Eventos Finais por Ellen G. White - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

Senhor Jesus Cristo nas nuvens do céu. — Carta 28, 1897.

O tempo exato da segunda vinda do Filho do homem é mistério

[34]

de Deus. — O Desejado de Todas as Nações, 633.

Nossa mensagem não é a de marcar tempo

Não pertencemos à classe de pessoas que definem o exato pe-

ríodo de tempo que decorrerá antes da segunda vinda de Jesus com

poder e grande glória. Alguns marcaram certo tempo, e quando

esse tempo passou, seu espírito presunçoso não aceitou a repreen-

são, e eles têm marcado diversas outras datas; numerosos malogros

sucessivos caracterizaram-nos, porém, como falsos profetas. — Fun-

damentos da Educação Cristã, 335.

Deus não dá a nenhum homem uma mensagem de que decor-

rerão cinco, dez ou vinte anos antes que termine a história deste

mundo. Ele não quer dar um pretexto para os seres viventes adiarem

a preparação para o Seu aparecimento. Não quer que alguém diga a

mesma coisa que o servo infiel: “Meu Senhor está demorando muito

para voltar”, pois isso conduz a temerária negligência das oportuni-

dades e privilégios concedidos para preparar-nos para aquele grande

dia. — The Review and Herald, 27 de Novembro de 1900.

Marcar tempo ocasiona descrença

Por isso que passou repetidamente a data marcada, o mundo está

hoje em mais positivo estado de incredulidade do que antes, com res-

peito ao próximo advento de Cristo. Consideram com aborrecimento

os fracassos dos que marcaram tempo; e por isso que os homens

têm sido assim enganados, dão costas à verdade consubstanciada

“Quando sucederão estas coisas?”

31

pela Palavra de Deus, de estar às portas o fim de todas as coisas. —

Testemunhos Seletos 1:504.

Entendo que o irmão [E. P.] Daniels tem, por assim dizer, mar-

cado tempo, afirmando que o Senhor virá dentro de cinco anos. Pois

[35]

bem, espero que não se alastre a impressão de que marcamos tempo.

Que não se faça tais comentários. Eles não produzem nenhum bene-

fício. Não procureis obter um reavivamento com base em algo dessa

natureza, mas seja usada a devida cautela em toda palavra proferida,

para que pessoas fanáticas não se aproveitem de alguma coisa para

produzir um avivamento que entristeça assim o Espírito do Senhor.

Não precisamos incitar as paixões das pessoas para provocar

agitações em que sejam instigados os sentimentos e os princípios

não assumam o controle. Acho que temos de estar de sobreaviso

de todos os lados, porque Satanás está em atividade para fazer tudo

que estiver ao seu alcance a fim de insinuar seus ardis e artimanhas

que sejam um poder para causar dano. Qualquer coisa que cause

agitação e produza movimentação por motivos errôneos deve ser

temida, pois certamente haverá reação. — Carta 34, 1887.

Sempre haverá movimentos falsos e fanáticos feitos na igreja por

pessoas que pretendem ser dirigidas por Deus — pessoas que corre-

rão antes de ser enviadas, e darão dia e data para o cumprimento da

profecia não cumprida. O inimigo se agrada de que assim procedam,

pois seus sucessivos fracassos e direção em sentido falso, causam

confusão e incredulidade. — Mensagens Escolhidas 2:84.

Nenhuma profecia de tempo além de 1844

Declarei positivamente na reunião campal de Jackson a esses

grupos fanáticos, que estavam fazendo a obra do adversário das

almas; achavam-se em trevas. Eles pretendiam possuir grande ilu-

minação quanto ao fim do tempo de graça em Outubro de 1844.

Declarei ali em público que o Senhor fora servido de mostrar-me

que não haveria nenhum tempo definido na mensagem dada por

[36]

Deus desde 1844. — Mensagens Escolhidas 2:73.

Nossa posição tem sido a de esperar e vigiar, sem proclamações

de algum tempo para interpor-se entre o fim dos períodos proféti-

cos em 1844 e o tempo da vinda de nosso Senhor. — Manuscript

Releases 10:270.

32

Eventos Finais

O povo não terá outra mensagem sobre um tempo definido.

Depois desse período de tempo (Apocalipse 10:4-6), estendendo-

se de 1842 a 1844, não pode haver um traçado definido do tempo

profético. A contagem mais longa vai até o outono de 1844. — The

S.D.A. Bible Commentary 7:971.

Ellen White esperava a volta de Cristo em seu tempo

Foi-me mostrado o grupo de pessoas presentes à Assembléia.

Disse o anjo: “Alguns, alimento para os vermes, alguns submetidos

às sete últimas pragas, alguns estarão vivos e permanecerão sobre

a Terra para serem trasladados por ocasião da vinda de Jesus.” —

Testemunhos para a Igreja 1:131-132.

O tempo é curto, por isso devemos trabalhar com diligência e re-

dobrada energia. Nossos filhos talvez nunca ingressem na faculdade.

— Testemunhos para a Igreja 3:159.

Na realidade não é prudente ter filhos agora. O tempo é curto,

os perigos dos últimos dias estão sobre nós, e as criancinhas, em

[37]

grande parte, serão levadas antes disso. — Carta 48, 1876.

Nesse século do mundo, quando as cenas da história terrestre

em breve hão de terminar e estamos prestes a entrar no tempo da

angústia tal como nunca houve, quanto menor o número de casa-

mentos realizados tanto melhor para todos, homens e mulheres. —

Testemunhos Seletos 2:124.

Chegará a hora; não está muito distante, e alguns de nós que

agora cremos estarão vivos sobre a Terra e verão confirmar-se a

predição, e ouvirão a voz do arcanjo e a trombeta de Deus ecoar

de montanhas, de planícies e do mar às partes mais longínquas da

Terra. — The Review and Herald, 31 de Julho de 1888.

O tempo de prova está exatamente diante de nós, pois o alto

clamor do terceiro anjo já começou na revelação da justiça de Cristo,

o Redentor que perdoa os pecados. — Mensagens Escolhidas 1:363.

A demora explicada

A longa noite de trevas é probante, mas em misericórdia é adiada

a manhã, porque se o Mestre viesse, quantos se achariam desaperce-

bidos! — Testemunhos para a Igreja 2:194.

“Quando sucederão estas coisas?”

33

Houvessem os adventistas, depois do grande desapontamento

de 1844, sustido firme sua fé e seguido avante unidos, segundo a

providência de Deus lhes abria o caminho, recebendo a mensagem

do terceiro anjo e no poder do Espírito Santo proclamando-a ao

mundo, haveriam visto a salvação de Deus, o Senhor teria operado

poderosamente com os esforços deles, a obra haveria sido concluída,

[38]

e Cristo teria vindo antes para receber Seu povo para dar-lhe o

seu galardão. ... Não era a vontade de Deus que a vinda de Cristo

houvesse sido assim retardada. ...

Por quarenta anos a incredulidade, a murmuração e a rebelião

excluíram o antigo Israel da terra de Canaã. Os mesmos pecados

têm retardado a entrada do Israel moderna na Canaã celestial. Em

nenhum dos casos houve falta da parte das promessas de Deus. É a

incredulidade, a mundanidade, a falta de consagração e a contenda

entre o professo povo de Deus que nos têm detido neste mundo de

pecado e dor por tantos anos. — Evangelismo, 695-696.

