entre os valores de

IDM (Fase II – Fase I) observadas nos Grupos Estimulado (E) e

Não Estimulado (NE) .................................................................... 82

Tabela 16

Período médio de amamentação (meses) em função dos ganhos

ou perdas no IDM entre a Avaliação (Fase I) e a Reavaliação

(Fase II) das crianças do Grupo Estimulado (E) ............................ 83

Tabela 17

Idade média das crianças (meses) em função dos ganhos e

perdas no IDM entre a Avaliação (Fase I) e a Reavaliação (Fase

II) das crianças do Grupo Estimulado (E) ..................................... 83

Tabela 18

Número de crianças carentes e não carentes em função dos

ganhos e perdas no IDM entre a Avaliação (Fase I) e a

Reavaliação (Fase II) das crianças do Grupo Estimulado (E) ....... 84

Tabela 19

Valores médios, desvio-padrão, medianas e de mínimos e

máximos de IDP dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado

(NE) na avaliação (Fase I) e reavaliação (Fase II) ......................... 85

Tabela 20

Distribuição (freqüência simples e porcentagem) das crianças

dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), em função

do desempenho na Escala de Desenvolvimento Psicomotor

(IDP) de Bayley (1993) .................................................................. 85

Tabela 21

Diferenças médias entre os valores de IDP (Fase II – Fase I)

dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE) .................... 86

Tabela 22

Descrição de Ganhos e Reduções médios entre os valores de

IDP (Fase II – Fase I) observados nos Grupos Estimulado (E) e

Não Estimulado (NE) .................................................................... 87

Tabela 23

Peso médio ao nascimento e idade média para engatinhar em

função dos ganhos ou perdas no IDP entre a Avaliação (Fase I) e a

Reavaliação (Fase II) das crianças do Grupo Não Estimulado (NE) ... 88

Tabela 24

Análise descritiva (média, desvio-padrão, mediana, valores

mínimo e máximo) dos resultados (brutos) das crianças na

Escala de Avaliação do Comportamento (BRS) em função do

momento avaliativo ....................................................................... 90

Tabela 25

Distribuição (freqüência simples e porcentagem) das crianças

com aumento (incluindo as que mantiveram) e diminuição dos

valores de Escore Bruto da Avaliação do Comportamento –

avaliação (Fase I) e reavaliação (Fase II) para os Grupos

Estimulado (E) e Não Estimulado (NE) ........................................ 91

Tabela 26

Distribuição (freqüência simples e porcentagem) das crianças

segundo a Classificação na Escala de Avaliação do

Comportamento dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado

(NE), na avaliação (Fase I) e reavaliação (Fase II) ........................ 92

Tabela 27

Distribuição (freqüência simples e porcentagem) das crianças

em função de “melhoras” e “pioras” na Classificação da

Avaliação do Comportamento – avaliação (Fase I) e reavaliação

(Fase II) para os Grupos Estimulado e Não Estimulado................. 93

Tabela 28

Valores de BRS em percentis comparados entre os grupos com

ganhos e perdas no IDM e IDP, não incluindo aqueles que

mantiveram os índices ................................................................... 95

Tabela 29

Valores de BRS em percentis comparados entre os grupos com

ganhos e perdas no IDM e IDP, incluindo aqueles que

mantiveram os índices ................................................................... 96

Lista de Apêndices

Apêndice A

Critérios para inclusão da criança no Grupo Carente

Nutricional (C) ou no Grupo Não Carente (NC) .......................... 117

Apêndice B

Índice de Desenvolvimento Mental (IDM) das crianças dos

grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na avaliação

(Fase I) e na reavaliação (Fase II) ............................................... 119

Apêndice C

Diferenças positivas e negativas entre os valores de IDM na

avaliação e na reavaliação do Grupo Estimulado......................... 120

Apêndice D

Diferenças positivas e negativas entre os valores de IDM na

avaliação e na reavaliação do Grupo Não Estimulado ................. 121

Apêndice E

Índice de Desenvolvimento Psicomotor (IDP) das crianças dos

grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na avaliação

(Fase I) e na reavaliação (Fase II) ................................................ 122

Apêndice F

Diferenças positivas e negativas entre os valores de IDP na

avaliação e na reavaliação do Grupo Estimulado......................... 123

Apêndice G

Diferenças positivas e negativas entre os valores de IDP na

avaliação e na reavaliação do Grupo Não Estimulado ................. 124

Apêndice H

Escores Brutos da Avaliação do Comportamento das crianças

dos grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na

avaliação (Fase I).......................................................................... 125

Apêndice I

Escores Brutos da Avaliação do Comportamento das crianças

dos grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na

reavaliação (Fase II) ..................................................................... 126

Apêndice J

Diferenças entre os valores de Escore Bruto da Avaliação do

Comportamento – Orientação / Engajamento na avaliação

(Fase I) e reavaliação (Fase II) para os Grupos Estimulado (E)

e Não Estimulado (NE) ................................................................ 127

Apêndice L

Diferenças entre os valores de Escore Bruto da Avaliação do

Comportamento – Controle Emocional na avaliação (Fase I) e

reavaliação (Fase II) para os Grupos Estimulado (E) e Não

Estimulado (NE) .......................................................................... 128

