Eventos Finais por Ellen G. White - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

muitos estão sendo examinados perante Deus, pois eles terão de

dormir em suas sepulturas por um pequeno período de tempo. Vossa

garantia nesse dia não é a profissão de fé, mas o estado de vossas

afeições. O templo da alma está purificado de sua contaminação?

58

Eventos Finais

Meus pecados foram confessados e arrependo-me diante de Deus,

por havê-los cometido, para que possam ser apagados? Tenho muito

[73]

pouco apreço por minha própria pessoa? Estou disposto a fazer

todo e qualquer sacrifício pela excelência do conhecimento de Jesus

Cristo? Reconheço em todo momento que não pertenço a mim

mesmo, mas sou a propriedade de Cristo, e que meu serviço pertence

a Deus, de quem eu sou? — Manuscrito 87, 1886.

Devemos perguntar a nós mesmos: “Para o que estamos vivendo

e trabalhando? E qual será o resultado de tudo isso?” — The Signs

of the Times, 21 de Novembro de 1892.

Vivendo em função do dia do juízo

Ao ver as pessoas indo apressadamente de um lado para outro,

em nossas cidades, tenho-me perguntado se elas já pensaram no dia

de Deus que está precisamente à nossa frente. Cada um de nós deve

estar vivendo em função do grande dia que não tardará a vir sobre

nós. — Sermons and Talks, 25.

Não nos podemos permitir viver sem nos referirmos ao dia do

juízo; pois ainda que muito retardado, está agora próximo, mesmo

às portas e se apressa muito. Breve a trombeta do arcanjo fará estre-

mecer os vivos e despertará os mortos. — Orientação da Criança,

560-561.

Preparados para a volta de Cristo

Se não encontramos prazer agora na contemplação das coisas

celestes; se não temos nenhum interesse em buscar o conhecimento

de Deus, deleite algum em deter os olhos no caráter de Cristo; se a

santidade não tem nenhuma atração para nós — podemos então estar

certos de que é vã nossa esperança do Céu. A perfeita conformidade

com a vontade de Deus, é o elevado objetivo a estar sempre diante do

[74]

cristão. Terá prazer de falar acerca de Deus, de Jesus, do lar puro e

bem-aventurado que Cristo preparou para os que O amam. O meditar

nesses temas, quando a alma se apascenta das benditas promessas

de Deus, é representado pelo apóstolo como provar “as virtudes do

século futuro”. — Testemunhos Seletos 2:342-343.

A vida devocional do remanescente

59

Se hoje estais em paz com Deus, estais preparados para receber

a Cristo, se viesse hoje. — Nos Lugares Celestiais, 227.

[75]

Capítulo 6 — O estilo de vida e as atividades do

remanescente

Espírito de serviço e abnegação

Longamente tem Deus esperado que o espírito de serviço se

apodere de toda a igreja, de maneira que cada um trabalhe para

Ele segundo sua habilidade. Quando os membros da igreja de Deus

fizerem a obra que lhes é indicada nos necessitados campos nacionais

e estrangeiros, em cumprimento da comissão evangélica, todo o

mundo será logo advertido, e o Senhor Jesus retornará à Terra com

poder e grande glória. — Atos dos Apóstolos, 111.

Há por toda parte a tendência de substituir pela obra de organiza-

ções o esforço individual. A sabedoria humana tende à consolidação,

à centralização, à edificação de grandes igrejas e instituições. Mui-

tos deixam às instituições e organizações a obra da beneficência;

eximem-se do contato com o mundo, e o coração torna-se-lhes

frio. Ficam absorvidos consigo mesmos e insensíveis à impressão.

[76]

Extingue-se-lhes no coração o amor para com Deus e o homem.

Cristo confia a Seus seguidores uma obra individual — uma

obra que não pode ser feita por procuração. O serviço aos pobres e

enfermos, o anunciar o evangelho aos perdidos, não deve ser deixado

a comissões ou caridade organizada. Responsabilidade individual,

individual esforço e sacrifício pessoal, é uma exigência evangélica.

— A Ciência do Bom Viver, 147.

“Ocupai-vos até que eu volte”

Cristo diz: “Ocupai-vos até que Eu volte.” Nos Lugares Celes-

tiais, 19.13. Talvez faltem apenas alguns anos para que termine a

história de nossa vida, mas devemos ocupar-nos até então. — The

Review and Herald, 21 de Abril de 1896.

Cristo quer que cada pessoa se habitue a esperar calmamente o

Seu segundo aparecimento. Todos devem examinar diariamente a

60

O estilo de vida e as atividades do remanescente

61

Palavra de Deus, mas não negligenciar os deveres atuais. — Carta

28, 1897.

Cristo declarou que quando Ele vier alguns de Seu povo expec-

tante estarão empenhados em transações comerciais. Alguns estarão

semeando no campo, outros ceifando e recolhendo o que foi ceifado,

e outros ainda, moendo no moinho. Não é a vontade de Deus que

os Seus eleitos abandonem os deveres e as responsabilidades da

vida e se entreguem a ociosa contemplação, vivendo num devaneio

religioso. — Manuscrito 26, 1901.

Amontoai nesta vida todas as boas obras que puderdes. — Tes-

temunhos Seletos 2:190.

[77]

Como se cada dia fosse o último

Devemos vigiar e trabalhar e orar como se este fosse o último

dia que nos fosse concedido. — Testemunhos Seletos 2:60.

Nossa única segurança está em realizar o nosso trabalho para

cada dia como ele se apresenta, labutando, vigiando, esperando,

confiando em todas as ocasiões na força dAquele que esteve morto,

mas reviveu e está vivo para todo o sempre. — Carta 66, 1894.

Cada manhã consagrai-vos e vossos filhos a Deus, para esse dia.

Não façais cálculos para meses ou anos; eles vos não pertencem.

Um curto dia é o que vos é dado. Como se fosse esse vosso último

dia na Terra, trabalhai para o Mestre durante as suas horas. Deponde

perante Deus todos os vossos planos, para serem executados ou

rejeitados, conforme o indique a Sua providência. — Testemunhos

Seletos 3:93.

Conscienciosa observância do Sábado

É intuito do Pai celestial preservar entre os homens, mediante a

observância do sábado, o conhecimento de Si mesmo. Seu desejo

é que o sábado nos aponte a Ele como o único Deus verdadeiro, e

pelo conhecimento dEle possamos ter vida e paz. — Testemunhos

Seletos 3:16.

Durante toda a semana nos cumpre ter em mente o sábado e

fazer a preparação indispensável, a fim de observá-lo conforme o

mandamento. Não devemos observá-lo simplesmente como objeto

[78]

62

Eventos Finais

de lei. Devemos compreender suas relações espirituais com todos os

negócios da vida. ...

Quando o sábado é desta forma lembrado, as coisas temporais

não influirão sobre o exercício espiritual de modo a prejudicá-lo.

Nenhum serviço atinente aos seis dias de trabalho será deixado para

o sábado. — Testemunhos Seletos 3:20-21.