Houvesse a igreja de Cristo feito a obra que lhe era designada,

como Ele ordenou, o mundo inteiro haveria sido antes advertido, e

o Senhor Jesus teria vindo à Terra em poder e grande glória. — O

Desejado de Todas as Nações, 634.

As promessas de Deus são condicionais

Em suas mensagens aos homens, os anjos de Deus apresentam o

tempo como sendo muito breve. Ver Romanos 13:11-12; 1 Coríntios

7:29; 1 Tessalonicenses 4:15-17; Hebreus 10:25; Tiago 5:8-9; 1 Pe-

dro 4:7; Apocalipse 22:6-7. Assim me tem sempre sido apresentado.

Verdade é que o tempo se tem prolongado além do que esperávamos

nos primitivos dias desta mensagem. Nosso Salvador não apareceu

tão breve como esperávamos. Falhou, porém, a Palavra de Deus?

Absolutamente! Cumpre lembrar que as promessas e as ameaças

de Deus são igualmente condicionais. Ver Jeremias 18:7-10; Jonas

3:4-10. ...

[39]

Talvez tenhamos de permanecer muitos anos mais neste mundo

por causa de insubordinação, como aconteceu com os filhos de Israel;

mas por amor de Cristo, Seu povo não deve acrescentar pecado a

pecado, responsabilizando a Deus pela conseqüência de seu próprio

procedimento errado. — Evangelismo, 695-696.

34

Eventos Finais

Pelo que Cristo está esperando

Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo

em Sua igreja. Quando o caráter e Cristo se reproduzir perfeitamente

em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus.

Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de

nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. Se todos

os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória,

quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente

do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e

Cristo viria recolher o precioso grão. — Parábolas de Jesus, 69.

Dando o evangelho ao mundo, está em nosso poder apressar a

volta de nosso Senhor. Não nos cabe apenas aguardar, mas apressar

o dia de Deus. 2 Pedro 3:12. — O Desejado de Todas as Nações,

633-634.

Ele... pôs ao nosso alcance, mediante a cooperação com Ele,

levar esta cena de miséria a termo. — Educação, 264.

Um limite à clemência de Deus

Com infalível precisão, o Ser infinito ainda mantém, por assim

dizer, uma conta com todas as nações. Enquanto Sua misericórdia

[40]

se oferece com convites ao arrependimento, esta conta permanecerá

aberta; quando, porém, os algarismos atingem um certo total que

Deus fixou, começa o ministério de Sua ira. — Testemunhos Seletos

2:63.

Deus mantém um registro das nações. Os números estão-se

avolumando contra elas nos livros do Céu, e quando se houver

tornado uma lei que a transgressão do primeiro dia da semana será

enfrentada com punições, então sua medida estará cheia. — The

S.D.A. Bible Commentary 7:910.

Deus mantém uma conta com as nações. ...Quando chegar plena-

mente o tempo em que a iniqüidade terá atingido o prescrito limite

da misericórdia de Deus, cessará Sua clemência. Quando os números

acumulados nos livros de registro do Céu indicarem que o total da

transgressão está completo, virá a ira. — Testemunhos para a Igreja

5:524.

“Quando sucederão estas coisas?”

35

Ao mesmo tempo em que a misericórdia de Deus suporta lon-

gamente o transgressor, há um limite além do qual os homens não

podem ir no pecado. Quando é atingido aquele limite, os ofereci-

mentos de misericórdia são retirados, e inicia-se o ministério do

juízo. — Patriarcas e Profetas, 162-165.

Tempo virá em que em suas fraudes e insolências os homens

atingirão o ponto que o Senhor não permitirá que transponham, e

aprenderão que há um limite para a longanimidade de Jeová. —

Testemunhos Seletos 3:281-282.

Há um limite além do qual os juízos de Jeová não podem mais

ser detidos. — Profetas e Reis, 417.

[41]

A transgressão quase atingiu o seu limite

O tempo durará um pouco mais até que os habitantes da Terra

tenham enchido a medida de sua iniqüidade, e então a ira de Deus,

que por tanto tempo tem estado dormitando, se despertará, e esta

terra de luz beberá da taça de Sua ira sem mistura. — Testemunhos

para a Igreja 1:363.

A medida da iniqüidade está quase cheia, e a justiça eqüitativa

de Deus está prestes a cair sobre os culpados. — Testemunhos para

a Igreja 4:489.

A maldade dos habitantes do mundo já quase chegou ao ponto

em que Deus há de permitir ao destruidor operar com ela segundo

sua vontade. — Testemunhos Seletos 3:142.

A transgressão já atingiu quase seus limites. O mundo está cheio

de confusão, e em breve apoderar-se-á das criaturas humanas um

grande terror. O fim está muito próximo. Nós, que conhecemos a

verdade, nos devemos estar preparando para o que está prestes a

rebentar sobre o mundo numa esmagadora surpresa. — Serviço

Cristão, 51.

Devemos ter em mente o grande dia de Deus

Precisamos acostumar-nos a pensar e demorar-nos sobre as gran-

des cenas do julgamento que se acha precisamente diante de nós, e

então, ao mantermos diante de nós as cenas do grande dia de Deus

36

Eventos Finais

em que tudo será revelado, isso influirá sobre o nosso caráter. Um

irmão me disse:

[42]

“Irmã White, acha que o Senhor virá dentro de dez anos?”

“Que diferença fará para o irmão se Ele vier dentro de dois,

quatro ou dez anos?”

“Ora”, disse ele, “penso que, nalguns aspectos, eu agiria de modo

diferente do que faço agora, se soubesse que o Senhor viria dentro

de dez anos.”

“O que o irmão faria?” perguntei.

“Ora”, disse ele, “eu venderia minha propriedade, começaria a

examinar a Palavra de Deus, procuraria advertir as pessoas e levá-las

a se prepararem para Sua vinda, e suplicaria a Deus que eu estivesse

preparado para o encontro com Ele.”

Então perguntei: “Se soubesse que o Senhor não viria dentro de

vinte anos, viveria de maneira diferente?”

Ele respondeu: “Penso que sim.” ...

Quão egoísta era a expressão de que levaria uma vida diferente

caso soubesse que o seu Senhor viria dentro de dez anos! Pois bem,

Enoque andou trezentos anos com Deus. Isto é uma lição para nós,

a fim de que andemos cada dia com Deus, e não estaremos seguros

se não esperarmos e vigiarmos. — Manuscrito 10, 1886.

A brevidade do tempo

Que o Senhor, de dia e de noite, não dê descanso aos que são

agora descuidados e na causa e obra de Deus! O fim está próximo.

Isto é o que Jesus quer que sempre mantenhamos diante de nós — a

brevidade do tempo. — Carta 97, 1886.

Quando, com os remidos, estivermos em pé sobre o mar de

vidro, com harpas de ouro e coroas de glória, tendo à nossa frente a

imensurável eternidade, então veremos como foi curto o período de

[43]

provação e espera. — Manuscript Releases 10:266.

