“Introdução do Computador e Internet em Escola de Ensino Fundamental.” por Ananinasnape - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

“Introdução do Computador e Internet em Escola

de Ensino Fundamental.”

Baseado na Atividade: "Diretrizes para o trabalho pedagógico das

TIC: um acordo coletivo".

Zilda Cristina Ventura Fajoses Gonçalves 1

Introdução do Computador e Internet em Escola de Ensino Fundamental. 2

Resumo:

Novos projetos que busquem utilizar as TICś (Tecnologias de Informação e

Comunicação) na escola de forma eficiente devem privilegiar o aspecto pedagógico, capacitar

seus professores e obter uma boa infraestrutura física em local adequado para que se tenha

êxito.

Descrição de uma situação educacional e suas relações cotidianas, com base em

uma aula de Oficina da escola Caic-Núbia, onde os alunos utilizavam as tecnologias na sala

de informática para aquisição de conhecimentos relacionados à Língua Espanhola.

Palavras-Chave: TICś. Aprendizagem. Tecnologia na Escola. Web/internet no

Ensino.

Abstract:

New projects that seek to use ICTs (Information and Communication

Technologies) in school efficiently should focus on the teaching aspect, empower your

teachers and get a good physical infrastructure in place suitable for it to succeed.

Description of an educational situation and their everyday relationships, based on

a class-Workshop school CAIC Nubia, where students used technologies in the computer

room for the acquisition of knowledge related to the Spanish Language.

Keywords: ICT's. Learning. Technology in School. Web / Internet in Education.

1 Zilda Cristina Ventura Fajoses Gonçalves é Especialista em TICś - Tecnologia de Informação e Comunicação

no Ensino Fundamental (UFJF), Bacharel em Administração de Empresas, Professora EaD do IFET-JF Campus

Juiz de Fora do cursoTécnico em Serviços Públicos e Pós-Graduanda em PIGEAD (Planejamento,

Implementação e Gestão do Ensino a Distância) pela UFF.

2 Link: “Introdução do Computador e Internet em Escola de Ensino Fundamental”

Introdução do Computador e Internet em Escola de Ensino Fundamental.

(Considerações acerca do “Relato de Observação de uma Aula de

Espanhol no laboratório de Informática.” – em anexo).

Novos projetos que busquem utilizar as TICś (Tecnologias de Informação e Comunicação)

na escola de forma eficiente devem privilegiar o aspecto pedagógico, capacitar seus

professores e obter uma boa infraestrutura física em local adequado para que se tenha êxito.

Se apenas um desses aspectos falhar, corre-se o risco de que tudo falhe.

Uma gestão democrática com certeza prioriza o uso das TICś, uma vez que a

responsabilidade pelos alunos atuais – que devem tornar-se futuros cidadãos mais capazes e

competentes diante dos avanços tecnológicos competitivos nesse novo mundo globalizado – é

nossa. E infelizmente, por vários motivos, o uso de computadores ainda não está difundido o

suficiente nas escolas do país, e quando está, não há quem os saiba usar de forma eficiente.

As TICś são apenas um meio para se atingir o principal objetivo: construção de

conhecimento. São apenas uma forma melhor de aplicação de técnicas e métodos para,

pedagogicamente, transformar informação em conhecimento. Mas precisam ser bem aplicadas

e algumas delas, como “o trabalho interdisciplinar, o atendimento aos diferentes estilos de

aprendizagem, o trabalho por projetos, a valorização da autoria do aluno” e “o

redimensionamento da relação professor-aluno” podem e devem ser aplicadas. Mas se

tivermos “professores despreparados para a apropriação pedagógica das tecnologias;

espaço e tempo inadequados; falta de envolvimento e de conhecimento do gestor escolar;

falta de recursos” e “ausência de projetos relevantes”3, não alcançaremos um bom resultado.

A internet é o maior repositório de informação atualmente. Todo tipo de informação. O aluno

precisa ser “conduzido” pelo professor nesse “mar” não navegado; precisa ser ajudado com as

técnicas que o ajudem a buscar e discernir as informações oferecidas; precisa aprender a dar-

lhes significado e contextualizá-las.

Antes da Web/Internet, pesquisar era mais moroso, difícil e caro. Isso mudou. Hoje se pode

ter qualquer informação ao alcance dos dedos. Elas são vastas, completas, visuais, auditivas e

interessantes. Mas precisamos distinguir o que é importante, real e verdadeiro, do que não é.