Devem-se atender às necessidades da vida, cuidar dos doentes,

suprir as faltas dos necessitados. Não será tido por inocente o que

negligenciar aliviar o sofrimento no sábado. O Santo dia de repouso

de Deus foi feito para o homem, e os atos de misericórdia se acham

em perfeita harmonia com seu desígnio. Deus não deseja que Suas

criaturas sofram uma hora de dor que possa ser aliviada no sábado,

ou noutro dia qualquer. — O Desejado de Todas as Nações, 207.

Fiéis nos dízimos e nas ofertas

O dízimo é sagrado, reservado por Deus para Si mesmo. Tem de

ser trazido ao Seu tesouro, para ser empregado em manter os obreiros

evangélicos em seu labor. ... Lede atentamente o terceiro capítulo

de Malaquias e vede o que diz o Senhor a respeito do dízimo. —

Obreiros Evangélicos, 226-227.

O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo, como

também não dá a do sábado; pois pressupõe a validade de ambos,

e explica sua profunda importância espiritual. — Conselhos sobre

Mordomia, 66.

O Senhor convida hoje os adventistas do sétimo dia de todas as

partes para a Ele se consagrarem, e fazerem segundo sua capacidade,

[79]

o máximo que lhes for possível para auxiliar Sua obra. Por sua libe-

ralidade ao fazer donativos e ofertas, deseja Ele que revelem apreço

por Suas bênçãos e gratidão por Sua misericórdia. — Testemunhos

Seletos 3:350-351.

Caridade à beira da morte é um pobre sucedâneo da beneficência

em vida. — Testemunhos para a Igreja 5:155.

As necessidades da Causa aumentarão continuamente à medida

que nos formos aproximando do fim do tempo. — Testemunhos para

a Igreja 5:156.

Somos colocados sob prova, no mundo, a fim de determinar nossa

habilitação para a vida futura. Nenhum daqueles cujo caráter estiver

O estilo de vida e as atividades do remanescente

63

maculado com a nódoa imunda do egoísmo, poderá entrar no Céu.

Portanto, Deus nos prova aqui, concedendo-nos posses temporais,

para que o uso que disso fizermos possa revelar se nos poderão ser

confiadas as riquezas eternas. — Conselhos sobre Mordomia, 22.

Estabelecer novas instituições

Alguns poderão dizer: “Se o Senhor vem logo, que necessidade

há de estabelecer escolas, sanatórios, e fábricas de alimentos?” Que

necessidade há de que nossos jovens aprendam ofícios?

Está no desígnio do Senhor que constantemente desenvolvamos

os talentos que nos deu. Não podemos fazer isto a menos que os

usemos. A perspectiva da breve volta de Cristo não nos deve condu-

zir à indolência. Ao contrário, ela deve nos levar a fazer tudo que

pudermos para abençoar e beneficiar a humanidade. — Medicina e

Salvação, 268.

[80]

Uma grande obra precisa ser efetuada em todas as partes do

mundo, e, porque o fim está perto, ninguém deve deduzir que não é

necessário especial esforço para edificar as diversas instituições que

a Causa requer. ... Quando o Senhor nos ordenar que não façamos

mais nenhum esforço para construir casas de culto e estabelecer

escolas, sanatórios e casas publicadoras, terá chegado o tempo de

cruzarmos os braços e deixar que o Senhor termine a obra, mas agora

temos a oportunidade de manifestar nosso zelo pelo Senhor e nosso

amor pela humanidade. — Testemunhos para a Igreja 6:440.

Obra médico-missionária

À medida que a agressão religiosa destruir as liberdades de

nossa nação, os que quiserem permanecer ao lado da liberdade de

consciência serão colocados em situações desfavoráveis. Em seu

próprio interesse, devem eles, enquanto têm oportunidade, tornar-

se entendidos com respeito às doenças, suas causas, maneira de

evitá-las e a cura. E os que isto fazem encontrarão um campo de

trabalho em qualquer parte. Haverá sofredores, quantidade deles,

que necessitarão de auxílio, não só entre os de nossa própria fé,

mas principalmente entre aqueles que não conhecem a verdade. —

Conselhos sobre Saúde, 506.

64

Eventos Finais

Desejo dizer-vos que em breve nenhuma obra será realizada pelo

plano ministerial senão a obra médico-missionária. — Conselhos

sobre Saúde, 533.

O povo de Deus dá valor a sua saúde

Foi-me mostrado que a reforma de saúde é uma parte da men-

[81]

sagem do terceiro anjo e está tão intimamente ligada a ela como

o braço e a mão ao corpo humano. — Testemunhos para a Igreja

1:486.

Chá, café, fumo e álcool precisam ser apresentados como con-

descendências pecaminosas. Não podemos pôr a carne, os ovos, a

manteiga e o queijo em pé de igualdade com esses artigos colocados

sobre a mesa. Estes não devem ser postos na frente, como o tema

principal de nossa obra. Os primeiros — chá, café, fumo, cerveja,

vinho e todas as bebidas alcoólicas — não devem ser ingeridos

moderadamente, mas rejeitados. — Mensagens Escolhidas 3:287.

A verdadeira temperança nos ensina a dispensar inteiramente

todas as coisas nocivas, e usar judiciosamente aquilo que é saudável.

— Patriarcas e Profetas, 562.

Ar puro, luz solar, abstinência, repouso, exercício, regime conve-

niente, uso de água e confiança no poder divino — eis os verdadeiros

remédios. — A Ciência do Bom Viver, 127.

Tudo quanto prejudica a saúde, não somente diminui o vigor

físico, como tende a enfraquecer as faculdades mentais e morais. A

condescendência com qualquer prática nociva à saúde, torna mais

difícil a uma pessoa o discernir entre o bem e o mal, e daí mais

difícil resistir ao mal. — A Ciência do Bom Viver, 128.

Retornar à alimentação original

Deus está procurando levar-nos de volta, passo a passo, a Seu

desígnio original — que o homem subsista com os produtos naturais

da terra. Entre os que estão aguardando a vinda do Senhor, deve a

alimentação cárnea ser finalmente abandonada; a carne deixará de

[82]

fazer parte de seu regime alimentar. Devemos ter isto sempre em

mente, e procurar agir firmemente nesse sentido. — Conselhos sobre

Saúde, 450.

O estilo de vida e as atividades do remanescente

65

Devem ser vistas maiores reformas entre o povo que pretende

estar aguardando o breve aparecimento de Cristo. A reforma de

saúde deve realizar uma obra entre o nosso povo que ela ainda não

realizou. Há os que devem estar atentos para o perigo de comer

carne, pois ainda estão ingerindo a carne de animais, arriscando

assim a saúde física, mental e espiritual. Muitos que agora estão

apenas meio convertidos no tocante à questão de comer carne, se

afastarão do povo de Deus para não mais andar com eles. — The

Review and Herald, 27 de Maio de 1902.

Tempo para jejum e oração

Agora e daqui por diante até ao fim do tempo, deve o povo de

Deus ser mais fervoroso, mais desperto, não confiando em sua pró-

pria sabedoria, mas na sabedoria de seu Líder. Devem pôr de parte

dias de jejum e oração. Pode não ser requerida a completa absti-

nência de alimento, mas devem comer moderadamente, do alimento

mais simples. — Conselhos sobre o Regime Alimentar, 188-189.

O verdadeiro jejum, que deve ser recomendado a todos, é absti-

nência de qualquer espécie estimulante de alimento, e o uso apropri-

ado de alimento saudável e simples, que Deus proveu em abundância.

