Livro de Isaac de Nínive por Isaac de Nínive - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

sa do pecado. Capitulo v

Grande honrra deu nosso Senhor deus aa

natura humanal. por duas maneiras de - 625

dout ri na. pola qu a l abriu a porta e a carreira

para entr ar aa conhocença alta. q ue res tu testemu n ho

leal a u er dadejro sobre estas cousas de suso d ic tas. faze

que sejas en ty meesmo. nõ pereceras. e se quiseres esto sab er

de fora aias out ro meestre e testemunha que te enderence aa - 630

uida da u er dade. O pensameto que he em uolto em p e cca

dos nõ pode esquecimento deles esquju ar e a sabedoria nõ q ue r

aq ue ste abrir as suas portas. aq ue le que pode enteder per

v er dadeira cuidacõ per q ua l fim igualmente todalas

cousas som det er minadas a renunciar e menosp reçar - 635

as cousas do mundo. nõ lhe conpre outro senõ

a ley natural que p ri meiramete foi dada per nosso

Senhor deus ao mundo. esto he conhecença das suas

c ri aturas porq ue depois da p ri uacõ e pecado que o home

[fº 15]

cometeu. foi dada a ley es cri pta e enadida. Aquel q ue nõ - 640

fugir aas cousas que enc ri nam e t ra gern o home ap ar tado de

sua uontade. maao seu g ra do ser a t ra gido e tirado a peccado.

Estas som c er tamete as cousas que trage o home apartado.

molheres riq ue zas uinho e da bem auenturãça e orna

mento tenporal. nõ digo que estas cousas seiã natu - 645

ralmete pecado maas que a natura humanal se encrina

a pecado por estas cousas. e por esto he mest er que o home

se guarde cõ grande cura e cujdado. Como se home de

ue anenbrar da sua fraqueza. C. vj.

Seias todos tenpos nenbrado da tua fraq ue za - 650

o termo da tua guarda e da razõ nõ sobrepoiaras

certamete os homes nõ se contentã da p ro ueza

mais ante deus he auorecida a alma e o coracõ alçado e

soberuoso e pensameto inchado e hiroso. ent re os ho

mees som fremosas e deleitosas as riq ue zas e d ea nte - 655

deus pensameto e alma omildosa. Quando q ui seres

começar boa obra p ri meiramete aparelha a tua al

ma aas tentações que h am deuijr. por esto que nõ douj

des em a u er dade q ua custume he do emjgo que como uee

começar a alguu aigua boa uida. ou cõu er sacõ com - 660

fereuente fe e pura conciencia ponse cont ra ei cõ g ra

ues e desuairadas tentacones. por esto que o posa fazer

[fº 15 vº]

uijr en temor e esfriar do boo comeco e boa entencom

e uontade que a para fazer praz er a deus que nõ posa auer q ue en

tura ne uontade de cometer ne faz er obra p ra zente a de us - 665

que o diabo aia tal poder ne uirtude ca se a ouuese

nenhuu nõ poderia fazer bem. mais nosso Senhor

o sofre assi como de Job. o podemos ueer. Polla qu al

cousa aparelha a ty meesmo a cont ra riar aas tentacões

que uee cont ra as obras de u ir tude nõ leixes por esso de come - 670

çar a fazer boas obras e u ir tuosas. Ca se te nõ aparelhas

primeiramete a cont ra dizer aas tentacones que uee cont ra as

obras de u ir tude delas per forca te aueria de partir. O home que

duuida que deus nõ seia ajudador de boas obras pola sua

sõobra meesma he spantado e en tempo de g ra nde bem - 675

aueturança e auonça elle perece e morre de fame e

em na folgança sp iri tual he conp ri do de tenpestade. maas

aq ue l q ue confia u er dadeiramete e deus he confortado e

seu coracõ e ant e todollos homees he declarada a sua

nobreza e para confusom de todos seus emigos. Os - 680

mandametos de nosso Senhor de us som sobre todolos

tesouros do mundo e q ue m os tem e os g ua rda ha d eu s dent ro

en sy meesmo. Aq ue l que a sua memoria te e deus. q ua ndo

sse deita e se aleuanta elle he procurador e guardador seu.

