Lua Azul - Os Imortais - Livro 2 por Alyson Noël - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

index-1_1.jpg

The Immortals - Blue Moon.

SINOPSE

.Justamente quando Ever está aprendendo tudo que ela pode sobre suas novas habilidades

como uma imortal, iniciada no obscuro mundo e seduzida por seu amado Damen, alguma

coisa terrível está acontecendo com ele. Assim como os poderes de Ever começam a

aumentar, os de Damen estão desaparecendo, atingido por uma misteriosa doença que

ameaça a sua memória, sua identidade, sua vida.

.Desesperada para salvá-lo, Ever viaja para a mística dimensão de Summerland, descobrindo

não só os segredos do passado de Damen – a brutal, torturante história que ele mantém

escondida – mas também um antigo texto revelando o funcionamento do tempo. Com a

aproximação da Lua Azul anunciando sua única janela para a viajem, Ever é forçada a decidir

entre voltar o relógio e salvar sua família de um acidente que custou suas vidas ou permanecer

no presente e salvar Damen, que se torna cada dia mais fraco...

CAPÍTULO 1

.“Feche os olhos e imagine. Você pode ver?”

.Eu confirmo com a cabeça, com meus olhos fechados.

.“Imagine bem na sua frente. Veja sua textura, forma e cor. Conseguiu?”

.Eu rio, retendo a imagem em minha cabeça.

.“Bem. Agora estenda sua mão e o toque. Sinta seus ombros com a ponta de seus

dedos, segure seu peso na palma de suas mãos, então combine todos os seus sentidos:

visão, tato, olfato e sabor. Pode saboreá-lo?”

.Eu mordo meu lábio e suprimo um sorriso.

.“Perfeito. Agora combine isso com o sentimento. Você tem que acreditar que isso

existe bem na sua frente. Senti-lo, vê-lo, tocá-lo, prová-lo, aceitá-lo, manifestá-lo” ele

disse.

.E eu faço isso. Faço todas essas coisas e quando ele geme, abro meus olhos e vejo por

mim mesma.

.

“Ever.” Ele balança a cabeça. “Era pra você pensar em uma laranja. Isso nem sequer

parece uma laranja.”

.“Não, não há nada frutífero nele.” Eu rio, sorrindo para a minha réplica de Damen. A

réplica que manifestei bem na minha frente, e a versão em carne e osso que tenho ao

meu lado. Ambos igualmente altos, escuros e tão devastadoramente lindos, que

dificilmente parecem reais.

.

“O que vou fazer com você?” Pergunta o Damen real tentando demonstrar um olhar

de desaprovação, mas falhando miseravelmente. Seus olhos sempre o traindo,

mostrando nada mais que amor.

.

“Hmmm...” Eu olho meus dois namorados: um real e outro conjurado. “Suponho que

poderia vir aqui e me beijar, mas se estiver muito ocupado irei pedir a ele. Não acho

que ele se importará.”

.

Começo a me aproximar do Damen manifestado, rindo quando ele sorri e pisca pra

mim, mesmo quando seu contorno esteja desaparecendo e em breve terá ido.

.Mas o Damen real não ri. Ele apenas balança a cabeça novamente e diz: “Ever, por

favor. Precisar ser mais séria. Há muito para te ensinar.”

“Por que tanta pressa?” dou de ombros, abraçando minha almofada e batendo no espaço ao

meu lado, desejando que ele se mova de minha mesa para me acompanhar. “Não parece que

o que mais temos é tempo?” Rio e quando ele me olha todo meu corpo se aquece, minha

respiração se detém em minha garganta e não posso evitar me perguntar se alguma vez me

acostumarei a sua incrível beleza, sua pele macia de oliva, seu lustroso cabelo marrom, seu

rosto perfeito e seu esbelto e escultural corpo. O perfeito ying escuro para o meu yang louro

pálido. “Eu acho que vai encontrar em mim uma estudante bastante entusiasmada,” lhe digo

enquanto meus olhos encontram-se com os seus, dois poços de insondável profundidade.

.

“Você é insaciável,” ele sussurra, sacudindo sua cabeça e movendo-se junto a mim, tão atraído

a mim, como eu estou por ele.

.

“Estou tratando de repor todo o tempo perdido,” murmuro, sempre tão ansiosa por estes

momentos, os momentos quando apenas estamos ele e eu e não tenho que compartilhá-lo

com ninguém. Mesmo sabendo que temos toda a eternidade pela frente não me faz ser menos

gananciosa.

.

Ele se inclina para me beijar, claramente esquecendo nossa lição. Todos os pensamentos para

manifestar, visão remota, telepatia; todos esses assuntos psíquicos substituídos por algo muito mais imediato, enquanto ele me coloca sobre a pilha de almofadas e cobre meu corpo com o

seu, ambos fundido como duas videiras desfrutando do calor do sol.

.

Seus dedos serpenteiam embaixo de minha blusa e logo se deslizam por meu estômago até a

borda do meu sutiã enquanto eu fecho meus olhos e sussurro, “Te amo.” Palavras que uma

vez guardei para mim.

.

Mas depois de dizê-la pela primeira vez, é quase tudo o que digo.

.

Escuto como geme suavemente enquanto solta o feixe do sutiã, sem muito esforço, tão

perfeito, sem qualquer desconforto ou nervosismo.

.

Cada movimento que faz é tão gracioso, tão perfeito, tão...

.

Talvez, perfeito até demais.

“O que há de errado?” ele pergunta, enquanto me afasto. Sua respiração está entrecortada

enquanto seus olhos buscam os meus. A área ao redor de seus olhos enrijecendo e contraindo-

se da maneira que estou acostumada.

.

“Não há nada de errado.” Lhe dou as costas enquanto ajeito minha blusa, contente de ter

completado minha lição de como proteger meus pensamentos, já que é a única coisa que me

permito mentir.

.

Ele suspira e se levanta da cama, negando-me o formigamento de seu toque e o calor de seu

olhar enquanto anda pra lá e pra cá na minha frente, e quando ele pára e me encara,

pressiono meus lábios sabendo o que está vindo. Nós já passamos por isso antes.