Os homens precisam pensar menos no que comer e beber em ma-

téria de alimento temporal, e muito mais em relação ao alimento

do Céu, que dará tono e vitalidade a toda a experiência religiosa. —

Medicina e Salvação, 283.

[83]

O fermento da piedade não perdeu inteiramente seu poder. Na

ocasião em que maiores são o perigo e a crise da igreja, a pequena

hoste que permanece na luz estará suspirando e clamando por causa

das abominações cometidas na Terra. Mais especialmente, porém,

suas orações subirão em favor da igreja, porque seus membros estão

agindo segundo a maneira do mundo. — Testemunhos Seletos 2:64.

Inteira confiança em Deus

Por causa de obreiros não consagrados, as coisas por vezes irão

mal. Podereis chorar os resultados do mau procedimento de outros,

mas não vos acabrunheis. A obra está sob a supervisão do bendito

Mestre. Tudo que Ele pede é que os obreiros vão ter com Ele para

66

Eventos Finais

receberem Suas ordens, e que obedeçam a Suas orientações. Todas

as partes da obra — nossas igrejas, missões, Escolas Sabatinas,

instituições — tudo Ele tem no coração. Por que preocupar-se?

O intenso anelo de ver a igreja impregnada de vida, tem de ser

temperado com a inteira confiança em Deus. ...

Não sobrecarregue ninguém as faculdades que Deus lhe deu,

num esforço por promover mais rapidamente a causa do Senhor.

Não pode o poder do homem apressar a obra; a ele tem de unir-se o

poder dos seres celestiais. ... Mesmo que todos os obreiros que agora

suportam os mais pesados encargos fossem postos de lado, a obra

de Deus seria levada avante. — Testemunhos Seletos 2:353-354.

O culto familiar

À noitinha e pela manhã uni-vos aos vossos filhos no culto de

[84]

Deus, lendo Sua palavra e cantando Seu louvor. Ensinai-os a repetir

a lei de Deus. — Evangelismo, 499.

Sejam os períodos de culto familiar curtos e espirituais. Não

deixeis que vossos filhos, ou qualquer membro da família, os tema,

devido à monotonia ou falta de interesse. Quando um capítulo com-

prido é lido e explicado e se faz uma longa oração, esse precioso

culto se torna enfadonho e é um alívio quando passa. ...

Escolha o pai um trecho das Escrituras que seja interessante e

facilmente compreendido; alguns versos serão suficientes para dar

uma lição que possa ser estudada e praticada durante todo o dia.

Podem-se fazer perguntas. Podem-se fazer declarações interessantes.

Ou pode ser apresentado, à guisa de ilustração, algum incidente curto

e ao ponto. Podem ser cantadas, pelo menos algumas estrofes de

cânticos animados; e a oração feita deve ser curta e ao ponto. O que

dirige a oração não deve orar a respeito de todas as coisas, antes

deve exprimir suas necessidades com palavras simples e louvar a

Deus com ações de graças. — Orientação da Criança, 521-522.

Ter cuidado com a associação com o mundo

[Apocalipse 18:1-3.] Enquanto esta mensagem estiver soando,

enquanto a proclamação da verdade estiver realizando sua obra de

separação, nós como fiéis sentinelas de Deus devemos discernir

O estilo de vida e as atividades do remanescente

67

qual é nossa verdadeira posição. Não devemos coligar-nos a pessoas

mundanas, para não ficar imbuídos de seu espírito, para que o nosso

discernimento espiritual não se torne confuso e encaremos os que

têm a verdade e levam a mensagem do Senhor do ponto de vista das

[85]

pretensas igrejas cristãs. Ao mesmo tempo, porém, não devemos

ser como os fariseus e manter-nos afastados delas. — The Ellen G.

White 1888 Materials, 1.161.

Os que estão aguardando e esperando o aparecimento de Cristo

nas nuvens do Céu não se misturarão com o mundo em sociedades

e reuniões de divertimento, meramente para seu próprio deleite. —

Manuscrito 4, 1898.

Obrigar-nos por contratos ou em sociedades ou associações co-

merciais com os que não pertencem a nossa fé, não está de acordo

com o plano de Deus. — The Review and Herald, 4 de Agosto de

1904.

Devemos unir-nos a outras pessoas, uma vez que não sacrifique-

mos princípios. Isto não quer dizer que nos unamos a suas lojas e

sociedades, mas que os deixemos saber que temos sincera simpatia

com a questão da temperança. — Temperança, 220.

Recreação aprovada por Cristo

É privilégio e dever dos cristãos procurar refrigerar o espírito

e revigorar o corpo mediante inocente recreação, com o intuito de

empregar as energias físicas e mentais para a glória de Deus. —

Mensagens aos Jovens, 364.

Os cristãos têm ao seu dispor muitas fontes de felicidade, e

podem dizer com infalível certeza quais são os prazeres lícitos e

corretos. Podem gozar de recreações que não dissipem a mente ou

aviltem a alma, não iludam nem deixem após si triste influência que

destrua o respeito próprio ou impeça o caminho da utilidade. Caso

[86]

possam levar consigo a Jesus e manter-se em espírito de oração,

estão perfeitamente salvaguardados. — Mensagens aos Jovens, 38.

As nossas reuniões devem ser dirigidas de tal maneira, e nossa

conduta aí deve ser tal que, ao voltarmos para casa, possamos ter uma

consciência livre de ofensa para com Deus e o homem; a consciência

de não havermos ferido ou, de algum modo, causado algum dano

68

Eventos Finais

àqueles com quem estivemos em contato, ou exercido sobre eles

qualquer nociva influência. ...

Toda recreação em que vos puderdes empenhar pedindo sobre

ela, com fé, a bênção de Deus, não será perigosa. Mas todo diverti-

mento que vos torna inaptos para a oração particular, para a devoção

no altar da oração, ou para tomar parte nas reuniões de oração, não

é seguro, mas perigoso. — Mensagens aos Jovens, 386.

Música que eleva

Assim como os filhos de Israel, jornadeando pelo deserto, suavi-

zavam pela música de cânticos sagrados a sua viagem, Deus ordena

a Seus filhos hoje que alegrem a sua vida peregrina. Poucos meios há

mais eficientes para fixar Suas palavras na memória do que repeti-las

em cânticos. E tal cântico tem maravilhoso poder. Tem poder para

subjugar as naturezas rudes e incultas; poder para suscitar pensamen-

tos e despertar simpatia, para promover a harmonia de ação e banir

a tristeza e os maus pressentimentos, os quais destroem o ânimo e

debilitam o esforço. — Educação, 167-168.

A música faz parte do culto de Deus, nas cortes celestiais, e deve-

[87]

mos esforçar-nos, em nossos cânticos de louvor, por nos aproximar

tanto quanto possível da harmonia dos coros celestiais. ... O cântico,

como parte do culto religioso, é um ato de adoração, tanto como a

prece. — Patriarcas e Profetas, 594.

O emprego de instrumentos de música não é absolutamente

objetável. Eles eram usados nos serviços religiosos dos antigos

tempos. Os adoradores louvavam a Deus com a harpa e o címbalo, e

a música deve ter seu lugar em nossos cultos. — Evangelismo, 501.