e q ue m deseia de faz er a sua uontade ha os sãtos angeos por - 685

[fº 16]

giadores. Aquel que a temor de faz er peccado sem toda

culpa e offendimeto pasara sem receo pello camjnho

nõ seguro e en tenpo de t r euas e de escuridade achara

ante ssy luz e claridade. Deus gu ar da as careiras daq ue l

q ue teme de faz er pecado e en tenpo do caymeto e da t ri bulla - 690

cõ lhe vijnra a vija de deus. Aquele que cuida que os seus

p e ccados sam peq ue nos cayra depois e mays gra ues p e ccados

que nõ eram os p ri meiros e em sete dobrez auera a pena.

Semea e da esmolla e omjldade e eno juizo receberas

mise ri cordia. Em aq ue las cousas e que as perdido o bem - 695

em aq ue llas meesmas o busca porq ue se deues a nosso

Senhor d eu s hua pedra preciosa a ty nõ te tomara por ella

hua mealha. esto he que se as p er dida castidade ia nõ te

recebera d eu s esmolla ement re q ue esteueres e tua fornica

cõ. porq ue castidade do teu corpo q ue r deus de ty. E poys que -700

as q ue brantado huu dos mandametos nõ cuides que as

g ra nde ganho fecto por leixar o mundo e por batalhar os

outros p e ccados. Atraz as leixado e cont ra as outr as cousas

es vjndo a batalhar, e assy cada huu colhera segundo

que semear e cada hua efirmjdade guarece o home cõ suas - 705

p ro p ri as meezinhas E tu que es por uentura tentado por

eueia por q ue te trabalhas e g ra ndes uigilias ca nõ es su

ficiente mais quando o pecado começa a sair talhandoo.

[fº 16 vº]

o quebranta antes que seia c re cido ne faça fruto. nõ q ue iras

seer negligente como quer que te semelhe que o pecado he - 710

pequeno. ca por c er to aginha o ueeras g ra nde e poderoso e

sem toda mi ser ia e deante el te conue dhir preso e atado

assy como s er uo. Mais aquelle que lhe contrariar e no co

meco s era aginha Senhor delle. Aq ue lle que poode cõ p ra zer

sofrer enjurias e aparelha assy meesmo como as po - 715

sa sofrer. este recebera deujnal consolacõ pola carida

de q ue ha a d eu s e ao seu p ru ximo. Aq ue le que cõ comjldade sofre

falsas acusacõoes q ue cont ra elle fore fectas este he uijn

do a g ram p er feiçõ e he maraujlhoso ant e os angeos

de d eu s. Ca nehua u ir tude nõ he tam g ra nde ne tã - 720

proueitosa p e ra auer a g raça de deus como esta. Nom

creas e ty meesmo q ue seias forte at aa que sejas bem p ro uado

do e examinado e aias conhecido a ty meesmo nõ mo

uiuji por taaes cousas. Mais alegre e de uõtade so

fre e soporta todalas enjurias por que en todalas cou - 725

sas posas p ro uar a ty meesmo. Reforçate q ue aias de

reita fe de d eu s e firme en teu coracõ. por que posas os

teus enmjgos uencer. Esforçate que nõ aias pensa

meto iroso. ne soberuo. ne q ue iras confiar en tua

u irtu de. por tal que deus te nõ leixe cair e tua fraq ue za - 730

e conhece a ty meesmo. Nom q ue iras creer teu siso. ne

[fº 17]

teu alvydro. porq ue o emigo cõ seu engano. nõ te possa

enlaçar. Aue a lingua manssa e temperada e nõ te

uerra dano ne desonrra. Aue doces palav ra s e seeram

todos teus amigos. Nom te q ue iras gloriar e nenhuu - 735

tenpo e tuas obras. por que nõ seias p er tua lingua cõ

fondido. Em q ua lquer cousa que se o home q ue r gloriar. d eu s

consente e da logar q ue seja escarnido e menosp re cado.