.

“Ever, não estou tentando te pressionar nem nada disso. Realmente, não estou,” ele disse com

seu rosto cheio de preocupação. “Mas em algum momento você terá que terminar com isso e

aceitar quem sou. Posso manifestar qualquer coisa que você desejar, enviar-te pensamentos

por telepatia e imagens cada vez que estamos separados, levá-la a Summerland a qualquer

momento. Mas a única coisa que jamais poderei fazer é mudar o passado. É só isso.”

.

Fico parada olhando o chão, sentindo-me pequena, carente e completamente envergonhada.

Odiando que seja incapaz de ocultar meus ciúmes e inseguranças, odiando que eles sejam tão

transparentes e claramente expostos. Porque não importa que tipo de escudo psíquico crie,

não tem efeito. Ele teve seiscentos anos para estudar o comportamento humano (para estudar

meu comportamento), contra meus dezesseis.

.

“Só... Só me dê um pouco mais de tempo para me acostumar com tudo isso,” lhe digo,

brincando com um fio solto no meu travesseiro. “Só faz algumas semanas.” Me encolho,

recordando como matei a sua ex-esposa, eu disse que o amava, e selaria o meu destino

imortal, há menos de três semanas atrás.

Ele me olha com seus lábios tensos e olhos duvidosos, e mesmo estando apenas alguns

centímetros de distância, o espaço que nos separa é tão pesado e preocupante, que parece

como um oceano.

.

“Me refiro a esta vida,” lhe digo, minha voz acelerando, tornando-se mais alta, tentando

chegar ao vazio e aliviar o ambiente. “Como não posso lembrar minhas outras vidas, é tudo o

que tenho. Só preciso de um pouco mais de tempo. Ok?” Rio nervosamente, meus lábios

sentindo-se dormentes e desajeitados enquanto os mantenho no lugar, expirando aliviada

quando ele se senta ao meu lado, levando seus dedos até minha testa, buscando o espaço

onde costumava estar minha cicatriz.

.

“Bem, isso é uma coisa que nunca nós faltará.” Ele suspira, traçando seus dedos na curva da

minha mandíbula enquanto se inclina para me beijar, seus lábios fazendo uma série de pausas

em minha testa, meu nariz minha boca.

.

E quando penso que ele me beijará outra vez, ele aperta minha mão e se afasta caminhando

diretamente até a porta e deixando em seu lugar uma linda tulipa vermelha.

CAPÍTULO 2

.Mesmo Damen podendo sentir o momento exato em que minha tia Sabine vira em

nossa rua e entra no caminho pra casa, essa não é a razão pelo qual ele se vai.

.

Ele se foi por mim.

.

Pelo simples fato de que ele tem estado atrás de mim durante centenas de anos,

procurando-me em todas as minhas reencarnações, para que pudéssemos estar

juntos.

.

Só que nunca ficamos juntos.

.

O que significa que nunca aconteceu.

.

Aparentemente cada vez que estávamos a ponto de dar o próximo passo e consumar

nosso amor, sua ex-esposa Drina conseguia aparecer e me e matar.

.Mas agora que eu a matei, que a eliminei com um bom – admito que foi fraco – golpe

no chakra de seu coração, não existe absolutamente nada ou ninguém para interferi

em nosso caminho.

.Exceto eu.

.Porque mesmo amando Damen com todo o meu ser, e definitivamente quero dar o

próximo passo, não posso deixar de pensar nos últimos seiscentos anos.

.

Em como ele decidiu vivê-los (Estranhamente, de acordo com ele). E com quem

decidiu vivê-los (Exceto de sua ex-esposa Drina, muitos outros foram insinuados). E,

bem, tanto quanto, eu odeio admitir, sabendo de tudo isso me faz sentir um pouco

insegura.

.Ok, talvez muito insegura. Quero dizer, não é como se minha patética escassa lista de

garotos que eu beijei poderia alguma vez ser comparada com seus seiscentos anos de

conquistas. E mesmo sabendo que estou sendo ridícula, mesmo sabendo que Damen

tem me amado durante séculos, o fato é que coração e razão não são sempre amigos.

E no meu caso eles quase nem se falam.

.Mesmo assim, cada vez que Damen vem para minhas lições, eu sempre as transformo

em uma prolongada sessão de beijos, cada vez pensando: É isso! Desta vez vai

realmente acontecer! Só para empurrá-lo como se fosse o pior tipo de incômodo. E a

verdade é que é exatamente como ele disse. Ele não pode mudar seu passado, é

simplesmente assim. Não se pode desfazer algo que já está feito. Não há retrocesso,

não há volta.

A única coisa que uma pessoa pode fazer realmente é seguir em frente, e isso é exatamente o

que eu preciso fazer. Dar o grande salto a diante sem hesitar, sem olhar para trás nenhuma

vez. Simplesmente esquecer o passado e moldar o futuro.

.

Eu só queria que fosse tão fácil assim.

.

“Ever?” Sabine sobe as escadas enquanto eu corro freneticamente pelo quarto, tentando

organizá-lo antes de sentar-me em minha mesa e me esforçando para parecer que estou

ocupada. “Ainda está acordada?” Ela pergunta, colocando sua cabeça dentro do quarto e

mesmo sua roupa estando amassada, seu cabelo débil e seus olhos vermelhos de cansaço, sua

aura está irradiando um belo tom verde.

.

“Eu estava terminando algumas tarefas,” lhe digo, afastando meu laptop como se eu estivesse

usando.

.

“Você comeu?” Ela se inclina contra a moldura da porta, seus olhos apertados e cheios de

suspeitas, enquanto sua aura me alcança – o detector de mentiras portátil que ela carrega por

todos os lugares sem que ela perceba.

.

“Claro,” eu disse a ela. Assentindo e sorrindo e fazendo o melhor que posso para parecer

sincera, mas a verdade é que meu rosto parece falso.

.

