Vida de Takla Haymanot por Francisco Maria Esteves Pereira - Versão HTML

ATENÇÃO: Esta é apenas uma visualização em HTML e alguns elementos como links e números de página podem estar incorretos.
Faça o download do livro em PDF, ePub, Kindle para obter uma versão completa.
Vida de Takla Haymanot, por P. Manuel de Almeida

Page 1 of 19

The Project Gutenberg EBook of Vida de Takla Haymanot, by

Francisco Maria Esteves Pereira

This eBook is for the use of anyone anywhere at no cost and with almost no restrictions whatsoever. You may copy it, give it away or re-use it under the terms of the Project Gutenberg License included with this eBook or online at www.gutenberg.net

Title: Vida de Takla Haymanot

Author: Francisco Maria Esteves Pereira

Release Date: May 4, 2009 [EBook #28692]

Language: Portuguese

Character set encoding: ISO-8859-1

*** START OF THIS PROJECT GUTENBERG EBOOK VIDA DE TAKLA HAYMANOT ***

Produced by Pedro Saborano (produced from scanned images

of public domain material from Google Book Search)

VIDA DE TAKLA

HAYMANOT

PELO

P. MANUEL DE ALMEIDA

da Companhia de Jesus

PUBLICADA POR

FRANCISCO MARIA ESTEVES PEREIRA

http://www.gutenberg.org/files/28692/28692-h/28692-h.htm

2012-06-12

Vida de Takla Haymanot, por P. Manuel de Almeida

Page 2 of 19

LISBOA

IMPRENSA LUCAS

93--Rua do Diario de Noticias--93

1899

PREFAÇÃO

Dos successos e vicissitudes do antigo reino da Ethiopia sómente se possuem noticias circumstanciadas a partir do reinado de Amda Seyon (6807-6836 M., 1315-1344 J. C.), de cujos gloriosos feitos foi conservada a narração na obra conhecida pelo nome de Historia das guerras de Amda Seyon[1]. Dos tempos anteriores não existem chronicas, apenas ha listas dos reis[2], e muito breves noticias se encontram espalhadas em differentes escriptos.

Entre os documentos, que prestam mais valioso subsidio ao estudo da historia antiga de Ethiopia, são de grande importancia as vidas dos santos, que exerceram alguma influencia no mesmo paiz, quer na introducção e propagação do christianismo, quer na implantação e diffusão do monachismo, quer nas revoluções politicas. Este facto não deve causar admiração, e resulta principalmente da indole de certo modo theocratica do governo de Ethiopia, do grande poderio do clero, e das condições sociaes dos escriptores, quasi sempre ecclesiasticos[3].

Entre os santos naturaes de Ethiopia o mais eminente é sem duvida Takla Haymanot, o qual sempre foi tido pelos Abexins por varão apostolico, de analisada virtude, e maravilhoso em milagres; e se não foi o auctor e fundador da ordem monastica, que depois teve o seu nome, reformou-a e illustrou-a grandemente, de modo que ella floresceu durante seculos em numero de religiosos, em exemplo de virtudes heroicas, e em letras, quanto se podia esperar de gente, que nunca teve mestres, que lhes dessem algumas luzes das sciencias humanas, nem da theologia scholastica[4]. O zelo de Takla Haymanot não se limitou a edificar na virtude com a pregação e o exemplo os christãos do seu paiz; mas gastou a maior parte da sua vida, longa e laboriosa, na implantação da fé christã entre as gentes rudes, que habitavam as regiões meridionaes de Ethiopia, como Damot e Davaro, as quaes ainda então viviam mergulhadas no mais grosseiro gentilismo[5].

Da Vida de Takla Haymanot existem duas redacções escriptas em geez: uma devida aos monges do mosteiro de Valdeba, em Tegre; outra dos monges do mosteiro de Dabra Libanos, em Xava.

A redacção dos monges de Valdeba parece ter sido escripta no seculo XV, provavelmente no tempo do rei Zara Yaeqob (6927-6960 M., 1435-1468 J. C.); o seu auctor foi verisimilmente um monge do mosteiro de S. Samuel de Valdeba[6]. Esta redacção é a mais breve das duas; está escripta em geez puro, sem mistura de palavras amarinhas; o seu estylo é simples e elegante. D'esta redacção só existe uma copia contida no manuscripto ethiopico n.º 136 da Bibliotheca Nacional de Paris[7]; foi publicada por Conti Rossini[8].

