Estressores no trabalho das enfermeiras em centro cirúrgico: conseqüências profissionais e pessoais por Jael Maria de Aquino - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

ESCOLA DE ENFERMAGEM DE RIBEIRÃO PRETO

ESTRESSORES NO TRABALHO DAS ENFERMEIRAS EM

CENTRO CIRÚRGICO: conseqüências profissionais e

pessoais

JAEL MARIA DE AQUINO

RIBEIRÃO PRETO

2005

JAEL MARIA DE AQUINO

ESTRESSORES NO TRABALHO DAS ENFERMEIRAS EM

CENTRO CIRÚRGICO: conseqüências profissionais e

pessoais

Tese apresentada ao Programa de Pós

Graduação em Enfermagem Psiquiátrica –

Doutorado da Escola de Enfermagem de

Ribeirão Preto da Universidade de São

Paulo para obtenção do título de Doutor

em Enfermagem.

Área de Concentração: Enfermagem

Psiquiátrica.

Linha de Pesquisa: Promoção da Saúde

Mental

Orientadora: Profª. Drª. Renata Curi Labate

RIBEIRÃO PRETO

2005

AUTORIZO A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTE

TRABALHO, POR QUALQUER MEIO CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO,

PARA FINS DE ESTUDO E PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE.

Ficha Catalográfica

Aquino, Jael Maria de.

Estressores no trabalho das enfermeiras em centro cirúrgico:

conseqüências profissionais e pessoais./ Jael Maria de Aquino

Ribeirão Preto, 2005.

154f.

Tese apresentada à Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto –

USP, Departamento de Enfermagem Psiquiátrica – Programa de Pós

Graduação em Enfermagem Psiquiátrica. Linha de Pesquisa: Promoção

da Saúde Mental, para obtenção do título de doutor.

Orientadora: Renata Curi Labate.

1.Estresse Psicológico

. 2. Enfermagem em Centro Cirúrgico..

3. Princípios do Prazer - Desprazer

FOLHA DE APROVAÇÃO

JAEL MARIA DE AQUINO

Estressores no trabalho das enfermeiras em centro

cirúrgico: conseqüências profissionais e pessoais

Tese apresentada à Escola de Enfermagem de

Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo para

obtenção do título de Doutor em Enfermagem.

Área de Concentração: Enfermagem Psiquiátrica

Linha de Pesquisa: Promoção da Saúde Mental

Aprovada em: ________________

Banca Examinadora

Profa. Dra.Renata Curi Labate

(Presidente/Orientadora)

Instituição: EERP - USP Assinatura:__________________________

Prof. Dr. Manoel Antônio Santos

Instituição: FFCLRP – USP Assinatura:__________________________

Profa. Dra. Josicélia Dumêt Fernandes

Instituição: EE-UFBA....................................Assinatura:__________________________

Profa. Dra. Antônia Regina Ferreira Furegato

Instituição: EERP-USP Assinatura:__________________________

Profa. Dra. Ana Maria Pimenta Carvalho

Instituição: EERP-USP Assinatura:___________________________

Dedicatória

Ao meu amado filho Aurélio de Aquino que sempre está ao meu lado, renovando as

energias com sua alegria e amor.

Ao meu esposo Aurélio, pelo estímulo e incentivo nos momentos mais difíceis.

As minhas irmãs, Enedina de Aquino e Marta de Aquino, que sempre estão ao meu

lado com carinho e amor.

Aos meus irmãos, Severino de Aquino e Isaías de Aquino, que sempre acreditaram

nos meus sonhos.

Aos Pés da Cruz

“... E mesmo quando eu chorar,

As minhas lágrimas serão

Para regar a minha fé

E consolar meu coração

Pois o que chora aos pés da cruz

Clamando em nome de Jesus

Alcançará de Ti, Senhor,

Misericórdia, graça e luz...”