Odeio ter de mentir. Especialmente pra ela. Depois de tudo o que ela fez por mim, me

aceitando depois do acidente, quando minha família inteira morreu. Quero dizer, ela não tinha

a obrigação de fazer isso. Só porque ela é meu único parente que me restou vivo não significa

que ela não poderia ter dito não. E acredite em mim, sua vida era muito menos complicada

antes de eu chegar.

.

“Eu queria dizer alguma coisa além dessa bebida vermelha.” Ela se inclina, fazendo careta para

o frasco em minha mesa, o líquido vermelho opaco com o sabor estranho e amargo que já não

odeio tanto como costumava. O que é bom porque, segundo Damen, tomarei durante o resto

de minha eternidade. Mas também não é como se eu não pudesse comer comida de verdade,

é que simplesmente já não quero.

Meu suco imortal fornece todos os nutrientes que poderia precisar e sempre me sinto

satisfeita sem importar se bebo muito ou pouco.

.Mas ainda assim, sei o que ela está pensando. E não apenas porque posso ler todos os seus

pensamentos, mas porque eu costumava pensar o mesmo sobre Damen. Eu costumava ficar

muito incomodada ao vê-lo afastar o prato, recusar a comida ou fingir que comia. Até que eu

descobri o seu segredo, claro.

.

“Eu, hum, comi alguma coisa mais cedo,” finalmente disse, tentando não pressionar meus

lábios, afastar meu olhar ou recuar – todas as coisas que normalmente me traem. “Com Miles

e Haven,” eu acrescento, esperando que isso explique a ausência de pratos sujos, embora

saiba que dar muitos detalhes é ruim. Como um sinal com luzes vermelhas anunciando

MENTIROSA A FRENTE! Sem mencionar que Sabine é advogada, uma das litigiosas de maior

prestígio na firma em que trabalha, fazendo-a incrivelmente boa em detectar farsantes.

Mesmo ela utilizando esse dom exclusivamente para seu trabalho. Em sua vida pessoal, ela

prefere confiar.

.Exceto por hoje. Hoje ela não está acreditando em nenhuma palavra do que digo. Em vez disso

ela me olha e diz, “Estou preocupada com você.”

.

Eu me viro para poder ficar de frente pra ela esperando demonstrar que estou aberta e pronta

para escutar todas suas preocupações, mesmo que eu esteja bastante assustada. “Estou bem,”

digo a ela, sorrindo e reafirmando com a cabeça para que ela acredite. “De verdade. Minhas

notas estão boas, estou me dando bem com meus amigos, Damen e eu estamos...” faço uma

pausa, me dando conta que nunca tinha falado com ela sobre meu relacionamento com ele

antes. Nunca realmente o defini, e tenho praticamente guardado para mim. E a verdade é,

agora que eu comecei, não tenho certeza de como terminar.

Quero dizer, nos referir como namorado e namorada soa tão banal e inadequado agora que

nosso passado, presente e futuro estão em consideração, porque obviamente toda nossa

história compartilhada nos faz muito mais que isso. Mas ainda assim, não é como se fosse

proclamar publicamente como nós somos companheiros eternos ou almas gêmeas. Isso seria

muito estranho e a verdade é que eu prefiro não definir. Já estou bastante confusa do jeito

que as coisas estão. Além disso, o que eu poderia dizer a ela? Que temos nos amado durante

séculos, e mesmo assim ainda não passamos da segunda base?

.

“Bem, Damen e eu estamos... realmente indo bem,” finalmente disse, engolindo com

dificuldade quando me dou conta que eu disse bem no lugar de ótimo, que seria a única verdade que diria o dia todo.

.

“Então, ele estava aqui.” Ela coloca sua maleta de couro marrom no chão e olha pra mim.

Ambas completamente conscientes de como é fácil cair em suas armadilhas de litigiosa

profissional.

.

Eu confirmo, mentalmente me chutando por insistir em ficar aqui ao invés de ir para a casa

dele, como ele originalmente queria.

.

“Pensei ter visto o carro dele passar a toda velocidade.” Ela dirige seu olhar até a cama

desfeita e as almofadas desordenadas e quando me olha de volta, não posso evitar me

estremecer. Em especial quando pressinto o que virá.

.

“Ever.” Ela suspira. “Desculpa não estar aqui na maioria do tempo e por não passarmos muito

tempo juntas. E mesmo que pareça que ainda estamos nos acostumando a viver juntas, eu

quero que saiba que estou aqui para você. Se alguma vez quiser falar com alguém – eu irei te

escutar.”

.

Eu pressiono meus lábios e confirmo com a cabeça, sabendo que ela ainda não terminou, mas

esperando que termine logo me mantenho calada e complacente.

“Porque mesmo que você pense que provavelmente eu sou muito velha para compreender o

que você está passando, eu me lembro como era ter sua idade. Como esmagadora que pode

ser a pressão constante de ter as medidas das modelos e atrizes e outras imagens impossíveis

que você vê na TV.”

.

Engulo seco e evito olhá-la, tentando não reagir de maneira exagerada, de não ir ao extremo

de me defender já que é melhor que ela acredite nisso do que suspeitar da real verdade.

Desde que fui expulsa, Sabine tem estado me observando de perto mais do que nunca e

quando ela recentemente carregou a estante de livros com livros de auto-ajuda tipo: Como

Criar Um Adolescente Em Tempos Loucos Como Este, e também: Seu Adolescente e Os Meios de Comunicação (E O Que Você Pode Fazer Sobre Isso), se tornou mil vezes pior. Agora ela sublinha e destaca todos os comportamentos adolescentes mais alarmantes, e então me

examina minuciosamente, verificando se há sintomas.

.

“Mas quero que saiba que é uma garota linda, muito mais bonita do que eu era na sua idade e

isso de morrer de fome para competir com todas aquelas celebridades magras que gastam a

metade da vida entrando e saindo da reabilitação não é apenas uma meta irracional e

inalcançável, mas vai acabar fazendo com que você fique doente.” Ela me deu um olhar

aguçado, querendo desesperadamente olhar através de mim. “Quero que saiba que você é

perfeita do jeito que é, e me dói muito vê-la passar por isso. E se é por Damen, bem então,

tenho que dizer que...”