A redacção dos monges de Dabra Libanos parece ter sido escripta tambem no seculo XV, mas posteriormente á redacção dos monges de Valdeba; o seu auctor foi http://www.gutenberg.org/files/28692/28692-h/28692-h.htm

2012-06-12

Vida de Takla Haymanot, por P. Manuel de Almeida

Page 3 of 19

verisimilmente um monge do mosteiro de Dabra Libanos. Esta redacção é muito desenvolvida; comprehende CXVI capitulos, seguidos da narrativa da trasladação das reliquias do santo e dos seus milagres; está escripta em geez puro, sem mistura de palavras amarinhas; o seu estylo é simples e elegante. D'esta redacção existem numerosas copias: no Museu Britannico dez (ms. add. 16257, mss. orient. 696, 721, 722, 723, 724, 725, 726, 727, 728)[9]; na Bibliotheca Bodleiana de Oxford uma (ms. aeth. c. 3)[10]; na Bibliotheca nacional de Paris duas (ms. eth. 137 e 138)[11]; na collecção de A. d'Abbadie uma (ms. eth. 40)[12]. Esta redacção é inedita.

Ambas as redacções contem muitas noticias acerca das crenças dos povos, que no tempo de Takla Haymanot habitavam as regiões situadas ao sul de Ethiopia, antes de serem convertidos ao christianismo; são por isso de subido valor para a ethnographia d'aquelles povos, e por meio dellas será possivel determinar as gentes de que eram oriundos, e apreciar a influencia d'aquellas que os dominaram, ou com as quaes mantiveram relações commerciaes.

Do que se conta na Vida de Takla Haymanot não é possivel concluir-se a epocha precisa, em que o mesmo santo viveu. O P. Manuel de Almeida, da Companhia de Jesus, que esteve em Ethiopia nos annos de 1624 a 1633, observa com razão, que esta historia contem diversos e graves erros chronologicos, e que o maior é contar que o mesmo santo viveu no tempo do rei Yekuno Amlak (6762-6776 M., 1270-1284 J. C), e que recebeu o habito e capello do abba Yohani, terceiro successor do abba Aragavi como superior do mosteiro de Damo, que, pelo que se refere na sua historia[13], viveu no fim do seculo V e principio do seculo VI de J. C. Como porém na Vida de Takla Haymanot se conta, que este santo converteu ao christianismo a gente de Damot e de outras terras meridionaes de Ethiopia, e nella se não faz menção dos musulmanos[14], que logo nos primeiros seculos depois do seu apparecimento começaram a infestar o reino de Ethiopia, concluiu o P.

Manuel de Almeida[15], que Takla Haymanot floresceu no seculo VIII de J. C.

Da redacção de Dabra Libanos foi feita uma traducção arabica, a qual, segundo se diz no seu titulo, foi enviada pelo rei Galavdevos (7033-7051 M., 1541-1559 J. C.) ao abba Gabriel, XCV arcebispo de Alexandria. A traducção arabica é algum tanto abreviada; os nomes proprios são todos geez, mas soffreram consideraveis alterações[16]. D'esta traducção são conhecidas duas copias: uma é contida no manuscripto arabico n.º 284

(ancien fonds n.º 159) da Bibliotheca Nacional de Paris, datado do anno de 1307 dos Martyres (1590 J. C.)[17]; outra no codice arabico christão CV da Bibliotheca Bodleiana de Oxford, datado do anno de 1310 dos Martyres (1593 J. C.)[18]. Esta traducção é inedita.

Da redacção de Dabra Libanos foi feito um resumo em portuguez pelo P. Manuel de Almeida, e por elle incluida no segundo livro da sua Historia de Ethiopia a alta[19].

Acerca do modo como foi feito este resumo diz o P. Manuel de Almeida[20]: «Escreverei aqui a vida de Tecla Haymanot, assim como está no livro de Ethiopia, que elles tem por mais verdadeiro, posto que o não é em muitas cousas, como se deixará ver no discurso da historia;... mas tambem declaro logo, que não me pareceo bem escrever aqui esta historia palavra por palavra, assim como está no seu livro, por ser demasiadamente comprida e enfadonha; comtudo não porei senão o que nella acho, e isto abreviando quanto for necessario sem deixar cousa alguma que de conta seja, cortando mais pelas palavras que pelas cousas.»

Este resumo, ainda que muito breve, tem particular valor; dá uma ideia sufficientemente aproximada e completa do original, e mostra que este não soffreu alterações nos tres ultimos seculos. Os nomes proprios são escriptos algum tanto incorrectamente; comtudo é sempre facil reconhecer a forma ethiopica, e fazer a sua identificação. Além d'isso o mesmo resumo é um notavel documento dos trabalhos litterarios dos missionarios portuguezes dos seculos XVI e XVII, que ao mesmo tempo, que com incomparavel zelo implantavam e sustentavam a fé christã entre muitas nações da Africa e da Asia, com louvavel diligencia estudavam a lingua, a litteratura, a historia, os usos e os costumes dos povos, que evangelizavam. Pareceu por isso util a publicação do mesmo resumo; elle prestará sem duvida algum subsidio aos eruditos, pelo menos em quanto não é publicada a redacção original.

http://www.gutenberg.org/files/28692/28692-h/28692-h.htm

2012-06-12

Vida de Takla Haymanot, por P. Manuel de Almeida

Page 4 of 19