por tal q ue o hocme se humjlde co todalas cousas e cõ

heça e confesse a bondade de d eu s. e a sua p ro uidencia. por - 740

ser certo que en esta vida nehua cousa nõ he firme ne sta

uyl. Por tal seia a tua obra e o teu deseio. que os teus olhos

seiã enderençados en todolos tenpos a deus. O defen

dimeto e p ro uidencia do nosso Senhor d eu s gu ar da e gou er

na todolos homees do mudo. mays nehuu nõ vee. - 745

ne conhece estas cousas. senõ aquelles tan solamete.

q ue a ssy meesmos ham purgados e linpos dos p e ccados.

e que todo seu pensameto tem e deus. O cuidado e a pro

uidencia de deus. espicialmete se demostra aaq ue stes. q ua n

do som e g ra m tentacõ e em g ra m perigoo e entõ assen - 750

te e vee. Assy como cõ os olhos corporaaes. Esta aiu

da de d eu s vee cada huu. segundo a força da tentaçã que

sofre, por tal que os faça esforçar e alçar e vijr a acabame

to u er dadeiro e a uitoria. Assy como fez a Joh. e aos t re s moços

[fº 17 vº]

e a sam pedro e a out ro s sanctos. Aos q ua es apaireceu e for - 755

ma humanal. confortando e cõfirmando os e a fe e e

sua sperança. E se tu pella uentura q ue res di zer. estas

cousas forõ dadas aos sãctos q ue tã solamete fororn dig

nos de taaes visones veere. Seia ainda a ty e exenplo

E e conforto os sanctos m ar tires. q ue muytos animados - 760

e aynda huu soo e as uegadas cõ muytos e huu e

muytas uezes alguus delles e muytos logares se

batalharõ por nosso Senhor J e su cristo. E a u ir tude q ue den

tro e elles era ascondida ualentemete a grasa de barõns

sofrerõm e seus corpos fectos de lodo e de terra q ue fosem - 765

talhados e escarpeados e muytos diu er sos tormetos so

bre natura sofrerõ. E aaquestes os sãctos angios apa

reciã visiuelmete. por tal q ue conhocese cada huu q ua nto

auondadamete a u ir tude de d eu s era e elles q ue q ue riam sofrer

toda maneira de t ri bulhacõ e de tormeto por amor de d eu s. - 770

Esto fazia nosso Senhor d eu s. pera ajudar e demostrar

a sua fortaleza, e por confusorn de seus enmigos e q ua n

to mais erã por estas visõos confortados. tanto mais

seus enmigos por sua paciencia erã mays irados e

mais cruees. Que conp re falar dos monges peleg ri - 775

nos e estranhos e dos anaochoritas que morã e no des er to.

E am f e cto e el casa e morada de angeos. Aos q u aes

[fº 18]

os angios descendiam por adeuacõ e por amanseza de

sua uida e da sua conu er sacõ e mayormete como eram

firmadops e bem confiantes da aiuda e do defendimeto - 780

de nosso Senhor deus e e todolos dias de sua uida tin

ham uida Irmitaa e aquella mantinhã e morauã e

nos montes e nas couas e cau er nas da terra, por amor

de deus e assy como leixarõ as cousas terreaaes, ama

rõ as celestiaaes e som sãtos semelhantes aos angios. - 785

por que foy cousa razoauel que os angios lhes demost ra ssem

a sua uontade. E ainda lhes pareciam uisiuilmete

alguas uezes e lhes demostrauõ como ouuesem de

teer sua vida, e ordenar seu estado. E ainda q ue rem

doos enganar o emigo rnanifestamete os angios xe - 790

lhes demost ra uam e diziam lhes que por sua aiuda os auia

deus enuiados a elles e esforçauam e o seo t ra balhos e

os confirmauã e cõfortauã e alguus lhes diziã seus pe

sametos e alguas cousas a eles duujdosas e elles os cõ

solauõ e lhes diziam o que elles q ue riã e que duuidauõ. - 795

E as uegadas polo deserto guiauõ q ua ndo que eram desuia

dos e os liu ra uõ de toda t rib ulaçõ e engano dos seus inimj

gos. E as uezes lhes defaleciã e enfraq ue ciam os

corpos. elles os esforcauã e dauõ saaõs. E out ra s uezes

alguas esmollas e outras muytas cousas e alguus - 800

[fº 18 vº]

diziam a sua ffim e en q ua l maneira auiã de morrer.