Esse é um dos aspectos que não pode ser ignorado pelos responsáveis pedagógicos de um

estabelecimento de ensino, além do fato de que nossos alunos não aprendem a usar as

3 Conforme citado por Deniele Batista – professora UFJF.

tecnologias apenas na escola e percebem quando seus professores não estão aptos a trabalhar

com as novas tecnologias. Isso aumenta a distância entre eles e o local que deveria ser sua

fonte de referência no que se refere a “aprender” e entender o novo; um local onde a

construção do conhecimento, em forma de aprendizagem permanente com meios

diferenciados, não deveria ser ignorada. E o docente não precisa ter medo de mostrar que está

aprendendo junto com seus alunos – isso lhes ensinaria um novo conceito de respeito e

humildade de um professor que deixou de ser “onisciente” para se tornar aquele que “aprende

ensinando”, ressignificando toda a relação professor-aluno e ensino-aprendizagem: inovando.

Não há outro caminho: precisamos “adaptar-nos” às novas tecnologias e novas formas de

aquisição de aprendizado, pois já as utilizamos “em nossas casas, em nossa vida” e podemos

também fazê-lo em nossas salas de aula da melhor forma possível, adaptando-as

pedagogicamente através de projetos, da implantação de um laboratório de informática com

internet e da preparação de nossos docentes.

Quando fomos estudantes, ou até mesmo dez anos atrás, não havia a quantidade de tecnologia

que há hoje no mundo. Se, as circunstâncias permitissem e tivéssemos sido preparados para

essas mudanças, muitos de nós não seriam tão “resistentes” a elas. “O presente não nos deixa

esquecer que estamos preparando nossos alunos para profissões e tecnologias que ainda não

foram inventadas.”

E disso nós não podemos esquecer.

Nem nos eximirmos de nossa responsabilidade com esses alunos que serão os adultos do

futuro. Nossos “herdeiros” diretos.

Que façamos o melhor possível.

Referências:

BATISTA, Deniele Pereira. Técnicas e Métodos de Uso das TIC em Sala de Aula. V.1. 2ª Ed. – Juiz

de Fora: UFJF, 2010. Apostila apresentada no curso de Especialização em Tecnologia da Informação e

Comunicação para o Ensino Fundamental, Unidade III, passim.

GONÇALVES, Zilda C. V. Fajoses. - "Diretrizes para o trabalho pedagógico das TIC: um acordo

coletivo", Texto para a Disciplina “Técnicas e Métodos de Uso das TIC em Sala de Aula” Plataforma

Moodle, Curso de Especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação para o Ensino

Fundamental 2010, s/p.

Anexo I

Relato de Observação de uma Aula de Espanhol no laboratório de Informática

Esse é o relato da observação de uma aula de Espanhol com o uso do Computador

e Internet da professora Adriana Costa Henriques para alunos do Ensino Fundamental

matriculados no Projeto de Oficinas (extraturno). Esta aula se deu no dia 30 de setembro de

2010 no laboratório de Informática da Escola Municipal Núbia Pereira Magalhães – CAIC.

Os alunos matriculados nesse projeto são oriundos da comunidade e da própria

escola e iniciaram o curso no segundo semestre do corrente ano. Os projetos do Caic são

sempre abertos aos alunos da própria escola e à comunidade, principalmente aos alunos da

E.E. Prof. José SaintĆlair. O CAIC-Núbia, como a escola é conhecida, desenvolve diversos

projetos concomitantes ao Ensino Fundamental regular, aplicados nas diversas oficinas

disponíveis como: Dança, Xadrez, Espanhol, Informática, Vôlei, Handebol, Flauta, Violão,

Futsal, Convivência (3ª idade), Teatro, Coral, dentre outros, e direcionados principalmente

aos alunos da própria escola, apesar de abertos à comunidade.

A professora Adriana não sabia de antemão que teria sua aula observada e quando

estava pegando as chaves do laboratório de Informática da escola, gentilmente aquiesceu à

solicitação feita por mim para fazê-lo, quando expliquei o que precisava fazer e qual era o

objetivo.

Ela se dirigiu ao laboratório de informática antes do horário marcado para as

aulas, ligou todos os computadores e os colocou num site com um jornal em espanhol antes

da chegada dos alunos. Quando eles chegaram, ela explicou que a aula seria desenvolvida em

três etapas e que a primeira era o jornal que estava na tela – um jornal muito famoso na

Espanha o “El Mundo” (www.elmundo.es) – e que os alunos tentariam fazer uma “leitura instrumental”, ou seja, deveriam tentar identificar as palavras na tela e, por associações, tentar

entender qual era a “mensagem” transmitida.