.

“Eu não sou anoréxica.”

.

Ela me olha.

.

“Não sou bulímica, não estou fazendo nenhuma dieta maluca, não estou morrendo de fome,

não estou forçando para ser tamanho zero, e eu não estou tentando parecer como uma gêmea

Olsen. Sério, Sabine, pareço que estou passando fome?” me levanto permitindo uma visão

desobstruída de mim em toda minha gloriosa estrutura – vestida com jeans apertados –,

porque em todo caso, me sinto o oposto de magra. Eu pareço ter um desenvolvimento muito

bom.

Ela me olha. E eu quero dizer, realmente me olha. Começando desde o alto da minha cabeça,

até a ponta dos meus pés e parando em meus pálidos tornozelos expostos. Eu não tive

nenhuma escolha a não ser mostrar que eu descobri que meu jeans favorito ficou muito curto

e tive que enrolá-los para compensar.

.

“Eu só pensei...” ela se encolhe de ombros, insegura do que dizer agora que a evidência

apresentada diante dela aponta claramente um veredicto de não culpada. “Porque nunca te

vejo comendo e sempre está tomando isso vermelho...”

.

“Então assumiu que passei de alcoólatra para anoréxica?” eu rio para que ela veja que não

estou com raiva – um pouco irritada talvez, mais comigo mesmo do que com ela –. Deveria ter

fingido melhor. Devia ao menos fingir que comia. “Não tem nada com o que se preocupar.”

Sorrio. “Realmente. E para sermos claras, não tenho a intenção de usar ou vender drogas,

experimentos com modificações em meu corpo, me cortar, me marcar, fazer algum piercing,

ou o que quer que encontre na sua lista de O Top Dez Mal Ajustados Comportamentos Para

Procurar Em Seu Adolescente. dessa semana. E para registro, beber esse líquido vermelho não tem nada haver com tentar ser magra como as celebridades ou tentar agradar a Damen.

Simplesmente acontece que eu gosto, e isso é tudo. Além disso, eu sei que Damen me ama e

me aceita exatamente como...” eu paro, sabendo que comecei um assunto completamente

diferente no qual não tenho vontade de falar e antes que ela possa formular as palavras que

tem na cabeça, eu levanto uma mão e digo, “E não. Não é isso que eu quis dizer. Damen e eu

estamos...” Conectados, saindo, namorado e namorada, amigos com benefícios, eternamente

unidos. “Bem, estamos juntos. Você sabe, comprometidos, como um casal. Mas não estamos dormindo juntos.”

.

Ainda.

.

Ela me olha com seu rosto tão apertado e desconfortável assim como me sinto por dentro.

Nenhuma de nós duas quer falar sobre esse assunto, mas ao contrário de mim, ela sente que é

seu dever.

“Ever, eu não estava insinuando...” ela começa. Mas então ela olha pra mim e eu olho pra ela,

e ela dá de ombros decidindo que é melhor deixar assim porque ambas sabemos que ela

certamente estava insinuando.

.

E eu estou tão aliviada de que tudo havia acabado relativamente fácil, que me pegou

completamente desprevenida quando ela diz, “Bem, como parece que você realmente se

importa com esse rapaz, eu acho que deveria conhecê-lo. Então vamos agendar um horário

para irmos todos jantar. Que tal este fim-de-semana?”

.

Este fim-de-semana?

.

Eu engulo com dificuldade e olho pra ela, sabendo exatamente o que ela quer fazer: matar

dois pássaros com uma refeição. Encontrando a oportunidade perfeita para me ver comer um

prato cheio de comida, enquanto interroga Damen.

.

“Bem, isso parece ótimo e tudo mais exceto que a peça de Miles é na sexta.” Lutei para manter

minha voz calma e segura, “E então se supõem que haverá uma festa na qual provavelmente

acabará muito tarde, então...”

.

Ela concorda, com seus olhos fixos nos meus e seu olhar é tão misterioso que me faz suar.

.

“Então provavelmente não vai dá certo,” termino de dizer, sabendo que eventualmente terei

que passar por isso, mas esperando que não seja até muito tempo depois. Quero dizer, eu amo

Sabine, e eu amo Damen, eu só não tenho certeza se vou amá-los juntos, especialmente uma

vez que o interrogatório começar.

.

Ela me olha por um momento, então confirma e dá a volta, e quando estou a ponto de respirar

aliviada, ela me olha sobre seus ombros e diz, “Bem, sexta está claramente descartada, mas

ainda nos resta o sábado. Por que você não diz para Damen está aqui às oito?”

CAPÍTULO 3

.Mesmo dormindo até tarde, ainda sou capaz de sair pela porta e chegar a Miles a

tempo. Acho que é porque não me leva tanto tempo ficar pronta agora que Riley não

está por aqui para me distrair. E mesmo quando me incomodava à maneira ela

costumava se empoleirar no meu armário com seu traje de Hal oween enquanto me

interrogava sobre namorados e criticando minha roupa, desde que eu a convenci a

seguir em frente, de cruzar a ponte até onde nossos pais e nosso cachorro Buttercup

esperavam, não podia vê-la.

.O que quero dizer é que ela estava certa. Só posso ver os espíritos que ficaram para

trás, não aqueles que atravessaram.

.

E sempre que penso em Riley, minha garganta se contrai e meus olhos começam a

coçar, e me pergunto se alguma vez vou me acostumar com o fato dela ter ido. Quero

dizer, ido de forma permanente e irreversível. Mas suponho que já deveria saber o

suficiente sobre perdidos para perceber que você nunca deixa de surpreender as

pessoas – aprende a viver através do enorme vazio de sua ausência.

.

Enxugo meus olhos e paro esperando por Miles, recordando a promessa de Riley, de

que me enviaria um sinal, algo para mostrar que está bem. E mesmo estando atenta

ao juramente, me mantendo alerta, atenta a qualquer indício de sua presença – até

agora não consegui nada.

.Miles abre a porta e justo quando vou dizer Oi, ele levanta sua mão e diz, “Não fale.