Que conpre diz er ne manifestar as mujtas cousas de

caridade que os sãntos angeos han a nos e os satos de deus.

Certamete assy como os mayores frades serue os meo

res assy os angios s er uem a nos. Estas cousas hey - 805

dictas da p ro uidencia de deus porq ue cada huu sayba e cõ

heça que deus he ac er ca de todos aq ue lles que se dam a seu q ue rer e

se põoe e suas mãas e de todo seu coracõ o sege. Se tu

cre re s que o nosso Senhor he tu p ro curador e que te aparelhe

as necesidades da tua c ar ne. porq ue as assy grande cura e - 810

pensameto das cousas tenporaas ou da tua necessy

dade de c ar ne E se tu nõ cr ees q ue deus p ro uee a ty e porq ue

es tam cuydadoso semel das tuas necessydades. muyto

mais mesq ui nho es que todolos homees. Põe e torna

tua cujdacõ e pensameto e deus e q ua ndo ueer sobre - 815

ty mingua ou t ri bulação nõ te temeras ne aueras

spanto. Aq ue lle que assy mesmo ha offertado a d eu s. per

feitamente e folgança de pensameto he firmado e

enderençado. Nen huu nõ pode seer liu ra do de turba

çõ de sua alma, se ouer algua cousa p ro pria. e sem folgã - 820

çõ dos sisos. nehuu nõ auera ne sentira paz da mete.

E se nõ sofrer e entrar e ouu er tentações. nõ encalçara

a sabedoria do sp iri tu s ã cto. E sem gr a m trabalho de liçõ

[ fº 19]

e sutileza e pensameto de cuidações. da mente e a uonta

de nõ ent ra rom nos segredos scondidos. E sem sperã - 825

ça q ue de u er dadeira fe. nõ pode a alma tomar força

ne segurança cont ra as tentações. E sem esproua

meto da ajuda de deus. o coracõ no sse pode e elle esforçar

E se a alma nõ p ro ua e nõ sofre t ri bulações e afflições

por amor do nosso Senhor J e su Cristo, nõ auera aiun - 830

tameto cõ el. Aq ue l pode c ree r que he de deus que por g ra n pia

dade. ha amortificado a ssy meesrno e se austem da

q ui llo que he necesario. e mester. E aq ue l que a piadade

do pobre ha d eu s por seu ajudador. Aq ue l que he sãto e pobre - 835

por amor de deuis achado ha os tesouros que ia mais - 835

nõ falecerõ. Nosso Senhor deus nõ ha migua de

nehua cousa. mays aleg ra sse q ua ndo vee que o home ha

piadade de sua image. e os outros õrra e os ajuda por

amor de deus. Quando alguu te demandar algua

e cousa, nõ digas en teu coraçõ. Deteer q ue ro esto p er a o - 840

que me faz mester. por que me nõ conp re trabalhar e d eu s

dara a el conselho do q ue ha mester. Estas palauv ra s som

dos maaos homees. que som sem amor de deus. e descon

hocudos a el. Por que o boo home e justo. nõ dara a sua

onrra ao outro. ne leixara tenpo de graça cõ vãa neglige - 845

cia. Ca deus cõp re ao pobre ao pobre e ao minguado e nõ.