Os alunos fizeram diversos questionamentos durante a leitura, principalmente de

tradução das palavras e comentaram o que estavam lendo.

Na segunda etapa, a professora deu a eles um endereço de um Chat

(www.terra.es/chat) em espanhol para que eles pudessem entrar e conversar com quem estivesse online no momento. Os alunos continuaram com as perguntas e observei que usaram

muito “portunhol” e brincadeiras em sua interação.

Iniciando a terceira etapa, foi solicitado aos alunos que entrassem num site de

jogos

educacionais

de

um

Instituto

Brasileiro

de

Língua

Estrangeira

(www.institutoespanhol.com.br). Os alunos pareceram se divertir bastante enquanto tentavam adivinhar o que estava escrito na tela no jogo da “Forca” e “Adivinhas”, além de outros.

Um aspecto interessante foi eles terem se “desviado” do planejamento inicial da

aula para ler quadrinhos em espanhol no site Máquina de Quadrinhos da Turma da Mônica,

até mesmo incentivados pela professora que os ajudou na tradução e interpretação, além de

brincar com eles sobre algumas das histórias, correlacionando-as ao seu dia-a-dia. Os alunos

ficaram sabendo do site por alguns alunos que participavam de um outro projeto na escola:

“Quadrinhos – Aprender e Ensinar Brincando”. (Confesso que foi uma agradável surpresa

para mim quando descobrimos o que eles estavam fazendo.)

Acredito que os alunos tiveram uma boa recepção da estratégia utilizada pela

professora, já que eles usaram os diversos recursos para adquirir mais intimidade com a língua

espanhola, além de interagir com as interfaces da internet usadas para a aplicação da

aprendizagem na aula. Ficou caracterizado o bom uso de ferramentas assíncronas (jornal e

jogos) e síncronas (Chat).

A interação dos alunos, o resultado final após a aula, a forma como foi abordada a

língua espanhola e os diversos aspectos relacionados à minha observação me levam a crer que

as tecnologias disponíveis foram bem utilizadas pela professora com recursos positivos e

estimulantes para os alunos.

Eles não só participaram da aula, como foram sujeitos de seu próprio aprendizado.

E isso tudo enquanto se divertiam.

Sites:

http://www.elmundo.es/ - Jornal da Espanha “El Mundo”

http://www.terra.es/chat/ - Chat em espanhol

http://www.institutoespanhol.pt/ - Instituto Brasileiro de Língua Estrangeira.

index-6_1.jpg

index-6_2.png

index-6_3.jpg

Tags: Aprendizagem e Ensino Por Projetos

Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:

Uma Nova Abordagem: “Aprendizagem e Ensino por Projetos” publicado Hoje por

Fajoses Zilda Cristina Ventura F Gonçalves em http://www.webartigos.com

Fajoses Gonçalves, Zilda Cristina Ventura.

Fajoses, Zilda Cristina Ventura F Gonçalves

Especialista em TICś no Ens. Fundamental. Bacharel em Adm. de Empresas,

Téc. em Seg. Trabalho, Sec. Escolar, Professora de Gestão/Serviços Públicos -

Educação Online (EAD) do IFET-JF/CTU Campus Juiz de Fora, antes Tutora

à Distância. Cursos na área de informática, extensão e aperfeiçoamento.

Ler outros artigos de Fajoses Zilda Cristina Ventura F Gonçalves

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/51578/1/Uma-Nova-Abordagem-Aprendizagem-e-

Ensino-por-Projetos/pagina1.html#ixzz14jwFXAYc

...

Zilda Fajoses Gonçalves

Especialista em TICś – Tecnologias de Informação e Comunicação no

Ensino Fudamental (UFJF), Bacharel em Administração de Empresas e

Técnica em Segurança do Trabalho, Secretária Escolar, Professora do curso

de Serviços Públicos (EaD) do IFET/CTU. Cursos na área de informática,

extensão e aperfeiçoamento (UFMT, UFRJ, PJF etc).

Pós Graduanda em PIGEAD pela UFF.

Sou apaixonada com Educação Online.

Casada, três filhos, e nas horas vagas (quase inexistentes), “arranho” o violino e “finjo” ser

escritora de ficś.

Fonte: http://www.artigonal.com/educacao-artigos/uma-nova-abordagem-aprendizagem-e-ensino-por-projetos-

3443095.html

Você pode estar interessado...