Mãos que tecem tapetes e realizam círculos: um estudo sobre a imaginação e a formação de... por Anna Rita Ferreira de Araújo - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

index-1_1.jpg

ANNA RITA FERREIRA DE ARAÚJO

Mãos que tecem tapetes e realizam círculos:

um estudo sobre a imaginação e a formação

de educadores autores nas artes visuais

SÃO PAULO

2012

index-2_1.jpg

ANNA RITA FERREIRA DE ARAÚJO

Mãos que tecem tapetes e realizam círculos:

um estudo sobre a imaginação e a formação

de educadores autores nas artes visuais

Tese

apresentada

à

Escola

de

Comunicações e Artes da Universidade

de São Paulo para obtenção do título

de Doutora em Artes. Área de

Concentração: Artes Visuais. Linha de

Pesquisa:

Teoria,

Ensino

e

Aprendizagem.

Orientadora: Profª. Dra. Regina Stela

Barcelos Machado

SÃO PAULO

2012

Autorizo a reprodução e divulgação total ou parcial deste trabalho,

por qualquer meio convencional ou eletrônico, para fins de estudo e

pesquisa, desde que citada a fonte.

Catalogação na Publicação

Serviço de Biblioteca e Documentação

Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Araújo, Anna Rita Ferreira de., 1969-

Mãos que tecem tapetes e realizam círculos: um estudo sobre a imaginação e a

formação de educadores autores nas artes visuais / Anna Rita Ferreira de

Araújo; orientadora Regina S. B. Machado. -- São Paulo, 2012.

190 fl.:il

Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo – 2012

1. Imaginação. 2. Ensino de artes

visuais. 3. Formação de professores. 4.

Fenomenologia. I. Machado. R. S. B. II. Título. III. Título: um estudo sobre

mãos que tecem tapetes e realiz

am círculos.

FOLHA DE APROVAÇÃO

ARAÚJO, Anna Rita F. de . Mãos que tecem tapetes e realizam círculos: um estudo

sobre a imaginação e formação de educadores autores nas artes visuais. Tese

apresentada à Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo para

obtenção do título de Doutor em Artes.

Aprovada em: 27 de abril de 2012

Banca Examinadora

Profª. Dra. Regina Stela Barcelos Machado

Instituição: Universidade de São Paulo Assinatura: ____________________

Profª. Dra. Ana Mae Tavares Bastos Barbosa

Instituição: Universidade de São Paulo Assinatura: ____________________

Profª. Dra. Sumaya Mattar Moares

Instituição: Universidade de São Paulo Assinatura: ____________________

Prof. Dr. Marcos Ferreira Santos

Instituição: Universidade de São Paulo Assinatura: ____________________

Profª. Dra. Rosa Iavelberg

Instituição: Universidade de São Paulo Assinatura: ____________________

Para Anna Beatriz, Anna Luisa,

Rafael e Daniel.

AGRADECIMENTOS

À Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, pela

oportunidade de realização do curso de doutorado.

À Universidade Federal de Goiás e CAPES, pela concessão da bolsa de

estudos do Programa PRODOUTORAL e pelo apoio financeiro para a

realização desta pesquisa.

À profª. Dra. Regina Machado, pela orientação, presença e ensinamentos

inestimáveis, que tanto contribuíram para a realização desta Tese e para a

educadora que sou.

Aos coordenadores e aos professores de reorientação curricular de artes

visuais do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte da Secretaria de

Educação do Estado de Goiás, pela grande colaboração e participação

efetiva/afetiva nesta pesquisa.

Aos professores Doutores da Universidade de São Paulo, Ana Mae Barbosa,

Sumaya Mattar, Maria Christina Rizzi, Eclea Bosi, Marcos Ferreira Santos,

Monica Tavares, Nuria Hanglei e Hercília Tavares Miranda, pelas contribuições

e pelos ensinamentos acadêmicos que levarei para sempre.

Aos colegas-professores do grupo de Grupo Multidisciplinar de Estudo e

Pesquisa em Arte e Educação da Universidade de São Paulo, pela parceria e

por partilharem seus conhecimentos, fundamentais para minhas reflexões

acerca desta investigação.

Aos colegas-professores do Núcleo de Estudos e Pesquisas em

Fenomenologia da Universidade Federal de Goiás, pela parceria e estudos

acadêmicos que contribuíram para meu crescimento intelectual.

Aos funcionários da secretaria de pós-graduação da ECA, do CAP e do NICA,

pelos esclarecimentos e encaminhamentos.