[fº 19 vº]

leixa a nehuu e tu as deitado de ty o teu bem e o teu

proueito. o q ua l deus te auia aparelhado e tu polla

auareza as a sua g raça de ty ap ar tada. Irmãao meu nõ

faças assy. mais q ua ndo tu deres alegrate e dhi gloria - 850

seia a ty Senhor deus. que me has fecto digno achar a q ue m

aia dado e fecto prazer pollo teu amor. E se nõ tees

cousa que des. aue maior alegria e dy muytas g raças a ty

Senhor. q ue me as f e cto tanto bem e tam g ra nde onrra.

q ue por amor do teu sãcto nome seia fecto pobre. E as fe c to - 855

de my digno de p ro uar as tribulações que son postas e as

carreiras dos teus rnandametos. em pobreza e e t ra bal

hos e em t ri bullações. assy como os teus s ã ctos am sofri

do e por tal carreira som hidos a ty. Quando fores enfer

mo diras bem auenturado he aquell que he digno que seia te - 860

tado por deus. e aquellas cousas e que manteremos a nossa uj

da e a nossa herança. ca as enfirmjdade do corpo da

deus por saude da alma. Disse huu sãcto hua uega

da e esto puge eu bem e firmey e meu coraçõ. que o mõ

ge que nõ s er ue a deus segundo seu estado e seu poder e nõ - 865

sse esforça cuydadosamete e saluar sua alma. he neglige

te p ar a aproueitar e uirtude. Sofre o d eu s por a sua pia

dade e leixa o caer en tentações por tal que por sua negli

gencia nõ possa cayr e mayores pecados. E por esto

[fº 20]

o nosso Senhor deus leixa vijr tentacões sobre os pre - 870

gicosos e negligentes, por tal que en suas cuydacões

aiã que pensar e nõ pensem e uaydades. Esto faz o nos

so Senhor d eu s aos seus amygos por tal que os castige e

os faça sabedores e lhes enssine as suas marauilhas

e a sua uontade. E q ua ndo o rogam. nõ os que r ouujr logo. - 875

ataa que som be anoiados e conheçam que estas cousas lhes

uee por sua p re giça e por suas mjnguas. E por esto diz

a esc ri ptura q ua ndo enderençardes as uossas maaos a my.

eu voluerey os meus olhos de uos outros e q ua ndo fez er des

g ra ndaes oraçones nõ uos ouuirey. Como q ue r q ue esto se - 880

ia sc ri pto por out ra cousa. enpero bem se pode enteder.

por a que lles que am leixado a carreira de deus. Polla q ua l

cousa pode o home conhoc er e diz er que o nosso Senhor d eu s

he muyto mis er icordioso, e esto que en nas nossas tenta

ções Rogamos a el e nõ somos ouuidos. Esto nos he de - 885

most ra do pello p ro pheta que diz. Nom he breus ne fraca a mãao de

nosso Senhor pera nos liurar. ne as suas orelhas nõ som

duras p e ra ouuir. Mais os nossos p e ccados nos ham del

ap ar tados. e a nossas maldades. ham a sua face de nos

uoluida. por tal que nos nõ ouça. Em todolos tenpos - 890

sey de deus nebrado e q ua ndo fores e trabalhos elle se nen

bra de ty. A tua alma pola sua natura pode recolher.

[fº 20 vº]

p e ccados e as tentacões deste mundo som muytas e e

muytas maneiras e nõ som alongados de ty os ma

les ant e s som dentro en ty e de fundo dos teus pees nace e - 895

crece. Nom te quei ras sair ne p ar tir do logar e que moras

e s er as das t ri bulacões liurado. por que d eu s andara ant e ty

E assy como os cabelhos das sobrancelhas som es

pesos e ac er ca de ty. assy som acerca de ty espessas as

tentacões e a todos os homes Estas cousas ha or - 900

denadas o nosso Senhor d eu s. polla sua g ra nde sabedo

ria a proueito de ty. por tal que continoadamete o ro

gues. E que por temor das t ri bulacões. en o teu pensa

meto sela reyguada e afirmada a ssua memoria.