Televisão e teatro

Entre as casas de diversões, a mais perigosa é o teatro. Em

lugar de ser uma escola de moralidade e virtude, como costuma

ser chamada, é ele justamente o viveiro da imoralidade. Os hábitos

viciosos e as tendências pecaminosas são fortalecidos e confirmados

por esses entretenimentos. As cantigas baixas, os gestos, expressões

e atitudes indecentes corrompem a imaginação e aviltam a moral.

O estilo de vida e as atividades do remanescente

69

Todo jovem que assiste habitualmente a tais exibições será cor-

rompido em princípio. Não existe em nosso país influência mais

poderosa para corromper a imaginação, destruir as impressões reli-

giosas e enfraquecer o gosto pelos prazeres tranqüilos e as sóbrias

realidades da vida, do que as diversões teatrais. O gosto por estas

cenas aumenta em cada transigência, assim como o desejo para com

as bebidas intoxicantes se fortalece com seu uso. — Conselhos sobre

Saúde, 198.

A bênção de Deus não seria invocada sobre a hora passada no

teatro ou na dança. Cristão algum desejaria encontrar a morte em tal

lugar. Nenhum quereria ser encontrado aí, quando Cristo viesse. — [88]

Mensagens aos Jovens, 398.

Os únicos entretenimentos seguros são aqueles que não afugen-

tam os pensamentos sérios e religiosos; os únicos lugares seguros

de ajuntamento são aqueles a que podemos levar conosco a Jesus. —

Nossa Alta Vocação, 282.

Vestuário e adornos

Não há necessidade de fazer do assunto do vestuário o ponto

principal de vossa religião. Algo mais valioso há de que falar. Falai

de Cristo, e quando o coração estiver convertido, tudo que não está

em harmonia com a Palavra de Deus cairá. — Evangelismo, 272.

Se somos cristãos, seguiremos a Cristo ainda mesmo que o ca-

minho em que tenhamos de andar contrarie as nossas inclinações

naturais. Não há necessidade de vos dizer que não deveis usar isto

ou aquilo, pois se o amor dessas coisas vãs estiver em vosso coração,

pôr de parte os vossos adornos apenas se assemelhará ao cortar a

folhagem de uma árvore. As inclinações do coração natural de novo

surgiriam. Deveis ter consciência própria. — Orientação da Criança,

429-430.

Rogo ao nosso povo que ande cuidadosa e circunspectamente

diante de Deus. Segui os costumes no vestir até onde eles se confor-

mem com os princípios da saúde. Vistam-se as nossas irmãs com

simplicidade, como muitas fazem, tendo as vestes de material bom

e durável, apropriado para esta época, e não permitam que a questão

[89]

do vestuário lhes encha a mente. Nossas irmãs devem vestir-se com

simplicidade. Devem trajar-se com roupas modestas, com modéstia

70

Eventos Finais

e sobriedade. Dai ao mundo uma ilustração viva do adorno interior

da graça de Deus. — Mensagens Escolhidas 3:242.

A aparência exterior é um indicador do coração. — Testemunhos

para a Igreja 1:136.

A necessidade de publicações

Devem ser editadas publicações, escritas na linguagem mais

clara e simples, explicando os assuntos de vital interesse, e tornando

conhecidas as coisas que sobrevirão ao mundo. — The Home Missi-

onary, 1 de Fevereiro de 1890.

A primeira e a segunda mensagens foram transmitidas em 1843

e 1844, e estamos agora sob a proclamação da terceira, mas todas as

três mensagens ainda devem ser proclamadas. ... Devemos transmitir

estas mensagens ao mundo em publicações, em palestras, mostrando

na seqüência da história profética o que passou-o que está para vir.

— Counsels to Writers and Editors, 26-27.

A verdade deve ser dita sem rebuços, em folhas soltas e bro-

churas, e estas, espalhadas como folhas de outono. — Testemunhos

Seletos 3:394.

Patriarcas e Profetas, Daniel e O Conflito dos Séculos são agora

mais necessários do que nunca dantes. Deveriam circular ampla-

mente, porque as verdades a que dão ênfase, abrirão muitos olhos

[90]

cegos. — O Colportor-Evangelista, 122.

Enquanto durar o tempo da graça, haverá oportunidade de o

colportor trabalhar. — Testemunhos Seletos 2:535.

Nossas revistas não devem conter ataques violentos

Que aqueles que escrevem em nossas revistas não dirijam rudes

ataques e alusões que por certo hão de causar dano, e que obstruirão

o caminho e nos impedirão de fazer a obra que devemos fazer a

fim de alcançar todas as classes, inclusive os católicos. É nossa

obra falar a verdade em amor, e não misturar com a verdade os

elementos não santificados do coração natural, e falar coisas que se

assemelhem ao mesmo espírito possuído por nossos inimigos. —

Obreiros Evangélicos, 326.

O estilo de vida e as atividades do remanescente

71

Não devemos usar palavras ríspidas e ferinas. Excluí-as de todo

artigo escrito, eliminai-as de toda palestra proferida. Deixai que

a Palavra de Deus efetue o ato de cortar e de repreender; deixai

que homens finitos se escondam e permaneçam em Jesus Cristo. —

Testemunhos para a Igreja 9:240, 241-244.

Devemos suprimir toda expressão em nossos escritos e decla-

rações que, se for interpretada ao pé da letra, possa ser deturpada

de tal modo que pareça ser contrária à lei e à ordem. Tudo deve ser

cuidadosamente considerado, para que não nos tornemos conheci-

dos por proferir certas coisas que dêem a impressão de que somos

desleais ao nosso país e suas leis. — Carta 36, 1895.

O cristianismo não se exterioriza em acusações e condenação

brutais. — Testemunhos Seletos 3:48.

Acautelar-se contra questões secundárias

Deus não esqueceu o Seu povo, escolhendo um homem isolado

[91]

aqui e outro ali, como os únicos dignos de que lhes confie a verdade.

Não dá a um homem luz contrária à estabelecida fé do corpo de

crentes. Em toda reforma, surgiram homens pretendendo isso. ...

Ninguém confie em si mesmo, como se Deus lhe houvesse conferido

luz especial acima de seus irmãos. ...

Alguém aceita umas idéias novas e originais, que não parecem

discordar da verdade. ... Sobre isso se demora, até que lhe parece

revestido de beleza e importância, pois Satanás tem poder para lhe

dar essa falsa aparência. Por fim torna-se o seu tema todo-absorvente,

o único e grande ponto em volta do qual tudo gira; e a verdade é

desarraigada do coração. ...

Advirto-vos que vos guardeis contra esses movimentos desvia-

dos, cuja tendência é distrair a mente da verdade. O erro jamais é

inofensivo. Nunca ele santifica, mas sempre traz confusão e dissen-

são. — Testemunhos Seletos 2:103-104.

Enfatizar a unidade, não as diferenças

Existem mil tentações disfarçadas, preparadas para os que têm

a luz da verdade; e a única segurança para qualquer de nós está

em não recebermos nenhuma nova doutrina, nenhuma interpretação

72

Eventos Finais

nova das Escrituras, antes de submetê-la à consideração dos irmãos

de experiência. Apresentai-a a eles, com espírito humilde e pronto

para aprender, fazendo fervorosa oração; e, se eles não virem luz

nisto, atendei ao seu juízo, porque “na multidão de conselheiros há

segurança”. — Testemunhos Seletos 2:104-105.