Apenas olhe meu rosto e me diga o que vê. Qual é a primeira coisa que percebe? E não

minta.”

.“Seus lindos olhos castanhos” digo, escutando os pensamentos em sua cabeça e

desejando, não pela primeira vez, poder mostrar a meus amigos como proteger seus

pensamentos e mantê-los privados. Mas isso seria divulgar meu poder de ler mentes,

sentir auras, psiquicamente conhecer segredos, e não posso fazer isso.

Miles balança a cabeça e entra no carro, aproximando-se do espelho retrovisor e examinando

seu queixo. “Você é uma droga de mentirosa. Olhe, está bem aqui! Como um farol brilhante e

vermelho, você não pode ignorar, por isso nem tente fingir que não vê.”

.Olho de relance pra ele enquanto saio da entrada da sua casa, vendo a espinha que se atreveu

a aparecer em seu rosto, embora seja as unhas pintadas de rosa que me chama atenção.

“Lindas unhas.” Eu rio.

.“É pra minha peça.” Ele sorri, ainda olhando seu queixo. “Não posso acreditar nisso! É como se eu estivesse caindo totalmente justo quando tudo estava caminhando perfeitamente. Os

ensaios estão ficando ótimos, eu sei todas as minhas falas assim como de todos os outros... eu

achava que estava totalmente preparado, e agora isto!” ele aponta para seu rosto.

.

“São só os nervos.” Digo, olhando pra ele justo quando o sinal fica verde.

.

“Exatamente.” ele assente. “O que prova que eu sou um amador. Para os profissionais, os

profissionais de verdade, não ficam nervosos. Basta entrar na zona criativa e... criar. Talvez eu não esteja pronto pra isso.” Ele me olha, seu rosto tenso de preocupação. “Talvez tenha tido

sorte de ganhar o papel principal.”

.Eu olho de relance pra ele, recordando como Drina disse que tinha entrado na cabeça do

diretor para que elegesse Miles. Mas mesmo que isso seja verdade, não quer dizer que ele não

consiga lidar com isso. Isso não significa que ele não seja o melhor.

.“Isso é ridículo.” Balanço a cabeça. “Muitos atores ficam nervosos, sofre de medo do palco ou

o que seja. Realmente. Você não vai acreditar na quantidade de histórias que Riley conhecia...”

eu paro, os olhos enormes, a boca aberta, sabendo que não posso terminar essa frase. Que

não posso divulgar as histórias que minha irmãzinha morta me contou espionando as estrelas

de Hollywood. “De qualquer forma, você não usa, tipo, uma tonelada de maquiagem?

Ele me olha. “Sim. Então. Qual é o ponto? A peça é na sexta-feira, no qual, para sua

informação, é amanhã. Isso nunca vai desaparecer até lá.”

.“Talvez.” Eu dou de ombros. “Mas o que eu quis dizer é que você pode usar maquiagem para

cobri-la.”

.

Miles revira os olhos e protesta. “Oh, assim eu posso ostentar um enorme farol cor de carne

ao invés disso? Você já olhou pra essa coisa? Não tem como disfarçar isso. Isso tem DNA

próprio! Está fazendo sombra!”

.

Eu estaciono na escola, no lugar que geralmente uso, ao lado da lustrosa BMW de Damen. E

quando olho para Miles novamente me sinto atraída a tocar seu rosto. Como se meu dedo

indicador estivesse inexplicavelmente atraído para a ferida em seu queixo.

.

“O que você está fazendo?” ele pergunta, se afastando.

.

“Só... só estava parada.” Sussurro, sem ter idéia do que estou fazendo, ou por que ainda estou

fazendo. A única coisa que sei é que meu dedo tem um destino em mente.

.“Bem não – toque nisso!” ele grita, no exato momento que eu faço contato. “Genial, isso é

genial. Agora isso provavelmente tem o dobro do tamanho.” Ele balança a cabeça e sai do

carro, e eu não posso evitar sentir-me desapontada ao ver que a espinha ainda continua lá.

.Suponho que estava esperando ter desenvolvido algum tipo de habilidade curativa. Desde que

Damen me disse, logo após eu decidir aceitar meu destino e começar a beber o suco imortal,

que eu poderia esperar algumas mudanças, qualquer coisa ligada a minhas habilidades

psíquicas super-elevadas (o que não estava esperando com ansiedade), habilidades físicas

super-elevadas (algumas poderiam certamente ter alguns benefícios) ou alguma outra coisa

(como a habilidade de curar os outros, o que tem meu voto já que seria muito legal), eu tenho

estado à espera de algo extraordinário. Mas até agora, a única mudança são alguns

centímetros a mais, o que realmente não faz muito por mim a não ser me obrigar a comprar

jeans novos. E isso provavelmente aconteceria de uma forma ou de outra eventualmente.

Peguei minha mochila e desci do carro, meus lábios encontrando-se com os de Damen no

momento em que ele apareceu ao meu lado.

.

“Ok, sério. Quanto tempo mais isso vai durar?”

.

Ambos nos separamos e olhamos para Miles.

.

“Sim, estou falando com vocês.” Ele balança os dedos. “Todos esses beijos, e abraços, e não

vamos esquecer dos sussurros constantes.” Ele entrecerra os olhos.

.“Realmente. Pensei que já haviam superado isso agora. Quero dizer, não me interpretem mal,

estamos todos muito felizes que Damen voltou para a escola, de que vocês tenham se

encontrado novamente, e que seguramente vão viver felizes para sempre. Mas de verdade,

não acham que já é tempo de talvez tentar e diminuir um pouquinho? Porque alguns de nós

não somos tão felizes como vocês. Alguns de nós somos um pouco privados do amor."

.“Você está privado do amor?” eu rio, um pouco ofendida pelo o que acaba de dizer, sabendo

que tem mais a ver com sua ansiedade com a peça do que com Damen e eu. “O que aconteceu

com Holt?”

.“Holt?” ele balança a cabeça. “Nem sequer me fale sobre Holt! Nem sequer vá por esse

caminho, Ever!” ele balança a cabeça e se vira, dirigindo-se até Haven que está na porta

esperando.