E que polla sua aiuyda a el te acoste. e que o teu coracõ - 905

seia sãtificado. por continuada memoria del. e tu

rogando e chamãdo el te enteda e te ouça. e que conho

ças que o nosso Senhor deus. he a quel que te pode liurare aju

dar, e nõ out ro. E que conhoças o tu criador que a fectos

dous mudos por amor de ty. Ho huu he tenporal assy - 910

como meestre e castigador teu. Ho out ro he a gl or ia do

parayso. assy como a casa do padre e herdade tua

p er durauyl. Norn te ha fecto d eu s tal que nõ possas rece

ber tentacões e afaaens e t ri bulacones. por esto que se

te nõ soberuecesses e nõ te omildases por t ri steza e - 915

[fº 21]

por trabalhos e desconhocesses a ty meesmo e a alteza

de nosso Senhor d eu s. foras h er deiro cõ lucifer. que por seu

exalçameto o e sober ua de rnarauilhoso e resplande

cente que era. em que o d eu s auja c ri ado aginha foy e he tor

nado diabo feo. e desafegurado. E q ua ntos de bees. - 920

e de p ro uectos e de g raças e q ua nta humildade alcançamos

e auemos das t ri bulacões e tentacones que uee sobre

nos. ligeiramete os poderas saber e entender. Cer

tamete e manifesto he que nos deuemos entender e

studar e faz er todo bem que possamos. e fugir e esquiuar - 925

todo p e ccado e pensar e nos todo o bem ou mal que ue

a nos por estas cousas e a onrra e a desonrra e polla

desonrra fomos enu er gonhados e vijnmos e temor.

e polla onrra fazemos a d eu s prazer e g raças e nos auste

mos e esforçamos a u ir tudes e estes meestres ha d eu s - 930

posto sobre ty. Ca se fosses liu re da questas cousas

e se en ty nõ ouueses ternos esqueecerias d eus e p ar tir

tias del. E ainda por taaes tribulacões e feridas e

açoutes e huu mometo de tenpo alguus por sua

grande mjngua mujtos deosses tornarõ. por esta - 935

razõ te ha d eu s sometido a t ri bulacõ e a t ri stezas por

esto que o nõ possas oluidar ne desconhecer e que

seias destroido e a pena p er durauel; e da sua face nõ

[fº 21 vº]

seias p ar tido e ap ar tado. E por estas razõ cõ g ra ndes

t ri bulacões e aflicones e tristezas ha o nosso Senhor - 940

deus a sua renenbrança e a sua rnemoria reiga

da e afirmada e o teu coracom. E o temor das tuas

t ri bulacões te ham espertado. que chames a ssua bõ

dade e piadade. E pollo liv ra mento que te ha f e cto e

a que las cousas e pella sua ajuda ha sua caridade - 945

e ty plantada e afirmada. E plantado e ty a sua

caridade. a honrra de adopçõs. recebimeto de filho.

he a ty acheguada e hate de mostrado que tam g ra nde he

o auondameto da sua g raça. Como poderas tu cõ - 995

hecer esta uisstaacõ e este cujdado que deus ha de ty - 950

se te nõ fosem a que ecidas estas cousas contrairas.

Certamete mais ac re centada he e ty a sua caridade

e mais cõuinhauelmete he en ty renenbrança

dos seus dõoes. e das consolacões da g raça do sp iri tu sãcto-1000

e da sua ajuda. E todas estas g raças e vees voe a ty - 955

das tuas t ri bulacones. por tal que aprendas a bendiz er

e louuar e dar g raças a d eu s. e auedo del renenbrança.

por tal que te salue. e aia de ty memoria e te de toda

boa auenturança. Nom quei ras en uaidades enso

b er uecer. ne del esquecimeto auer por eso que elle te nõ - 960

oluide eno tenpo da tua batalha. Purga e aljnpa

[fº 22]

a ty meesmo deante deus, e aue en todo tenpo memo

ria del eno teu coracõ e nõ quei ras sayr fora da sua rene

brança. por que seias bem seguro q ua ndo te achegarares - 10

a el. Ca seer seguro e deus. vem por continoada ora - 965

cõ e falameto que o home aia cõ d eu s. E a amigança e

affecto. que o home ha cõ os homees he. por corporal

mete usar cõ elles. Mas o amor e a obra que o home

cõ deus faz. he por renenbrãça da alma. e por deuoçõ

e per humildosa oracõ e auendo continoadamete re - 970

nenbrança del. Alguas uezes se ahca o coracõ fora

de ssy meesmo. e e g ra ndes marauilhas tras segurado.

