Memória e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade por José Neander Silva Abreu - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub para obter uma versão completa.

JOSÉ NEANDER SILVA ABREU

MEMÓRIA E TRANSTORNO DO DÉFICIT

DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

Tese apresentada ao Instituto de Psicologia

da Universidade de São Paulo, como parte

dos requisitos para obtenção do título de

Doutor em Psicologia (Neurociências e

Comportamento)

São Paulo

2007

2

JOSÉ NEANDER SILVA ABREU

MEMÓRIA E TRANSTORNO DO DÉFICIT

DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

Tese apresentada ao Instituto de Psicologia

da Universidade de São Paulo, como parte

dos requisitos para obtenção do título de

Doutor em Psicologia

Área de concentração: neurociências e comportamento

Orientador: Prof. Dr José Lino Oliveira Bueno

Co-orientador: Prof Dr. Gilberto Fernando Xavier

São Paulo

2007

3

AUTORIZO A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESTE

TRABALHO, POR QUALQUER MEIO CONVENCIONAL OU ELETRÔNICO, PARA

FINS DE ESTUDO E PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE.

Catalogação na publicação

Serviço de Biblioteca e Documentação

Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo

Abreu, José Neander Silva.

Memória e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade / José Neander Silva Abreu; orientador José Lino Oliveira Bueno; co-orientador Gilberto Fernando Xavier. -- São Paulo, 2007.

134 p.+ Apêndices + Anexos.

Tese (Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Psicologia.

Área de Concentração: Neurociências e Comportamento) – Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

1. Memória 2. Transtorno da falta de atenção com hiperatividade 3. Atenção 4. Neuropsicologia I. Título.

BF371

4

APROVAÇÃO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA

IPUSP

Aprovação

Of. 1406/CEPH-04/07/06

5

DEDICATÓRIA

Aos meus pais, Wesley e Wilma, que me

ensinaram dedicação, respeito e integralidade

no passado e no presente.

À Julia, que me ensina a compreender que o

tempo não para.

À Cláudia, que fez parte da história. A história

continua se renovando sempre.

Aos pacientes com TDAH e suas famílias:

esperanças de novas histórias.

6

AGRADECIMENTOS

Ao professor José Lino Oliveira Bueno pela orientação na elaboração e execução deste trabalho.

Ao professor Gilberto Fernando Xavier, co-orientador, pelas sugestões teóricas e de análise do presente estudo.

À professora Nayara Silva Argollo Vieira, Rita Lucena e Marielza Veiga pela indicação dos participantes da pesquisa e sugestões de leitura.

A vocês, muito obrigado pela oportunidade e contribuições para aqui chegar.

Ao Lino e à Belmira, amigos, que me receberam e acolheram em tantos momentos desde o mestrado. Obrigado pelo quarto de estudo e amigos em Ribeirão, pelos papos e pela para amizades.

Ao Gilberto e à Silvia, receptivos em São Paulo, conversando sobre as idas e vindas de Salvador.

À direção do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia: Francisco, Thiago e Luis, obrigado!

Aos companheiros de caminhada antigos e novos do laboratório de Processos Associativos, Controle Temporal e Memória: Taíza, Lela, Patrícia, Mariana, Rita, Danilo, Raquel, Érico, Chico, Lézio e o João, sempre disponível. Gente, muito obrigado pelo apoio de vocês.

Não dá para esquecer daqueles que estão no laboratório de Fisiologia e Comportamento (SP): André, João, Arnaldo, Andréa, Rodrigo, Tatiana, Claudia e a Cláudia Berlim. Amiga, companheira de papo e de bar. E ao Renato e Rafael. Minha vida temporária em São Paulo não seria a mesma sem vocês três. E tem a Bete, irmã, cheia de energia, estimulando no desânimo. Valeu!

Em Salvador, à Fernanda, Ana Louize, Nariana e Samantha. Obrigada pela força na coleta e na amizade de vocês.

Aos meus amigos da capital soteropolitana. Moisés e Érica, Moisés Domingues e a Cris, Sérgio (Galo) e Anália,Serginho e Ana Carla; Pimenta, companheiro de vela; Moisés Andrade e Solange; o Paulo Sérgio, doutor e amigo; ao Eduardo, muito grato 7

pelas contribuições mesmo no meio do jogo do Brasil; Naninha, amiga e suporte nas horas mais difíceis.