Kleber Lucas

index-7_1.png

index-7_2.png

index-7_3.png

index-7_4.png

index-7_5.png

index-7_6.png

index-7_7.png

index-7_8.png

index-7_9.png

index-7_10.png

index-7_11.png

index-7_12.png

index-7_13.png

index-7_14.png

index-7_15.png

index-7_16.png

index-7_17.png

index-7_18.png

index-7_19.png

index-7_20.png

index-7_21.png

index-7_22.png

index-7_23.png

index-7_24.png

index-7_25.png

index-7_26.png

index-7_27.png

index-7_28.png

index-7_29.png

index-7_30.png

index-7_31.png

index-7_32.png

index-7_33.png

index-7_34.png

index-7_35.png

index-7_36.png

index-7_37.png

index-7_38.png

index-7_39.png

index-7_40.png

index-7_41.png

index-7_42.png

index-7_43.png

index-7_44.png

index-7_45.png

index-7_46.png

index-7_47.png

index-7_48.png

index-7_49.png

index-7_50.png

index-7_51.png

index-7_52.png

index-7_53.png

index-7_54.png

index-7_55.png

index-7_56.png

index-7_57.png

index-7_58.png

index-7_59.png

index-7_60.png

index-7_61.png

index-7_62.png

index-7_63.png

index-7_64.png

index-7_65.png

index-7_66.png

index-7_67.png

index-7_68.png

index-7_69.png

index-7_70.png

index-7_71.png

index-7_72.png

index-7_73.png

index-7_74.png

index-7_75.png

index-7_76.png

index-7_77.png

index-7_78.png

index-7_79.png

index-7_80.png

index-7_81.png

index-7_82.png

index-7_83.png

index-7_84.png

index-7_85.png

index-7_86.png

index-7_87.png

index-7_88.png

index-7_89.png

index-7_90.png

AGRADECIMENTOS

A Deus pela sua misericórdia e amor permitiu que eu chegasse até o final

desta jornada.

À Igreja Evangélica Batista em Casa Amarela, pelo acompanhamento

espiritual.

À classe da família representada por Marcos e Angelina, Wilson e Eleni,

Sidney e Solange pelo acompanhamento.

Aos meus irmãos e familiares pela ajuda em todos os momentos.

A Luiz Jairo pelo amor, carinho e cuidado comigo e com Aurelinho.

À Stela, Márcio e Miquéias pela presença constante em minha vida e na de

Aurelinho.

À Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças-UPE, a sua diretora

Vera Gregório e Viviane, e Nara ex-diretora pela liberação.

Às Amigas Silvana, Regina, Fátima e Silvia por compartilhar comigo desta

jornada.

Às amigas Sonia e Estela obrigada pelo convívio e apoio.

Às amigas Roseana, Áurea, Adriana, Cristina, Janaina, Lúcia Helena,

Nadja, Solange, Gorete conviver com vocês enriqueceu a minha vida.

index-8_1.png

index-8_2.png

index-8_3.png

index-8_4.png

index-8_5.png

index-8_6.png

index-8_7.png

index-8_8.png

index-8_9.png

index-8_10.png

index-8_11.png

index-8_12.png

index-8_13.png

index-8_14.png

index-8_15.png

index-8_16.png

index-8_17.png

index-8_18.png

index-8_19.png

index-8_20.png

index-8_21.png

index-8_22.png

index-8_23.png

index-8_24.png

index-8_25.png

index-8_26.png

index-8_27.png

index-8_28.png

index-8_29.png

index-8_30.png

index-8_31.png

index-8_32.png

index-8_33.png

index-8_34.png

index-8_35.png

index-8_36.png

index-8_37.png

index-8_38.png

index-8_39.png

index-8_40.png

index-8_41.png

index-8_42.png

index-8_43.png

index-8_44.png

index-8_45.png

index-8_46.png

index-8_47.png

index-8_48.png

index-8_49.png

index-8_50.png

index-8_51.png

index-8_52.png

index-8_53.png

index-8_54.png

index-8_55.png

index-8_56.png

index-8_57.png

index-8_58.png

index-8_59.png

index-8_60.png

index-8_61.png

index-8_62.png

index-8_63.png

index-8_64.png

index-8_65.png

index-8_66.png

index-8_67.png

index-8_68.png

index-8_69.png

index-8_70.png

index-8_71.png

index-8_72.png

index-8_73.png

index-8_74.png

index-8_75.png

index-8_76.png

index-8_77.png

index-8_78.png

index-8_79.png

index-8_80.png

index-8_81.png

index-8_82.png

index-8_83.png

index-8_84.png

index-8_85.png

index-8_86.png

index-8_87.png

index-8_88.png

index-8_89.png

index-8_90.png

index-8_91.png

index-8_92.png

index-8_93.png

index-8_94.png

index-8_95.png

index-8_96.png

index-8_97.png

index-8_98.png

index-8_99.png

index-8_100.png

index-8_101.png

index-8_102.png

index-8_103.png

index-8_104.png

index-8_105.png

index-8_106.png

index-8_107.png

index-8_108.png

À amiga Kátia Rejane pela confiança e incentivo.

Às amigas Lindinalva e Teresinha carinho e torcida.

A Davi Pedro e Clementina pelo incentivo e disponibilidade.

Á professora Doutora Renata Curi Labate pela orientação.