por que diz eno psalmo alegrança e no coracõ de a quell es

que que rem ao nosso Senhor d eu s. e por sperança que rede e de

mandade a sua face. e por peendença seeredes sãctifica - 975

dos e linpos dos uossos pecados. E diz o nosso Senhor.

que ro eu a morte do pecador. mas deseio que se cou er

ta e uiua. E diz ainda todollos dias hey eu estendi

das as minhas mãaos. a este poboo reuel e a mj cõ

trayro. E aynda diz por que morres a morte casa dis - 980

rael. conu er tedeuos a my e eu me tornarey a uos. E ayn

da diz mais que em q ua lquer tenpo e dia que se o p e ccador tirar

da sua maa carreira e tornarsse a deus fazendo juizo

e justiça. das suas maldades nõ me recordarey dos

[fº 22 vº]

seus p e ccados. mas ant es viuera por uida e nõ morre -985

ra. Esto diz o Senhor se o Justo leixa o seu Juizo e

a sua Justiça e fez er p e ccados e nõ Justiça. nõ auerey

renebrança da sua Justiça. mas poerey treeuas

ante elle. e polla escuridade e ecegameto das suas

obras morrera perseuerando e ellas. Pola q ua l razõ -990

o p e ccador nõ he obligado polo p e ccado. da que l dia ade

ante que se cõ ue rte e torna a deus. E a boa carreira que o justo

ouuer fecta nõ o liu ra ra. da que l dia en diante de cayr

e peccado. saluo se leixa e se p ar te do peccado. E diz d eu s

per Jeremias p ro pheta toma purgaminho e escrepuy -995

o que te eu diser dos dias de Josias rey de Judea ataa

este dia de oie todos q ua ntos malles hey ditos contra

ty tornarey cont ra este poboo. por que ueia e aia temor

o home e leixe a ssua carreira maa. E se sse conu ert er

e fezer penitecia soer lhe ham q ui tes os peccados. E diz -1000

no liuro da sabedoria. A que l que asconde os seus pecados.

seera sem p ro ueito. e a que l que confessar os seus p e ccados

e os uencer achara misericordia cõ d eu s. E yssaias

p ro pheta diz demãdade o nosso Senhor deus e achalo

edes chamade o e achagade uos a elle e ouuir uos ha. -1005

Leixe o peccador a sua carreira e home maao a suas

cudacons e conu er tede uos a mj e auerey m er cee de uos

[fº 23]

ca nõ som os meus pensametos assy como os uossos

Se q ui s er des em my entender os bees da terra comeredes.

Vynde e ouuide me e uiuera a uossa alma. Quando -1010

g uar dares as carreias do nosso Senhor e fezeres a sua

uontade. estonce espera e elle e chama o quando ho acha

res el te respondera p re stes som. Mas o home maao

q ua ndo ue sobre elle tentaçõ nõ ha contiança de cham ar

a nosso Senhor deus. por que no tempo da sua folgança e -1015

que nõ he tentado. he ap ar tado de fazer a sua uõotadade. Ant es

que comeces a fazer batalha busca batalhadores. E ant es

que seias enfermo busca fissico. E ant es que aias t ri bulla

çom roga e demanda a nosso Senhor d eu s e em tepo da

tua t ri steza o acharas e ouu irt e ha. Ant es que caias cha -1020

ma e roga e ant es que p ro metas sey aparelhado de pag ar

tua promissom esto he que te partas deste mundo.

Arca de noe e tenpo de paz foy fecta. centanos ant es

da tenpestade e os madeiros della muyto auia que erã

aparelhados. enpero e no tenpo da yra perecerõ os -1025

maaos e nõ justos e ao justo foy f e cta ajuda e defen

dimeto. A boca do p e ccador he çarrada p ar a nõ faz er ora

çõ e o arependimento da conciencia faz o home teme

roso. O boo coraçõ lança lag ri mas na sua oraço. cõ

g ra nde p ra zer e a que lles que som mortos ao mudo e o mudo. -1030

[fº 23 vº]

a elles. estes taaes sofrem e leuã alegremete t ri bula

çoes e contrariedades. E a que lles que amã o mundo nõ po

dem sofrer ejurias e som cheos de t ri steza e de ira pol

la sua vaa gloria. O meu Senhor deus corno he for

te cousa alcançar esta u ir tude. e que tã grãde gloria e -1035

calça ante d eu s. o que a aquy pode au er. A que l que esta uirtude q ui ser

alcaçar mester lhe faz que se aparte dos parentes e amigos

tenporaaes e vaa seer peleg ri no e estranha terra. por que

nõ pode esta uirtude guanhar. estando e sua t er ra.