Surgirão homens e mulheres proclamando possuir alguma nova

luz ou alguma nova revelação, e cuja tendência é abalar a fé nos

[92]

marcos antigos. Suas doutrinas não resistem à provada Palavra de

Deus. Mesmo assim, almas serão enganadas. Farão circular relatos

falsos e alguns serão apanhados pela armadilha. ... Não podemos

ser demasiado vigilantes contra toda forma de erro, pois Satanás

está constantemente buscando afastar da verdade os homens. —

Testemunhos Seletos 2:107.

Devemos tornar evidente que é essencial ser unidos, não para

requerer que os outros concordem com as nossas idéias, mas porque,

se todos buscarem a mansidão e humildade de Cristo, terão o mesmo

sentimento que Ele. Então haverá unidade de espírito. — Carta 15,

1892.

Insto com os que professam crer na verdade, que andem em união

com os irmãos. Não procureis dar ao mundo ocasião de dizer que

somos extremistas, que somos desunidos, que um ensina uma coisa

e outro, outra. Evitai a dissensão. — Testemunhos para Ministros e

Obreiros Evangélicos, 57.

Como enfrentar os críticos

Aqueles que se têm apartado da fé virão a nossas congregações

para distrair nossa atenção da obra que Deus deseja que se faça.

Não vos podeis permitir desviar os ouvidos da verdade para as

fábulas. Não vos detenhais para procurar converter aquele que está

proferindo palavras de reprovação contra vossa obra, mas deixai

que se patenteie que sois inspirados pelo Espírito de Jesus Cristo;

e anjos de Deus vos porão nos lábios palavras que toque o coração

de vossos oponentes. Se esses homens persistirem em sua atitude,

aqueles, na congregação, que são dotados de um espírito sensato,

[93]

compreenderão que vossa norma é a mais elevada. Falai de modo

a mostrar que Jesus Cristo está falando por vosso intermédio. —

Obreiros Evangélicos, 359.

O estilo de vida e as atividades do remanescente

73

Exaltar a palavra de Deus

Se trabalharmos para criar excitação do sentimento, teremos

tudo quanto queremos, e mais do que possivelmente podemos sa-

ber como manejar. Calma e claramente “prega a palavra”. Importa

não considerar nossa obra criar excitação. Unicamente o Espírito

de Deus pode criar um entusiasmo são. Deixai que Deus opere, e

ande o instrumento humano silenciosamente diante dEle, vigiando,

esperando, orando, olhando a Jesus a todo momento, conduzido e

controlado pelo precioso Espírito que é luz e vida. — Mensagens

Escolhidas 2:16-17.

Precisamos ir ao povo com a sólida Palavra de Deus; e quando

eles receberem essa Palavra o Espírito Santo poderá vir, mas Ele vem

sempre, como declarei antes, por uma maneira que se recomenda ao

discernimento das pessoas. Em nosso falar, nosso canto, e em todos

os nossos cultos espirituais, devemos revelar a calma e a dignidade

e o piedoso temor que atua em todo verdadeiro filho de Deus. —

Mensagens Escolhidas 2:43.

É por meio da Palavra — não de sentimentos ou de exaltação

— que precisamos influenciar as pessoas a obedecer à verdade. Po-

demos permanecer em segurança sobre a plataforma da Palavra de

Deus. — Mensagens Escolhidas 3:375.

[94]

Capítulo 7 — Vida campestre

O ideal divino

Embora tudo o que Deus criou fosse perfeito e belo, e nada

parecesse estar faltando sobre a Terra que Deus criara para tornar

Adão e Eva felizes, Ele manifestou-lhes o Seu grande amor plan-

tando um jardim especialmente para eles. Uma parte de seu tempo

devia ser passada na ditosa ocupação de cultivar o jardim, e outra

parte em receber as visitas de anjos, ouvindo suas instruções e em

ditosa meditação. Seu trabalho não era cansativo, mas agradável

e revigorante. Esse belo jardim devia ser o seu lar, sua residência

especial. — Spiritual Gifts 3:34.

Quais foram as condições escolhidas pelo Pai infinito para Seu

Filho? Uma habitação isolada nas colinas da Galiléia; um lar mantido

pelo trabalho honesto e respeitável; vida de simplicidade; luta diária

com as dificuldades e provações; abnegação, economia e serviço

paciente, feito com contentamento; a hora de estudo junto da mãe,

com o rolo aberto das Escrituras; a serenidade da alvorada ou do

crepúsculo no verdor do vale; o sagrado ministério da Natureza; o

[95]

estudo da criação e da providência; a comunhão da alma com Deus:

tais foram as condições e oportunidades dos primeiros anos de vida

de Jesus. — A Ciência do Bom Viver, 365-366.

Longe das cidades

Saí das cidades o mais depressa possível, e comprai um pe-

queno trato de terra, onde possais ter um jardim, em que vossos

filhos possam ver as flores crescerem e delas aprenderem lições de

simplicidade e pureza. — Mensagens Escolhidas 2:356.

Para fora das cidades, é minha mensagem neste tempo. Estai cer-

tos de que o apelo é para que o nosso povo fixe residência a quilôme-

tros de distância das grandes cidades. Uma olhadela a São Francisco,

do modo como é hoje, falaria a vossa inteligência, mostrando-vos a

necessidade de sair das cidades. ...

74

Vida campestre

75

O Senhor recomenda que Seu povo fixe residência longe das

cidades, pois à hora em que não cuidais, fogo e enxofre cairão do céu

sobre essas cidades. A sua punição será proporcional a seus pecados.

Quando é destruída uma cidade, nosso povo não deve considerar

esta questão como algo sem importância, e pensar que, se surgir

uma ocasião favorável, poderão construir casas para si nessa mesma

cidade destruída. ...

Que todos os que desejam compreender o significado destas

coisas leiam o capítulo onze do Apocalipse. Lede cada um dos

versos e aprendei o que ainda está para ocorrer nas cidades. Lede

também as cenas descritas no capítulo dezoito do mesmo livro. —

Manuscript Releases, 1.518.

[96]

Pais e mães que possuem um pedaço de terra e um lar confortável

são reis e rainhas. — O Lar Adventista, 141.

As cidades devem ser trabalhadas através de postos avançados

Como guardadores dos mandamentos de Deus, temos que deixar

as cidades. Como fez Enoque, devemos trabalhar nas cidades mas

não morar nelas. — Evangelismo, 77-78.

Deve-se fazer o trabalho nas cidades partindo dos postos avança-

dos. Disse o mensageiro de Deus: “Não serão advertidas as cidades?

Sim; não por o povo de Deus nelas morar, mas por visitá-las, para

adverti-las do que está para sobrevir à Terra.” — Mensagens Esco-

lhidas 2:358.

Durante anos me foi ministrada revelação especial acerca do

nosso dever de não centralizar a nossa obra nas cidades. O bulício e

confusão que enchem essas cidades, as condições que nelas criam

as uniões trabalhistas e as greves, tornar-se-ão grande desvantagem

para a nossa obra. — Testemunhos Seletos 3:115.