.“Qual é o problema dele?” Damen pergunta, pegando minha mão e entrelaçando nossos

dedos, me olhando com os olhos cheios de amor, apesar do que aconteceu ontem.

.

“Amanhã é a noite de abertura.” Dou de ombros. “então ele está assustado, tem uma espinha

no queixo, e naturalmente, decidiu nos fazer responsáveis.” Digo, olhando enquanto Miles

pega Haven pelo braço e se dirige para a classe.

.

“Não vamos falar com eles.” Ele disse, olhando por sobre os ombros para nós. “Estamos em

greve até que parem de agir tão apaixonados, ou até que essa espinha desapareça, qualquer

um que vier primeiro.” Ele confirma, só meio brincando.

.

Haven sorriu e foi com ele, enquanto Damen e eu caminhamos para a Aula de Inglês. Passando

justamente em frente de Stacia Mil er que sorri pra ele e tenta me fazer tropeçar.

Mas no momento em que ela está colocando sua mochila no me caminho, esperando me

humilhar quando eu cair, a vejo levantar, e eu sinto chocar-se – direto no joelho dela. E mesmo que eu sinta a dor também, eu ainda estou contente de ter feito isso.

.

“Owww!” ela protesta, esfregando seu joelho e me olhando, mesmo quando não tem

nenhuma evidência de que eu seja de alguma forma a responsável.

.

Mas eu só a ignoro e me sento em meu lugar. Teria sido melhor ignorá-la. Desde que ela fez

com que me suspendesse por beber no colégio, tenho feito o possível para ficar fora de seu

caminho... Às vezes não posso comigo mesma.

.

“Você não deveria fazer isso,” sussurra Damen, tentando um olhar severo enquanto se inclina

pra mim.

.

“Por favor. É você que quer que eu pratique manifestação.” Dou de ombros. “Parece que as

lições estão dando resultados.”

.

Ele me olha balançando a cabeça e disse, “Veja só, é pior do que eu imaginava, porque para

sua informação o que fez foi psicocinese não é uma manifestação, viu como aquelas lições

estão finalmente começando a dar resultados."

.

“Psico... o quê?” eu envesgo os olhos, sem saber o que o termo significa, embora tenha sido

realmente divertido.

.

Ele pega a minha mão, um sorriso no canto dos lábios enquanto diz, “Eu estava pensando...”

.

Olho para o relógio, vendo que já passaram 5 minutos desde as nove e sabendo que o Sr.

Robins está deixando a sala dos professores.

.

“Sexta à noite. O que você me diz de ir a algum lugar... especial?” ele sorri.

.

“Como Summerland?” olho para Damen, meus olhos enormes e brilhantes enquanto meu

pulso se acelera. Tenho estado querendo voltar a esse lugar mágico e místico. A dimensão

entre dimensões, onde posso manifestar oceanos, elefantes, e posso mover as coisas maiores

do que projetar bolsas Prada – só preciso de Damen para chegar lá.

Mas ele apenas sorri e balança a cabeça. “Não. Não Summerland. Embora nós retornaremos

lá, eu prometo. “Estava pensando em algo mais assim como o Montage, ou o Ritz, talvez?” ele

levanta as sobrancelhas.

.

“Mas a peça de Miles é na sexta e eu prometi que estaria lá” digo, me dando conta como

convenientemente havia esquecido a peça quando pensei que se tratava de Summerland. Mas

agora que Damen quer ir a um dos hotéis mais caros – minha memória voltou de imediato.

.

“Ok, então, que tal depois da peça?” ele ofereceu. Mas enquanto me olha, quando vê como

hesito, como pressiono meus lábios procurando uma forma educada de dizer que não, ele

acrescenta. “Ou não. Só foi uma idéia.”

.

Olho pra ele de relance, sabendo que preciso aceitar, que quero aceitar. Escutando a voz em

minha cabeça que diz: Diga sim! Diga sim! Você prometeu que iria dá o passo adiante, sem

olhar pra trás, essa é sua chance – só vá em frente e faça isso! Apenas! Diga! Sim!

.

Mas mesmo sabendo que é tempo de seguir adiante, mesmo amando Damen com todo meu

coração, e estou determinada a deixar seu passado pra trás e dar o próximo passo, o que sai

da minha boca é totalmente diferente.

.

“Nós veremos,” digo, evitando seu olhar e concentrando-me na porta, justo quando o Sr.

Robins entra.

CAPÍTULO 4

.Quando finalmente soa a campainha do quarto período, me levanto da minha mesa e

me aproximo do Sr. Muños.

.

“Você tem certeza que terminou?” ele pergunta, levantando a cabeça e me olhando

através da pilha de papéis na frente dele. “Não tem problema se você precisar de mais

tempo.”

.

Eu olho pra minha prova e digo que não com a cabeça, perguntando-me o que ele faria

se alguma vez soubesse que terminei o exame em aproximadamente 45 segundos

depois que ele me entregou e que então passei os 50 minutos restantes fingindo que

fazia.

.“Estou bem,” lhe digo, sabendo que é verdade. Uma das coisas com que tenho que

lidar sendo psíquica, é que não tenho que estudar porque já sei todas as respostas, e

embora as vezes seja tentador demonstrar e passar em todos os meus testes com um

percentual perfeito, geralmente tento evitar isso cometendo de propósito alguns erros

porque é importante não exagerar. Pelo menos é o que Damen diz. Ele sempre está

me lembrando a importância que é não sobressair muito porque assim, pelo menos,

da uma aparência normal – embora isso seja o mínimo que somos.

.A primeira vez que ele me disse isso, não pude evitar recordar das vezes que ele

manifestou as tulipas quando nos conhecemos, mas ele disse que teve que fazer

algumas exceções porque de alguma forma tinha que chamar minha atenção e teve

que repeti mais do que o necessário porque eu não entendi o significado das flores –

amor eterno – até o último momento.

.Entreguei a prova ao Sr. Muñoz, estremecendo quando a ponta dos nossos dedos

fizeram contato. Apesar de ter sido um simples toque, foi suficiente para me mostrar

mais do que jamais precisava saber.