Capítulo 4 — A igreja de Deus nos últimos dias

O povo de Deus guarda os seus mandamentos

Deus tem na Terra uma igreja que está erguendo a lei pisada

a pés, e apresentando aos homens o Cordeiro de Deus que tira o

pecado do mundo. ...

No mundo só existe uma igreja que presentemente se acha na

brecha, tapando o muro e restaurando os lugares assolados. ...

Sejam todos cuidadosos para não clamarem contra o único povo

que está cumprindo a descrição dada do povo remanescente, que

guarda os mandamentos de Deus e tem a fé em Jesus. ... Deus tem

um povo distinto, uma igreja na Terra, inferior a nenhuma outra,

mas a todas superior em suas facilidades para ensinar a verdade,

para vindicar a Lei de Deus. ... Meu irmão, se estais ensinando que

a Igreja Adventista do Sétimo Dia é Babilônia, estais errado. —

Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 50, 58-59.

[44]

Eles têm o testemunho de Jesus

À proporção que se avizinha o fim e há um contínuo crescimento

da obra, que tem por objetivo transmitir ao mundo a última adver-

tência, vai-se tornando mais importante para os que abraçaram a

verdade, possuir uma compreensão clara tanto da natureza como da

influência dos Testemunhos que Deus, em Sua providência, vincu-

lou à obra da terceira mensagem angélica desde a sua origem. —

Testemunhos Seletos 2:270.

Os homens poderão apresentar um ardil após o outro, e o inimigo

procurará desviar as almas da verdade, mas todos os que crêem que o

Senhor tem falado por intermédio da irmã White, e lhe tem dado uma

mensagem, estarão livres dos muitos enganos que surgirão nestes

últimos dias. — Mensagens Escolhidas 3:83-84.

Haverá pessoas que pretenderão ter visões. Quando Deus vos

der claro testemunho de que a visão é dEle, podeis aceitá-la, mas

não aceiteis sob nenhum outro testemunho; pois o povo vai ser mais

37

38

Eventos Finais

e mais desencaminhado em países estrangeiros e na América. —

Mensagens Escolhidas 2:72.

Os seus marcos: as doutrinas bíblicas

O passar do tempo em 1844 foi um período de grandes aconteci-

mentos, expondo ao nosso admirado olhar a purificação do santuário

que ocorre no Céu, e tendo clara relação com o povo de Deus na

Terra, e com as mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro

[45]

anjo, desfraldando o estandarte em que havia a inscrição: “Os man-

damentos de Deus e a fé de Jesus.” Um dos marcos desta mensagem

era o templo de Deus, visto no Céu por Seu povo que ama a verdade,

e a arca, que contém a lei de Deus. A luz do sábado do quarto manda-

mento lançava os seus fortes raios no caminho dos transgressores da

lei de Deus. A não-imortalidade dos ímpios é um marco antigo. Não

consigo lembrar-me de alguma outra coisa que possa ser colocado

na categoria dos velhos marcos. — Counsels to Writers and Editors,

30-31.

A missão especial dos adventistas do sétimo dia

O Senhor nos tornou os depositários de Sua lei; Ele confiou-nos

a sagrada e eterna verdade, que deve ser transmitida a outros em

fiéis advertências, repreensões e encorajamento. — Testemunhos

para a Igreja 5:381.

Os adventistas do sétimo dia foram escolhidos por Deus como

um povo peculiar, separado do mundo. Com a grande talhadeira

da verdade Ele os cortou da pedreira do mundo, e os ligou a Si.

Tornou-os representantes Seus, e os chamou para serem embaixado-

res Seus na derradeira obra de salvação. O maior tesouro da verdade

já confiado a mortais, as mais solenes e terríveis advertências que

Deus já enviou aos homens, foram confiadas a este povo, a fim de

serem transmitidas ao mundo. — Testemunhos Seletos 3:140.

Em sentido especial foram os adventistas do sétimo dia postos

no mundo como atalaias e portadores de luz. A eles foi confiada

[46]

a última mensagem de advertência a um mundo a perecer. Sobre

eles incide maravilhosa luz da Palavra de Deus. Confiou-se-lhes

uma obra da mais solene importância: a proclamação da primeira,

A igreja de Deus nos últimos dias

39

segunda e terceira mensagens angélicas. Nenhuma obra há de tão

grande importância. Não devem eles permitir que nenhuma outra

coisa lhes absorva a atenção. — Testemunhos Seletos 3:288.

Por que foi organizada a igreja Adventista do Sétimo Dia

Aumentando o nosso número, tornou-se evidente que sem al-

guma forma de organização, haveria grande confusão, e a obra não

seria levada avante com êxito. A organização era indispensável

para prover a manutenção do ministério, para levar a obra a novos

campos, para proteger dos membros indignos tanto as igrejas como

os ministros, para conservação das propriedades da igreja, para a

publicação da verdade pela imprensa, e para muitos outros fins. ...

Seu Espírito nos iluminou, mostrando-nos que deveria haver

ordem e perfeita disciplina na igreja, e era essencial a organização.

Método e ordem manifestam-se em todas as obras de Deus, em todo

o Universo. A ordem é a lei do Céu, e deveria ser a lei do povo

de Deus sobre a Terra. — Testemunhos para Ministros e Obreiros

Evangélicos, 26.

A organização sempre será essencial

A menos que as igrejas sejam organizadas de tal maneira que

possam ter e impor ordem, nada poderão esperar quanto ao futuro.

— Testemunhos para a Igreja 1:270.

[47]

Oh! como Satanás se regozijaria se alcançasse êxito em seus

esforços de penetrar no meio deste povo, e desorganizar a obra

num tempo em que a organização integral é essencial, e constitui

a maior força para evitar os levantes espúrios, e refutar pretensões

não abonadas pela Palavra de Deus! Precisamos manter as linhas

uniformemente, para que não haja quebra do sistema de organização

e ordem, que se ergueu por meio de sábio, cuidadoso labor. Não se

deve dar autonomia a elementos desordeiros que desejem controlar

a obra neste tempo.

Alguns têm apresentado a idéia de que, ao aproximarmo-nos

do fim do tempo, cada filho de Deus agirá independentemente de

qualquer organização religiosa. Mas fui instruída pelo Senhor de

40

Eventos Finais

que nesta obra não há isso de cada qual ser independente. — Teste-

munhos Seletos 3:405-406.

À medida que nos aproximamos da crise final, em vez de achar

que há menos necessidade de ordem e harmonia de ação, devemos

ser mais sistemáticos do que temos sido até agora. — Mensagens

Escolhidas 3:26.

A autoridade especial da igreja de Deus

Deus investiu Sua Igreja de especial autoridade e poder que

ninguém tem razão em desrespeitar e desprezar, pois ao proceder

assim está desprezando a voz de Deus. — Testemunhos para a Igreja

3:417.

O mais alto poder abaixo do Céu, concedeu o Senhor a Sua

[48]

igreja. É a voz de Deus em Seu povo reunido na qualidade de uma

igreja, que deve ser respeitada. — Testemunhos Seletos 1:395.