Quando a iniqüidade predomina numa nação, sempre deve ser

ouvida uma voz de advertência e orientação, como a voz de Ló se

fez ouvir em Sodoma. Contudo, Ló poderia ter preservado de mui-

tos males a família, se não houvesse estabelecido seu lar naquela

pecaminosa e contaminada cidade. Tudo quanto Ló e a família fize-

ram em Sodoma, poderia ter sido feito por eles, mesmo se tivessem

residido num lugar a certa distância da cidade. — Evangelismo, 78.

76

Eventos Finais

Por enquanto, alguns serão obrigados a trabalhar em Chicago;

[97]

estes, porém, devem estar preparando centros de trabalho em distritos

rurais, de onde parta o trabalho para a cidade. O Senhor quer que

Seu povo olhe ao redor de si, e adquiram lugares humildes, não

dispendiosos, como centros para seu trabalho. E de tempos a tempos,

lugares maiores lhes hão de vir à atenção, os quais poderão adquirir

por preços surpreendentemente baixos. — Evangelismo, 402.

Ricas bênçãos num ambiente natural

Outra vez dizemos: “Saí das cidades.” Não considereis uma

grande privação, terdes de ir para as colinas e montanhas, mas buscai

esse retiro, onde podereis estar sozinhos com Deus, para aprender

Sua vontade e Seu caminho. ...

Insisto com nosso povo para tornar o trabalho de sua vida procu-

rar a espiritualidade. Cristo está à porta. Por este motivo é que digo

ao nosso povo: “Não considereis uma privação serdes convidados a

abandonar as cidades e mudar-vos para zonas rurais. Aí, ricas bên-

çãos aguardam aos que delas se quiserem apoderar. Contemplando

as cenas da Natureza, as obras do Criador, estudando as obras das

mãos de Deus, imperceptivelmente sereis transformados à mesma

imagem.” — Mensagens Escolhidas 2:355-356.

O desenvolvimento do caráter é mais fácil no campo

Pais, com a família, afluem às cidades porque na sua fantasia

pensam ser mais fácil ganhar o pão ali, do que no campo. Os filhos,

não tendo nada que fazer quando não estão na escola, obtêm a

educação da rua. Das más associações contraem hábitos de vício e

[98]

dissipação. — Mente, Caráter e Personalidade ?:147.

Enviai os filhos para escolas situadas na cidade onde todo aspecto

de tentações está à espera para atraí-los e desmoralizá-los, e a tarefa

de edificar o caráter será dez vezes mais árdua para os pais e os

filhos. — Fundamentos da Educação Cristã, 326.

As cidades estão cheias de tentação. Devemos planejar nosso

trabalho de tal maneira que conservemos nossos jovens o mais longe

possível dessa contaminação. — O Lar Adventista, 136.

Vida campestre

77

Este é o tempo para que nosso povo leve suas famílias das cida-

des para localidades mais retiradas, do contrário muitos dos jovens

e também muitos dos mais avançados em anos serão enlaçados e

capturados pelo inimigo. — Testemunhos para a Igreja 8:101.

Não há uma família em cem que se tenha beneficiado física,

mental ou espiritualmente por residir na cidade. Fé, amor, esperança,

felicidade podem ser muito melhor alcançados em lugares afastados,

onde haja campos, montes e árvores. Tirai vossos filhos do cenário e

sons da cidade, para longe do ruído e estrépito de bondes e carroças,

e terão a mente mais sadia. Será mais fácil levar-lhes ao coração a

verdade da Palavra de Deus. — O Lar Adventista, 137.

Melhor saúde física no ambiente rural

Não é a vontade de Deus que Seu povo fixe residência nas

cidades, onde há constante agitação e confusão. Deveriam poupar a

seus filhos tal coisa; pois todo organismo é prejudicado pela correria,

precipitação e barulho. — Mensagens Escolhidas 2:357.

[99]

Para muitos dos que residem nas cidades, sem ter um cantinho

de relva verde em que pisar, que olham ano após ano para pátios

imundos, becos estreitos, paredes e pavimentos de tijolo e céus

nublados de poeira e fumaça — pudessem eles ser levados a algum

distrito agrícola, circundado de verdes campinas, matas, colinas e

riachos, os límpidos céus e o ar fresco e puro dos campos, isto lhes

pareceria quase um paraíso. — A Ciência do Bom Viver, 191-192.

O ambiente material das cidades constitui muitas vezes um pe-

rigo para a saúde. O estar constantemente sujeito ao contato com

doenças, o predomínio de ar poluído, água e alimento impuros, as

habitações apinhadas, obscuras e insalubres, são alguns dos males a

enfrentar. Não era desígnio de Deus que o povo se aglomerasse nas

cidades, se apinhasse em cortiços. — A Ciência do Bom Viver, 365.

Cultivar o próprio mantimento

O Senhor deseja que Seu povo se mude para o campo, onde se

poderá estabelecer na terra, cultivar suas próprias frutas e verduras,

e onde os filhos poderão estar em contato direto com as obras de

78

Eventos Finais

Deus na Natureza. Minha mensagem é: Tirai vossas famílias das

cidades. — Mensagens Escolhidas 2:357-358.

Repetidas vezes tem o Senhor dado instruções de que nosso

povo deve tirar suas famílias das cidades para o campo, onde po-

derão cultivar seu próprio mantimento; pois no futuro o problema

[100]

de comprar e vender será bem sério. Devemos começar, agora, a

atender às instruções que freqüentemente nos têm sido dadas: “Saí

das cidades para as zonas rurais, onde as casas não são aglomeradas,

e onde estareis livres da interferência dos inimigos.” — Mensagens

Escolhidas 2:141.

Localizar as instituições “justamente fora das grandes cidades”

Que homens de são discernimento sejam indicados, não para

tornarem públicas suas intenções, mas para procurarem tais propri-

edades nos distritos rurais, com fácil acesso às cidades, próprios

para pequenas escolas de preparo para obreiros, e onde haja tam-

bém facilidade de prover meios de tratamento para as doente e

cansadas almas que não conhecem a verdade. Procurai estes lugares

justamente fora das grandes cidades, onde bons edifícios possam

ser obtidos, seja como doação dos proprietários, ou comprados por

preço razoável, mediante donativos de nosso povo. Não construais

edifícios em cidades barulhentas. — Evangelismo, 77.

Cooranbong, Nova Gales do Sul

Onde deve localizar-se a nossa Escola Bíblica Australiana?... Se

as escolas fossem estabelecidas nas cidades ou a poucos quilômetros

delas, seria muito difícil neutralizar a influência da educação ante-

rior recebida pelos alunos no tocante a esses feriados e às práticas

relacionadas com eles, tais como as corridas de cavalos, as apostas e

[101]

o oferecimento de prêmios. ...

Verificaremos ser necessário estabelecer nossas escolas fora e

distante das cidades, mas não tão longe que não possam estar em

contato com elas, para lhes fazer bem e permitir que a luz resplandeça

em meio das trevas morais. — Fundamentos da Educação Cristã,

310-313.