Me permitindo uma visão detalhada de como foi sua manhã, tudo sobre seu apartamento

incrivelmente bagunçado, a mesa da cozinha que está coberta de vasilhas e múltiplas versões

do manuscrito no qual ele está trabalhando durante os últimos sete anos, ele cantando “Born

to Run” a todo pulmão enquanto tenta conseguir uma camisa limpa para então ir a Starbucks

onde tropeçou em uma loira, que derramou seu café latte gelado nele – resultando em uma

fria, úmida, irritante mancha que um flash de seu belo sorriso fez apagar.

.

Um glorioso sorriso que ele não pôde esquecer – um glorioso sorriso que – pertence a minha

tia!

.

“Quer esperar enquanto eu corrigo?”

.

Eu digo que sim com um movimento de cabeça, praticamente hiper ventilando quando,

enquanto observo sua caneta de tinta vermelha, repito em minha mente a cena e novamente

chego à mesma terrível conclusão – Meu professor de história está entusiasmado com Sabine.

.

Não posso permitir que isso aconteça. Não posso deixar que ela volte a esse lugar. Quero

dizer, só porque eles são inteligentes, bonitinhos e solteiros não significa que eles precisem de um encontro.

.

Fico ali parada e incapaz de respirar, enquanto tento bloquear os pensamentos em sua cabeça

concentrando-me na ponta da sua caneta. Observando enquanto ele deixa um rastro de

pequenas manchas vermelhas que se transformam em marcações nos números dezessete e

vinte e cinco – justamente como planejei.

.

“Só dois erros! Muito bem!” ele sorri, passando os dedos na mancha de sua camisa, enquanto

se alguma vez voltará a vê-la. “Quer as respostas corretas?”

.

Uh, na verdade não, eu penso ansiosa para sair o mais rápido possível para chegar a mesa do almoço. Não só porque quero ver Damen, mas também porque não quero estar aqui no caso

de suas fantasias começarem a aparecer me forçando a sair.

.

Mas o normal seria pelo menos mostrar interesse, respiro profundamente, sorrio e digo que

sim com a cabeça, como se ver as respostas era o que eu mais desejava.

Quando ele me entrega a folha de respostas, apenas continuo co a encenação, dizendo “Oh,

olhe isso, eu errei a data! e “Claro! Como eu não sabia isso? Duh!"

.

Mas ele só assente porque está outra vez pensando na loira – conhecida como: a única mulher em todo o universo que está absolutamente proibida para namorar!

.

Pensando se ela estará lá amanhã, na mesma hora e no mesmo lugar e mesmo que a idéia de

luxúria dos professores me pareça muito grosseiro no senso geral, este professor em particular

deseja a uma pessoa que é praticamente como uma mãe pra mim – simplesmente isso não

acontecerá.

.

Então me lembro que faz só alguns meses que tive uma visão de Sabine se encontrando com

um cara bonitinho no edifício onde trabalha. Desde que Muñoz trabalha aqui, e Sabine

trabalha lá, suponho que na verdade não exista nenhuma ameaça de que meus dois mundos

se colidam.

.

Mas só no caso de estar errada, me controlo e digo, “Um, isso foi casualidade.”

.

Ele me olha, testa fundida, tentando decifrar minhas palavras, e embora saiba que estou indo

longe demais e sei que estou prestes a dizer algo completamente fora do comum, a verdade é

que eu sinto que não tenho escolha. Eu não posso deixar que meu professor de história saia

com minha tia. Não posso tolerar isso. Simplesmente não posso.

.

Assim, aponto para a mancha em sua camisa e digo, “Você sabe, ela, a Srta. Latte Gelado.”

Confirmo com a cabeça, vendo o alarme em seu rosto. “Eu duvido que ela volte lá. Ela não vai

realmente lá freqüentemente.”

.

Então antes que eu possa dizer qualquer outra coisa que destrua não só seus sonhos, mas

também confirme a extensão do meu dom esquisito. Coloco minha bolsa sobre meu ombro e

corro até a porta, me contraindo com os últimos rastros da energia do Sr. Muñoz enquanto me

dirijo a mesa onde Damen está me esperando – estou ansiosa para estar com ele novamente

depois de ter estado muitas horas separados.

Mas quando chego, não recebo as boas-vindas que esperava. Há um novo garoto sentado ao

lado dele, justamente no lugar que eu costumo sentar, e está absorvendo tanta atenção, que

Damen quase nem me nota.

.

Me reclino contra a borda da mesa, observando como todos se desmancham em risadas por

algo que o garoto novo disse. Não quero interromper nem parecer grosseira, então me sento

em frente a Damen, ao invés de me sentar ao seu lado como normalmente faço.

.

“Oh Meu Deus, você é tão engraçado!” disse Haven, inclinando-se, tocando brevemente a mão

do garoto novo e sorrindo de uma maneira que deixa perfeitamente claro que seu novo

namorado, Josh, a quem ela mesma proclamou com sua alma gêmea, foi temporariamente

esquecido. “Que pena que você perdeu Ever. Ele é tão engraçado que fez Miles se esquecer de

ficar obsessivo com sua espinha.”

.

“Obrigado por me lembrar.” Miles olhou de cara feia, seus dedos no lugar onde estava a

espinha, mas ela já não estava mais lá.

.

Seus olhos ficaram enormes, olhando a todos, buscando uma confirmação de que sua enorme

espinha, a causa de sua desgraça, foi realmente. E não pude evitar me perguntar se eu fiz a

espinha desaparecer quando a toquei esta manhã no estacionamento, porque então isso

significaria que tenho habilidades curativas.

.

Mas então, enquanto estou pensando, o garoto novo disse, “Eu disse que iria funcionar. Essa

coisa é brilhante. Fique com o resto, no caso de voltar a aparecer.” Eu o encaro com os olhos

entrecerrados, me perguntando como é que ele pode ter tempo suficiente para lidar com os

complexos de Miles, quando é a primeira vez que o vejo.

.