Um tempo de debilidade e cegueira espirituais

Foi confirmado tudo quanto declarei em Mineápolis: que preci-

sava haver uma reforma nas igrejas. Deviam ser efetuadas reformas,

pois a debilidade e a cegueira espirituais se apossaram das pessoas

que tinham sido agraciadas com grande luz e preciosas oportunida-

des e privilégios. Como reformadores, elas haviam saído das igrejas

denominacionais, mas desempenham agora uma parte semelhante à

que desempenharam as igrejas. Tínhamos a esperança de que não

haveria necessidade de outra saída. Embora nos esforcemos por

“preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”, não deixare-

mos, pela pena e pela voz, de protestar contra o fanatismo. — The

Ellen G. White 1888 Materials, 356-357.

Cristo diz o seguinte daqueles que se ufanam de sua luz mas não

andam nela: “Por isso Eu vos digo que haverá menos rigor para Tiro

e Sidom, no dia do juízo, do que para vós outros. E tu, Cafarnaum

[adventistas do sétimo dia que tiveram grande luz], que te ergues

até aos céus [com referência a privilégios], serás abatida até aos

infernos; porque, se em Sodoma tivessem sido feitos os prodígios

que em ti se operaram, teria ela permanecido até hoje.” The Review

[49]

and Herald, 1 de Agosto de 1893.

A igreja de Deus nos últimos dias

41

A igreja está na condição laodiceana. A presença de Deus não

está no meio dela. — Notebook Leaflets 1:99.

Abuso de poder na sede da igreja

A própria Associação Geral se está corrompendo com sentimen-

tos e princípios errôneos. ...

Têm os homens tirado injusta vantagem sobre aqueles que eles

supõem estarem sob sua jurisdição. Determinaram coagir os indiví-

duos; governariam ou arruinariam. ...

O poder despótico que se tem desenvolvido, como se a posição

tivesse feito dos homens deuses, faz-me temer, e deveria causar

temor. É uma maldição onde quer e por quem quer que seja exercido.

— Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 359-361.

Há pesadas responsabilidades em demasia sobre uns poucos ho-

mens, e alguns não fazem de Deus o seu Conselheiro. Que sabem

esses homens das necessidades da obra em campos estrangeiros? De

que modo poderão saber como decidir as perguntas que lhes vêm,

pedindo informação? Seriam necessários três meses para os que es-

tão em campos estrangeiros receberem a resposta de suas perguntas,

mesmo que não houvesse demora em escrever. — Testemunhos para

Ministros e Obreiros Evangélicos, 321.

Os que vivem em países distantes não farão o que o bom senso

lhes diz que é correto sem primeiro pedirem permissão a Battle

Creek. Antes de prosseguirem, eles aguardam o Sim ou o Não desse

lugar. — Special Testimonies, Series A, 9:32.

[50]

Não é sensato escolher só um homem para Presidente da As-

sociação Geral. A obra da Associação Geral tem-se estendido, e

algumas coisas se têm tornado desnecessariamente complicadas.

Tem-se revelado uma falta de discernimento. Deve haver uma divi-

são do campo ou se deve idear qualquer outro plano para mudar a

presente ordem de coisas. — Testemunhos para Ministros e Obreiros

Evangélicos, 342.

42

Eventos Finais

Líderes imprudentes não falam por Deus

A voz de Battle Creek, que tem sido considerada como autori-

dade para determinar de que maneira deve ser efetuada a obra, não é

mais a voz de Deus. — Manuscript Releases 17:185.

Faz alguns anos que eu considerava a Associação Geral como a

voz de Deus. — Manuscript Releases 17:216.

Isso desses homens se encontrarem num lugar sagrado, para se-

[51]

rem como a voz de Deus para o povo, conforme antes acreditávamos

ser a Associação Geral — é algo que já passou. — The General

Conference Bulletin, 3 de Abril de 1901, p. 25.

Não há necessidade de uma nova denominação

Tomais passagens dos Testemunhos que falam do fim do tempo

da graça, da sacudidura do povo de Deus, e falais da saída dentre

esse povo de um outro povo mais puro, santo, que surgirá. Ora, tudo

isso agrada ao inimigo. ... Aceitassem muitos os pontos de vista

que avançais, e falassem e agissem baseados nisso, e veríamos uma

das maiores exibições de fanatismo jamais testemunhadas entre os

adventistas do sétimo dia. Isso é o que Satanás quer. — Mensagens

Escolhidas 1:179.

O Senhor não vos deu uma mensagem para chamar os adventistas

do sétimo dia Babilônia, e chamar o povo de Deus a sair dela. Todas

as razões que possais apresentar não podem, quanto a mim, ter peso

nesse assunto, porque o Senhor me deu decisivo esclarecimento em

oposição a tal mensagem.

Sei que o Senhor ama Sua igreja. Ela não deve ser desorganizada

ou esfacelada em átomos independentes. Não há nisto a mínima

coerência; não existe a mínima evidência de que tal coisa venha a se

dar. — Mensagens Escolhidas 2:63, 68-69.

Digo-vos, meus irmãos, que o Senhor tem um corpo organizado

por cujo intermédio Ele irá operar. ... Quando alguém se afasta do

corpo organizado do povo que observa os mandamentos de Deus,

[52]

quando começa a pesar a Igreja em suas balanças humanas e a acusá-

la, podeis saber que Deus não o está dirigindo. Ele se encontra no

caminho errado. — Mensagens Escolhidas 3:17-18.

A igreja de Deus nos últimos dias

43

Deus porá tudo em ordem

Não há necessidade de duvidar, de estar temeroso de que a obra

não seja bem-sucedida. Deus está à testa da obra, e porá tudo em

ordem. Caso haja coisas necessitando serem ajustadas na direção

da obra, Deus atenderá a isso, e trabalhará para endireitar todo erro.

Tenhamos fé que Deus vai conduzir a nobre nau que transporta o

Seu povo, em segurança, para o porto. — Mensagens Escolhidas

2:390.

Não tem Deus uma igreja viva? Ele tem uma igreja, mas esta

é a igreja militante, e não a igreja triunfante. Entristecemo-nos de

que haja membros defeituosos, de que haja joio no meio do trigo. ...

Embora existam males na igreja, e tenham de existir até ao fim do

mundo, a igreja destes últimos dias há de ser a luz do mundo poluído

e desmoralizado pelo pecado. A igreja, débil e defeituosa, precisando

ser repreendida, advertida e aconselhada, é o único objeto na Terra

ao qual Cristo confere Sua suprema consideração. — Testemunhos

para Ministros e Obreiros Evangélicos, 45-49.

Os baluartes de Satanás nunca hão de triunfar. A vitória acom-

panhará a terceira mensagem angélica. Como o Capitão do exército

do Senhor derribou os muros de Jericó, assim triunfará o povo que

guarda os mandamentos do Senhor e serão derrotados todos os

elementos oponentes. — Testemunhos para Ministros e Obreiros

Evangélicos, 410.

[53]

É recomendada a distribuição de responsabilidades

O que necessitamos agora é de reorganização. Precisamos co-

meçar pelos alicerces e edificar sobre um princípio diferente. ...

Aqui há homens que estão à frente de nossas várias institui-

ções, dos interesses educacionais e das associações em localidades e

Estados diferentes. Todos estes devem ser homens representativos,

ter voz ativa em elaborar e formar os planos que serão postos em

execução. Deve haver mais de um, dois ou três homens para atender

a todo o vasto campo. A obra é grande, e não há uma mente humana

que, por si só, possa planejar a obra que precisa ser efetuada. ...