Vida campestre

79

Tudo no tocante a este lugar me impressionou favoravelmente, a

não ser o fato de que estávamos longe das grandes e movimentadas

vias de comunicação e, portanto, não teríamos a oportunidade de

deixar brilhar nossa luz em meio às trevas morais que cobrem nossas

grandes cidades como uma mortalha. Esta parece ser a única objeção

que se me apresenta à mente. Mesmo assim, não seria aconselhável

estabelecer nossa escola em uma de nossas grandes cidades. —

Manuscript Releases 8:137.

Mais do que nunca, estou convencida de que este é o local certo

para a escola. — Manuscript Releases 8:360.

Huntsville, Alabama

Os que têm a seu cargo o trabalho das escolas em Graysville

e Huntsville deviam ver o que pode ser feito por estas instituições

para estabelecer tais indústrias, de modo que nosso povo, desejoso

de abandonar as cidades, possa obter casas modestas sem grande

dispêndio de recursos, e também encontrar emprego. — Carta 25.

[102]

Estava nos planos de Deus que fosse adquirida a fazenda do

Colégio de Huntsville. Ela está numa boa localidade. Perto dela

há grandes viveiros em que alguns dos estudantes têm trabalhado

durante o verão, a fim de ganhar dinheiro para pagar suas despesas

no Colégio de Huntsville. — Special Testimonies, Series B, 12:11.

A fazenda do Colégio de Huntsville é um lugar muito bonito, e

com os seus mais de trezentos acres de terreno deve realizar muita

coisa no âmbito do preparo industrial e da produção de colheitas. —

Special Testimonies, Series B, 12:13.

Recentemente me foi perguntado: “Não seria bom vender o

terreno em Huntsville e comprar uma propriedade menor?” Recebi

a informação de que essa fazenda não deve ser vendida e de que o

local possui muitas vantagens para o desenvolvimento de um colégio

misto. — Spalding-Magan Collection, 359.

Berrien Springs, Michigan

Ouvi dizer que há a intenção de localizar o colégio em Berrien

Springs, no sudoeste de Michigan. Estou muito contente com a des-

crição deste lugar. ...Em tal lugar como Berrien Springs, o colégio

80

Eventos Finais

poderá tornar-se uma lição prática, e espero que ninguém se interpo-

nha para impedir que essa obra seja levada avante. — Manuscript

Releases 4:407.

A boa mão do Senhor tem estado com o nosso povo na escolha

[103]

de um lugar para o colégio. Este local corresponde às representações

que me foram feitas a respeito de onde o colégio deveria localizar-

se. Ele está longe das cidades, e há terras em abundância para fins

agrícolas, e espaço para que as casas não precisem ser construídas

perto uma da outra. O terreno é mais que suficiente para que os

estudantes sejam instruídos no cultivo do solo. — The Review and

Herald, 28 de Janeiro de 1902.

Ao mudar o colégio de Battle Creek e estabelecê-lo em Berrien

Springs, os irmãos Magan e Sutherland agiram em harmonia com

a luz dada por Deus. Eles têm trabalhado com afinco sob grandes

dificuldades. ... Deus tem estado com eles. Ele tem aprovado os seus

esforços. — Manuscript Releases 4:260-261.

Stoneham, Massachusetts

O Senhor, em Sua providência, abriu o caminho para os Seus

obreiros darem um passo à frente na Nova Inglaterra — um campo

em que deve ser realizada uma obra muito especial. Os irmãos

conseguiram fazer com que o sanatório fosse transferido de South

Lancaster para Melrose, um lugar mais perto de Boston, mas sufici-

entemente afastado dessa movimentada cidade para que os pacientes

possam ter as condições mais favoráveis ao restabelecimento da

saúde. A transferência do Sanatório da Nova Inglaterra para um

lugar tão próximo à cidade de Boston está na providência de Deus.

Quando o Senhor Se dispõe a preparar o caminho diante de nós,

que ninguém recue, pondo em dúvida a sensatez de prosseguir ou

[104]

recusando dar encorajamento e ajuda. A mudança do Sanatório da

Nova Inglaterra de Lancaster do Sul para Melrose foi-me apresentada

como sendo dirigida pelo Senhor. — Special Testimonies, Series B,

13:3.

Vida campestre

81

Takoma Park, Washington, D.C.

O local que foi conseguido para nosso colégio e sanatório é

tudo que se podia desejar. O terreno se assemelha às representações

que me foram mostradas pelo Senhor. Ele se ajusta muito bem ao

desígnio para o qual deve ser usado. Contém amplo espaço para

um colégio e um sanatório, sem aglomerar estas instituições. A

atmosfera é pura, e a água também. Um belo regato atravessa o

nosso terreno de norte a sul. Esse regato é um tesouro mais valioso

do que ouro e prata. Os locais para as construções ficam sobre belas

elevações, com excelente escoamento.

Um dia fizemos uma longa excursão por diversas partes de Ta-

koma Park. Grande parte do município é uma floresta natural. As

casas não são pequenas e aglomeradas, mas espaçosas e confor-

táveis. Estão rodeadas de viçosos pinheiros de segunda produção,

carvalhos, bordos e outras belas árvores. A maioria dos donos dessas

casas são homens de negócios, e muitos deles são funcionários nas

repartições do governo em Washington. Vão diariamente à cidade, e

ao anoitecer retornam a suas tranqüilas residências.

Foi escolhido um bom local para a oficina gráfica, com fácil

acesso à agência postal, e também se encontrou um local para uma

casa de culto. Parecia que Takoma Park fora especialmente prepa-

rada para nós, e que estava esperando para ser ocupada por nossas

instituições e seus obreiros. — The Signs of the Times, 15 de Junho

de 1904.

[105]

O Senhor me revelou claramente esta questão. A obra de publica-

ções que tem sido levada avante em Battle Creek deve, por enquanto,

prosseguir perto de Washington. Se depois de algum tempo o Se-

nhor disser: Mudem-se de Washington, devemos mudar-nos. — The

Review and Herald, 11 de Agosto de 1903.

Madison, Tennessee

Fiquei surpresa quando, ao falar do trabalho que desejavam fazer

no Sul, eles disseram que iriam estabelecer um escola nalgum lugar

a grande distância de Nashville. De acordo com a luz que me foi

dada, eu sabia que isso não seria o mais adequado, e informei-

os a esse respeito. A obra que esses irmãos [E. A. Sutherland e

82

Eventos Finais

P. T. Magan] podem fazer, devido à experiência obtida em Berrien

Springs, deve ser levada avante num local de fácil acesso a Nashville,

pois esta cidade ainda não foi trabalhada como deveria ser. E estarem

suficientemente próximos de Nashville para poderem aconselhar-se

com os que labutam ali, será uma grande bênção para os obreiros na

escola.

Ao procurarem um lugar para a escola, os irmãos encontraram

uma fazenda de quatrocentos acres, a uns quinze quilômetros de

Nashville, a qual estava à venda. O tamanho da fazenda, sua situação,

a distância em que se encontra de Nashville, e a quantia razoável pela

qual poderia ser comprada, pareciam apontar para ela como o lugar

ideal para a obra da escola. Recomendamos que esse local fosse

comprado. Eu sabia que todo o terreno acabaria sendo necessário.

— The Review and Herald, 18 de Agosto de 1904.