À Nina, Rodrigo, Eduardo, Ana, amigos que chegaram por tabela. Crianças nos ensinam sempre! À Eny, que vai fazer sempre eternamente seu lugar! À Vivian,pela reconstrução de relações! À Laura e Bob, lançando sempre a gente à frente!

À Noemi, Ester, Junior e Sheila, companheiros de vida,que mesmo à distância me estimulam sempre, me acompanham, me dão suporte. O lugar é especial!

À Eliã, Caio e Cauã pelo recente apoio e ao Raimundo, amigo próximo dos que a gente se orgulha de ter.

E ao Amauri, companheiro de caminhada e profissão,apoio constante, mão que suporta!

Obrigado a vocês todos e nesta reta final, vocês sabem o quanto!

Neander, em 06 de agosto de 2007.

8

RESUMO

ABREU, José Neander Silva. Memória e Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. 2007. 134p.+ Apêndices + Anexos. Tese (Doutorado). Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

O Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) é o transtorno psiquiátrico mais comum em crianças e adolescentes, com prevalência de 6%. O TDAH classifica-se nos subtipos desatento (TDAHD), hiperativo (TDAHH) ou combinado (TDAHC). Suas manifestações incluem problemas de cognição, comportamentais, afetivos e sociais.

Distúrbios de memória e atenção são problemas cognitivos freqüentes. A memória de curta e longa duração foi avaliada em 44 sujeitos portadores do TDAH por subtipos, (TDAHD, n=17; TDAHH, n=11;TDHAC, n=16; idade:12,8 anos; escolaridade: 6,1 a) e 43

indivíduos não portadores que constituíram o grupo controle (idade: 12,11 anos; escolaridade: 6,4 a). Os escores foram a média de evocações corretas em um experimento desenvolvido para este estudo. 64 figuras distribuídas em 4 apresentações com 16 figuras cada constituíram a avaliação de memória (MEMO). As apresentações para recordação imediata e tardia: memória categorizável agrupada, memória não-categorizável seriada, memória não-categorizável agrupada. Inteligência e atenção também foram analisadas. Os resultados mostraram os grupo TDAHH e TDAHC

tiveram um pior desempenho na memória de longa duração categorizável e não categorizável na apresentação seriada; os três grupos com TDAH tiveram desempenho inferior ao grupo controle com figuras categorizáveis e não-categorizáveis agrupadas, com maior efeito para TDAHD e TDAHC. Os resultados indicam prejuízo de memória de longa e curta duração no TDAH independente da contribuição de estratégias de memória.

Palavras-Chave: Memória, Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, Atenção, Neuropsicologia.

9

ABSTRACT

ABREU, José Neander Silva. Memory and Attention Deficit/Hyperactivity Disorder. São Paulo, 2007. 134p.+ Appendices . Thesys (level: Doctoral). Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) is the most common psychiatric disorder among children and teenagers, with a prevalence of 6%. ADHD disorder has three subtypes: inattentive (ADHDI), hyperactive (ADHDH) and combined (ADHDC). The symptoms include cognitive, behavioral, affective, and social disturbances. Memory and attention deficits are the cognitive problems that frequently attend this disorder. Long and short-term memory were assessed in 44 children and teenagers with ADHD

(ADHDD, n=17; ADADH, n=11;ADHDC, n=16; age: 12,8 y; 6,1 years of education) and 44 healthy participants (Control group, age: 12,11; 6,4 years of education). An experiment was developed to investigate memory (MEMO). The experiment consisted of 64 figures in 4 different presentations. Each presentation had 16 figures designed to measure immediate and delayed recall in four conditions: serial categorizable memory, grouped categorizable memory, serial non-categorizable memory, and grouped non-categorizable memory. Intelligence and attention were also assessed. The recall of ADHDD and ADHDC groups was worse in the categorizable and non-categorizable serial conditions; the performance of all three ADHD groups was worse than that of the control group with respect to the two grouped conditions, but ADHDD and ADHDC were the worst. These results suggest memory deficit for long and short-term memory on ADHD independent of memory strategies contribution.