Pois bem, desejo dizer que Deus não pôs algum régio poder em

nossas fileiras para controlar este ou aquele ramo da obra. O trabalho

44

Eventos Finais

tem sido muito restringido pelos esforços para controlá-lo em todo o

sentido. ... Precisa haver uma renovação, uma reorganização; tem de

ser introduzido um poder e vigor nas comissões que são necessárias.

— The General Conference Bulletin, 3 de Abril de 1901, p. 25-26.

Devem ser formadas novas associações. Estava de acordo com o

plano de Deus que fosse organizada a União-associação na Australá-

sia. ... Não é necessário mandar pedir o conselho de Battle Creek, a

milhares de quilômetros de distância, e ter então de esperar semanas

pela resposta. Aqueles que se encontram no próprio local devem

decidir o que tem de ser feito. — The General Conference Bulletin,

[54]

5 de Abril de 1901, p. 69-70.

A assembléia da Associação Geral de 1901 se mostra sensível

Quem supondes vós tem estado entre nós desde que começou

esta assembléia? Quem tem mantido afastados os aspectos censu-

ráveis que geralmente aparecem numa reunião como essa? Quem

tem andado de um lado para outro nos corredores deste Taberná-

culo? O Deus do Céu e Seus anjos. E eles não vieram até aqui para

dilacerar-vos, mas para conceder-vos mentes sãs e tranqüilas. Têm

estado entre nós para realizar as obras de Deus, e deter os poderes

das trevas, para que não fosse impedida a obra que Ele queria que se

realizasse. Os anjos de Deus têm estado trabalhando entre nós. ...

Nunca fiquei mais surpresa em minha vida do que pelo rumo que

as coisas tomaram nesta reunião. Esta obra não é nossa. Foi efetuada

por Deus. Foram-me apresentadas instruções a esse respeito, mas até

que a questão fosse resolvida nesta reunião, não consegui entender

tais instruções. Anjos de Deus têm andado de um lado para outro

nesta congregação. Desejo que cada um de vós se lembre disso, e

desejo que vos lembreis também de que Deus disse que curaria as

feridas de Seu povo. — The General Conference Bulletin, 25 de

Abril de 1901, p. 463-464.

Durante a assembléia da Associação Geral o Senhor atuou po-

derosamente por Seu povo. Toda vez que penso nessa reunião, uma

agradável solenidade se apodera de mim, transmitindo-me à alma

um fulgor de gratidão. Vimos os majestosos passos do Senhor nosso

Redentor. Louvamos o Seu santo nome, pois Ele trouxe livramento

[55]

a Seu povo. — The Review and Herald, 26 de Novembro de 1901.

A igreja de Deus nos últimos dias

45

Tem sido necessário organizar uniões-associações, para que a

Associação Geral não exerça um domínio arbitrário sobre todas as

associações separadas. O poder conferido à Associação não deve

concentrar-se num só homem, ou em dois ou seis; deve haver um

conselho de homens sobre as divisões separadas. — Manuscrito 26

de Abril de 1903.

É reafirmada a confiança na organização ASD

Não podemos desviar-nos agora do fundamento estabelecido por

Deus. Não podemos agora entrar em nenhuma nova organização;

pois isto significaria apostasia da verdade. — Mensagens Escolhidas

2:390.

Sou instruída a dizer aos adventistas do sétimo dia em todo o

mundo: Deus chamou-nos como um povo para sermos-Lhe particu-

lar tesouro. Ele designou que Sua igreja na Terra esteja perfeitamente

unida no Espírito e conselho do Senhor dos exércitos até ao fim do

tempo. — Mensagens Escolhidas 2:397.

Por vezes, quando um pequeno grupo de homens, aos quais se

acha confiada a direção geral da obra tem procurado, em nome da

Associação Geral, exercer planos imprudentes e restringir a obra de

Deus, tenho dito que eu não poderia por mais tempo considerar a

voz da Associação Geral, representada por esses poucos homens,

como a voz de Deus. Mas isto não equivale a dizer que as decisões

[56]

de uma Associação Geral composta de uma Assembléia de homens

representativos e devidamente designados, de todas as partes do

campo, não deva ser respeitada.

Deus ordenou que os representantes de Sua igreja de todas as

partes da Terra, quando reunidos numa Associação Geral, devam

ter autoridade. O erro que alguns estão em perigo de cometer, é

dar à opinião e ao juízo de um homem, ou de um pequeno grupo

de homens, a plena medida de autoridade e influência de que Deus

revestiu Sua igreja, no juízo e voz da Associação Geral reunida para

fazer planos para a prosperidade e avançamento de Sua obra. —

Testemunhos Seletos 3:408.

Deus investiu Sua igreja de especial autoridade e poder, por cuja

desconsideração e desprezo ninguém se pode justificar; pois aquele

46

Eventos Finais

que assim procede, despreza a voz de Deus. — Atos dos Apóstolos,

164.

Sou animada e beneficiada ao compreender o que o Deus de

Israel ainda guia Seu povo, e que continuará com eles, até ao fim. —

Mensagens Escolhidas 2:406.

Uma declaração de W. C. White

Eu lhe contei [à Sra. Lida Scott] como Mamãe considerava a ex-

[57]

periência da Igreja remanescente, e falei sobre o seu ensino positivo

de que Deus não permitiria que esta denominação apostatasse tão

completamente que houvesse o aparecimento de outra igreja. Carta

de W. C. White a E. E. Andross, 23 de Maio de 1915, Arquivo de

Correspondência do Patrimônio Literário White.

O reavivamento espiritual ainda é necessário

Certa vez, ao meio-dia, eu estava escrevendo sobre a obra que

poderia ter sido realizada na última assembléia da Associação Geral

[1901] se os homens em posição de confiança houvessem seguido a

vontade e o caminho de Deus. Os que têm tido grande luz não têm

andado na luz. A reunião se encerrou, e não foi efetuada a mudança.

Os homens não se humilharam diante do Senhor, como deveriam ter

feito, e não foi comunicado o Espírito Santo.

Eu havia escrito até esse ponto, quando perdi a consciência e

parecia estar presenciando uma cena em Battle Creek.

Estávamos reunidos no auditório do Tabernáculo. Foi feita uma

oração, cantado um hino e houve outra oração. Fizeram-se fervorosas

súplicas a Deus. A reunião foi assinalada pela presença do Espírito

Santo. ...

Ninguém parecia ser tão orgulhoso que não pudesse fazer sincera

confissão, e os que tomaram a dianteira nessa obra foram os que

tinham influência, mas antes não tiveram coragem para confessar

seus pecados.

Houve tal regozijo como nunca dantes se ouvira no Tabernáculo.

Então despertei de meu estado de inconsciência e durante algum

tempo não consegui lembrar-me de onde eu estava. Ainda tinha

[58]

a caneta na mão. Foram-me proferidas as palavras: “Isto poderia

A igreja de Deus nos últimos dias

47

haver acontecido. O Senhor esperava realizar tudo isso por Seu

povo. Todo o Céu estava à espera para ser benigno.” Pensei onde

poderíamos encontrar-nos se houvesse sido efetuada uma obra cabal

na última assembléia da Associação Geral. — Testemunhos para a

Igreja 8:104-106.

