O Agente Secreto de Deus por Aureliano dos Santos - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.

O Agente Secreto De Deus

Bairro de guaianazes são Paulo.

Em uma casa simples no bairro proletário, um homem jovem,de cor

clara, olhos castanhos e cabelos também castanhos bem penteados,

musculatura bem cuidada, esta sentado defronte a sua velha mesa,

tendo por companhia um pequeno poodle, que olha atento para o

jovem dono, talvez tentando entender o motivo de sua tristeza.

Na casa simples, velha e com paredes pedindo pintura nova, o jovem

está neste momento fazendo um balanço de sua vida, talvez pensando

se ainda teria chances de seguir em frente, de evitar o que esta prestes a acontecer.

Bem agora meus problemas resolverão de vez, meu sofrimento vai

terminar!

Na casa paupérrima marcos acabava os últimos preparativos para seu

ultimo ato na terra, olhando a velha geladeira, comprada de segunda

mão, a mesa arranhada e os utensílios de cozinha em sua maioria

pendurados sobre o fogão, algumas panelas soltas em baixo da pia

descoberta, sem portas e nem cortinas, na parede um quadro da santa

ceia, um quadro que às vezes dependendo de onde se olhava dava se a

impressão que Jesus não olhava para as fatias de pão e sim para quem

admirava o quadro, em uma ultima olhada para o quadro marcos

pensou... nem me olhe, é apenas uma ilusão de ótica e depois se você

existisse, eu não estaria agora nesta situação, neste fundo de poço.

Neste momento batidas na porta tiram marcos de seu devaneio.

Minha nossa, quem é que tem coragem de aparecer em uma hora

dessas, que droga!

Levantando se de sua velha cadeira desconjuntada, marcos abre a

porta de seu quarto e cozinha e o que o vê o surpreende, entrando na

pequena cozinha um homem bem vestido, em um terno com aparência

de estar sendo usado pela primeira vez, mas por quem com certeza

sabe como usar um terno, o perfume Frances usado com sabedoria e

até a loção de barba podiam ser sentidos a certa distancia, um homem

que emanava tranqüilidade , confiança, segurança e a certeza de estar

no lugar certo, na hora certa, alguém que sabe se fundir ao ambiente,

estar nele temporariamente, mas com a aparência de fazer parte

naturalmente do ambiente.