Aos integrantes do Grupo Arte Nascente, pelo apoio e amizade durante o

período de realização deste curso de doutorado.

E, sobretudo, aos meus pais, esposo, filhos, irmãos e familiares, pelo imenso

amor, compreensão, incentivo e amizade.

Tudo que for dito é pouco como forma de expressão dos meus mais sinceros

agradecimentos a todos vocês, que são coautores deste trabalho. Muito

obrigada!

Para quem quer se soltar

Invento o cais

Invento mais que a solidão me dá

Invento lua nova a clarear Invento

o amor

E sei a dor de encontrar

Eu queria ser feliz

Invento o mar

Invento em mim o sonhador

Para quem quer me seguir

Eu quero mais

Tenho o caminho do que sempre

quis

E um saveiro pronto pra partir

Invento o cais

E sei a vez de me lançar

Flávio Venturini

RESUMO

Araújo, A. R. F.de. Mãos que tecem tapetes e realizam círculos: um estudo

sobre a imaginação e a formação de educadores autores nas artes visuais.

2012. 191f. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade

de São Paulo

Imaginar é articular poeticamente, de maneira pessoal, única, os elementos

internos, externos, materiais, imateriais, subjetivos e objetivos que perpassam

e habitam a existência. Imaginação é potência, e como tal, o ser humano “faz”

imaginação, e esse fazer é produto da ação/movimento do corpo todo, no

sentido fenomenológico, que supera a separação corpo e alma. Seria, desde a

infância, alicerçado na percepção, nas memórias, nos sonhos, na poiesis e no

imaginário, que o ser constitui seu corpo-imaginante. Por entender a

constituição da imaginação como um corpo físico/espiritual, concreto/abstrato,

as suas qualidades e quantidades imaginantes se fazem à medida que ele se

exercita ao longo de sua existência. Esta proposição teórica estabelece um

estreito diálogo com os estudos fenomenológicos de Gaston Bachelard acerca

da imaginação material. Para esta investigação foi realizado um curso-pesquisa

no qual seriam criadas as condições necessárias para mergulhar nas

possibilidades de uma formação de educadores autores das artes visuais por

meio da imaginação e obter dados significativos que contribuíssem para a

reflexão proposta. Os tapetes (metáforas poéticas) urdidos e encontrados pela

investigação acerca da imaginação e os processos de criação docente são os

tapetes revelados pelo corpo imaginante, que articulam movimentos fundantes

do “fazer imaginação”, a saber: os patchworks – montagens que articulam os

movimentos de juntar e costurar; as tapeçarias – tessituras que articulam os

movimentos de urdir, tramar e dar nós; os tapetes mágicos – suspensões que

articulam os movimentos de transportar e transcender; os círculos de colheitas

– vestígios que articulam os movimentos de retirar e marcar; e, por fim, as

mandalas – sentidos que articulam os movimentos do ordenar e completar.

Palavras-chave: Imaginação. Ensino de artes visuais. Formação de

professores. Fenomenologia.

ABSTRACT

Hands that weave carpets and make circles: a study about the imagination and

the formation of authors-educators in visual arts.

The process of imagination is to articulate poetically in a unique and personal

way, the internal, external, material, immaterial, subjective and objective

elements that pass and habit the existence. Imagination is power, and thus, the

human being “makes” imagination and this making is a product of the

action/movement of the whole body in a phenomenological sense that

overcomes the separation of body and soul. It would be, since childhood, laid in

perceptions, memories, dreams, in poiesis and in the imaginary, that the human

being constitutes his “imaginative body”. By understanding that the constitution

of imagination as a physic/spiritual, concrete/abstract body, its imaginative

qualities and amounts appears to develop when it is practiced through its

existence. This theoretical proposition establishes a tight dialogue towards the

phenomenological studies of Gaston Bachelard about material imagination. For

this investigation it was carried out a course in which it would be created the

necessary conditions to dive in the possibilities of a formation through the

imagination and acquire significative data that could contribute to the proposed

reflection. The carpets (poetic metaphors) weaved and reached by the

investigation about imagination and the processes of teaching creation are the

revealed carpets through the imaginative body, that articulate “founding

movements” of making imagination: the patchworks – montages that articulate

the movements of joining and sew; tapestries – tissues that articulate the

movements of weaving, plotting and giving knots; the magical carpet –

suspensions that articulate the movements of transporting and transcending;

the circle crops – vestiges that articulate the movements of withdrawing and

marking; and finally the mandalas – senses that articulate the movements of

ordaining and completing.

Key words: Imagination. Visual Arts Teaching. Teacher Formation.