Fiquei profundamente impressionada pelas cenas que recente-

mente passaram diante de mim, à noite. Parecia existir um grande

movimento — um trabalho de reavivamento — em ação em vários

lugares. Nosso povo movia-se em linha e respondia ao apelo de

Deus. — Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 515.

A paciência de Deus com seu povo

A Igreja falhou, falhou deploravelmente, em corresponder às

expectativas de seu Redentor, e, contudo, o Senhor não Se afasta de

Seu povo. Ainda é complacente com eles, não por causa de alguma

bondade que se encontre neles, mas para que o Seu nome não seja

desonrado perante os inimigos da verdade e da justiça, para que as

instrumentalidades satânicas não exultem na destruição do povo de

Deus. Por muito tempo Ele tem suportado sua obstinação, descrença

e insensatez. O Senhor os tem disciplinado com admirável clemência

e compaixão. Se atenderem às Suas instruções, Ele removerá suas

más tendências, salvando-os com uma salvação eterna e tornando-os

eternos monumentos do poder de Sua graça. — The Signs of the

Times, 13 de Novembro de 1901.

Devemos lembrar que a igreja, enfraquecida e defeituosa como

seja, é o único objeto na Terra a que Cristo concede Sua suprema

[59]

consideração. Ele vela constantemente com solicitude por ela, e

fortalece-a por Seu Espírito Santo. — Mensagens Escolhidas 2:396.

Deus coopera com os que são fiéis a Ele

O Senhor Jesus sempre terá um povo escolhido para servi-Lo.

Quando o povo judeu rejeitou a Cristo, o Príncipe da Vida, Ele

tirou-lhes o reino de Deus e entregou-o aos gentios. Deus continuará

lidando com cada ramo de Sua obra de acordo com esse princípio.

Quando uma igreja demonstra ser infiel à Palavra do Senhor,

seja qual for sua posição e por mais elevada e sagrada que seja sua

48

Eventos Finais

vocação, o Senhor não pode mais cooperar com eles. Outras pessoas

são então escolhidas para assumir importantes responsabilidades.

No entanto, se estes, por sua vez, não purificarem a vida de toda má

ação, se não estabelecerem puros e santos princípios em todos os

aspectos de sua vida, o Senhor os afligirá e humilhará dolorosamente,

e, a não ser que se arrependam, os removerá da posição que ocupam,

tornando-os um opróbrio. — Manuscript Releases 14:102.

Julgados pela luz concedida

Nas balanças do santuário há de ser pesada a Igreja Adventista do

Sétimo Dia. Ela será julgada pelos privilégios e vantagens que tem

gozado. Se sua experiência espiritual não corresponde às vantagens

que, a preço infinito, Cristo lhe concedeu; se as bênçãos que lhe

foram conferidas não a habilitarem para fazer a obra que lhe foi

[60]

confiada, sobre ela será pronunciada a sentença: “Achada em falta”.

Pela luz que lhe foi concedida, pelas oportunidades dadas, será ela

julgada. ...

Solenes admoestações e advertências, manifestas na destruição

de muito acariciadas instalações para o serviço, como que nos dizem:

“Lembra-te pois donde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras

obras.” Apocalipse 2:5. ...

A menos que se arrependa e converta a igreja que agora está a

levedar-se com sua apostasia, comerá do fruto de seus próprios atos,

até que se aborreça a si mesma. Quando resistir ao mal e escolher o

bem, quando buscar a Deus com toda a humildade e alcançar sua alta

vocação em Cristo, permanecendo na plataforma da verdade eterna,

e pela fé lançar mão dos dons que para ela se acham preparados,

então será curada. Aparecerá então na simplicidade e pureza que

Deus lhe deu, separada de embaraços terrenos, mostrando que a

verdade com efeito a libertou. Então seus membros serão na verdade

os escolhidos de Deus, os Seus representantes. — Testemunhos

Seletos 3:251, 252-254.

A história de Israel, uma advertência para nós

Nestes últimos dias, o povo de Deus será exposto aos mesmos

perigos que o antigo Israel. Os que não aceitarem as advertências

A igreja de Deus nos últimos dias

49

que Deus dá cairão nos mesmos perigos que o antigo Israel, e não

poderão entrar no descanso por causa da incredulidade. O antigo

Israel sofreu calamidades devido aos seus corações não santifica- [61]

dos e vontades insubmissas. Sua rejeição final como nação foi o

resultado de sua própria incredulidade, confiança em si mesmo, im-

penitência, cegueira mental e dureza de coração. Em sua história

nos é apresentado um sinal de perigo.

“Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer

de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus

vivo. ... Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se de

fato guardarmos firme até ao fim a confiança que desde o princípio

tivemos.” Hebreus 3:12-14. — Carta 30, 1895.

A igreja militante é imperfeita

A igreja militante não é a igreja triunfante, e a Terra não é o Céu.

A igreja se compõe de homens e mulheres errantes e imperfeitos,

que são apenas alunos na escola de Cristo, a fim de serem adestrados,

disciplinados, educados, para esta vida e para a futura vida imortal.

— The Signs of the Times, 4 de Janeiro de 1883.

Algumas pessoas parecem pensar que ao entrar na igreja ser-lhes-

ão cumpridas as expectativas, e só encontrarão os que são puros e

perfeitos. São zelosas na fé, e ao verem faltas nos membros da igreja,

dizem: “Abandonamos o mundo para não nos associarmos com

caracteres maus, mas aqui também está o mal”; e perguntam, como

os servos da parábola: “Por que tem então joio?” Mas não precisamos

ficar assim desapontados, pois o Senhor não nos autorizou a chegar

à conclusão de que a igreja é perfeita; e todo o nosso zelo não terá

êxito em tornar a igreja militante tão pura como a igreja triunfante. [62]

— Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, 47.

A igreja triunfante será fiel e semelhante a Cristo

A obra está prestes a concluir-se. Os membros da igreja militante

que se houverem demonstrado fiéis, tornar-se-ão a igreja triunfante.

— Evangelismo, 707.

A vida de Cristo estava imbuída da divina mensagem do amor

de Deus, e anelava intensamente transmitir esse amor aos outros, em

50

Eventos Finais

abundante medida. O Seu semblante irradiava compaixão e Sua con-

duta caracterizava-se pela graça, humildade, verdade e amor. Todo

membro de Sua igreja militante deve manifestar as mesmas qualida-

des, se deseja fazer parte da igreja triunfante. — Fundamentos da

[63]

Educação Cristã, 179.

Capítulo 5 — A vida devocional do remanescente

Vida dupla

Nesta época, pouco antes da segunda vinda de Cristo nas nuvens

do céu, deve ser efetuada uma obra como a de João [Batista]. Deus

chama homens que preparem um povo para permanecer em pé no

grande dia do Senhor. ... Para transmitir tal mensagem como a de

João precisamos ter uma experiência espiritual como a sua. A mesma

obra precisa ser efetuada em nós. Temos de contemplar a Deus, e,

contemplando-O, perder de vista o próprio eu. — Testemunhos para

a Igreja 8:332-333.