Keywords: Memory, Attention-deficity/hyperactivity disorder, Attention, Neuropsychology.

10

LISTA DE FIGURAS

Figura 1. Modelo de Relação Funcional da Atenção (BARKLEY, 1996) 35

Figura 2. Exemplos de figuras da apresentação categorial seriada.

74

Figura 3. Matriz da apresentação categorial agrupada.

74

Figura 4. Exemplos de figuras da apresentação não-categorial seriada.

74

Figura 5. Matriz da apresentação não-categorial agrupada.

75

Figura 6. Comparação do Desempenho dos Grupos TDAHD, TDAHH e 89

TDAHC e Controle na Memória de Longa Duração Seriada (MLDS).

Figura 7. Comparação do Desempenho dos Grupos TDAHD, TDAHH e 90

TDAHC e Controle na Memória de Longa Duração Agrupada

(MLDA).

Figura 8. Índice de Desempenho para Comparação entre a Diferença dos 91

Escores de Memória Seriada – MS.

Figura 9. Índice de Desempenho para Comparação entre a Diferença dos 93

Escores de Memória Agrupada – MA. Média e erro padrão.

Figura 10. Índice de Desempenho para Comparação entre a Diferença dos 94

Escores de Memória de Longa Duração Agrupada (MLDA) e

Seriada (MLDS) Categorial (MLDCA/MCDCS) e Não Categorial

(MLDCNCA/MLDNCS).

Figura 11. Índice de Desempenho para Comparação entre a Diferença dos 96

Escores de Memória de Curta Duração Agrupada (MCDA) e

Seriada (MCDS) Categorial (MCDCA/MCDCS) e Não Categorial

(MCDNCA/MCDNCS).

Figura 12.Aprendizagem Seriada Categorial. Média e erro padrão. T1, T2 e 97

T3 são tentativas da aprendizagem seriada.

Figura 13. Aprendizagem Seriada Não Categorial.

97

Figura 14. Aprendizagem Agrupada Categorial (APAC) e Aprendizagem 99

Seriada Categorial (APSC).

Figura 15. Aprendizagem Agrupada Categorial (APAC) e Aprendizagem 99

11

Agrupada Não Categorial (APANC).

Figura 16. Índice de Aprendizagem Categorial (IAC) e Não Categorial (IANC). 100

Figura 17. Quoeficientes de Inteligência Bateria WISC III. Médias dos QIs e 101

erro padrão.

Figura 18. Índices Fatoriais da Bateria WISC III. Média dos índices e erro 103

padrão. ICV: índice de compreensão verbal.

Figura 19. Tempo de Reação (TR) nas provas da Bateria TAVIS-3..

104

Figura 20. Erros por Omissão.

105

Figura 21. Erros por Ação

106

12

LISTA DE ABREVIATURAS

CPT

Continuous performance task

DSMIV

Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders 4th ed.

EA

Erros por ação

EO

Erros por omissão

FE

Funções executivas

ICV

Índice de compreensão verbal

IOP

Índice de organização perceptual

IRD

Índice de resistência à distração.

IVP

Índice de velocidade de processamento

MCDA

Memória de Curta Duração Agrupada

MCDS

Memória de Curta Duração Seriada

MLDA

Memória de Longa Duração Agrupada

MLDS

Memória de Longa Duração Seriada

SNAP-IV

Swanson, Nolan and Pelham Questionnaire

TAVIS–III

Teste de atenção visual – 3a versão.

TD

Transtorno de Conduta

TDA

Transtorno do Déficit de Atencão

TDAH

Transtorno do Déficit de Atencão e Hiperatividade

TDAHC

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade do tipo combinado TDAHD

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade de predomínio desatento

TDAHH

Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade de predomínio hiperativo

TDO

Transtorno Desafiante Opositor

TR

Tempo de reação

13

WISC III

Wescheler Intelligence Scale for Children – versão III

14

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO

16

1. 1. O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) 1.2. Processos de atenção e suas disfunções relacionadas ao TDAH

34

1.3. Memória e suas disfunções relacionadas ao TDAH

53

2. OBJETIVOS

68

3. MÉTODOS

70

3.1 Caracterização Situacional

3.2 Descrição da Amostra