“Eu lhe dei uma pomada”, ele diz, virando-se pra mim. “Miles e eu estamos na mesma sala. Eu

sou Roman, a propósito.”

.

Olho pra ele e me concentro em sua aura amarela brilhante que envolve ele, suas bordas

entendidas como se estivesse dando um amistoso abraço grupal.

Mas quando me concentro em seus profundos olhos azuis escuros, em sua pele bronzeada, em

seu cabelo loiro e despenteado e sua roupa casual com a quantidade certa de hipster* chique.

– apesar da sua boa aparência, minha primeira reação é me afastar dele.

.

Mesmo quando ele me envia um daqueles tipos de sorriso indiferente, fácil, que faz-seu-

coração-parar, fico tão na defensiva, eu não consigo devolver o sorriso.

.

“E você deve ser Ever.” Ele disse. Recolhendo sua mão, a única coisa que eu ainda não

percebido que estava estendida e esperando ser agitada até ele puxá-la.

.

Olhei de relance para Haven que claramente estava horrorizada pela minha falta de educação.

Então para Miles que estava muito ocupado olhando fixamente para o espelho para notar

minha gafe. Mas quando Damen chega por baixo da mesa e aperta meu joelho, limpo minha

garganta. Olho para Roman e digo. “Um, sim, sou Ever.” E embora ele me mostre esse sorriso

de novo, porém não funciona, simplesmente faz com que meu estomago fique todo nervoso e

enjoado.

.

“Parece que temos muito em comum.” Ele disse. Embora não possa imaginar o que

possivelmente poderia ser. “Eu sento a duas filas atrás de você em história. E pela forma que

você estava se esforçando, eu não podia ajudar mas pensei, bem aí está uma garota que odeia

história quase tanto quanto eu.”

.

“Não odeio história.” Disse, só que saiu muito rápido, muito na defensiva, minha voz contendo

uma aguda irritação abrasiva que fez com que todos olhassem pra mim. Então olho de relance

para Damen, procurando por confirmação, com certeza não posso ser a única que sente uma

corrente instável de energia que começa com Roman e flui direto pra mim.

.

Mas ele dá de ombros e toma um gole de sua bebida vermelha como se tudo fosse

perfeitamente normal e ele não tinha notado grande coisa.

.

.

.

*pessoas que adoram se vestir de maneira esquisita (e iniciam tendências por causa disso)

Então me volto novamente para Roman e investigo m sua mente, escutando furtivamente um

fluxo constante de inofensivos pensamentos que são ligeiramente juvenis, a propósito, são

basicamente inadequados. O que muito significa que o problema é meu.

.

“Verdade?” Roman levanta suas sobrancelhas e se inclina para perto de mim. “todo isso de

investigar o passado, explorar todos aqueles lugares e datas antigas, examinando a vida de

pessoas que viveram a séculos atrás e que não tem absolutamente nenhuma relevância agora

– isso não te aborrece? Ou te aborrece a morte?”

.

Só quando aquelas pessoas, lugares, e datas envolvem meu namorado e sua permanência na

Terra por seiscentos anos festejando!

.

Mas eu só penso. Não falo. Em vez disso, eu só dou de ombros e digo. “eu fiz bem. Na verdade,

era fácil. Quase perfeito.”

.

Ele assente, seus olhos sobre mim, sem perder uma polegada. “É bom saber.” Ele sorri.

“Munõz só me deu o fim de semana para acompanhar, talvez você possa me instruir.”

.

Olho de relance para Haven, observando como seus olhos tornam-se escuros e sua aura se

tornando um verde vomito de inveja. Então olho para Miles que abandonou sua ferida e agora

está trocando textos com Holt, e então olho para Damen que está alheio a nós dois, seu olhar

distante, focado em algo que não posso ver. E apesar de saber que estou sendo ridícula, que

todo mundo parece gostar dele e que eu deveria fazer o que pudesse para ajudá-lo, eu

simplesmente dou de ombros quando digo: “Ah, tenho certeza que não é necessário. Você não

precisa de mim."

.

Incapaz de ignorar as picadas de minha pele e o som no meu estômago quando seus olhos se

encontram com os meus – revelando um conjunto de dentes brancos quando disse. “Legal de

você me dar o beneficio da dúvida, Ever. Embora eu não tenha certeza que você deveria.”

CAPÍTULO 5

.“O que acontece entre você e o novo garoto?” Haven pergunta, nos atrasando quando

todos os demais se dirigem a classe.

.

“Nada.” Agarro sua mão e a forço a andar, uma energia que derrama diretamente em

mim enquanto olho para Roman, Miles e Damen que sorriem e continuam como se

fossem velhos amigos.

.

“Por favor.” Ela revira os olhos. “É tão óbvio que não gosta dele.”

.

“Isso é ridículo.” Digo, meus olhos focaram Damen, meu namorado magnífico e

glorioso / companheiro de alma / companheiro eterno / companheiro (realmente

tenho que encontrar a palavra exata) que mal falou comigo esta manhã em inglês. E

espero que não seja devido a razão que eu penso – devido ao meu comportamento

ontem e minha recusa que cometi neste fim de semana.

.

“Sou totalmente séria.” Ela me olha. “É como – é como se você odiasse pessoas novas

ou algo assim.” No qual resultou sair muito mais amável que as verdadeiras palavras

em sua cabeça. Pressiono meus lábios juntos e olho fixamente para frente, oposição

(resistência), o impulso de revirar os olhos.

.Mas ela apenas me olha determinada, com as mãos na cintura, seus grandes olhos

revirando sob uma flamejante franja de seu cabelo. “Porque se eu me lembro bem, e

sabemos que lembro, você odiou Damen na primeira vez que ele veio a esta escola.”

.“Não odiei Damen,” digo, entrecerrando meus olhos apesar da minha recente

negativa. Pensando: Correção, só tive a aparência de odiar Damen. Quando a verdade

é, eu o amei durante aquele tempo inteiro... Bem, exceto naquele curto período em

que eu realmente o odiei. Mas de todos os modos, ainda assim, eu o amei. Apenas não

quis admitir isso...