Ca grandes barones e u ir tuosos som. a que lles que em sua -1040

terra pode sofrer esta maneira de door e de enjuria e

E a que lles a que he este mudo morto e fuge e menos

preçã toda consolaçõ. assy como aa omildade se ache

ga a g raça. assy a soberua se achegã trabalhos e doores

Os olhos de nosso Senhor deus som sobre os omildo -1045

sos pera os aleg ra r. e a cara e a face spantosa do nosso

Se nh or he sobre os soberuosos. por tal que os humilde. E a o

mjldade acha e todos tenpos mi ser icordia e o nosso

Senhor. E a dureza do coraçõ e a pouco fe tragem

fortes t ra balhos. Menosp reça a ty meesmo ante todo -1050

llos bornes e em todallas cousas. e seeras exalçado

sobre todollos p ri ncipes deste mundo. p ri meiro sey a to

dos humildosos e obidiente. e seeras mays onrado.

[fº 24]

que a que lles que fazem dõoes do mais fino ouro. Tem por

uil a ty meesmo e veeras a gloria de d eu s en ty. ca e q ua l que r -1055

logar que seia omjldade ally nace a gloria de d eu s. Se te

esforças e fazes teu poder de uontade. que seias pollas

gentes menosp reçado. deus te fara glorioso. E se as

humildade e no teu coracõ deus te demostrara a sua

gl or ia em no teu coraçõ e sey contento de tua g ra ndeza -1060

e nõ cujdes que seias grande e tua pobreza ne en tua ri

queza. Studa como possas seer menosp reçado e

seras cõplido de onrra deuinal. Nom deseies seer onrrado ca

de dent ro es cheo de toda podridõoe. menosp reça e onrra

por esto que seias onrrado e nõ desseiaras onrra por tal que -1065

te nõ uenha desonrra. Mas a que lle que fuge aa onrra

encalçara onrra e da humildade da que lle falarõ ante

todolos homes. Se menosp reças a ty meesmo que nõ se

ias conhecido. deus te julgará. E se por amor de u ir t ud e

menosp reças a ty meesmo mandara a todalas -1070

cri aturas suas que te louue e ab ri ram deante teu acata

meto a porta da gloria do teu c ri ador e te onrarõ por que

es sãcto semelhante aa sua image e a sua semelhança

Que he a que l que aia uisto alguu home cõ grandes obra

de u ir tude. e que rendo seer menosp reçado dos outros ou que -1075

faça resplandescente ujda ou que aia g ra nde sabedoria.

[fº 24 vº]

e que cõ estas cousas aia omildade de espirito. Bem aue

turado he a que lle que entodallas cousas se omilda. ca cer

tamete será enxalçado. E quem por amor de d eu s se o - 1125

milda e se menosp reça por deus será glorificado. E quem - 1080

ha fame e sede por amor de d eu s. deus ho abastecerá dos

seus bees. E a q ua l que r que he nuu por Jesu Cristo. elle o uisita

ra de uistiduras de gloria. E aquel que he sãcto pobre por

amor de d eu s. será conp ri do e consolado das suas ri que zas.

menos p reça a ty meesmo por amor de d eu s e será te ac re sce -1085

tada a gl or ia e no tenpo que tu nõ cuidares. Em todo

tenpo da tua vida te conhece e aue por peccador. por esto

que seias mais altamente justificado. Faze a ty mees

mo idiota em tua sabedoria e guarda que nõ seias acha

do por sabedor aynda que seias en u er dade idiota e nõ say -1090

bo. Como seia c er ta cousa que a omildade exalça a que l que nada