A comunhão com Deus refletir-se-á no caráter e na vida. Os

homens conhecerão em nós, como nos primeiros discípulos, que

estivemos com Jesus. Eis o que dá ao obreiro um poder que nada

mais será capaz de lhe comunicar. Jamais devemos permitir ser

privados de tal poder. Carecemos de viver uma vida dupla — vida

de pensamento e de ação, de silenciosa prece e infatigável trabalho.

— A Ciência do Bom Viver, 512.

Oração e esforço, esforço e oração, serão a ocupação de vossa

vida. Deveis orar como se a eficiência e o louvor fossem todos

atribuíveis a Deus, e labutar como se o dever fosse todo vosso. —

Testemunhos para a Igreja 4:538.

[64]

Ninguém, sem oração, se encontra livre de perigo durante um

dia ou uma hora que seja. — O Grande Conflito, 530.

Aquele que nada faz senão orar, em breve deixará de o fazer. —

Caminho a Cristo, 101.

Firmemente fundados em Cristo

A tempestade vem, a tempestade que há de provar a fé de todo

homem, de que espécie é. Os crentes devem estar agora firmemente

arraigados em Cristo, do contrário serão extraviados por algum

aspecto do erro. — Evangelismo, 361.

51

52

Eventos Finais

Far-nos-ia bem passar diariamente uma hora a refletir sobre a

vida de Jesus. Deveremos tomá-la ponto por ponto, e deixar que a

imaginação se apodere de cada cena, especialmente as finais. — O

Desejado de Todas as Nações, 83.

A única defesa contra o mal, é Cristo habitar no coração me-

diante a fé em Sua justiça. A menos que nos unamos vitalmente a

Deus, nunca poderemos resistir aos não santificados efeitos do amor-

próprio, da condescendência com nós mesmos e da tentação para

pecar. Podemos deixar muitos hábitos maus, podemos por tempos

separar-nos de Satanás; mas sem uma ligação vital com Deus pela

entrega de nós mesmos a Ele momento a momento, seremos venci-

dos. Sem conhecimento pessoal com Cristo e constante comunhão

achamo-nos à mercê do inimigo, e havemos afinal de fazer-lhe a

[65]

vontade. — O Desejado de Todas as Nações, 324.

Cristo, e Ele crucificado, eis o que deve constituir o tema de

nossas meditações, de nossas conversas, e de nossas mais gratas

emoções. — Caminho a Cristo, 103-104.

Moldados pelo Espírito Santo

O coração humano não conhecerá felicidade enquanto não se

submeter a ser moldado pelo Espírito de Deus. O Espírito afeiçoa a

renovada alma ao modelo, Jesus Cristo. Mediante Sua influência, a

inimizade para com Deus é mudada em fé e amor, e o orgulho em

humildade. A alma percebe a beleza da verdade, e Cristo é honrado

em excelência e perfeição de caráter. — Nossa Alta Vocação, 150.

Não há um impulso de nossa natureza, nem uma faculdade do

espírito ou inclinação do coração, que não necessite achar-se a todo

o instante sob a direção do Espírito de Deus. — Patriarcas e Profetas,

421.

O Espírito nos ilumina as trevas, informa nossa ignorância, e

ajuda-nos em nossas múltiplas necessidades. Mas a mente precisa

dilatar-se constantemente para Deus. Caso seja permitido que se

introduza aí o mundanismo, se não temos desejo de orar, nem desejo

de comungar com Aquele que é a fonte de força e sabedoria, o

Espírito não habita em nós. — Nossa Alta Vocação, 152.

A vida devocional do remanescente

53

A necessidade de estudar a Bíblia

Nenhum coração renovado poderá ser conservado em estado de

aprazibilidade sem a aplicação diária do sal da Palavra. A graça

[66]

divina deve ser diariamente recebida, do contrário homem algum

permanecerá convertido. — Nossa Alta Vocação, 213.

Seja a vossa fé consubstanciada pela Palavra de Deus. Agarrai

firmemente o testemunho vivo da verdade. Tende fé em Cristo como

Salvador pessoal. Ele tem sido e será sempre a nossa Rocha dos

Séculos. — Evangelismo, 362.

Os cristãos devem estar-se preparando para aquilo que logo irá

cair sobre o mundo como terrível surpresa, e esta preparação deve

ser feita mediante diligente estudo da Palavra de Deus e pelo levar

a vida em conformidade com o seus preceitos. — Profetas e Reis,

626.

Pessoa alguma, a não ser os que fortaleceram o espírito com as

verdades da Escritura, poderá resistir no último grande conflito. —

O Grande Conflito, 593.

Apenas os que forem diligentes estudantes das Escrituras e rece-

berem o amor da verdade, estarão ao abrigo dos poderosos enganos

que dominam o mundo. — O Grande Conflito, 625.

Nosso povo precisa compreender a Palavra de Deus; carecem de

um conhecimento sistemático dos princípios da verdade revelada,

que os habilitará para o que há de vir sobre a Terra e os impedirá de

serem levados em roda por todo vento de doutrina. — Testemunhos

Seletos 1:101.

Entesourar as escrituras na memória

Várias vezes, cada dia, preciosos e áureos momentos devem ser

[67]

dedicados à oração e ao estudo das Escrituras, nem que seja para

guardar na memória um só texto, a fim de que haja vida espiritual

na alma. — Testemunhos para a Igreja 4:459.

A preciosa Palavra de Deus é a norma para a juventude que quer

ser fiel ao Rei do Céu. Estudem eles as Escrituras. Entesourem na

memória texto sobre texto e adquiram o conhecimento daquilo que

o Senhor disse. — Minha Consagração Hoje, 315.

54

Eventos Finais

Edificai um muro de passagens bíblicas ao vosso redor, e vereis

que o mundo não poderá demoli-lo. Entesourai as Escrituras na

memória e retrucai então a Satanás quando ele vier com as suas

tentações: “Está escrito.” Foi dessa maneira que nosso Senhor en-

frentou as tentações de Satanás e resistiu a elas. — The Review and

Herald, 10 de Abril de 1888.

Pendurai as preciosas palavras de Cristo na galeria da memória.

Elas devem ser muito mais apreciadas do que ouro ou prata. —

Testemunhos para a Igreja 6:81.

Ao trabalhar, tende convosco uma Bíblia de bolso, e aprovei-

tai toda oportunidade para entesourar na memória suas preciosas

promessas. — The Review and Herald, 27 de Abril de 1905.

Chegará o tempo em que muitos serão privados da Palavra es-

crita. Se, porém, essa Palavra é gravada na memória, ninguém poderá

tirá-la de nós. Manuscript Release 760, 24.

Estudai a Palavra de Deus. Entesourai na memória suas pre-

[68]

ciosas promessas, para que, quando formos desprovidos de nossas

Bíblias, ainda estejamos de posse da Palavra de Deus. — Manuscript

Releases 10:298.

Apocalipse 14 — Uma âncora para o povo de Deus

Nestes últimos dias é nosso dever determinar o pleno significado

das mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro anjo. Todas as

nossas transações devem estar de acordo com a Palavra de Deus. As

mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro anjo estão todas

unidas e são reveladas no décimo quarto capítulo do Apocalipse,

desde o verso seis até o fim. — Manuscript Releases 13:68.