Mountain View, Califórnia

Também foi dada a instrução de que a Pacific Press deve ser

[106]

mudada de Oakland. Com o passar dos anos, a cidade cresceu, e

agora é necessário estabelecer a editora nalguma localidade rural,

onde seja possível conseguir terrenos para os lares dos funcionários.

Os que se acham ligados aos nossos centros de publicações não

devem ser obrigados a viver nas cidades apinhadas. Devem ter a

oportunidade de conseguir casas onde possam residir sem precisar

receber altos salários. — Fundamentos da Educação Cristã, 492.

Mountain View é uma cidade que tem muitas vantagens. Está

cercada de belos pomares. O clima é ameno, e podem ser cultivadas

frutas e hortaliças de todas as espécies. A cidade não é grande,

mas tem luz elétrica, carros de transporte de malas postais e muitas

outras vantagens que geralmente só podem ser vistas nas cidades

importantes. — Carta 141, 1904.

Algumas pessoas têm desejado saber por que nosso escritório de

publicações de deve mudar de Oakland para Mountain View. Deus

está rogando a Seu povo que abandone as cidades. Não devem os

jovens que estão ligados às nossas instituições ficar expostos às ten-

tações e à corrupção que campeiam nas grandes cidades. Mountain

View parece ser um local favorável para a tipografia. — Vida no

Campo, 43.

Vida campestre

83

Loma Linda, Califórnia

Somos gratos ao Senhor pelo fato de possuirmos um bom sanató-

rio no Vale Paraíso, a onze quilômetros de San Diego; um sanatório

em Glendale, a treze quilômetros de Los Angeles; e um grande e

belo local em Loma Linda, a uns cem quilômetros ao leste de Los

Angeles e perto de Redlands, Riverside, e San Bernardino. A propri- [107]

edade de Loma Linda é um dos mais belos locais de sanatório que

já vi. — Loma Linda Messages, 141.

Loma Linda é um lugar que o Senhor designou especialmente

para o preparo de médicos-missionários. — Carta 188, 1907.

Aqui há maravilhosas vantagens para uma escola. A fazenda, o

pomar, o pasto, os grandes edifícios, os amplos gramados, a beleza

— todos constituem uma grande bênção. — Loma Linda Messages,

310.

Este lugar, Loma Linda, tem maravilhosas vantagens, e se aque-

les que estão aqui aproveitarem fielmente as vantagens para se torna-

rem verdadeiros médicos-missionários, eles deixarão sua luz brilhar

para as pessoas ao seu redor. Precisamos buscar diariamente a Deus,

pedindo que nos seja concedida Sua sabedoria. — Carta 374, 1907.

Dispomos aqui de vantagens ideais para uma escola e para um

sanatório. Há vantagens para os alunos, e grandes vantagens para os

pacientes. Fui instruída sobre devermos ter aqui uma escola dirigida

de acordo com os princípios das antigas escolas dos profetas. ... Os

médicos devem obter aqui a sua educação. — Medicina e Salvação,

75-76.

Angwin, Califórnia

Depois de haver examinado esta propriedade, declaro que ela é

superior em muitos aspectos. O colégio não poderia estar mais bem

[108]

situado. Fica a treze quilômetros de Santa Helena, e está livre das

tentações das cidades. ...

Com o tempo, terão de ser construídos mais chalés para os es-

tudantes, e eles mesmos poderão construí-los sob a direção de pro-

fessores competentes. A madeira poderá ser preparada no próprio

local desta obra, e os estudantes poderão aprender como construir

de maneira correta e eficiente.

84

Eventos Finais

Não precisamos ter receio de beber água impura, pois aqui ela

nos é suprida em abundância do reservatório do Senhor. Não sei

como ser suficientemente agradecida por estas numerosas vanta-

gens...

Percebemos que o Senhor sabia o que precisávamos e que foi Sua

providência que nos trouxe até aqui. ... Deus queria que estivéssemos

aqui e nos colocou neste lugar. Eu tinha certeza disto quando vim

para esta localidade. ... Creio que ao andardes por estas plagas

chegareis à mesma conclusão — isto é, que o Senhor designou este

[109]

lugar para nós. — Manuscript Releases 1:340, 341-343.

Capítulo 8 — As cidades

Os primeiros construtores de cidades

Recebendo a maldição de Deus, Caim se retirou da casa do pai.

Escolheu a princípio para si a ocupação de cultivador do solo, e então

fundou uma cidade, chamando-a pelo nome de seu filho mais velho.

Gênesis 4:17. Saíra da presença do Senhor, rejeitara a promessa do

Éden restaurado, a fim de buscar suas posses e gozos na Terra sob a

maldição do pecado, ficando assim à frente daquela grande classe de

homens que adoram o deus deste mundo. — Patriarcas e Profetas,

81.

Durante algum tempo os descendentes de Noé continuaram a

habitar entre as montanhas onde a arca repousara. Aumentando o

seu número, a apostasia logo determinou a divisão. Aqueles que

desejavam esquecer-se de seu Criador, e lançar de si as restrições

de Sua lei, sentiam um incômodo constante pelo ensino e exemplos

de seus companheiros tementes a Deus; e depois de algum tempo

resolveram separar-se dos adoradores de Deus. Em seguida, viajaram

para a planície de Sinear, nas margens do rio Eufrates. ...

[110]

Ali resolveram edificar uma cidade, e nela uma torre de altura

tão estupenda que havia de torná-la uma maravilha do mundo. —

Patriarcas e Profetas, 118-119.

As cidades são viveiros de vícios

A sucessão de prazeres e divertimentos centraliza-se nas cidades.

Muitos pais que escolhem um lar na cidade para os filhos, pensando

dar-lhes maiores vantagens, são desapontados, mas demasiado tarde

se arrependem de seu terrível erro. As cidades de nosso tempo

tornam-se depressa como Sodoma e Gomorra. Os muitos feriados

animam à ociosidade. Os divertimentos — o teatro, corridas de

cavalo, jogos, as bebidas alcoólicas, banquetes e orgias — estimulam

ao extremo todas as paixões. A juventude é arrastada pela corrente

popular. — Parábolas de Jesus, 54.

85

86

Eventos Finais

Foi-me revelado que as cidades se encherão de confusão, violên-

cia e crime, e que estas coisas aumentarão até ao fim da história da

Terra. — Testemunhos Seletos 3:115.

Em todo o mundo as cidades se estão tornando viveiros de vícios.

Por toda parte se vê e ouve o que é mau, e encontram-se estimulantes

à sensualidade e ao desregramento. — A Ciência do Bom Viver,

363.

Juízos que sobrevêm às cidades

Terríveis abalos sobrevirão à Terra, e os suntuosos palácios eri-

gidos à custa de enormes despesas certamente se transformarão em

[111]

montões de ruínas. — Manuscript Releases 3:312.

Quando é retirada a mão de Deus que restringe, o destruidor

começa sua obra. Então ocorrerão as maiores calamidades em nossas

cidades. — Manuscript Releases 3:314.

O Senhor faz advertências aos habitantes da Terra, como no

incêndio de Chicago e nos de Melbourne, Londres e da cidade de

Nova Iorque. — Manuscrito 127, 1897.

O fim está perto, e cada cidade será transtornada de todos os

modos. Haverá confusão em todas as cidades. Tudo que puder ser