À professora Doutora Antonia Regina Ferreira Furegato, agradeço o

compartilhar de seus conhecimentos, você é exemplo de dedicação.

À professora Doutora Ana Maria Pimenta Carvalho pela paciência nos

momentos mais difíceis.

Ao professor Doutor Manoel Antonio pela disponibilidade em atender nossa

solicitação.

À professora Josicélia Dumênt Fernandes, pela valiosa ajuda e

disponibilidade.

Ao professor Tesue pelo trabalho estatístico

À minha querida amiga Gorete que mesmo diante das dificuldades encontrou

forças para lutar.

Ao Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital da Restauração.

Às enfermeiras participantes deste estudo pela disponibilidade e atenção.

RESUMO

Aquino, J. M. Estressores no trabalho das enfermeiras em centro cirúrgico:

conseqüências profissionais e pessoais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo -

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - SP, 2005.

O estresse tem sido um tema bastante discutido, nos últimos anos, pela comunidade científica.

Vários estudos têm apresentado o estresse como causador de doenças, sendo considerado o

“mal do século”. O centro cirúrgico é um dos ambientes mais complexos do hospital, pois

concentra os recursos humanos e materiais necessários ao ato cirúrgico e, freqüentemente, as

suas atividades são desenvolvidas em um clima de tensão, pela existência de procedimentos

estressantes geradores de ansiedade, quer pela gravidade dos pacientes, quer pela

complexidade dos atos anestésico e cirúrgico. Nesta pesquisa, estabelecemos os seguintes

objetivos: identificar o estresse das enfermeiras de centro cirúrgico; identificar os estressores do

ambiente de trabalho dessas enfermeiras; relacionar o estresse das enfermeiras de centro

cirúrgico com o prazer e o sofrimento no trabalho. A amostra foi constituída por 30 enfermeiras

que trabalham em sete unidades de centro cirúrgico de hospitais da cidade de Recife-PE,

destes dois são hospitais universitários. Os dados foram coletados através do Inventário de

Estresse para Enfermeiro e de uma entrevista semi-estruturada com roteiro. Investigaram-se o

estresse e os estressores presentes no cotidiano de trabalho da enfermeira e sua freqüência.

Os resultados deste estudo tiveram por base a amostra de 30 enfermeiras do sexo feminino,

com 60% casada sendo que para 66,7% escolheram a enfermagem como primeira opção no

concurso vestibular. Foram identificados os seguintes fatores como causadores de estresse:

falta de material necessário ao trabalho é um fator estressor para 29 (93,7%), falta de recursos

humanos, este foi considerado um fator estressor para 23 (73,3%), trabalhar em instalações

físicas inadequadas 22 (73,3 %), trabalhar com pessoas despreparadas 17 (56,7%), prestar

assistência a pacientes graves este foi considerado um fator para 14 (46,6%), sentir desgaste,

emocional com o trabalho é considerado um fator estressor para 21 (70,0%), administrar ou

supervisar o trabalho de outras pessoas é um fator estressante para 18 (60%). Além disso,

foram identificados sentimentos em relação ao trabalho, especialmente as comunicações e a

maneira como as informações circulam na sua organização. Esses mostram como as

enfermeiras, participantes dessa pesquisa, apresentam um grau significativo de insatisfação no

processo de comunicação. Também evidenciou-se insatisfação com relação ao salário e a sua

experiência profissional. A estrutura da organização para as participantes desta pesquisa

apresentou-se com muita insatisfação. Da análise do conteúdo expresso pelas enfermeiras,

obtiveram-se 4 categorias temáticas: sofrimento no trabalho da enfermeira de centro cirúrgico;

prazer no trabalho da enfermeira de centro cirúrgico, relacionamento da enfermeira de centro

cirúrgico com o paciente, a equipe médica e a equipe de enfermagem; estratégias de

enfrentamento usadas pelas enfermeiras de centro cirúrgico. Conclui-se que o ambiente de

trabalho do centro cirúrgico é estressante em vários aspectos o que afeta o desempenho

profissional e pessoal das enfermeiras.

Palavras-Chaves: estresse psicológico; enfermagem em centro cirúrgico; princípios do

prazer–desprazer.

ABSTRACT

Aquino, J. M. Stressors in surgical nursing work: professional and personal consequences.

Doctoral Dissertation. University of São Paulo - Ribeirão Preto College of Nursing - SP,

2005.

In recent years, stress has been a subject of frequent discussions in the scientific community.

Various studies have presented stress as a cause of disease, which is considered as the

“problem of the century”. The surgical center is one of the most complex environments in

hospital, as it concentrates the human and material resources needed for the surgical act. Its

activities are frequently surrounded by a climate of tension, produced by the existence of

anxiety-creating stressing procedures, whether due to the gravity of patients’ conditions or the

complexity of anesthetic and surgical activities. This research aims to: identify stress among

nurses working at the surgical center; identify stressors in these nurses’ work environment;

relate these surgical nurses’ stress with pleasure and suffering at work. The sample consisted of

30 nurses who work at 7 surgical centers in hospitals located in Recife-PE, Brazil. Two of these

are university hospitals. Data were collected through the Nurses’ Stress Inventory and a

semistructured interview guided by a script, examining stress and stressors in these nurses’

daily work and their frequency. Study results are based on a sample of 30 female nurses, 60%

of whom are married and 66.7% chose nursing as the first option on their college entry exam.

The following causes of stress were identified: lack of material needed for work is a stressor for

29 professionals (93.7%), lack of human resources for 23 (73.3%), working in inadequate

physical installations for 22 (73.3 %), working with unprepared persons 17 (56.7%), delivering

care to serious patients for 14 (46.6%), feeling emotional exhaustion due to work for 21 (70.0%)

and managing or supervising other persons’ work for 18 (60%). Moreover, work-related feelings

were identified, especially related to communication and how information flows in their

organization. These show a significant degree of dissatisfaction about the communication

process among the participants. They also demonstrated dissatisfaction in terms of salary and

professional experience. The participants were very dissatisfied with organizational structure.

Four thematic categories resulted from the analysis of contents expressed by the nurses:

suffering in surgical nursing work; pleasure in surgical nursing work, relation between surgical

nurses and patients, the medical team and the nursing team; coping strategies used by surgical

nurses. The work environment at the surgical center is stressing in different respects, which

affects the nurses’ professional and personal performance.

Key words: psychological stress; surgical center nursing; principles of pleasure–displeasure.

RESUMEN

Aquino, J. M. Estresores en el trabajo de enfermería en centro quirúrgico: consecuencias

profesionales y personales. Tesis de Doctorado. Universidad de São Paulo - Escuela de

Enfermería de Ribeirão Preto - SP, 2005.

En los últimos años, el estrés ha sido un tema bastante discutido por la comunidad científica.

Diversos estudios han presentado el estrés como causador de enfermedades, siendo

considerado el “mal del siglo”. El centro quirúrgico es uno de los más complejos ambientes del

hospital, pues concentra los recursos humanos y materiales necesarios al acto quirúrgico y,

frecuentemente, sus actividades son desarrolladas en un clima de tensión, debido a la

existencia de procedimientos estresantes generadores de ansiedad, ya sea por la gravedad de

los pacientes o por la complejidad de los actos anestésico y quirúrgico. Los objetivos de esta

investigación son: identificar el estrés de los enfermeros de centro quirúrgico; identificar los

estresores del ambiente de trabajo de esos enfermeros; relacionar el estrés de los enfermeros

de centro quirúrgico con el placer y el sufrimiento en el trabajo. La muestra consistió en 30

enfermeras que trabajan en 7 unidades de centro quirúrgico de hospitales en la ciudad de

Recife-PE, Brasil. Dos de esos son hospitales universitarios. Se recopiló los datos mediante el

Inventario de Estrés para Enfermero y una entrevista semiestructurada con guión, investigando

el estrés, los estresores presentes en la cotidianidad de trabajo de las enfermeras y su

frecuencia. Los resultados de este estudio se basaron en la muestra de 30 profesionales

femeninos, el 60% de las cuales era casado. Para el 66,7% de la muestra, la enfermería fue la

primera opción en el examen de ingreso a la universidad. Se identificó los siguientes factores

como causadores de estrés: la falta de material necesario al trabajo es un factor estresor para

29 (93,7%), falta de recursos humanos para 23 (73,3%), trabajar en instalaciones físicas

inadecuadas 22 (73,3 %), trabajar con personas no preparadas 17 (56,7%), prestar asistencia a

pacientes graves para 14 (46,6%), sentir desgaste emocional por el trabajo 21 (70,0%) y

administrar o supervisar el trabajo de otras personas constituye un factor estresante para 18

(60%). Además, se identificó sentimientos con relación al trabajo, especialmente las

comunicaciones y la manera como las informaciones circulan en su organización. Esos

muestran como las participantes de esa investigación presentan un nivel significativo de

insatisfacción en el proceso de comunicación. También se demostró insatisfacción respecto al

salario y a su experiencia profesional. Para las participantes, la estructura de la organización se

presentó con gran insatisfacción. El análisis del contenido expreso por las enfermeras resultó en

4 categorías temáticas: sufrimiento en el trabajo de la enfermera de centro quirúrgico; placer en

el trabajo de la enfermera de centro quirúrgico, relacionamiento de la enfermera de centro

quirúrgico con el paciente, el equipo médico y el equipo de enfermería; estrategias de

afrontamiento usadas por las enfermeras de centro quirúrgico. Se concluye que el ambiente de

trabajo del centro quirúrgico es estresante en varios aspectos, lo que incide sobre el

desempeño profesional y personal de las enfermeras.