Muitos que abraçaram a terceira mensagem não tinham tido

experiência nas duas mensagens anteriores. Satanás compreendeu

isto, e seu olho mau estava sobre eles para os transtornar; porém

o terceiro anjo lhes estava apontando o lugar santíssimo, e aque-

les que tinham tido experiência nas mensagens passadas estavam a

apontar-lhes o caminho para o santuário celestial. Muitos viram a

perfeita cadeia de verdades nas mensagens do anjo, e alegremente

as receberam em sua ordem, e pela fé seguiram a Jesus no santuário

celestial. Estas mensagens foram-me representadas como uma ân-

cora para o povo de Deus. Aqueles que as compreendem e recebem

A vida devocional do remanescente

55

serão preservados de ser varridos pelos muitos enganos de Satanás.

— Primeiros Escritos, 256.

Ensinar a mente a crer na palavra de Deus

Os que se sentem na liberdade de questionar a Palavra de Deus,

de duvidar de tudo aquilo em que houver algum pretexto para ser

[69]

descrente, verificarão que será necessário enorme esforço para ter fé

quando vierem tribulações. Quase será impossível vencer a influên-

cia que prende a mente habituada a descrer, pois por meio dessa

atitude a alma é retida no laço de Satanás e se torna incapaz de

romper a temível rede que cada vez é mais firmemente tecida em

volta da alma.

Ao adotar uma atitude de dúvida, o homem recorre às instru-

mentalidades de Satanás. Mas a única esperança daquele que se

acostumou com a descrença é cair todo desvalido sobre o Salvador

e, como uma criança, submeter a vontade e seus desejos a Cristo,

para que seja libertado das trevas e conduzido a Sua maravilhosa luz.

O homem não tem poder para libertar-se a si mesmo da armadilha

de Satanás. Aquele que se acostuma a questionar, duvidar e criticar,

se fortalece na incredulidade. — Manuscrito 3, 1895.

Preparação para provações futuras

Os servos de Cristo não devem preparar determinado discurso

para apresentá-lo quando forem levados a juízo por causa de sua fé.

Devem preparar-se dia a dia, entesourando no coração as preciosas

verdades da Palavra de Deus, alimentando-se dos ensinos de Cristo

e fortalecendo sua fé pela oração; então, quando levados a juízo,

o Espírito Santo lhes trará à lembrança as verdades que hão de

alcançar o coração dos que as ouvirem. Qual relâmpago, trar-lhes-á

Deus à memória, justo quando for necessário, o conhecimento obtido

mediante diligente exame da Palavra divina. — Conselhos sobre a

Escola Sabatina, 41.

[70]

Homens que agora pregam a outros, ao examinarem, quando

chegar o tempo de angústia, a posição em que se encontram, ve-

rificarão que há muitas coisas para as quais não podem dar uma

razão satisfatória. Até que fossem assim provados, desconheciam

56

Eventos Finais

sua grande ignorância. E há na igreja muitos que contam por certo

que compreendem aquilo em que crêem, mas que, até surgir uma

discussão, ignoram sua fraqueza. Quando separados dos da mesma

fé, e forçados a estar sozinhos e expor por si mesmos sua crença,

ficarão surpreendidos de ver quão confusas são suas idéias do que

têm aceito como verdade. — Testemunhos Seletos 2:312.

Controlar as faculdades morais

A capacidade de dar uma razão de nossa fé é uma boa consecu-

ção, mas se a verdade não for mais fundo que isto, a alma jamais se

salvará. O coração deve ser purificado de toda contaminação moral.

— Nossa Alta Vocação, 140.

Poucos compreendem que é dever exercer domínio sobre seus

pensamentos e imaginações. É difícil manter a mente indisciplinada

fixa em assuntos proveitosos. Mas se os pensamentos não são devi-

damente empregados, a religião não pode medrar na alma. A mente

deve estar preocupada com coisas sagradas e eternas, do contrário

nutrirá pensamentos frívolos e superficiais. Tanto as faculdades mo-

rais como as intelectuais, precisam ser disciplinadas, e se fortalecem

e desenvolvem pelo exercício. — Nossa Alta Vocação, 109.

Grandemente necessitamos encorajar e cultivar pensamentos

[71]

puros, castos, e fortalecer as faculdades morais em vez das inferiores

e carnais. Ajude-nos Deus a nos despertarmos de nossos apetites

autocondescendentes! — Medicina e Salvação, 278.

O exemplo de Enoque

Enoque andou trezentos anos com Deus antes de sua trasladação

ao Céu, e a situação do mundo não era então mais favorável ao

aprimoramento do caráter cristão do que hoje. E como Enoque

andava com Deus? Habituou a mente e o coração a sempre sentirem

que ele se achava na presença de Deus, e quando estava perplexo,

suas orações ascendiam a Deus, para que o guardasse.

Ele recusava tomar alguma decisão que ofendesse a seu Deus.

Mantinha o Senhor continuamente diante de si. Orava: “Ensina-

me o Teu caminho, para que eu não erre. Qual é o Teu desejo a

meu respeito? Que farei para honrar-Te, meu Deus?” Assim ele

A vida devocional do remanescente

57

moldava constantemente a vontade e as atitudes de acordo com os

mandamentos de Deus, e tinha completa confiança de que seu Pai

celestial o ajudaria. Não tinha algum pensamento ou desejo egoísta.

Sua vontade estava toda submersa na vontade de seu Pai.

Pois bem, Enoque era um representante daqueles que estarão

sobre a Terra quando Cristo vier, e que serão trasladados ao Céu sem

provar a morte. — Sermons and Talks, 32.

Enoque tinha tentações assim como nós. Estava rodeado de uma

sociedade que não era mais propícia à justiça do que aquela que nos

rodeia. O ar que ele respirava estava impregnado de pecado e cor- [72]

rupção, como o nosso; contudo, levava uma vida de santidade. Não

se manchava com os pecados que predominavam na época em que

vivia. Nós também podemos permanecer puros e incontaminados.

— Testemunhos para a Igreja 2:122.

Lembrar as bênçãos de Deus no passado

Ao recapitular a nossa história passada, havendo revisado cada

passo de progresso até ao nosso nível atual, posso dizer: Louvado

seja Deus! Ao ver o que o Senhor tem efetuado, encho-me de admi-

ração e de confiança na liderança de Cristo. Nada temos que recear

quanto ao futuro, a menos que esqueçamos a maneira em que o

Senhor nos tem guiado, e os ensinos que nos ministrou no passado.

— Life Sketches, 196.

Um tempo para séria reflexão

Se já houve um tempo em que convinha que cada pessoa que

teme a Deus refletisse seriamente, este tempo é agora, quando a

piedade pessoal é essencial. Deve ser feita a indagação: “O que

eu sou, e qual é minha obra e missão neste tempo? De que lado

estou labutando — do lado de Cristo, ou do lado do inimigo?” Que

toda pessoa se humilhe agora diante de Deus, pois agora vivemos

realmente no grande Dia da Expiação. Agora mesmo, os casos de