Ora Bolas por Juarez Fonseca - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub para obter uma versão completa.

index-1_1.jpg

Apresentação

TENHO DUASdele. Uma vez ele pegou uma carona comigo e sentou no banco de trás.

Quando eu parei na frente da casa do Josué, na rua Rivera, ele teve alguma dificuldade para descer do carro. E comentou: “Como a gente tem pernas, né?”

Outra. Nos encontramos no Rio. No Hotel Canadá, em Copacabana, onde ele ficava

sempre. Ele nos contou que a coisa de que mais gostava no Rio de Janeiro era entrar em túnel.

Era a única maneira de descansar da paisagem.

Ele dizia muito “ora bolas”. Não sei como ele era na juventude, mas na época em que o conheci nunca ouvi ele dizer nada mais impaciente ou contundente do que “ora bolas”. Era o seu desabafo de mil utilidades. Ao contrário de outros humoristas, ele era espontaneamente engraçado. Ou talvez, ora bolas, estivesse dizendo todas essas coisas sabendo que alguém como o Juarez as colecionaria um dia. Ainda bem que apareceu alguém como o Juarez.

Luis Fernando Verissimo