Palabras Clave: estrés psicológico; enfermería en centro quirúrgico; principios del placer–

displacer.

LISTAS DE QUADROS

Quadro 1 – Distribuição das enfermeiras de centro cirúrgico por hospital.

51

Recife –PE.........................

Quadro 2 – Caracterização da amostra de enfermeiras do centro cirúrgico.

63

Recife - PE..................................................................................................

Quadro 3 – Distribuição dos itens sobre fatores de estresse em suas

67

respectivas categorias. Recife – PE................................................

LISTAS DE FIGURAS

Figura 1 – Distribuição das respostas referente aos fatores de um a onze

das enfermeiras de centro cirúrgico em 7 hospitais públicos segundo a

80

“Como você se sente em relação ao seu trabalho” como estressor. Recife,

PE 2004

Figura 2 – Distribuição das respostas referente aos fatores de doze a vinte

dois das enfermeiras de centro cirúrgico em 7 hospitais públicos segundo a

82

“Como você se senti em relação ao seu trabalho” como estressor. Recife,

PE 2004.

LISTAS DE TABELAS

Tabela 1 - Distribuição das enfermeiras de centro cirúrgico em 7 hospitais

64

públicos segundo as instituições de ensino. Recife – Pe 2004.......

Tabela 2 - Distribuição das enfermeiras de centro cirúrgico em 7 hospitais

65

públicos segundo o turno de trabalho. Recife – Pe 2004...............................

Tabela 3 - Distribuição das respostas das enfermeiras de centro cirúrgico

em 7 hospitais segundo os “ Fatores intrínsecos do trabalho” como

68

estressores. Recife Pe

2004................................................................................................................

Tabela 4 - . Distribuição das respostas das enfermeiras de centro cirúrgico

em 7 hospitais segundo os “ Relações no trabalho” como estressores.

71

Recife Pe 2004..............................................................................................

Tabela 5 - Distribuição das respostas das enfermeiras de centro cirúrgico

em 7 hospitais segundo os“ Papeis estressores da carreira” como

74

estressores. Recife Pe 2004...........................................................................

Tabela 6 - Distribuição das respostas das enfermeiras de centro cirúrgico

em 7 hospitais segundo os“Estrutura e cultura organizacional” como

77

estressores. Recife Pe 2004...........................................................................

SUMÁRIO

I INTRODUÇÃO.......................................................................................... 15

2 OBJETIVOS............................................................................................ 21

3. REFERENCIAL TEÓRICO........................................................................

23

3.1 Estresse.............................................................................................

24

3.1.1 Burnout...............................................................................

33

3.1.2 Coping.................................................................................

34

3.2 Estresse Ocupacional........................................................................

36

3.3 Estresse, Prazer e Sofrimento no Trabalho.....................................

41

3.4 Teoria da Psicodinâmica do Trabalho..............................................

45

4. PERCURSO TEÓRICO-METODOLÓGICO..............................................

49

4.1 Tipo de Pesquisa................................................................................

49

4.2 Local da Pesquisa..............................................................................

50

4.3 População/Amostra............................................................................

50

4.4 Instrumentos para Coleta de Dados..............................................

52

4.4.1 Escala.................................................................................

52

4.4.2 Roteiro para Entrevista

55

4.5 Procedimentos Éticos........................................................................

56

4.6 Procedimentos para Coleta de Dados...........................................

56

4.7 Limitações do Estudo

58

4.8 Procedimento de Análise

58

5.

RESULTADOS E DISCUSSÃ DOS DADOS

62

5.1 Perfil sociodemográfico dos sujeitos.............................................

62

5.2 Estresse no trabalho das Enfermeiras no Centro Cirúrgico

66

5.3 Categorias Temáticas

87

6. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES

129

7. REFERÊNCIAS.......................................................... 136

8. APÊNDICE

A Termo de consentimento livre e esclarecido.............................

B Roteiro para entrevista.................................................................

9. ANEXOS

A. Parte A 3: Fatores de estresse para o profissional enfermeiro