Apêndice M Diferenças entre os valores de Escore Bruto da Avaliação do

Comportamento – Qualidade Motora na avaliação (Fase I) e

reavaliação (Fase II) para os Grupos Estimulado (E) e Não

Estimulado (NE) .......................................................................... 129

Apêndice N

Diferenças entre os valores de Escore Bruto da Avaliação do

Comportamento – Escore Total na avaliação (Fase I) e

reavaliação (Fase II) para os Grupos Estimulado (E) e Não

Estimulado (NE) .......................................................................... 130

Apêndice O

Classificação da Avaliação do Comportamento das crianças

dos Grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na

avaliação (Fase I). ........................................................................ 131

Apêndice P

Classificação da Avaliação do Comportamento das crianças

dos grupos Estimulado (E) e Não Estimulado (NE), na

reavaliação (Fase II) ..................................................................... 132

Lista de Anexos

Anexo A

Termo de Consentimento dos pais e/ou responsáveis .............................. 134

Anexo B

Anamnese ................................................................................................. 135

Anexo C

Processo de Estimulação .......................................................................... 144

Anexo D

Dados referentes ao Estado Nutricional (dados de peso e estatura) e

Hematológico (dados de Hb e Ht%) e a Classificação - C = Controle

(Hb > 11.0 g/dl e Z-score > +1); e CN = Carente Nutricional (Hb <

11.0 g/dl e/ou Z-score < +1) das 27 crianças da Creche A e das 23 da

Creche B ................................................................................................... 160

Sumário

1. Resumo ................................................................................................................................15

2. Abstract ...............................................................................................................................17

3. Introdução ...........................................................................................................................19

3.1. Prólogo ........................................................................................................................... 20

3.2. Teorias sobre Desenvolvimento Infantil ........................................................................ 23

3.3. Fatores de risco e de proteção ao desenvolvimento infantil........................................... 31

3.4. A Avaliação do Desenvolvimento Infantil..................................................................... 33

3.5. A Intervenção em Desenvolvimento Infantil ................................................................. 37

3.6. A Estimulação Precoce .................................................................................................. 41

4. Objetivos..............................................................................................................................45

5. Sujeitos e Métodos ..............................................................................................................47

5.1. Método ........................................................................................................................... 48

5.2. Participantes ................................................................................................................... 48

5.3. Local e Contexto do Estudo ........................................................................................... 50

5.3.1.Caracterização da Creche A...................................................................................... 50

5.3.2.Caracterização da Creche B ...................................................................................... 51

5.4. Aspectos Éticos .............................................................................................................. 52

5.5. Instrumentos e Medidas ................................................................................................. 53

5.5.1. Roteiro de Entrevista................................................................................................ 53

5.5.2. Escalas Bayley de Desenvolvimento Infantil .......................................................... 54

5.6. Procedimentos ................................................................................................................ 54

5.6.1. Coleta de dados de anamnese .................................................................................. 54

5.6.2. Avaliação do Desenvolvimento e do Comportamento Infantil................................ 55

5.6.3. Estimulação do Desenvolvimento ........................................................................... 59

5.6.4. Devolução dos Resultados ....................................................................................... 60

5.7. Procedimento de análise de dados da anamnese ............................................................ 61

5.8. Análise Estatística .......................................................................................................... 65

6. Resultados ...........................................................................................................................66

6.1. Caracterização da amostra.............................................................................................. 67

6.1.1. Características sócio-demográficas.......................................................................... 67

6.1.2. Características de história pré-natal, perinatal e neonatal das crianças ................... 72

6.1.3. História de Saúde e Desenvolvimento ..................................................................... 76

6.1.4. Relacionamento Familiar ......................................................................................... 78

6.2. Avaliação do Desenvolvimento e do Comportamento Infantil...................................... 79

6.2.1. Desempenho dos Grupos Estimulado e Não Estimulado na Escala de

Desenvolvimento Mental (IDM) na Avaliação e Reavaliação .......................................... 79

6.2.1.1. Ganhos e Reduções em IDM ............................................................................. 81

6.2.2. Desempenho dos Grupos Estimulado e Não Estimulado na Escala de

Desenvolvimento Psicomotor (IDP) na Avaliação e na Reavaliação ................................ 84

6.2.2.1. Ganhos e Reduções em IDP .............................................................................. 86

6.2.3. Desempenho dos Grupos Estimulado e Não Estimulado na Escala de Avaliação do Comportamento Infantil (BRS) na Avaliação e Reavaliação ....................................... 89

6.2.3.1. Valores de Escores Brutos de BRS dos Grupos Estimulado e Não

Estimulado na Avaliação (Fase I) e na Reavaliação (Fase II)........................................ 89

6.2.3.2. Comparação entre as Classificações dos Percentis dos Grupos Estimulado e Não- Estimulado na Avaliação (Fase I) e na Reavaliação (Fase II).............................. 91

6.2.4. Comparação dos dados de anamnese entre os grupos de crianças com ganhos e perdas nos escores de avaliação do comportamento.......................................................... 93

6.2.5. Comparação dos valores de BRS entre os Grupos com ganhos e perdas nos Índices de Desenvolvimento Mental (IDM) e Psicomotor (IDP) ...................................... 94

7. Discussão .............................................................................................................................97

8. Conclusões .........................................................................................................................107

9. Referências ........................................................................................................................109

Apêndices...............................................................................................................................116

Anexos....................................................................................................................................133

Manuscrito submetido à Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil